13/06/2013

Cavalo é espancado até a morte no Centro de Aracaju

A sorte é que estamos tendo apoio da imprensa, não é mesmo? nesta hora que agradeço muito a invenção da internet para conscientizar a sociedade que aqueles que lutam pelo direito animal são muitos....

Foto: André Moreira/ Equipe JC
O animal desmaiou e morreu próximo aos mercados centrais. Emsurb recolheu o corpo que foi enterrado numa área de aterro controlado no bairro Santa Maria

Mais um registro de maus tratos a animais foi realizado pela equipe do JORNAL DA CIDADE na manhã de ontem, segunda-feira, 10. Desta vez um
carroceiro, ainda não identificado pelos órgãos responsáveis de proteção aos animais, espancou um cavalo até a morte. As agressões já vinham sendo presenciadas pela população, que passava em ônibus coletivo próximo à Av. Ivo do Prado, mas o animal desmaiou e morreu próximo ao mercado municipal da capital, devido ás chicotadas, murros e chutes que levou. Uma equipe da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) foi chamada para recolher o corpo do animal, que foi enterrado numa área de aterro controlado no Bairro Santa Maria. 

Para a presidente da ONG de Educação e Legislação Animal (Elan), Nazaré Morais, os casos de maus tratos e violência contra cavalos têm se tornado corriqueiros em Sergipe e sendo tratados de maneira banal pelas autoridades competentes. “Há mais ou menos um mês um garoto de nove anos, se não me falha a memória, matou uma égua e seu filhote a facãozadas e nenhuma providência foi tomada a esse respeito. Há um pouco mais de tempo, jegues foram arrastados e mortos, e nesses casos também nada foi feito. Agora esse outro animal foi morto de maneira cruel, à luz do dia e na frente de dezenas de pessoas, mas com certeza também ficará impune. Isso está se tornando rotina e nenhuma medida punitiva é aplicada a essas pessoas”, lamenta. 

Em busca de solução para esses casos, a presidente da Elan relata que juntou uma comitiva para participar da audiência judicial contra o senhor Celso Ferreira, de 67 anos, acusado de amarrar, arrastar e matar um jegue na cidade de Graccho Cardoso. “O julgamento está marcado para a próxima quarta-feira, 12, às 10h, no fórum do município e esperamos que a justiça seja feita e que esse caso sirva de exemplo. A exploração e os maus tratos aos animais, em especial aos cavalos, nesse caso, tem que acabar. Quem de nós nunca viu um cavalo amarrado com sede e fome? Ou carregando pesos exorbitantes? Apostando corridas e tudo mais, para depois ser abandonado ou morto de forma violenta? Está na hora de providências serem tomadas”, afirma Nazaré. 

Para o delegado Paulo Ferreira, responsável pela Delegacia de Proteção ao Consumidor e Meio Ambiente (Deprocoma), um termo circunstanciado será realizado para apurar o caso, mas a ação será dificultada pela falta de identificação do proprietário do animal e pelas penas brandas aplicadas a esse tipo de crime. “O crime de maus tratos a animais é tratado como sendo de menor potencial ofensivo e, depois de aberto o termo, geralmente a justiça aceita a prisão, mas a pena é na maioria das vezes revertida à realização de trabalhos comunitários”, explica Paulo. 

O delegado reconhece as falhas, mas alega que estão sendo realizados trabalhos para coibir a realização desses crimes. No entanto, fica muito complicado trabalhar contra o sistema de leis existente e com a questão cultural envolvida nesses processos. “Não posso afirmar com certeza, mas acredito que a grande quantidade desse tipo de crime seja fruto das consequências mais brandas para os agressores ou se é uma coisa cultural, o que para mim é menos provável, mas estamos fazendo a nossa parte e tentando coibir essas ocorrências”, garante o delegado. 

Fonte: Jornal da Cidade.Net

10 comentários:

  1. Quem pratica esse tipo de crime injustificável não passa de "gente" má e sem escrúpulos,são pessoas frias e egoístas que só querem tudo para si pouco se importando com o próximo,são parasitárias e sugam o seu hospedeiro até a morte,usam e abusam daquilo que lhe traz algum benefício,essa gente me dá nojo e são uma vergonha para a raça humana.Maltratam seus animais e os tratam como objetos ou escravos,só pensam em tirar vantagem o mais que puderem,não retribuem,só querem para si.Tem que haver urgentemente uma lei mais específica e mais rigorosa,essas barbaridades não podem continuar a população tem que contribuir e denunciar.NÃO é JUSTO um animal ser explorado,maltratato e,MUITO MENOS,
    espancado ou arrastado e até a morte.Vamos lutar contra essas injustiças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiada Regina Maria, temos que lutar por leis severas contra assassinos de animais.

      Excluir
  2. como as pessoas podem ver isso acontecendo e nao fazer nada? quem espanca um animal e quem assiste de curioso deveria ser espancado também até a morte. estao tirando uma vida, será que as pessoas não tem sensibilidade alguma? que monstros são esses chamados seres humanos, e que merda é essa lei que nao faz nada a nao ser soltar notinhas pra impressa.

    ResponderExcluir
  3. Mas como assim? Já é crime os maus tratos a animais faz tempo!!!!!!!!! pena de 6 meses a um ano de reclusão, e se o animal morreu a pena é dobrada. É pouco, mas essa é a pena que tem que ser aplicada.

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez o show com platéia. Até quando vamos ver gente ignorante e cruel fazendo o que bem quer com uma vida?

    ResponderExcluir
  5. Jorge Romano13/06/2013 16:27

    Um cavalo morreu de chutes, murros e chicotadas (???) e o carroceiro, ainda não foi identificado??????????? Quantas agressões foram necessárias para matar esse cavalo e ninguém viu, impediu, tomou providencias, chamou a policia? Que coisa mal contada.

    ResponderExcluir
  6. É preciso URGENTE uma lei que endureça as penas para os crimes de maus tratos contra os animais.
    Nem comento o que tenho vontade de fazer com um criminoso desse.
    Silvan

    ResponderExcluir
  7. Ana Lucia Nunes13/06/2013 20:05

    O que me faz ficar horrorizada não é só a atitude do carreteiro, é uma multidão ficar olhando tamanha barbárie e não fazer nada !

    ResponderExcluir
  8. Isso não pode acontecer na minha frente, eu mato um desgraçado desses, sem dó nenhuma. Dizem que todo serumano tem seu lado ruim, o meu sempre aflora quando vejo crueldades contra os animais, qualquer animal. Não aceito mesmo. A raça humana, não liga para mais nada. Passam como se não estivesse acontecendo nada. Não aguento mais!!!!!

    ResponderExcluir
  9. E tem gente que quer lei para proteger os carroceiros. Lei? Lei que nada, deveriam sim levar umas boas chibatadas nas costas e os colocá-los para puxar suas carroças. E me dá mais pena dos pobres animais; pois os cavalos como os cachorros, também são muito fiéis ao 'dono'. Eles podem estar ali sendo maltratados e escravizados, que não fazem nada de mau contra seus 'donos', aliás, os tratam com carinho. A prova disso, que quando cavalo estava sendo espancado, ele sequer desferiu um coice contra seu dito "dono". E quanto à criança de 09 anos que matou à facadas a égua e seu filhote, infelizmente ela tem esse ECA NOJENTO, que só defende bandido de "fraldas", para a proteger.

    Ezequiel

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪