16/01/2014

Carroceiros fazem protesto em frente à Prefeitura do Recife

Galera, cadê o pessoal da proteção para dar um suporte ao secretário de proteção animal de Recife? me parece ser cabível, não? notícias, pleaseeeeeee!!!! momento histórico deste, seria importante a gente saber mais a respeito!!!!!



Grupo foi recebido por três secretários e volta à sede da administração municipal nesta quarta-feira (15)

Cerca de 350 carroceiros protestaram em frente à Prefeitura do Recife das 11h às 13h desta segunda-feira (13). Os manifestantes questionavam a decisão de proibir a circulação de veículos de tração animal proposta pela gestão municipal. Uma nova reunião foi agendada para esta quarta-feira (15), às 14h.

O grupo protestou com palavras de ordem e carregava faixa pedindo a saída do secretário de Defesa dos Animais, Rodrigo Vidal. Os carroceiros foram recebidos pelo Secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti, pelo secretário-executivo de Governo Gabriel Leitão e pela secretária-executiva de Assistência Social, Geruza Felizardo. 

A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) montou um esquema de bloqueio em todo o Cais do Apolo até as 13h15, quando o trânsito foi liberado no entorno da sede da administração municipal.

Lei municipal
Carroças puxadas por animais serão proibidas de circular nas ruas do Recife a partir de 1º de março. A partir desta data, o carroceiro que for visto neste tipo de transporte pode ser multado em R$ 500, de acordo com a lei municipal sancionada pelo prefeito Geraldo Julio em outubro do ano passado.

----------
NOTA PÓS POSTAGEM:
A galera da proteção está muito injuriada com este Secretário. Leiam os comentários para terem uma ideia.

34 comentários:

  1. Eles próprios que puxem as carroças!

    ResponderExcluir
  2. Concordo inteiramente com Barbara e digo mais : "Carroceiro bom é carroceiro MORTO !"

    ResponderExcluir
  3. Desculpa aí, gente, mas não é tão simples assim. Primeiro que nem todo carroceiro trata mal os animais, ao contrário. Essa forma de tração veio vindo junto com a evolução do ser humano, não faz muito era o único jeito de as pessoas no interior conseguirem transportar carga: com a ajuda de animais. Venho de uma terra, de colonização alemã, onde as carroças sempre foram usadas, sim, mas onde as famílias que porventura tratassem mal os animais - qualquer animal - eram muito mal vistas e censuradas. Matavam bichos pra comer? Sim, mas a crueldade não era tolerada.
    No caso dos carroceiros urbanos, assistência, educação e diálogo seriam fundamentais para levar essas situações a bom termo: a carroça puxada por animais é mesmo algo que deve ir para o museu, ela já está no fim da linha, então é o caso de conduzir essa conclusão de um modo que não sacrifique nem os humanos envolvidos nem redunde em um destino ainda mais terrível para os animais. Ou o que vocês acham que acontecerá com todas essas pobres criaturas depois que a lei entrar em vigor? Um ou outro, aqueles que são apegados aos bichos e os querem bem, talvez deem um jeito na situação. O resto ou vai pro abandono ou pro matadouro. E isso, como aqui no Sul, implica também o desaparecimento de algumas raças de cavalos.
    Obrigados Sheila, sempre, pelo seu trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUAL APOSENTADORIA VC ACHA Q CARROCEIROS DAO AOS ANIMAIS?? FALA SERIO ALICE VC ESTA AONDE NA NORUEGA?? RACA?? QUEM AQUI TA PREOCUPADO COM RACA ? PROTETOR Q SE PROCUPA COM RACA É IMBECIL PQ RACA SO SERVE PRA HUMANOS, E OUTRA CARROCEIRO É REFERENCIA DE PROTECAO DE RACAS...FALA SERIO..

      UGO WERNECK

      Excluir
    2. Eu falo sério, Ugo. Eu nunca comprei bichos, muito menos pela raça, os inúmeros animais com que me envolvi até hoje eram quase todos plebeus mestiços, em geral abandonados. Mas preservar variedade genética não diz respeito apenas a plantas, nem é do interesse apenas dos humanos. É condição necessária à própria preservação da vida - todos os tipos de vida - na Terra.
      Não sei como é a relação das pessoas com os animais na Noruega. Deve ser bem melhor, porque é uma sociedade igualitária e acostumada a educar, embora seja um dos países que insiste em manter a estúpida caça às baleias, cuja carne é usada em vários lugares para produzir ração para cães. Sou brasileira nativa, vivo nesta Porto Alegre que adotou a estratégia de erradicar carroceiros e carrinheiros (os miseráveis que já puxam carga com os próprios braços), mas ainda não dimensionou as consequências. Lilian

      Excluir
  4. PRÁTICA MAIS PRIMITIVA DE EXPLORAR OS ANIMAIS E TEM CARROCEIRO QUE NÃO SE CONTENTA EM EXPLORAR, MALTRATA MESMO QUE EU JÁ FUI TESTEMUNHA.
    Simone V

    ResponderExcluir
  5. O momento não e de criticas para com os carroceiros, eles ainda não despertaram para algo maior. Ainda olham os animais sem compaixão. Acredito que o momento e para apoiar o Secretario, e enviar muita luz para ele.

    ResponderExcluir
  6. E o que será feito com esses animais? A prefeitura do Recife vai abrigá-los? Sou contra a exploração dos animais de tração, mas esse secretaria dos animais da prefeitura do Recife é um órgão criado por pura mídia, em 1 ano de criação se resumiu a fazer 1 feira de adoção por mês (às custas dos defensores), muitas reuniões, muitos discursos, muito palanque, mas política pública pelo bem estar dos animais até agora nenhuma, não tem programa de esterilização, é uma decepção total.... Só quem tá aqui no Recife (c/ exceção de alguns abrigos que ganham uma esmola do secretário e por isso o defendem c/ unhas e dentes...)sabe que enganação é essa Secretaria dos animais....

    ResponderExcluir
  7. tem banir de vez vez esse tipo de transporte, vão arrumar outro tipo de serviço e deixem o pobre dos animais fora desse cambada de maltratadores

    ResponderExcluir
  8. Tenho uma idéia.... o cavalo dirige e o homem puxa a carroça.

    ResponderExcluir
  9. Muitos protetores acham a lei falha, com brechas que podem prejudicar os animais e carroceiros, e pior, expondo aos cavalos a situação de maior risco. Hoje apareceu no Bom dia Pe, vídeo de chicoteamento de cavalo no bairrro de Santo Amaro, onde os menores foram levados a delegacia e depois soltos, com certeza devem ter pego o cavalo de novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplesmente banir as carroças vai resolver os problemas dos maus-tratos ou será que vai aumentar? No Recife já há uma lei de 2005 que prevê chipagem dos cavalos e cadastramento e educação dos carroceiros, horário de trabalho e descando p/ os cavalos, com várias regras que garantiam o bem-estar animal e um prazo de alguns anos p/ acabar gradativamente c/ as carroças na cidade, nem uma linha dessa lei nunca foi cumprida pela prefeitura, agora com a COPA eles aprovam essa lei às pressas, usando essa falsa Secretaria de animais p/ encobrir o verdadeiro objetivo, tirar as carroças do meio da rua p/ limpar a cidade p/ os turistas.... . Com certeza os carroceiros vão se explodir, mas e os animais, não vão?

      Excluir
  10. Cibele Teles16/01/2014 16:26

    Sheilinha amore, sabe por que o pessoal da proteção para dar um suporte ao secretário de proteção animal de Recife, Rodrigo Vidal do SEDA (Secretaria-Executiva de Direitos dos Animais), porque quando se marca uma reunião ou audiências, ele não aparece, na reunião de ontem sobre essa história dos carroceiros ele não compareceu, como vamos dar apoio a uma pessoa sem comprometimento com a causa??? A Seda doa animais sem castração, principalmente fêmeas, se a pessoa não castrar ou não tiver muito cuidado todos sabem o que vai acontecer quando elas entrarem no cio. Quando tiver um tempo de uma olhada nisso: http://dogmidia.com.br/sedarecife-em-foco-pelo-jornal-comercio/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo totalmente, esse secretario Rodrigo Vidal usou a causa animal como trampolim político, se elegeu vereador, ganhou esse cargo de secretario dos animais na prefeitura e não bate um prego no sabão em prol dos animais, vive de discursos, e desculpas. Mas uma coisa tenho que reconhecer, Rodrigo Vidal é um excelente orador, engana todo mundo pela lábia...

      Excluir
  11. É claro que proibir a tração animal num local em que, por tradição, as pessoas fazem disso um modo de ganhar a vida, causaria comoção. O que traz espanto é que medidas para oferecer alternativas não entraram em andamento. Parece que essa proibição é "pra inglês ver". Uma política séria não funciona só em cima de proibições. Todos sabemos o quanto somente leis não resolvem situação. É preciso diálogo, educação e alternativas. A consciência do bem estar animal é presente na militância de forma diferente da população em geral, em graus distintos, e isso não coloca a grande maioria no rol do "serumano". A construção de uma nova realidade demanda empatia, não necessariamente simpatia, e acima de tudo respeito, pra que os argumentos da proteção animal sejam ouvidos.

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde! Realmente, no transito caótico que as cidades brasileiras estão vivendo, não tem mais lugar para esse tipo de transporte. Os animais sofrem sim! Fome, sede, dor, lesões, stress, carga pesada, falta de descanso, atropelamentos, etc etc, no entanto, temo pela vida desses animais. Quem vai abrigá-los, cuidar deles com bem estar?Somente em um Santuário, que não existe!E olhe lá! Assisti uma Conferência pela internet na Assembleia legislativa do Paraná, aonde a senhora esposa do prefeito, militante na causa animal, expos que Curitiba aprovaram um Projeto financiado, se não me engano pelo BID, para encaminhar os carroceiros para outros ofícios, para acabar com a exploração dos cavalos. Me corrijam se estou errada dessa informação? Foi isso que ouvi, mas não me lembro deles falarem qual seria o destino desses pobres animais. Aí que mora o problema.Há de se discutir!!

    ResponderExcluir
  13. Que é situação complicadíssima não há dúvida. Porém, temos, juntos, que ter alguma idéia para o destino a ser dado aos animais.
    Infelizmente, a maioria esmagadora de carroceiros não vê seu animal como um ser vivo, que ainda por cima lhe traz lucros.
    Pessoas gostam mais de seus veículos que dos animais, eu já discuti muito com carroceiros, ah como gostam de chicotear...parece que tiram o recalque que tem da vida que levam nos pobres animais. A resposta é sempre a mesma :"é mais bem cuidado do que eu"...socorro! não tenho pena nenhuma. Se acham que tem uma vida de mer#da, que se matem.

    ResponderExcluir
  14. Nasceu e se criou nisso? Já passou da hora de mudar, né?! Em São Paulo, carroceiro tem que carregar a carroça. Já o outro, diz que explora os animais a quinze anos para sustentar mulher e cinco filhos, então que ponha a mulher pra trabalhar e parem de fazer filhos! E ponham os filhos pra estudar para não crescerem outros zés manés exploradores como são os pais.

    ResponderExcluir
  15. Mais uma vez aplaudo o prefeito Fortunati e Primeira Dama Regina Becker , da Secretaria de Direitos dos Animais ( SEDA ) de Porto Alegre RGS, que não teve medo de protestos e está pondo em prática o fim das carroças de tração animal em Porto Alegre . Está proporcionando cursos profissionalizantes para os carroceiros terem uma profissão , um futuro melhor e deixarem os pobres cavalos em paz !
    Nadja Mesko .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E qual foi o destino dos animais? Se a questão é bem-estar animal, devemos primeiro pensar no que acontecerá com os animais? Pergunto isso porque a SEDA do Recife é "conversa pra boi dormir", o secretário, em vez de executar políticas de bem-estar animal se esconde atrás de desculpas burocráticas p/ não agir. Essa lei foi feita pela SEDA Recife, mas o Prefeito aprovou pensando no trânsito exclusivamente, não há plano p/ acolher os animais, o destino deles aqui no Recife será abandono ou matadouro....

      Excluir
  16. Gente, pelo amor, estou ficando assustada com o nível de fascismo dos brasileiros, o ódio que revelam em relação a gente pobre, e me entristece ver que esse pensamento toma corpo entre os protetores de animais. Eu também acho insuportável a ideia de bichos sendo escravizados e judiados, às vezes acho a espécie humana toda uma abominação, mas não perco de vista que isso é geral, crueldade não tem classe social. Como pode dizer que o carroceiro devia se matar se acha sua vida ruim? Isso é horrível! No Natal passado vi uma mulher com três crianças sobre uma carroça em Porto Alegre: a carroça estava toda enfeitada com fitas e papel vermelho, assim como a eguinha, lustrosa e bem cuidada. Tem que ter compaixão também com os humanos!

    ResponderExcluir
  17. Tem que investir em carrocinhas elétricas,mas cadê a "boa vontade dos governantes",ficar com o bumbum na cadeira metendo a mão no dinheiro público é mais fácil.

    ResponderExcluir
  18. Senhor anônimo ( porque não se identifica?), existem, obviamente, pessoas que não maltratam seus animais, porém elas são um número ínfimo, senhor. No que tange aos animais de tração, a pratica da crueldade é imensa e somente um cego não a vê. Quem lhe garante que égua que puxava a carroça toda enfeitada em um desfile é bem tratada em seu dia a dia? O senhor, meu caro, é somente mais um ingênuo (?) que defende o que desconhece.

    ResponderExcluir
  19. Penso que as pessoas que acham que o problema aqui é ódio em relação a pessoas pobres estão equivocadas. A questão é a crueldade em relação aos animais. Se estas pessoas têm "peninha" de carroceiros e charreteiros,que as adotem para cuidar de suas casas,de seus filhos etc.Se dependesse de mim,quem é cruel com animais morreria de fome.

    ResponderExcluir
  20. O senhor(a) Anônimo fala bobagem e não tem coragem de se identificar? Aqui, não estamos falando em fascismo e em nenhum preconceito contra pobre, pois pra começar muitos de nós teve uma infância lastimável, estudou em escola pública e ainda rala muito na vida para se manter. Estamos falando de gente que teve e tem oportunidade de estudar, de lutar por uma vida melhor, mas prefere viver às custas do suor e sangue de pobres animais, só porque não querem ter patrão. Pelo que vejo, aquela velha frase que a garotada dizia na escola, na década de setenta, ainda prevalece: "Quero que o mundo acabe em barranco pra morrer encostado". Eles seguem a frase, a risca!

    ResponderExcluir
  21. Me chamo Lilian, não sei o que isso muda, já que aqui quase só se veem prenomes. De todo jeito, minha preocupação bem poderia ser manifestada de forma anônima, porque tenho certeza de que falo por muitos ao me preocupar com o fascismo que os brasileiros tem, sim, revelado. Por mais abominável que os humanos possam ser - e são- - defender direitos animais é uma coisa, atacar pessoas pobres (que poderiam ser patrões???) é outra. Posso ser ingênua, às vezes, mas não sou cega, nem idiota. Ou alguém já pensou em interromper as corridas em hipódromos, quando as elegantes desfilam chapéus, ou criticar os passeios da família real inglesa nas carruagens puxadas por belíssimos cavalos? A senhora que vi com as crianças, a propósito, não estava num desfile, estava se deslocando na cidade. Também quero que a tração animal acabe, mas isso não avançará de uma forma boa com argumentos espúrios. Ass. Lilian

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe Lílian, mas quem disse que não nos preocupamos com as corridas de cavalos e charretes da família real?
      Corridas de cavalos, embora se vejam cavalos aparentemente bem tratados, gordos e com o pelo brilhante, sofrem muito sim. Não somos a favor das corridas e charretes para pessoas, quaisquer que sejam elas de sangue azul ou não. Tudo é maltrato e deve ser execrado.

      Excluir
    2. Lilian, vc esqueceu ainda de mencionar os cavalos usados nas olimpíadas de salto, competições caninas idiotas e por aí vai. Concordo com vc em partes. Agora, que tem uma galera que pega pesado com alguns comentários que já por aqui isso tem.

      Excluir
  22. Não há necessidade, mas ainda que eles fossem eutanasiados, seria melhor do que morrer aos poucos sofrendo. E quanto aos carroceiros, que trabalhem. Quem trabalha não precisa de escravos, só os que querem colocar outros para trabalhar no lugar deles. Carroceiro bom é carroceiro morto.

    ResponderExcluir
  23. eles que usem o cavalo de lata...vou pedir para a Sheila ajudar a divulgar. Chega desta prática cruel e medieval...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, o cara que desenvolveu o cavalo de lata tentou um financiamento coletivo (crowdfunding) para multiplicar e propagar a ideia, mas pelo que sei tirou a iniciativa do ar por... falta de apoio! Há anos imagino que os catadores de lixo das ruas, uma das principais atividades dos carroceiros, poderiam tomar outro rumo, com veículos que eles mesmos pudessem pedalar, e com acompanhamento educacional e de saúde.
      As pessoas que querem o resgate da dignidade e do bem-estar animal tem que pensar na quantidade absurda de lixo que cada um de nós produz e abandona no ambiente -lixo que, depois de produzir todo tipo de calamidade em terra, acaba nos rios e mares, produzindo morte e sofrimento horrendo aos animais que o ingerem. O catador de lixo presta um enorme serviço coletivo, retirá-lo simplesmente de circulação terá consequências dramáticas. Claro que os pobres dos cavalos não devem mais pagar essa conta, devem ser retirados da escravidão, assim como todos os animais, de todas as formas. Mas as coisas tenderão a piorar, para humanos e não humanos, se não tivermos soluções melhores do que mandar os ignorantes se matar e deixar os animais à própria sorte. Lilian

      Excluir
  24. Parabéns prefeito, Em pleno século XXI não há necessidade de tração animal! Deixem os animais em paz!

    ResponderExcluir
  25. Parabéns Prefeito e secretáriado! Em pleno século XXI não há necessidade de tração animal - isso para não falar nos maus tratos- O que mais vocês querem?A prefeitura não está dando a chance dos senhores se profissionalizarem. PARABÉNS SR. PREFEITO!

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪