14/05/2014

Frequentadores e funcionários denunciam maus-tratos a animais em zoo

Pois é.... mais um zoológico em péssimas condições.... já repararam a quantidade de zoos que estão largados pelo país afora? isto acontece porque a direção destes locais é feito por indicação política que ignora o conhecimento técnico .... E ainda tem leitor que acha que não posso falar em política porque não tem nada a ver com animais.... é ser muito mentecapto!!!!!!!
________________________

Frequentadores e funcionários do Parque Ecológico Cid Almeida Franco, o Zoológico de Americana (a 126 km de São Paulo), relatam situação de abandono, maus-tratos e mortes de animais dentro do parque.

A principal acusação é que houve uma redução na alimentação dos bichos por falta de pagamento aos fornecedores por parte da prefeitura, o que estaria prejudicando a
saúde dos animais, principalmente dos felinos.

A foto de um leão aparentemente desnutrido e fraco chamou atenção e causou revolta nas redes sociais. Em apenas uma semana, a imagem teve milhares de compartilhamentos e centenas de comentários. 

Visitantes do parque levaram o caso à Secretaria do Meio Ambiente do Estado e à Polícia Ambiental.

"Já não basta estar enjaulado e preso? Agora, vão deixar os animais passando fome também. O leão está super fraco. O tigre também não está bem. Dá até tristeza ir ao parque", disse Marili Camargo, que faz parte de uma associação de proteção animal na cidade.

Segundo funcionários do zoo que não quiseram ser identificados, desde abril os fornecedores estão abastecendo o parque no máximo duas vezes por semana. Antes disso, os alimentos eram disponibilizados três vezes por semana.

"Eles [a prefeitura] cortaram a verba. Há redução no fornecimento, o que acaba reduzindo a alimentação dos animais. No fim de semana é pior. Às vezes a gente divide a mesma fruta para espécies diferentes. Algumas aves chegaram a ficar sem alimento específico por quase um mês, foram alimentadas só com frutas. Os pelicanos ficaram dias sem peixe", disse um funcionário que não quis ser identificado.

A demora na entrega dos alimentos dos bichos é uma forma de as empresas pressionarem a administração a pagar as dívidas, que passam dos R$ 3 milhões, de acordo com o Portal do Cidadão do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O valor inclui, além da alimentação dos bichos do zoo, fornecimento de merenda escolar, e alimentos para atividades de assistência social e hospitais.

O contrato para o fornecimento de alimentos foi firmado com as empresas Varejão Tatu, Mult Beef Comercial e JGZana Alimentos. A mais prejudicada é a empresa Mult Beef, que espera receber R$ 1,8 milhão da prefeitura. Com a JGZana, a dívida soma R$ 880,6 mil. Já com o Varejão Tatu ultrapassa R$ 601,6 mil.

Prefeitura e zoo negam
A prefeitura e a diretoria do parque negam todas as denúncias, inclusive em relação à redução no fornecimento de alimentos aos bichos. Segundo a Secretaria da Fazenda do município, o pagamento aos fornecedores vem sendo realizado.

De acordo com o diretor do parque, João Carlos Tancredi, as denúncias não procedem e são infundadas.  Segundo ele, a alimentação dos animais é realizada respeitando uma tabela nutricional produzida pela equipe do parque.

"A tabela nutricional possui informações de como deve ser elaborada a bandeja de alimentos de cada espécie animal presente no parque, explicando os produtos indicados como frutas, legumes, verduras, carnes, peixes, ração, etc., a quantidade por animal e em cada recinto, além da frequência. Os produtos hortifrutigranjeiros são entregues ao setor em três dias da semana, os produtos de açougue, semanalmente, e a ração, quinzenalmente", explicou.

Semanalmente, os animais do parque consomem quatro toneladas de ração, 290 quilos de carnes, 882 quilos de hortifrutigranjeiros.

Ainda segundo o diretor, a informação de que o número de animais caiu é incorreta. "Não sabemos de onde a informação saiu, mas não é realidade. Fazemos um Censo, anualmente, e os números só aumentam".

Segundo o parque, em 2011, o zoológico fechou o ano com 112 espécies de animais e 444 exemplares. Em 2012, havia 105 espécies e 476 exemplares e, em 2013, o número aumentou para 110 espécies e 527 animais.

"O óbito de animais é normal, assim como o nascimento. Trabalhamos com a reprodução em cativeiro, temos trocas de animais com outros parques e trabalhamos, diariamente, cuidando desses animais. Sentimos-nos ofendidos com as informações, podemos provar que elas não procedem", acrescentou ele.

Já em relação ao leão, Tancredi informou que a perda de peso é decorrente de seu envelhecimento e do fato de que a leoa estava no cio, deixando o macho em estado de ansiedade e sem apetite.

Além dos frequentadores do parque, o próprio zoo solicitou uma vistoria técnica da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo para constatar a realidade do parque.

"É de extrema importância a visita de um técnico da secretaria para comprovar a situação do parque, que nada se compara ao que a mídia tem divulgado. Trabalho no parque há anos, não falta alimentação alguma, ela é feita por técnicos responsáveis e com conhecimento do que fazem. As entregas estão sendo feitas normalmente e nunca houve maus-tratos", disse ele.

A Secretaria do Meio Ambiente (SMA) informou que acompanha as denúncias e que a visita ao parque ocorrerá nos próximos dias.

O órgão informou em nota que "toda vez que é verificado mau trato ou qualquer irregularidade que comprove dano ambiental, a SMA toma as medidas cabíveis, que vão desde auto de infração/advertência a interdição".

FONTE: Paraiba

8 comentários:

  1. Segurem esta "batata quente" agora humanos, "descasquem este abacaxi" e arquem com as despesas de alimento e remédio destes coitados porque se não tinham habilitação para isso não deveriam estabelecer-se como os responsáveis de escravos que não queriam vir mas foram arrastados de seus lares verdes. Mortos-vivos e zumbis, eis no que racionais "superiores" os transformaram, pálido retrato dos animais estuantes de vigor, força, dinamismo, saúde e vida de seu habitat, do qual nem se lembram mais.

    ResponderExcluir
  2. NA NATUREZA ESSE ANIMAL ESTARIA MUITO MELHOR, ELE SE CUIDA MELHOR SOZINHO, NÃO IA PRECISAR FICAR ESPERANDO DINHEIRO DE GOVERNO. ODEIO COMO MUITOS SERES QUE SE DIZEM HUMANOS AGEM COM A CRIAÇÃO DE DEUS. ODEIO A POLÍTICA, PRINCIPALMENTE A BRASILEIRA.

    ResponderExcluir
  3. Vão diretamente ao Ministério Público, com todas as provas, e COBREM o trabalho deles. pressionem bastante. Quem tem de se mexer é o promotor!!! E não larguem do pé dele até que resolva!!!

    ResponderExcluir
  4. Cristina Calixto14/05/2014 15:57

    Sou radicalmente contra esse inferno na Terra que são os zoológicos. Deveriam soltar os prefeitos e os políticos nas jaulas dos felinos. E ainda assim, seríamos incriminados pela vigilância sanitárias, porque os caras não prestam nem pra servirem de alimento! Tenho nojo desses políticos! A fome tem pressa. Não é conta que se adie. Enquanto isso Dona Dilma manda aumentar o nº de filhos atendidos por Bolsa Família, paga pelos otários que trabalham enquanto essas vagabas continuam parindo como ratazanas.

    ResponderExcluir
  5. Com efeito! Pode-se perceber como o leão está em pleno vigor, saudável, pelagem lustrosa, muitos músculos... pois sim! O pobrezinho é pele e ossos; preso e passando fome, para que a cidade gabe-se de possuir um zoo. É o cúmulo do absurdo!

    ResponderExcluir
  6. Com base na reportagem do Jornal O DIA sobre este caso fiz uma denúncia no IBAMA pela Internet. Quando tiver uma resposta posto aqui.
    Caso alguém queira fazer também, segue o link http://www.ibama.gov.br/cadastro-ocorrencias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Segue a resposta do IBAMA:

      Prezada Senhora

      Informamos a denúncia em questão foi repassada pelo Ibama/SP, para o Batalhão de Polícia Militar Ambiental de São Paulo, conforme LC 140/11, publicada em 08 de dezembro de 2011, que regulamentou o art. 23 da Constituição Federal e alterou a Lei Federal nº. 6.938, de 31 de agosto de 1981, que fixa normas, nos termos dos incisos III, VI e VII do caput e do parágrafo único do art. 23 da Constituição Federal, para a cooperação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum relativas à proteção das paisagens naturais notáveis, à proteção do meio ambiente, ao combate à poluição em qualquer de suas formas e à preservação das florestas, da fauna e da flora.

      Caso deseje entrar em contato diretamente com a unidade do Ibama/SP, http://www.ibama.gov.br/acesso-a-informacao/unidade-ibama-sp

      Atenciosamente,
      Linha Verde/ Coordenação de Ouvidoria/ Auditoria
      Ibama/ Brasília/DF

      Excluir
  7. Que tristeza! Dói o coração ver os animais nessas condições. Será que enviar um e-mail para o Ministério Público, teria algum efeito? Acho que se todos os leitores do seu blog enviassem uma mensagem de denúncia sobre esse absurdo, poderíamos conseguir alguma coisa. O pessoal do Rancho dos Gnomos bem que poderia resgatar esses animais e lhes dar uma vida um pouco mais digna, por que digna por completo eles só teriam se estivessem livres.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪