20/01/2012

ANGELA CARUSO EM UM ARTIGO IMPECÁVEL... OBRIGATÓRIO PARA OS PROTETORES DE ANIMAIS

Sabe? sei que, mesmo pedindo isenção, alguns não vão entender, mas, é preciso ser falado.

Todos nós estamos revoltados com tanta crueldade contra nossos bichos amados, mas, precisamos nos policiar diante desta revolta. Precisamos pensar na causa, como um todo, e nos animais que precisam de pessoas equilibradas para defendê-los. Não podemos cometer crimes em nome daquilo que supomos estar errado. Depredar, caluniar, ameaçar, constranger, intimidar, etc., são crimes e olha, não são de menor potencial ofensivo não.... é um crime brabo....

Temos longo caminho a seguir na luta pelos direitos dos animais e, volta e meia, falo sobre um tempo que protegíamos estes maravilhosos seres tocando tambor e soltando fumaça. Era tudo que tínhamos e, acreditem, é um passado muito recente. Estou aqui, vivinha e atuante, para contar para vocês. Eu só falo para lembrarem que a roda já foi inventada há muito tempo e o que manda  a inteligência é usar a experiência do que já foi feito para seguir em frente.

Tenho observado que a Santa Internet tem trazido um benefício enorme para a causa, mas, tem revelado o despreparo de muita gente para ser, efetivamente, um bom protetor de animais. Ontem, eu decidi escrever sobre isto após ver o terrorismo imposto à filha de uma pessoa que está sendo acusada de matar animais em SP (caso Dalva). Não vou participar disto e vou deixar claro. Eu quero que se faça justiça contra todos que maltratam animais e quero, também, que se mude as penalidades contra este crime. E vamos conseguir se usar nossa indignação, astúcia e  inteligência.

Passado o momento de raiva que sentimos contra qualquer um que maltrate animal, raiva esta que faz nosso equilíbrio escorrer entre nossas mãos e até cometer uma loucura, temos que voltar a serenidade para punir com justiça os culpados. Alem disto, temos que ter conhecimento de causa para julgar com isenção.  Para tal, temos que ter humildade e observar que estamos nos comportando, exatamente, como criminosas inconsequentes. Esquecemos que representamos a defesa animal e agimos como um bando de marginais dispostos a fazer justiça com as próprias mãos. Não devemos e nem podemos, se amamos tanto os animais como dizemos.

Sofremos o impacto de tantos casos, recentemente. Porém, isto acontece há dezenas de milhares de anos e temos que  ter "a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, Coragem para modificar aquelas que podemos e a Sabedoria para distinguir umas das outras". Ou seja, temos que ter em mente AQUILO QUE PODEMOS MODIFICAR e serenidade para aceitar AQUILO QUE NÃO PODEMOS MODIFICAR, por enquanto.

Tudo com equilíbrio e nos fortalecendo diariamente com conhecimento, humildade e solidariedade.

Eu queria dividir com vocês um presente que recebi da Angela Caruso, presidente da ONG Quintal de São Francisco, que sofreu um grande baque emocional/profissional há alguns anos atrás promovido por pessoas que pensam que atuam protegendo animais. Ela sofreu na pele algo parecido  com o que sofri em 2001. Por isso tenho um carinho muito especial por ela e serei sempre sua defensora por saber o quanto dói esta ferida aberta por pura crueldade humana.

Depois de uma conversa que tivemos sobre o caso Dalva, ela caiu em campo e, devidamente informada,  escreveu uma das melhores coisas que já li vinda de um protetor de animais. Queria muito que limpassem todos os "cookies" das suas cacholinhas  e mergulhassem em suas palavras. Vão entender o que quero dizer. Não opinem sem lerem duas ou três vezes. Observem a delicadeza com que ela nos coloca (tanto eu quanto ela junto a todos nós) nesta ausência de conhecimento que nos faz cometer injustiças e até nos comportarmos de forma completamente equivocada.

.

13 comentários:

  1. se agirmos com desequilibrio estaremos nos nivelando aos que torturam e matam sadicamente estes seres indefesos e ao mesmo tempo afastando de nós a opinião publica que deve ser um aliado na luta por uma penalização proporcional a hediondez do crime cometido
    cuidar com os que nada tem a ver com proteção e defesa animal e apenas gostam de ver o circo pegar fogo...

    ResponderExcluir
  2. Sheila,
    Eu concordo que fazer ameaças e terrorismo só nos iguala a criminosos como a Dalva.
    Mas a gente sabe muito bem que isso não vai dar em nada e ela vai continuar fazendo isso, porque é uma compulsão; ela é maluca e conta com a cumplicidade da filha, sim, há testemunhas disso. Então eu, particularmente, acho que não nos cabe ameaçar, agredir ou depredar, até porque, além de ser crime, corre-se o risco de fazer isso com a pessoa errada.
    Mas penso que seria muito útil que todo mundo conhecesse a cara delas para que não possam mais enganar ninguém se passando por adotantes fofas. Muita gente entregou centenas de animais de forma inconsequente, mas um guarda de um parque, que adora gatos, por exemplo, estava tentando ajudar a Dalva a pegar um gato que vive lá por acreditar que ele iria para um lugar melhor, ele está transtornado de pensar que poderia ter ajudado a matar o animal!
    O problema é que as pessoas são sabem diferenciar informação de incitação à violência. Me passaram o perfil do Facebook da filha da Dalva, fui lá, fucei o que quis, obtive algumas informações que para mim foram importantes e pronto, entrei muda e saí calada. A informação é um direito de todos e deveria ser aproveitada em benefício dos animais, e não como válvula de escape. Sem contar que a maioria dos que gritam e ameaçam são incapazes de fazer qualquer coisa efetiva, não é mesmo???

    ResponderExcluir
  3. Texto muito pertinente. Acho que a defesa da causa animal avançou muito de alguns anos pra trás. Parabéns pelas palavras!!!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Ângela e acho que isso vale para diversos momentos da vida. Não sua uma ativista, apenas já resgatei alguns animais aqui e ali, ajudo amigos e acompanho as notícais sobre a causa e os trabalhos de alguns protetores.

    Agressividade e grosseria só pode levar a perder a razão, além de aumentar toda a estigmatização e preconceito que os protetores já carregam. Isso não é uma maneira inteligente de se conquistar algo.

    Acho que a loucura extrapolou com o caso da Yorkshire e parece que não mais parou. Por mais que eu tenha ficado revoltada, jamais usei xingamentos ou preguei pena de morte, atitudes abomináveis.

    Tenho certo receio dos que agem assim, pois por qq motivo talvez percam a cabeça, ataques de rompante está muito ligado à falta de educação. Claro que há exceções, perder as estribeiras, às vezes, acontece com qq um.

    Há tempos venho reparando que um dos lados negativos da Internet é o anonimato que dá coragem às pessoas vomitarem todo o tipo de insultos, baixarias em relação aos mais variados assuntos.

    Não li notícia sobre a filha dessa senhora que matava animais, mas não acho isso certo, sobretudo se ela for inocente no caso. Famílias de criminosos sofrem muito, ao descobrir que o parente é cruel e ao ouvir todo o tipo de ofensa da população. Tenho compaixão por essas pessoas, que às vezes são o oposto do parente.

    É hora do pessoal pensar mais antes de abrir a boca e bradar. Aliar a revolta com a delicadeza. E não esquecer a educação em casa, pois não se vence no grito.

    ResponderExcluir
  5. olha faço parte de um grupo de poucas pessoas em minha cidade interior de Goías que luta e tentam fazer alguma coisa pelos animais. Para mim não existe saida feliz para essa humanidade e muito menos para os pobres animais. Infelizmentente estamos no fim. E tenho dito isso mas muita gente não escutou. Quanto mais se mostrar violencia contra os animais nos chamados meios de comunicação mais pessoas estarão de certa forma se achando no "direito" de aparecer e de fazer o mesmo, o seja a arte da maldade está no sangue dos homens. E esse vamos dizer fenômeno do mal acontece com os chamados seres humanos contra os proprio seres humanos, quanto mais se mostra mortes, assassinatos, corrupçao,violencia, sexo sem limites, novelas, mais as desgraças sobre a humanidade está aumentando. So resta orar ou talvez chorar e pedir que o fim venha logo.

    ResponderExcluir
  6. Poxa Alecrim75, voce foi no cerne. No cerne!

    Concordo ipisis literis com cada frase sua.

    Só vamos conquistar justiça através da justiça. Uma sociedade cidadã em seus deveres/direitos é formada exatamente na tríade educação, responsabilidade e equilíbrio!

    Ameaças, brigas, paus e pedras só geram desconfiança e desarmonia e essas duas desequilibram o melhor sentido da Causa Animal.

    Não agrega... só desagrega.

    ResponderExcluir
  7. anselmo padula20/01/2012 20:36

    Com respeito aos ícones da proteçao aninal Sheila Moura e Ângela Caruso, penso diferente.
    Sendo objetivo, prático e REALISTA é sabido q desde q o mundo é mundo NUNCA se fez justiça de verdade, justiça à altura de um crime brutal contra um indefeso e INOCENTE animal.
    No nosso país NAO EXISTE lei q realmente puna um torturador assassino de animal.
    Como ainda nao existe tal lei NA PRÁTICA, ocorre a comoçao, revolta e UNIAO do povo simpatizante da causa animal qdo presencia casos de tortura com morte do animal. Se o assassino torturador SABE QUE SAIRÁ IMPUNE da lei federal, ficará receoso e nao terá tanta certeza se escapará de outra lei, a Lei de Talião.
    obs.:Se alguém discordar, veja abaixo o post do PETA com imagens fortes demais.

    ResponderExcluir
  8. Gabriella De Fazio21/01/2012 14:58

    concordo, fico também, horrorizada com os comentários de "protetores", que deveriam ser pessoas de bem, xingando e desejando as piores atrocidades aos criminosos, nivelando sua maldade à deles...Ação, fazer alguma coisa de fato, isso é que é difícil, são pouquíssimos os que fazem. ontem mesmo, feriado no Rio, das "dezenas" de protetoras do Campo de Santana, não apareceu nenhuma, nem pra dar uma água aos bichinhos abandonados, nessa sauna, uma vergonha!

    ResponderExcluir
  9. Eu não faria nada contra ninguém,nem repasso emails,mas que tem um monte de gente louca por aí;tem e também gente louca que gosta de animais.Acho bom os politicos votarem em leis mais severas porque o fato de não haver punição para estes monstros está deixando muita gente com vontade de fazer justiça com as próprias mãos.

    ResponderExcluir
  10. Concordo com o Anselmo Padula , se não há justiça temos que gritar, xingar, esbravejar , só assim seremos ouvidos.

    Se o caso lana, lobo e outros mais não fossem parar na internet com todos os xingamentos e revoltas, hoje nao teríamos a passeata em nivel nacional.

    ResponderExcluir
  11. Sheila,
    obrigada pela publicação e por ter feito um generoso texto de entrega do meu artigo. Preciso afirmar aqui para os seus leitores que a minha inspiração foi a conversa que tivemos sobre esta coisa obscura, ao mesmo tempo reveladora de nossos mais ocultos sentimentos.
    Grata amiga, e obrigada a todos pelos comentários, todos valiosos!
    Angela Caruso

    ResponderExcluir
  12. Em tudo que tenho lido sobre o caso Dalva, a filha parece ser cúmplice sim. Ou alguém acha possível que ela, que morava com a mãe, não sabia o que estava acontecendo?

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪