25/10/2011

GALO VIVO É RETIRADO DE DESPACHO

Nossa companheira Márcia Chaplin do GAE Rio Grande nos contou que fizeram a ocorrência policial e estão fazendo o maior fuzuê!!!! yesss!!!! Show, galera!!!!! isto aí dá muito certo... pega o bicho e mostra para a sociedade o que é feito... daí vamos juntando força para modificar a Constituição que reconhece esta meleca como rituais religiosos!!!! Clique na imagem abaixo e entre no site do Jornal Agora.



Foto do galo e do galo no despacho que ela nos enviou



.

13 comentários:

  1. Cida- SCSUL-SP25/10/2011 12:35

    Meu Jesus amado, tomara que essa pessoa cuide dele comdignidade e que ele tenha uma vidinha bem feliz. Tomara que ao final ela não o coloque numa panela. pelo amor de Deus.

    ResponderExcluir
  2. Sei que essa "praga" existe em todo o Brasil mas aqui no Sul é demais. Digo praga pq não acredito que isso se trate de religião,quem tem um mínimo de inteligencia sabe qual é o sentido desta palavra. Acredito que na verdade quem faz parte dessa "seita" são pessoas de baixo nível, sem compaixão nenhuma pelo proximo, e espiritualidade zero. É visível que fazem "trabalhos" para o mal pq se fosse para o bem não quebrariam pernas e asas do pobre animal. Se Deus quiser e vai querer, eles vão começar a pagar aqui na terra mesmo...
    Parabéns ás meninas que socorreram o galo...

    ResponderExcluir
  3. Judiação! E ainda prevalece o artigo sobre a livre manifestação religiosa, à proteção da integridade animal.
    Eles não percebem que está por um fio sacrificar pessoas também, assim como algumas seitas já o fazem.

    ResponderExcluir
  4. isso nao é religião é a seita do demonio , de seres do mal.

    MALDITOSSSSSSSSSSSSSSS!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Poxa vida... Não sei que tipo de pessoa que sente prazer em fazer isso ao pobre bichinho...
    Quer fazer macumba faz, mas deita no chão e quebra as próprias pernas e braços...
    O bichinho inocente não tem nada haver com isso.

    ResponderExcluir
  6. É isso aí, tem que catar nas encruzilhadas e denunciar cada um, já que não dá pra entrar nos terreiros e ver o que eles fazem. E mesmo quando se entra, aí vem a desculpa de que não são terreiros sérios.. affff

    ResponderExcluir
  7. Que coisa nojenta, eu queria quebrar
    as pernas do vagabundo(a)que faz isso!
    Falta de capacidade em suceder na
    vida, faz com que pessoas usem pobres
    animais para isso!
    Indiginacao total! Isso e religiao do
    Demonio, pois que morram e vao para
    o Inferno!
    Obrigada pelas pessoas que ajudaram
    este infeliz ser, vitima de tanta ignorancia, receberao
    muitas bencaos.
    Terrivel ter que presenciar e conviver com
    esse tipo de gentalha.

    ResponderExcluir
  8. Bando de ignorantes...Por estas crueldades são fadados a continuarem em suas vidinhas miseráveis. Quando vão aprender que pra se ter precisa-se lutar. Acreditam que feitiçaria muda a vida de alguém. Muda, muda sim. Pra muito pior!
    Tem gente que não evoluiu mesmo. Que voltem pras cavernas e nos livrem de suas presenças perniciosas.

    ResponderExcluir
  9. ANTONIO CARLOS26/10/2011 08:40

    Deplorável estas falsas religiões que sacrificam animais, infelizmente talvez por medo ou para não descontentar os praticantes das mesmas nossos representantes calam sobre esse horror que diariamente temos que presenciar pela manhã quando saímos para trabalhar, com encruzilhadas cheias de animais mortos, como se já não bastasse os animais mortos atropelados por irresponsabilidade de quem devia cuida-los.

    ResponderExcluir
  10. Aqui em São Paulo, uma veterinária amiga já tentou salvar três galinhas na mesma situação. Uma elas, hoje se chama Marilú e vive solta num sítio como galinha de estimação. Ela passou por cirurgia nas patas, que estavam quebradas e após muito sofrimento ficou linda, forte e saudável. Já as outras duas resgatadas não tiveram a mesma sorte, eram mais fraquinhas e nao sobreviveram. O delegado responsável pela delegacia de crimes contra animais não quis registrar ocorrência pois disse trata-se de liberdade religiosa...
    Fizemos até uma página no Facebook para registrar o caso, mas não conseguimos nada até então: http://www.facebook.com/pages/Ajude-a-Marylou-e-outras-aves-v%C3%ADtimas-de-maus-tratos-por-rituais-religiosos/126710080750104

    abraços,

    Karina

    ResponderExcluir
  11. Maldita seja a religão que usa esse tipo de crueldade para satisfazer seus instintos bestiais.Maldito seja o imbecil que faz esse tipo de coisa.Maldito seja aquele deputado do RS que aprovou (junto com os demais) aquele Pl que incentiva e aprova esse ato pré-histórico.Aposto que se descobrissem quem foi o psicopata nem seria preso.

    ResponderExcluir
  12. Ai meu Deus... eu não consigo nem falar o que eu to pensando... eu não suporto mais ver tanta maldade com os animais... mts vezes me sinto fraca e só consigo chorar.... como agora... tenho apenas vontade de gritar: PARE O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!!

    ResponderExcluir
  13. Cristina Calixto26/10/2011 23:45

    Cara, e ainda tem imbecil que regulamenta uma desgraça dessas? Isso não é religião. É imbecilidade e crueldade reunidas em uma criatura vinda do lodo, só pode!

    Odeio isso! É uma imbecilidade que o deus de qualquer que seja a religião deseje isso, a não ser que seja pra fazer mal, o que não acredito nem um pouco.

    Para o mal ter sucesso, basta que os bons simplesmente lhes dêem as costas.

    Não me conformo com isso! Quanto sofrimento inútil pra alimentar poços de ignorância, gente burra e incompetente, que não tem capacidade de se levantar e dar a volta por cima por si mesmos.

    Espero sinceramente que agora esse pobre animal tenha uma vida sossegada.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪