Mostrando postagens com marcador insetos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador insetos. Mostrar todas as postagens

13/07/2017

Os louva-a-deus estão devorando cérebros de pássaros pelo mundo

Só não entendi porque a matéria se refere ao louva-a-deus como "assassino".... Será que ele vai chamar as hienas do mesmo jeito porque elas atacam suas presas pelo anus e por ali vão as comendo vivas? Tudo tem explicação e a natureza é cruel. Só mesmo quem é alienado não percebe a regra do jogo.... Por isso vivo questionando Deus por ter inventado tanta coisa linda e decidir criar a lei da sobrevivência....  Juro que não entendo!!!!!
-----------
Acreditava-se que a prática fosse pouco comum, mas um novo estudo registrou indícios de mortes em todos os continentes – com exceção da Antártida

Embora seu nome possa indicar uma vida beata, o comportamento dos louva-a-deus na natureza não tem nada de cristão. Fazendo valer a lei do mais forte, eles costumam ser implacáveis em sua busca por alimento. Caçadores pacientes, esses insetos sabem o momento certo para atacar a presa com suas mandíbulas potentes e deixá-las imóveis com ajuda das patas serrilhadas. Embora seu prato preferido sejam os insetos, sabe-se que eles também dão conta de pequenos roedores e até pássaros:

Para esses últimos, inclusive, a vida não anda nem um pouco fácil. Embora tomada até então como uma prática pouco frequente, um estudo registrou 147 ocorrências da morte de pássaros nas garras de insetos louva-a-deus. Os registros vêm de treze países, de seis continentes diferentes. Segundo o trabalho, publicado no periódico Wilson Journal of Ornithology, 12 espécies de louva-a-deus predaram 24 tipos de aves diferentes – beija-flores, em sua maioria.

Essa seria apenas uma estatística animal não fosse a forma bizarra como a matança acontece: no melhor estilo apocalipse zumbi, eles atacam e consomem os cérebros das aves, violando seus corpos inanimados. Após vencer a luta com o pássaro, o inseto o segura de cabeça para baixo – posição perfeita para dar início ao ritual macabro.

“Eles acessam a cavidade craniana perfurando um dos olhos, e então, se alimentam de seus cérebros. Encontramos diversos registros dos insetos comendo a cabeça dos pássaros, e em pelo menos duas ocasiões, o louva-a-deus cortou a cabeça da presa quando terminou”, detalham os pesquisadores em um trecho do estudo, destacado pelo site Motherboard.

Além de descrever o crime, o estudo traz também outras descobertas interessantes. A espécie que se mostrou mais assassina (causando 25 óbitos) foi a Tenodera sinensis, nativa da China e bastante encontrada no noroeste dos EUA – onde foram registradas a maioria das mortes. A maioria dos louva-a-deus identificados eram fêmeas, com tamanho médio de 6 cm. A variedade de pássaro que mais foi vítima, por sua vez, foi a de beija-flor de pescoço vermelho (Archilochus colubris).

Apesar da pesquisa focar nas presas emplumadas, os pesquisadores observaram que a boa variedade do cardápio desses insetos. Além dos tradicionais roedores, sapos, lagartos, salamandras (alguns deles venenosos), uma pequena tartaruga e um morcego (!) também foram vítimas dos louva-a-deus assassinos.



28/06/2017

Esse alemão tem um jeito diferente de chamar a atenção nas redes sociais

Gente, ele tem bichos que nunca ouvi falar.... Que doideira!!!!!
------------------
Esse alemão tem um jeito diferente de chamar a atenção nas redes sociais que vai te fazer ficar com nojinho
Você tem algum tipo de hobby? Talvez você goste de desenhar, pedalar ou jogar vídeo game. Ou talvez você goste de manter coleções de câmeras fotográficas, vinis, álbuns de figurinha, etc. Independente do que você faz para se divertir no tempo vago, vai ser difícil superar o que esse rapaz tem feito na internet.

Adrian Kozakiewicz tem mais de 175 mil seguidores no Instagram, o que não só é um grande número, mas algo realmente impressionante considerando que conteúdo do perfil se resume a insetos. É claro que não são insetos comuns. São criaturas gigantes, coloridas ou completamente estranhas. Independente do tipo dos insetos, parece que as pessoas amam as criaturas de Adrian.

Mas não só isso. Os fãs de Adrian também amam o que ele faz com suas criaturas. “Eu mostro apenas insetos excepcionais, que a maioria das pessoas não está familiarizada”, explica. “Isso + no seu rosto = ouro viral.”

É exatamente isso que você leu. Adrian Kozakiewicz ama cobrir o seu rosto – e outras partes do corpo – com variados insetos, filmar tudo isso e postar na internet. O hábito é tão apreciado pelos fãs, que frequentemente ele recebe desenhos e ilustrações homenageando o processo.

Além do sucesso no YouTube, Adrian está conquistando seguidores em outra rede, o YouTube. Seu canal, InsecthausTV, é uma das coisas mais estranhas e fascinantes que podemos encontrar na internet. O conteúdo está repleto de vídeos de insetos andando por todos os lados, mas nem todos eles são colocados sobre o rosto; alguns ficam longe do corpo dele e outros só ganham o direito de passear pelas mãos.

O rapaz de 20 anos viaja o mundo em busca de insetos exóticos, que ele guarda num quarto destinado especialmente às criaturas em sua casa em Karlsruhe, na Alemanha. Atualmente, ele possui cerca de 600 insetos e outras criaturas rastejantes que somam 70 espécies de variados tamanhos, cores e aparências estranhas.

“Eu amo insetos por causa de sua incrível diversidade e aparência”, explica. “Existem espécies adaptadas para todos os habitats do mundo, na forma como vivem ou se camuflam.” O entusiasta alemão de entomologia – especialidade da biologia que estuda insetos e seus aspectos – garante que é “um dos maiores criadores de inseto da Europa.”

Adrian começou a criar insetos quando tinha apenas dez anos de idade. Agora, ele costuma visitar a Ásia três ou quatro vezes por ano, na intenção de rastrear criaturas nas florestas tropicais de Tailândia, Malásia e Laos. Assim que chega em casa, ele guarda os insetos em garrafas, caixas ou terrários especiais.

Para garantir a continuidade da coleção, da pesquisa e das viagens ao redor do mundo, Adrian vende as crias de seus insetos para zoológicos e negociadores de insetos. Além disso, também costuma trocar criaturas com outros colecionadores. Apesar do relacionamento com outros companheiros, dificilmente encontrou vários outros que adoram colocar os animais no rosto e divulgar o estranho conteúdo na internet.

Confira mais vídeos e fotografias de Adrian Kozakiewicz e seus insetos em seus perfis no Instagram e Facebook e no seu canal no YouTube.
E você, teria coragem de fazer o mesmo que Adrian? Só de olhar as imagens do rapaz e seus amigos insetos já dá um arrepio daqueles no corpo inteiro.

Fonte: Diário OnLine

07/06/2017

Entomologista tenta a conscientização da importância das borboletas

Minha nossaaaaaa!!!! nunca vi borboletas tão lindas!!!!!parecem pintadas a mão.... lindas demais!!!!!
-------------- 
Sou um entomologista aspirante da Holanda que gostaria de mostrar algumas das espécies que eu crio. Além de fazer pesquisas independentes sobre borboletas e mariposas, também crio mais de 40 espécies que freqüentemente filmo e fotografo e publico em mídias sociais e blogs e sites do YouTube.  Eu estava esperando trazer um pouco de consciência sobre esses animais que muitas vezes são ignorados.

02/05/2017

Suíços adotam alimentação à base de insetos

Será uma etapa para a saída definitiva dos animais na alimentação humana?
---------------
Novas leis alimentares na Suíça permitem agora a venda de larvas da farinha, grilos e gafanhotos para consumo privado e em restaurantes. (Julie Hunt/SRF)
As mudanças nas leis de segurança alimentar que harmonizam a Suíça com a União Europeia entraram em vigor em 1° de maio. Até então, estes insetos só podiam ser vendidos como alimento para animais de estimação.

Um relatório das Nações Unidas de 2013 que avalia o uso de insetos como alimento para os seres humanos pode ter influenciado o governo suíço a mudar a lei. A ONU acredita que os insetos devem ser explorados como uma importante fonte de alimento no futuro.

Insetos fazem parte de dietas tradicionais de cerca de dois bilhões de pessoas, principalmente na África, Ásia e América Latina. Estudos mostram que eles contêm significativamente menos gorduras saturadas e mais proteínas do que a carne e podem ser produzidos de forma mais sustentável.

Swissinfo.ch visitou a empresa Essento, que fornece almôndegas e hambúrgueres de insetos a uma das maiores redes de supermercados da Suíça, a Coop, para descobrir se comer insetos é mais do que apenas uma moda passageira.

24/04/2017

Pesquisadores desenvolvem insetos para uso na alimentação humana

Existe um estudo para usarem, também, insetos na alimentação dos cães e gatos. O que acham deste tipo de alimentação para substituir os bois, porcos e outros animais?
------------------
Pesquisadores desenvolvem insetos para uso na alimentação humana
Pizza com recheio de baratas, bolo com baratas e grilos caramelizados são alguns dos alimentos preparados no laboratório em MS.

O uso de insetos na alimentação humana é uma realidade em muitos países. Existe até uma recomendação da FAO, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, para o consumo de insetos por se tratar de uma rica fonte de proteínas.



Esse tipo de consumo não está regulamentado no Brasil, mas já existem pesquisas sobre o assunto. Um dos trabalhos está sendo desenvolvido em Mato Grosso do Sul.

O professor, biólogo e agrônomo Ramon de Minas coordena no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, em Coxim, uma pesquisa para explorar o potencial dos insetos na alimentação humana. A intimidade com os bichos começou quando o professor trabalhava no controle de pragas nas lavouras.

“O interesse por alimentação surgiu depois que eu comecei a ler os trabalhos e principalmente depois da resolução da ONU e da FAO que indica que deve ser incorporado na alimentação humana devido a demanda que vamos ter nos próximos anos”, diz Minas.

Os insetos são ricos, principalmente, em proteínas. Por exemplo: a cada 100 gramas de barata da espécie cinéria, 60 gramas são de proteína. Em 100 gramas de grilo há 48 de proteína. Já no caso de 100 gamas de boi ou frango, há 20 gramas de proteína. E no porco são 18 gramas de proteína. Mas os insetos precisam passar por um rígido controle de criação para servir de alimento.

Entre os animais pesquisados está o tenébrio. Conhecido como besouro da farinha, ele é considerado uma praga nos armazéns de grãos. No laboratório, o tenébrio é usado na fase de larva, que, segundo o professor, tem um sabor mais suave do que o besouro adulto. Os tenébrios são criados no meio da ração, à base de trigo, milho, vitaminas e minerais.

Já as baratas são criadas em caixas de ovos sobrepostas e amarradas com barbante. A estrutura fica dentro de uma vasilha onde tem comida e água à disposição. O professor trabalha com três espécies de baratas caseiras, que as pessoas estão acostumadas a ver. Pelo menos duas vezes por semana, as caixas onde elas são criadas passam por uma limpeza. No mesmo sistema de produção das baratas estão os grilos.

No Brasil, o uso de insetos na alimentação humana ainda não é regulamentado pelo Ministério da Agricultura. Por isso, não há produção comercial. Hoje, um quilo de barata pode custar até R$ 350,00.

Os insetos viram alimento de fato na cozinha experimental. Os insetos ficam 48 horas só com água e sem comida, para que todos os excrementos sejam eliminados. Depois desse processo, os bichos são abatidos. A morte é feita por congelamento. Os insetos já mortos são fervidos e desidratados em estufa. Amostras dos insetos desidratados são trituradas e viram uma farinha, que é analisada no laboratório de química. O critério são as normas de qualidade exigidas nos alimentos em geral. Só depois de aprovados no laboratório os insetos podem ser usados na alimentação.

Em muitos países é comum comer insetos. A FAO, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, estima que dois bilhões de pessoas no mundo consomem algum tipo desses animais. Na Ásia, nos Estados Unidos, os insetos estão no cardápio ou misturados a outros alimentos.

Em algumas partes do Brasil é comum comer bundinha da formiga tanajura, a saúva ou um tipo de cupim. Ingredientes que hoje já são utilizados em receitas de grandes chefes.

Os pesquisadores usam muita criatividade no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul. Os alunos do curso de tecnologia em alimentos preparam uma série de pratos com insetos. No cardápio há pizza, hambúrguer, patê e bolo.

“No bolo nós utilizamos uma massa tradicional de bolo. A única diferença é que nós vamos enriquecer com a farinha dos insetos, com tenébrio, barata de Madagáscar e grilo triturados”, diz a aluna.

No patê, os insetos também vão em forma de farinha, mas no hambúrguer e na pizza são usados inteiros. Os alunos vão se familiarizando aos poucos com a ideia.

A degustação faz parte das palestras do professor para a comunidade. A plateia tem a chance de experimentar alguns insetos no auditório. No final, é servido o banquete de insetos.

17/03/2017

Vale do Tua aposta nos morcegos para combater pragas


Vejo ou leio sobre um morcego, lembro na hora o amigo Esberard.... Biólogo expert nesta criaturinha tão importante.... Vejam o que Portugal está experimentando..... isto é uma maravilha!!!!! Aqui em casa, faz anos que não vejo um.... 
------------------------
Abrigos para morcegos estão a ser colocados em várias propriedades agrícolas de Trás-os-Montes. O objetivo é que os animais se instalem e ajudem a combater pragas de uma forma natural.

Os morcegos que antigamente eram uma "praga" que desassossegava as noites de verão são agora a nova "arma" de combate às pragas de insetos nas culturas, apresentada hoje no Vale do Tua, em Trás-os-Montes.

O mais recente projeto do Parque Natural Regional do Vale Tua está a distribuir por propriedades agrícolas dos cinco concelhos de influência, 50 abrigos para morcegos, com o propósito de criar condições para este animal se instalar, reproduzir e ajudar a combater pragas como a mosca da azeitona, borboletas e outros insetos que destroem as culturas.

Os agricultores estão a aderir ao projeto, com alguma surpresa, principalmente aqueles que, como Eduardo Cabanelas, nunca tinham olhado, nesta perspetiva, para os morcegos que antigamente irrompiam nas noites quentes de verão passadas à porta de casa nas aldeias.

Eduardo Caravelas é o responsável pela propriedade agrícola, em Frechas, no concelho de Mirandela, onde o projeto foi hoje apresentado e confessou que ficou "um bocadinho surpreendido" quando soube da ideia.

"Vamos lá ver se isso aprova", respondeu quando questionado sobre a expectativa em relação aos resultados, crente, contudo de que quem estudou o assunto "com certeza que [será para] fazer qualquer coisa que seja útil".

Mais entusiasmado pareceu António Aires, do concelho de Murça, que acha "o projeto bastante interessante".Resta-lhe apenas uma dúvida, a de se haverá morcegos em número suficiente.

"Quando era jovem, lá na minha aldeia, nas noites de verão, via muitos morcegos lá pela rua, e hoje não se encontra quase um", observou.

O projeto abrange ainda propriedades agrícolas dos concelhos de Carrazeda de Ansiães, Vila Flor e Alijó que, juntamente com Mirandela e Murça, fazem parte do parque.

O presidente do parque, Artur Cascarejo, explicou que este projeto resulta de uma candidatura ao Fundo de Preservação da Natureza e da Biodiversidade, do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), contemplada com cerca de 200 mil euros com objetivo de utilizar a biodiversidade para ajudar a combater as pragas agrícolas e evitar o uso de pesticidas.

No caso do parque do Vale do Tua trata-se de pragas de insetos que afetam culturas como a vinha e o olival, mas também a floresta.

O projeto tem a duração de três anos e uma componente prática e outra científica.

A prática é a colocação das caixas/abrigo em propriedades agrícolas e a cientifica é a investigação e estudo do projeto para avaliar os resultados em parceria com agricultores, associações agrícolas e o Centro de Investigação em Biodiversidade da Universidade do Porto.

A investigadora Vanessa Mata explicou que, pela sua capacidade de comer milhares de insetos por noite, os morcegos "são animais que conseguem ser um bom regulador de pragas" e muitas das pragas encontradas nas culturas da região são borboletas noturnas.

Na zona do Vale do Tua existem várias espécies de morcegos que têm um problema: a falta de abrigo.

Acabam por ocupar cavidades nas árvores ou construções antigas desocupadas que vão escasseando nas propriedades agrícolas, como explicou a investigadora.

"Colocando um poste com as caixas estamos a oferecer-lhes o que lhes falta e a aumentar a probabilidade de se alimentarem nestas zonas", apontou.

O parque contratou o biólogo, Pedro Leote, que vai acompanhar o projeto e que esclareceu que estas caixas "são feitas de uma mistura de cimento e de serradura, têm propriedades muito interessantes a nível do isolamento térmico" para (os morcegos) não morrerem de calor, no verão, ou de frio, no inverno.

As caixas colocadas em cima de postes, tem um tempo de vida de cerca de 30 anos e, embora pequenas, os promotores garantem que conseguem albergar entre dez a 15 animais.

Pedro Leote indicou que "há estudo que dizem que os morcegos demoram dois meses a entrar nas caixas, há outros que dizem três anos".

"Neste momento, aquilo que nós temos de fazer é deixar a natureza seguir o seu curso, os morcegos explorar e começarem a fixar-se", afirmou, explicando que não existe qualquer chamativo.

FONTE: tsf.pt

09/02/2017

Farinha de inseto triplica proteína de almôndegas e bolinhos

Noutro dia toquei aqui sobre a questão de como alimentar os animais carnívoros no caso de todo mundo virar vegetariano ou vegano. Falei, também, que já existem estudos de substituir a proteína animal com uso de insetos. Taí uma matéria que nossa leitora Verônica nos mandou provando que a coisa está bem adiantada.
------------------------
Insetos na alimentação
O incentivo para o uso de insetos na alimentação, evitando os problemas da criação de gado, teve um novo reforço.

Pesquisadores do Centro de Pesquisa Técnica VTT, da Finlândia, desenvolveram ingredientes alimentares feitos de bicho da farinha, um verme comestível, e grilos.

O material resultante, na forma de uma farinha,

03/02/2017

Agrotóxico ameaça vida das abelhas e de outros animais

E todos caminham para o fim da humanidade.....
------------------------
Pesticidas à base de nicotina são grande risco não apenas às abelhas, ameaçadas de extinção, mas também para outros animais como borboletas, aves e insetos

As abelhas do mundo inteiro estão sob forte ameaça dos agrotóxicos, em especial dos neonicotinoides, uma classe de pesticidas derivados da nicotina. Isso não é novidade: desde de 2008 que a comunidade internacional discute

16/06/2016

Cientistas exibem insetos que vivem em caverna há 5,5 milhões de anos

Olha a "coisinha" bonitinha..... hehehehe....  adoro ler sobre estes assuntos.... mostram a majestade do reino animal e o quanto estamos distantes desta maravilha!!!!!
------------------------
Menos de cem cientistas receberam autorização para entrar no lugar, que tem ar extremamente rarefeito

A misteriosa caverna Movile, no sudoeste romeno, tem seu próprio ecossistema. Descoberta em 1986, quando técnicos da então República Socialista da Romênia procuravam um bom local para a construção de uma usina nuclear, biólogos estimam que a caverna tenha ficado isolada por nada menos que 5,5 milhões de anos.

Desde a descoberta, a caverna vem sendo investigada por biólogos e arqueólogos de diversos países

31/10/2015

Europa aprova uso de insetos na alimentação

Estão dando uma de China...... 
------------------------------
O Parlamento Europeu aprovou esta quarta-feira uma lista de "novos alimentos", na qual se encontram insectos, fungos, algas e também novas técnicas de composição dos produtos.

Os eurodeputados votaram um relatório sobre o projecto de regulamento da UE sobre "novos alimentos", uma categoria que inclui aqueles que não foram consumidos em grande escala na União Europeia (UE) antes de 1997, e visa promover a inovação no sector alimentar.

O diploma foi aprovado por 359 votos a favor, 202 contra e 127 abstenções. O documento vai agora para o Conselho da UE, onde os

23/04/2015

Bichos-da-farinha, bichos-da-seda, moscas, porque não comê-los?

A matéria foi publicada ontem pelo Expresso Sapo (PT), mas, o vídeo é de 2014. De qualquer maneira, acho que vale a pena a informação.
------------------------------------------------
A proposta é da Plataforma Internacional de Insetos para Alimentação Humana e Animal (IPIFF) e está a ser considerada pela Autoridade Alimentar Europeia para a Segurança (EFSA). Faz todo o sentido: são uma fonte de proteínas.



Os mais variados insetos já fazem parte da alimentação de pelo menos 2,5 mil milhões de pessoas no mundo, da Tailândia ao México, da Índia aos Camarões. Porque não também os ocidentais e os europeus em particular?

O raciocínio é linear: de acordo com as previsões, a população mundial deve atingir os nove mil

26/07/2014

Terra pode estar no meio de 'onda de extinção', alerta revista 'Science'

O Jornal Nacional do dia 24/07/14 deu destaque ao assunto na matéria que está muito boa:
Estudo conclui que o planeta está passando por período de extinção em massa de animais
-----------------------------
Muriqui-do-sul ('Brachyteles arachnoides'), que vive na Mata Atlântica, é um dos animais citados pela 'Science': primata está desaparecendo dos ecossistemas tropicais (Foto: Pedro Jordano/Science/Divulgação)
Edição da revista reuniu estudos sobre o desaparecimento de animais.
Pesquisas apontam para consequências graves para o homem.

Enquanto o número de seres humanos na Terra quase dobrou nas últimas quatro décadas, o número de insetos, lesmas, minhocas e crustáceos recuou 45%, revelaram cientistas nesta quinta-feira (24). Além disso, a maior perda de espécies selvagens grandes ou pequenas em todo o planeta pode ser

02/07/2014

Obama cria plano para proteger abelhas



Boa Obama, esta sua atitude eu aplaudo!!!! só acho que não vai dar mais tempo... acho que estamos mais para relaxar e...
---------------------
O problema é grave e requer atenção imediata.
O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou novos esforços para proteger e salvar as abelhas e outros insetos polinizadores. A redução dessas espécies no meio ambiente afeta diretamente o sistema de produção de alimentos. Por isso, o departamento estadunidense de agricultura terá 180 dias para investigar as possíveis causas dessa perda e estabelecer novas estratégias de preservação.

O memorando, emitido pela própria Casa Branca,

21/04/2014

Guerra (limpa) aos insetos por Martha Follain




Esses insetos que se multiplicam nas nossas casas, especialmente no verão, são inofensivos. Mas os venenos para combatê-los, não. Antes de passar para a artilharia pesada, tente espantar os hóspedes indesejados com soluções naturais, que não ameaçam a saúde das crianças ou dos animais domésticos.

14/03/2014

Saiba quais são os animais que mais matam seres humanos no mundo

Sempre falei do poder de certos seres.... vou alem dos insetos.... o poder das bactérias!!!!! dos vírus!!!! poderosos de verdade.....
___________________
Mosquito Anopheles: fêmeas carregam os parasitas
causadores da malária. Doença mata até
1 milhão por ano no mundo. Foto: Getty Images
Mosquitos podem ser mais perigosos do que serpentes. Ursos polares, hipopótamos e até os pequenos anuros são ameaça

O maior inimigo do homem no reino animal não mede mais do que 2 cm: são as fêmeas do mosquito Anopheles, mais conhecidos como mosquito-prego. Elas hospedam o parasita causador da malária, doença responsável por ao menos 1 milhão de mortes todos os anos em várias partes do mundo.  

A segunda maior ameaça animal também vem por meio de picadas, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). As serpentes venenosas são responsáveis por 125 mil mortes por ano. E o maior número de vítimas está na Ásia: entre 25 mil e 35 mil morrem ao ano, principalmente em países como Índia, Paquistão e Mianmar.

Confira esses e outros bichos que são uma verdadeira ameaça à vida humana:

30/10/2013

Grilos são vendidos como animais de estimação na China

Gente, para muitos ao se cansarem da "brincadeira", jogam o pobre na frigideira no meio da farofa, né não?
_______________

No país, grilos fazem parte de paixão que remonta à antiguidade.
Cerca de dez milhões de pessoas criam e cultivam os insetos na China.

Grilos são vendidos como animais de estimação
em um mercado de insetos em Pequim
Foto: Kim Kyung-hoon/Reuters
Grilos são vendidos como animais de estimação em um mercado de insetos em Pequim, na China. Na cultura chinesa, os grilos fazem parte de uma paixão que remonta à antiguidade e que ainda se mantém.

É comum encontrar comerciantes vendendo os insetos, presos delicadamente em jaulas e cujo canto faz parte dos sons tradicionais da cidade.

A criação e venda de grilos continua sendo um negócio no gigante asiático, onde se calcula que cerca de dez milhões de pessoas criam e cultivam os insetos de julho a novembro.

É comum encontrar comerciantes vendendo os insetos,
presos delicadamente em jaulas e cujo canto faz parte
dos sons tradicionais da cidade
Foto: Kim Kyung-hoon/Reuters


FONTE: Portal G1

26/09/2013

Insetos veem o mundo em 'câmera lenta'

Gostei da matéria, mas, fico curiosa para saber como chegaram a conclusão...
______________________
Animais pequenos e com metabolismo rápido apreendem mais informações por unidade de tempo, o que os faz perceber o tempo passar mais lentamente

Moscas: percepção de tempo diferente desses animais
pode explicar porque é tão difícil para os humanos acertá-los
(University of East Anglia)
A imensa dificuldade enfrentada ao tentar matar uma mosca não é só uma questão de falta de mira. Um novo estudo mostra que insetos e outros animais pequenos veem o mundo de forma diferente dos humanos, em uma espécie de câmera lenta — como na famosa cena do filme Matrix, em que o personagem principal desvia de tiros movendo o corpo por entre as balas.

De acordo com a pesquisa, que será publicada na versão impressa do periódico Animal Behaviour, animais pequenos e com metabolismo rápido, como insetos e aves, são capazes de apreender mais

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪