RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador venda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador venda. Mostrar todas as postagens

28 de agosto de 2017

É a crise: dupla é impedida por moradores de vender garça no Ver-o-Peso - Belém - PA

Discordo, radicalmente, com o título da matéria. P´ra bandido não tem crise.... estão sempre cometendo crimes.... Agora, o lamentável foi a atitude da polícia que não deu as caras e nem respondeu as ligações do jornal. Vamos aguardar, inclusive, para saber o estado da pobre garça.... Sinceramente, é triste a gente não poder exercer nossa cidadania.....
--------------- 
Um grupo de moradores de Belém flagrou dois indivíduos tentando vender uma garça por R$ 20 no complexo Ver-o-Peso, no final da tarde deste domingo (27). A dupla foi duramente rechaçada pela população e impedida de vender o animal. O problema veio depois.

Após retirar a ave das mãos dos meliantes, os cidadãos acionaram a Delegacia Especializada em Meio Ambiente (Dema) para tomar as medidas cabíveis. Mas os agentes, apesar de terem informado que iriam até o local, não apareceram até agora (21h20).

“Assim que conseguimos tirar a garça da mão dos malandros, pedimos para um PM acionar a Dema. Isso foi por volta das 17h30. Eles disseram que estavam a caminho e até agora – 20h30 – não apareceram aqui, conta José Miguel Ferreira, que está com a ave juntamente com sua família, aguardando a chegada dos agentes da Dema.

Em contato com o DOL, José explica que o animal está em uma situação difícil e que a chegada dos agentes é de extrema importância para salvar a vida da garça.  “Eu estou aqui com minha esposa e meus dois filhos há mais de 3 horas. A garça está agonizando, nós ligamos muito para eles. Primeiro informaram que estavam a caminho, e agora já nem atendem mais, desligam na nossa cara”, desabafa José.

O DOL tentou contato via telefone com a Dema, entretanto as ligações não foram atendidas. Uma solicitação de nota sobre o caso foi enviada e aguardamos resposta.

TERCEIRO MAIOR TRÁFICO DO MUNDO
O tráfico de animais silvestres é uma maneira de comércio ilegal que cada vez mais cresce no planeta. Representa a terceira maior atividade ilícita do mundo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e de armas.

A venda de animais silvestres, independente da quantidade, configura-se como tráfico de animais e pode levar a prisão de seis meses a um ano previsto pela lei brasileira. Apesar disso, o crime é pouco fiscalizado em todo país e deixa abertura à impunidade.

Fonte: DOL

1 de agosto de 2017

Pet shop em Nova York é acusado de maltratar filhotes de cachorros

Todo dia a gente tem notícias sobre estes animais em pet shops.... Taí, olha mais um caso.... Temos que ter muita atenção.....
------------
Vídeo divulgado nas redes sociais mostra funcionários dando toalhadas em filhotes e cachorros doentes e feridos dentro da loja

Um vídeo divulgado pela Humane Society of United States, uma das maiores organizações de proteção a animais dos Estados Unidos, colocou um luxuoso pet shop americano, localizado na ilha de Manhattan, Nova York, no centro das atenções do debate sobre maus-tratos. As informações são do site de notícias americano CBS. Divulgada nesta terça-feira (25/7), a denúncia sobre o pet Chelsea Kennel Club, investigada por dois meses, mostra cachorros doentes, com febre, machucados expostos a infecções, segundo segundo a Humane Society.

Na gravação divulgada no Twitter, funcionários aparecem dando toalhadas em filhotes e prendendo, com a mão, a boca dos animais que choram. Cachorros feridos e doentes também são mostrados no vídeo.  Para John Goodwin, diretor da organização humanitária, a pet shop foi negligente, pois, "ao invés de levar os animais para o veterinário, onde poderiam ser medicadas, dava remédios de aves e aspirinas para esconder as doenças."

Segundo a Humane Society, um cachorro da raça Shiba inu foi vendido pela loja como um animal saudável, mas, poucos dias depois de chegar na casa dos novos donos, foi diagnosticado com bronquite, que logo evoluiu para uma pneumonia. O preço de algumas raças pode chegar a R$ 12 mil na loja. Segundo a CBS, a Chelsea Kennel Club afirmou que as denúncias são falsas e que as imagens no vídeo foram tiradas de contexto, deixando a situação irreal. "É fácil fazer com que alguém apareça ruim se a intenção for essa, ainda mais perto de filhotes", disse o pet shop.

Fonte: Correio Brasiliense

29 de julho de 2017

A crueldade praticada contra o lóris lento nos países asiáticos

Noutro dia me toquei que nunca havia falado sobre o Lóris Lento em nosso blog. Então:

Na Indonésia, Tailândia, Bornéu, Filipinas e Vietnã (sudoeste asiático) comerciantes ilegais de animais caçam lóris lentos e cortam seus dentes para serem vendidos nas ruas e mercados de animais de estimação. Os lóris são animais muito bonitos e fáceis de serem pegos na vida selvagem devido a sua lentidão de movimentos. Os dentes dos animais são cortados de forma cruel pelos comerciantes para torná-los fáceis de  manejar resultando na morte de muitos deles pela perda de sangue ou infecção antes de serem vendidos.

Embora, os lóris lento sejam bonitos e pequenos, eles podem dar picadas venenosas. Estes animais são os únicos primatas venenosos no mundo. Eles produzem toxinas nas glândulas branquiais localizadas no interior dos seus cotovelos. Quando se sentem ameaçados, Loris levantam as mãos acima da cabeça. Esta é a sua postura defensiva, que ajuda-os facilmente a sugar a toxina da glândula em seus cotovelos. Uma vez que a toxina é sugada para dentro da sua boca, ele ataca com mordidas poderosas.  Diz-se também que eles transmitem as toxinas não só com seus caninos afiados, mas com os dentes pequenos localizados na frente do maxilar inferior. Tais mordidas podem ser inesperadas e extremamente dolorosas. As feridas provocadas por mordidas de lóris lentos levam algum tempo para curar e às vezes podem desenvolver infecção também. Esta é a razão pela qual lóris lentos que são utilizados para o comércio de estimação, têm os seus dentes arrancados. Estes animais aplicam estas toxinas na pele das suas crias, de modo a protegê-las dos predadores.

Como o lóris lento se torna o "animal de estimação" de alguém:

~

PASSO UM: CAPTURA
Milhares de lóris lentos são roubados da natureza para serem vendidos ilegalmente na rua ou nos mercados de animais. Frequentemente famílias inteiras de lóris lentos vivendo na natureza são capturados para o comércio de animais de estimação.






PASSO DOIS: CORTE DE DENTES
Antes que um loris lento seja vendido como um animal de estimação, seus dentes são cortados usando cortadores de unhas, cortadores de fio ou alicate sem anestesia. Isto é para torná-los fáceis de manusear e proteger os seres humanos de sua mordida venenosa potencialmente mortal. Este é um procedimento incrivelmente doloroso que muitas vezes resulta em infecção ou morte por perda de sangue. 




PASSO TRÊS: TRANSPORTE
Loris são transportados escondidos em recipientes escuros, superlotados e mal ventilados. O estresse deste transporte resulta em uma taxa de mortalidade entre 30% e 90%. Muitos lóris lentos capturadas são encontradas em caixotes ao lado dos corpos de outros tantos que morreram.



Se você se deparar com um vídeo ou foto de um lóris lento na internet, saiba que, embora pareça fofo,  o animal no vídeo está sofrendo, assim como toda a espécie.  Não só o comércio destes animais causa um sofrimento inimaginável, mas também,  é a maior ameaça à sobrevivência das espécies, que está em grave perigo de extinção. Veja o vídeos desta ONG que pede que a gente assuma o compromisso de contar a verdadeira história sobre estes pobres animais. Está em inglês, mas, as imagens dizem tudo: 

16 de junho de 2017

Supermercado europeu Carrefour é pego vendendo carne de cachorro na China

Investigação encontrou produtos de carne de cachorro
em duas filiais chinesas da rede de
supermercados Carrefour
Foto: Reprodução/The Dogington Post
Comerciante cumprir este tipo de promessa me parece difícil.... Ao final tem uma petição.  Por favor assinem.
------------------
Mesmo após prometer que iria parar de vender produtos de carne de cachorro, investigação encontra esses itens à venda em duas filiais chinesas da rede Carrefour

Muito se luta pelo fim do consumo de carne de cachorro, mas parece que ainda vai ser difícil acabar com esse tipo de crueldade animal de forma definitiva.

É isso o que pensamos após a rede europeia de supermercados Carrefour ser pega vendendo carne de cachorro em pelo menos duas de suas lojas chinesas, e isso mesmo depois de ter feito promessas de que iria parar de vender esses produtos.

Em 2012, a rede Carrefour, que possui mais de 10 mil lojas em toda a Europa, foi informada pela primeira vez sobre toda a crueldade, a criminalidade e os riscos para a saúde associados à carne de cachorro. Na época, a cadeia de supermercados prometeu, através de um e-mail, deixaria de lucrar com a crueldade da Indústria de carne de cachorro.

Apesar de o Carrefour ter dado todas as garantias, uma investigação feita em 2016 acompanhada pela organização Animals Asia descobriu que duas filiais da rede localizadas na cidade chinesa de Xuzhou ainda tinham produtos de carne de cachorro à venda.

Foram enviados e-mails para a sede da Carrefour na França, todos sem respostas. Já em maio de 2017, em nova visita às filiais, a empresa de consultoria Ya Dong afirmou que produtos de carne de cachorro continuam a ser vendidos nos locais.

Jill Robinson, fundadora e CEO da Animals Asia afirmou que é decepcionante que mesmo depois de todas as informações dadas, uma empresa tão grande como o Carrefour continue a vender produtos de carne de cachorro.

“É extremamente decepcionante para os amantes de animais em todo o mundo que o Carrefour esteja colocando os lucros na frente do bem-estar dos cachorros da China. Nossas investigações sobre a indústria, que compartilhamos com o Carrefour, revelam a ilegalidade, a crueldade e as preocupações de segurança pública em todas as etapas da cadeia de fornecimento de carne de cachorro. No entanto, eles continuam a vender produtos de carne de cachorro”, afirmou Jill.

“É comum para o Ocidente criticar o comércio chinês de carne de gato e cão, mas aqui é um supermercado europeu que está se beneficiando abertamente disso. Demos ao Carrefour todas as oportunidades para acabar com sua associação com a indústria cruel da carne de cachorro, mas eles continuaram a lucrar com essa crueldade. Sem dúvida, será um choque para muitos dos clientes da Carrefour na Europa que a empresa tenha expressado tão pouco respeito pelas preocupações com a crueldade animal”, completou Jill Robinson bastante indignada.

Além da questão do bem-estar animal, o consumo de carne de cachorro também é uma questão de saúde pública, visto que entre os cachorros abatidos para o consumo de sua carne estão cães de rua e que a maioria destes animais não recebem vacinas ou exames de saúde antes de ser abatidos. A preocupação fica ainda maior por não se saber a forma como eles são abatidos e com a possibilidade de que alguns deles sejam até envenenados.

Segundo a diretora de bem-estar de gato e cão da Animals Asia, Irene Feng, a última coisa que os ativistas de proteção animal da China precisam é de uma cadeia de supermercados moderna e internacional que ache normal o consumo de carne de cachorro e apoie uma indústria cheia de crueldade e ilegalidade.

Para Irene, além de passar uma mensagem errada sobre a crueldade por trás dessa indústria, o fato de o Carrefour vender carne de cachorro também é bastante prejudicial para o crescente movimento contra o consumo de carne de cachorro na China. “Do ponto de vista ético e comercial, a decisão do Carrefour não faz sentido e esperamos que eles pensem novamente”, afirmou Irene.

A Animals Asia criou uma petição on-line solicitando ao Carrefour que pare de vender produtos de carne de cachorro. Para assinar basta acessar: https://www.animalsasia.org/carrefourdogmeat

FONTE: Portal do Dog

29 de abril de 2017

Galo 'xerifão' é segurança de loja em Belo Horizonte - MG

Não fosse o local um comércio de venda de galinhas para a morte, até seria bonitinho, embora eu não concorde com Quiquito correndo risco entre os carros.
----------------
Publicado em 23 de abr de 2017
Existe uma região de BH onde ladrão de galinha não tem vez. Literalmente! Na loja de produtos da roça, que vende também galinhas, quem canta de galo é ele, Quiquito. E saiba que Quiquito faz essa vigilância toda com um olho só. Conheça!

Empresa quer abater jumentos no Nordeste e vender carne e derivados à China

Mais um matadouro de jumento..... Minha Santa, dá um jeito nisto....
------------------------
A carne de jumento pode começar a ser vendida para o mercado externo, especialmente a China. Uma empresa criadora de jumentos do Rio Grande do Norte solicitou autorização do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para abater os animais. Se autorizada, será a primeira empresa do Nordeste com essa finalidade. 

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Nordeste possui quase 90% dos jumentos do país (877 mil, em 2013). Os dados, porém, contabilizam somente os animais com donos, e estima-se que haja um número bem maior. 

Com a popularização das motos entre os nordestinos, os jumentos --ou jegues, como também são chamados-- passaram a ser abandonados. Diego Rego, sócio-administrador da GBI-Agro, teve a ideia de abater jumentos após ver o interesse de chineses sobre o assunto. 

"Eles sempre me perguntavam se existiam muitos animais aqui no Brasil, se existia algum trabalho feito com eles", diz. "Vi que existia um grande negócio para explorar." Além da carne, couro, miúdos, leite, derivados do leite e outros itens serão colocados no mercado, caso a empresa receba a autorização do ministério. 
Ideia também é vender no Brasil 

A ideia do grupo é vender, inicialmente, 100% dos produtos para o mercado estrangeiro. "Mas pretendemos, sim, tentar implantar no mercado interno", diz, citando que além da carne, "será comercializado tudo do animal". Rego não diz qual o investimento já feito pela empresa. 

O grupo cadastra possíveis criadores que venderão jumentos, além de ter produção própria. Segundo Rego, a empresa também se propõe a buscar animais soltos em rodovias e, assim, ajudar na luta das autoridades de trânsito para reduzir acidentes. 
Outros projetos 

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, existem hoje quatro frigoríficos autorizados no país a abater jumentos: dois no Paraná, um no Rio Grande do Sul e outro em Minas Gerais. Desses, entretanto, apenas dois (RS e MG) fizeram abates em 2016. 

Dados do sistema Alice (Análise das Informações de Comércio Exterior), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, apontam que a exportação do item "carnes de animais das espécies cavalar, asinina e muar, frescas, refrigeradas ou congeladas" foi de 2,7 mil toneladas no ano passado, com faturamento de US$ 7,8 milhões. 

A superintendência do ministério no Rio Grande do Norte informou que recebeu o pedido da GBI e o devolveu, após análise, para que algumas questões fossem esclarecidas. 
Críticas ao abate 

O abate de jumentos, porém, vem gerando críticas de ambientalistas nordestinos. A ONG Defesa da Natureza e dos Animais, de Mossoró (RN), diz que pode haver risco de extinção caso comece o abate do animal na região. "Nos últimos 10 anos, sem intervenção para o abate, essa população de jumentos está caindo. Imagina se simplesmente começarmos a abatê-los?", diz a presidente da entidade, Kátia Lopes. 

Sobre o abandono de animais, Lopes nega que o jumento perdeu serventia ao nordestino. "Eles têm outras utilidades, sem dúvida, como a zooterapia, a terapia ocupacional. Temos ainda muito animal companheiro de trabalho do homem do campo", diz. "Matar e exportar não resolve o problema." 

Segundo Jean Berg da Silva, doutor em inspeção de alimentos de origem animal e pesquisador do tema na Ufersa (Universidade Federal do Semi-Árido), não há como precisar se há risco de extinção pela falta de números confiáveis sobre jumentos. Para ele, a produção para abate deve ser planejada para evitar risco. "Você tem de ver o tamanho do abate. Se você sair abatendo bovino sem controle, por exemplo, ele também vai entrar em risco de extinção." 
Consumir carne de jumento é seguro? 

Outra preocupação da presidente da ONG é sobre a falta de controle adequado de doenças em jumentos. "Os asininos possuem a capacidade de ter algumas doenças e muitas vezes são assintomáticos", diz. 

De acordo com Silva, não há riscos no consumo da carne de jumento. "O problema do consumo dessa carne no Brasil é cultural, especialmente no Nordeste pela simbologia do animal. Isso deve ser levado em conta, mas do ponto de vista sanitário essa carne só precisa de passar por todos os critérios que outras carnes --como bovinos, suínos e aves passam." 

Segundo o ministério, a inspeção e a fiscalização dos matadouros são feitas por servidores federais, antes e após o abate. Caso o animal seja julgado apto para consumo humano, sua carcaça e partes recebem o carimbo da inspeção federal e a comercialização é autorizada.

FONTE: Uol

28 de abril de 2017

Venda de cookies veganos ajudam Bianca no resgate de animais de rua

Muito legal!!!!! parece gostoso!!!! quando se quer, tudo pode....
------------------------
Nos corredores da UFMS, a estudante de Ciências da Computação Bianca Sakiyana consegue fazer com que suas receitas possam ajudar na causa que tanto defende: o resgate de animais de rua.

Vegetariana caminhando para o veganismo, a jovem mudou a dieta e a filosofia de vida há dois anos e, mais recentemente, decidiu unir suas duas bandeiras e reverter parte da renda para ONG's e protetoras independentes.

A ideia ainda é pequena no tamanho, mas de proporção significativa, principalmente pelo empenho de Bianca. "Sempre tive interesse em ajudar os animais. Não me enxergo superior porque sou humana, sempre os vi de forma diferente", conta. 

O fator decisivo para ela parar com o consumo de carne foram visitas à família nas férias, quando as refeições eram todas à base de carne, e também documentários. 

"Foi ali que decidi mudar minha alimentação e foi gradualmente. Primeiro parei com a carne vermelha, depois a branca e de lá para cá pesquisei como funciona a indústria de produtos de origem animal", explica. O que a levou a concluir que estava no caminho certo.

As receitas vieram posteriormente, depois de ver nas redes sociais um passo a passo de biscoito que poderia ser congelado, Bianca se atreveu a adaptá-lo ao paladar vegano. "Adoro coisas que se faz para congelar e pensei: 'que legal, imagina se desse para vender cookies congelados?'", recorda.

Na mesma época, ela resgatou um gatinho que precisava de cuidados e sentiu na pele o quanto é difícil. "As pessoas sofrem tanto a pressão familiar, quanto a financeira. Então por que não vender e reverter parte do lucro para ajudar as pessoas?", se perguntou. 

Quem resgata volta e meia apela às redes sociais para ajudar com as despesas de clínica e veterinários.

Os biscoitos têm duas versões: o vegano, de canela, e um de chocolate, que ainda está para ser modificado e não levar nenhum ingrediente de origem animal. O teste foi com os colegas de faculdade. "A maioria nem é vegetariana, mas gostaram e eu comecei a vender".

Os cookies veganos levam: óleo de canola, açúcar demerara, açúcar cristal, leite de coco, trigo, bicarbonato de sódio, sal, essência de baunilha e canela. Cada um custa R$ 1,50 e o pacotinho de congelados, com 20 unidades, sai a R$ 20,00.

Para encomendar os cookies, Bianca atende pelo WhatsApp: 9-9151-7477 e pelo Facebook Namie Saki.

FONTE: campograndenews

22 de fevereiro de 2017

São Francisco proíbe venda de gatos e cães de criação em lojas de animais

Tínhamos que adotar isto aqui no Brasil inteiro..... Não dá para continuar com esta indiferença do governo.... Aliás, de que governo podemos falar, né? a vontade de sumir é grande.... eita paíszinho de meleca!!!!! precisamos reagir, gente!!!! em vez de carnaval partir para moralizar o Brasil......
------------------------
A medida recebeu o voto unânime do Conselho de Supervisores da cidade e pretende combater a criação intensiva para fins comerciais e incentivar adopção de animais

A partir de agora, São Francisco, nos Estados Unidos, junta-se a outras cidades norte-americanas, como Los Angeles, Chicago, Filadélfia ou Austin, ao impedir a venda, em lojas de animais, de cães e gatos que não tenham

Distintivo para protetor de animal? isto pode?


Alguém já tinha visto? não é novidade pela data com que o produto é anunciado.... e aí? isto pode? que coisa estranha, embora, não me pareça errado.... sei lá..... se souberem sobre isto conta p´ra gente?

-------------------------
Distintivo Universal do Protetor Animal Brasileiro compartilhou a própria publicação.
19 de fevereiro às 16:44 ·
Hoje é um Bom Dia para adquirir seu DISTINTIVO Oficial de Protetor Animal no Brasil.Exclusivo para Protetores de animais vinculados diretamente a Ongs. Não insista, se não

12 de janeiro de 2017

Porcos são obrigados a ingerir lama para maximizar lucros de exploradores

Só podia ser na china.... se bem que "serumano" tem em todo lugar..... Que patifaria, não?
------------------------
Fornecedores de porcos no centro da China têm alimentado forçosamente os animais com lama para que eles fiquem até 20 quilos mais pesados, maximizando os lucros de suas vendas, de acordo com uma emissora de televisão local.

Moradores da cidade de Yangjiaqiao, perto de Xiangtan, na província de Hunan, disseram à Hunan ETV que haviam ouvido porcos em uma

9 de janeiro de 2017

Zimbábue vende 35 elefantes para a China devido à crise econômica

Engraçado que a China, noutro dia disse que ia proibir o mercado de marfim a partir de março. Até lá pode? se bem o que vão fazer com 35 elefantes? Não sei se tenho mais nojo da China ou da África por te-los vendido..... podridão!!!!!
------------------------
Ativistas questionam falta de transparência das vendas e alegam não saber real aplicação do dinheiro para a conservação do meio ambiente.

O órgão de defesa do meio ambiente do Zimbábue comunicou nesta quinta-feira (5) que vendeu 35 elefantes para a China. Eles dizem que querem aliviar a superpopulação e levantar fundos, ato fortemente criticado por ativistas de bem-estar animal.

A economia do país desmoronou e o governo do

31 de dezembro de 2016

Polícia vê anúncio de coruja na web e apreende pássaros silvestres no RJ

A raiva que dá é que a polícia prende, mas, ninguém paga nada
------------------------
Polícia apreendeu filhote de coruja e outras aves no Parque do Desengano.
Suspeito em Cantagalo usava redes sociais para o comércio dos animais.

Um anúncio em uma rede social levou a polícia neste fim de semana até um homem suspeito de

12 de dezembro de 2016

Nova Lei obriga lojas a vender apenas animais resgatados - New Jersey - EUA

Que maravilha!!!!! muito bom..... será que por aqui não daria certo?
------------------------
O Senado de New Jersey, nos Estados Unidos, aprovou recentemente uma lei que se espera venha a ter um impacto significativo sobre a forma como os animais são comprados, e vai ajudar a reprimir a indústria de criação de animais de estimação.

De acordo com a Humane Society, existem pelo menos 10.000 “fábricas” de cachorros nos EUA hoje em dia. Eles produzem mais de 2,4 milhões de cachorrinhos por ano. Cerca de 3,9 milhões de

26 de setembro de 2016

Angola proíbe venda de animais selvagens na estrada para travar caça furtiva

Até concordo, mas, como fiscalizar? só denuncia mesmo.... mas, a maioria das pessoas se aproveitam da "oportunidade" de comer uma carne diferente..... 
------------------------
O Governo angolano decidiu proibir o comércio de animais selvagens vivos ou abatidos. Angola alberga algumas das espécies selvagnes mais ameaçadas do mundo.

O Governo angolano decidiu proibir o habitual comércio de animais selvagens, vivos ou abatidos, ao longo das estradas do país, para conter a caça furtiva que ameaça a sobrevivência de várias espécies.

20 de agosto de 2016

Bandidos roubam animais de estimação e vendem na internet em MT



Gente safada!!!!! pior é a labradora que a dona está desesperada tentando achá-la.... Divulguem para a gente encontrar a velhinha..... 
-------------------
video

3 de agosto de 2016

Polícia investiga venda de cães vira-latas como de raça pela internet em Sorocaba

Caramba, a capacidade humana de ser safada se supera a cada dia.... Olhem isto:
-----------------
A policia investiga um possível esquema de venda ilegal de animais pela internet em Sorocaba (SP). Segundo a denúncia de vítimas, que preferem não ter os nomes divulgados, uma suspeita chegava até a cortar a orelha dos cachorros vira-latas – que teriam vindo de doações – para vendê-los como sendo de raça em sites de barganha.

video

4 de junho de 2016

Filhotes de jabuti são resgatados após anúncio de venda na internet





Sempre denunciar... mesmo que nem sempre sejamos atendidos.....
--------------



video

Austrália vai banir a venda de cosméticos testados em animais

Vejam que notícia boa.... É isto que não entendo da Austrália: avançada em tantas coisas e incoerente com o destino dos animais, posto que, volta e meia, promove massacres de animais.
Fonte: Daily Mail
Colaboração: Helô Arruda
-----------------------------
O Governo Federal australiano proibiu a venda de produtos testados em animais, o que provocou a proibição de um conjunto abrangente de produtos cosméticos, pastas de dentes e produtos de maquiagem.

A partir de julho de 2017, a venda de quaisquer

20 de maio de 2016

Mulher adota Chow Chow e coloca cachorro à venda na internet

Gente, fiz questão de publicar para as pessoas verem o risco que há na adoção. Temos que ter muito cuidado com tudo.....
------------------------ 
O combinado entre tutora e adotante era sempre ter notícias do Sky, já que o filho, que faz tratamento contra um câncer, é muito ligado ao animal

Para cuidar do filho, de 3 anos, que enfrenta um tumor na cabeça, uma mulher - que pediu para não ser identificada - moradora de Santa Mônica, em Vila Velha, precisou entregar seu cãozinho Sky, da raça Chow Chow, de 2 anos, para doação. O tratamento prejudica a respiração do menino e, por isso, não é recomendado que ele conviva com animais. O que ela não esperava era que um dia depois, a adotante colocaria o Sky à venda em um site de classificados.

O cachorro é amigo da criança e a doação foi feita com a seguinte condição: que a família sempre tivesse notícias do animal. "É um desejo do meu filho. Eles eram muito unidos. Quando meu filho fazia

18 de maio de 2016

Cães criados em condições degradantes no Reino Unido

Gente do Céu, olha o tamanho desta fábrica de filhotes!!!!!
--------------
As imagens, captadas numa criação na Irlanda do Norte, revelam centenas de cães presos em jaulas, sem luz natural e em condições semelhantes às de animais criados para abate.

As cadelas que estão prestes a dar à luz ou já foram mães são mantidas em caixas de madeira, uma prática que é ilegal.


A denúncia foi feita por um programa de investigação "Panorama BBC", que obteve secretamente as imagens. O programa mostra a realidade por detrás da indústria, na qual os animais são criados em