Mostrando postagens com marcador história. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador história. Mostrar todas as postagens

10/01/2014

Abandonados numa estrada, cão protege gatinha paralítica - Flórida - EUA

Gente, a história é linda.... vale a pena nossa vida para ver e sentir tais emoções....


Com dois anos um cão Dachshund chamado Idgie e uma gata de sete meses de idade chamada Ruth foram encontrados abandonados na beira de uma estrada na Flórida. Idgie era muito protetor de Ruth, que tinha as patas traseiras paralisadas. Eles foram resgatados pelo Serviços Animais do Condado de Seminole, e mais tarde levado por Hollywood Houndz Boutique & Spa, onde eles continuam a viver juntos.  

Neste mundo onde um quer comer o outro, deveríamos ter como exemplo a amizade de Idgie que se recusou a sair do lado  de um companheiro aleijado e estirado a beira de uma estrada movimentada.

É assim que Seminole County serviços animais encontraram Idgie montando guarda ao lado de um gato paraplégico de 7 meses de idade. Era o início de outubro e ainda muito quente. Alguém os despejou na entrada de um caminho que leva a uma residência na esperança que o proprietário tivesse piedade deles.

Idgie grunia e latia sempre que alguém se aproximasse durante o seu resgate. O gatinho só podia mover, arrastando-se ao longo de suas pernas dianteiras. 

Hoje, Idgie e Ruth tem uma nova casa em Hollywood Houndz. Eles tiram grandes cochilos diante de uma grande janela de vidro da frente da boutique de animais de Jacqueline Borum, que tem promovido grandes campanhas de adoções. Eles promovem um show a parte quando o cachorrinho ganha algum brinquedinho traz para o gatinho ver. Ele aceita a proximidade dos clientes, embora, diante de qualquer ameaça, late e rosna ferozmente em defesa da gatinha. Nenhum dos dois ficam bem se forem separados por algum motivo, disse a atual responsável pelos dois

http://dogjournal.tumblr.com/post/72204199903/abandoned-dog-protects-paralyzed-cat-on-the
tradução Google

30/09/2013

O SEPDA Cláudio Cavalcanti faleceu... um pouco de historia

Gente, o pior aconteceu. Desculpem todos, mas, não queria mesmo que ele morresse... pelo contrário, queria que ficasse bem vivinho para a gente esfregar na cara do Prefeito do Rio (aquele que debocha da proteção animal) sua total incompetência e falta de caráter por receber dinheiro em nome dos animais sem fazer o que deveria por eles. Vejam nossa denúncia na Câmara dos Vereadores na Audiência Pública realizada em 24/09/13.

Quando Cláudio se lançou na política (2000), nossa ONG não o apoiou porque desde o início diagnosticou sua incompetência apesar dele estar há muitos anos apoiando a causa. Ele era sobrinho de uma das minhas mestras e que sempre lembro com saudades aqui no blog. Amada Lya Cavalcanti que, para condenação de muitos que nos lêem, era considerada "matadora".... 

Só que, inegavelmente, foi uma protetora que escreveu seu nome na história ao acabar com as carroças de lixo puxada por burros, entre tantas outras conquistas. Depois de sofrer tanto vendo os animais morrerem de forma bárbara em câmaras de gás ou eletrocutados, ela pagava do seu bolso frascos e frascos de tionembutal para que fossem anestesiados e mortos com cloreto (como se faz a eutanásia em casos inevitáveis). Achava que os animais sofreriam menos...

É absurdo? não sejam tolos e conheçam a realidade que envolvem nossos bichos,  bem como,  a história da proteção animal. Nos anos 80/90, para terem uma idéia, Marília Pinheiro (outra das minhas mestras, diretora da SUIPA e opositora ferrenha a eutanásia de cães)  só não esganava a Lya por pura falta de oportunidade. Anos depois, já fora da militância e recolhida com seus animais a um abrigo seu em Pedra de Guaratiba, me confessava constantemente que Lya estava certa... tão certa que deixou seus bens para alguém que matasse seus animais após sua morte por não suportar saber que eles ficariam de mãos em mãos ou abandonados a própria sorte.... Assim foi feito, pelo que soube depois.

Lya era de opinião (e ação) que aqueles animais recolhidos pela carrocinha mereciam morte menos dolorosa posto que não havia recursos para mantê-los. Isto quase começando os anos 90. Ela os tirava de lá, levava para casa, alimentava-os, lhes dava todo carinho do mundo e os "colocava para dormir". Por favor, não julguem sem o completo conhecimento de causa. Era uma época que não se tinha nenhum recurso que temos agora. Literalmente, fazíamos proteção animal tocando tambor e soltando sinais de fumaça.... nossa dedicação era full time diante de tantas necessidades....

Eu não achava certo, mas, não julgava Lya .... Eu conseguia compreender seu grande amor pelos animais. Era uma mulher inteligente e de ação... Sua opositora Marília, só começou a compreendê-la no final de sua vida.... Aprendi muito com as duas e formei meu próprio conceito dentro da militância.

Aliás, durante a primeira campanha politica do Cláudio Cavalcanti, ele (juntamente com Maria Lucia Frota) negava ter feito parte da APA, ONG fundada por Lya durante sua dissidência com a SUIPA, local que trabalhou muito, diariamente, a ponto de desmaiar de exaustão no cuidado dos animais... É gente, naquela época eram só voluntários que iam enfrentar o batente.... Por dois anos de minha vida (1989/1990), dava minha contribuição aos domingos....

Mas, o casal Cláudio e Maria Lucia achava que se as protetoras soubessem que eles foram  da direção de uma ONG matadora, não votariam nele..... hehehe.... coisas da política sempre suja!!!! Eu teria falado desde o início e teria dito, simplesmente, que não pensava mais daquela forma (a de "matadora")... Ah gente, por hoje chega, mas se quiserem mais histórias da proteção, vejam NO VÍDEO DESTA POSTAGEM QUE FIZ.

A matéria da Globo News está aí com o comunicado

Globo News - 29/09/13

__________________________

Abaixo, republico minha postagem de 19/09/13 falando sobre a saúde do SEPDA. 

********************

Gente, refiz esta postagem porque avaliei que não foquei o principal objetivo da mesma. Na minha necessidade de informar sobre o perfil de certos protetores, acabei exagerando. É que me incomoda muito receber comentários de pessoas desejando o pior para outros pelos mesmos não estarem agindo condignamente. Esta parte abaixo estava e vai ficar publicada. Desculpem todos pelo desapropriado texto anterior.
_____________________
Bem, o que quero falar é o seguinte: estou sempre metendo o cacete na SEPDA aqui do Rio, mas, mantendo o nível de discussão da INCOMPETÊNCIA INEGÁVEL das pessoas que foram nomeadas para secretariar o destino dos animais em nossa cidade nestes últimos 13 anos.

Não sou a favor de ofender e desejar o pior para "nossos opositores". Eu não me sentiria digna até mesmo por já ter sido vítima de tamanha crueldade vinda de "pseudo-protetores" de animais. 

Então, quero comunicar que o Cláudio Cavalcanti está internado por conta de uma hérnia cervical que requer operação e recuperação. Segundo sua esposa, tudo está sob controle, mas, que fique registrado que em se tratando de saúde desejo suas melhoras porque meu debate é intelectual e não acho digno de nenhum protetor pensar de forma diferente. Temos que provar sua incompetência, mas, pela nossa argumentação.

Acredito que a Audiência Pública marcada para o dia 24 terá a Sub-secretária presente já que, provavelmente, o Cláudio vai estar sob cuidados médicos e em recuperação. 


04/02/2013

A história da Dona Joaninha by Carla Sassi

Galera, a nossa querida Dra. Carla Sassi  (carlasassivet@yahoo.com.br) nos enviou a história da D. Joaninha. Peço sua atenção:
***************************
"Oi pessoal, gostaria de apresentar pra vcs a Dona Joaninha, uma simpática senhora de 86 anos, descendente de índios e que mora sozinha no bairro Lima Dias, aqui em Conselheiro Lafaiete. Há algum tempo a assistência social vinha tentando ver a real situação dela, porém ela sempre demonstrou resistência e nunca deixava as pessoas terem acesso a sua casa, com medo de que tomassem seus cães. Mas há alguns dias, a equipe do CCZ junto a ALpa, conseguiu a sua confiança e conseguiram ver como ela vive. Ela me convidou a entrar na sua casa, extremamente humilde, sem móveis e com enormes buracos no telhado que são de telha de amianto. Ela está sem água e luz há quase 1 ano, paga 50 reais por 3 latões de água (para beber, tomar banho e dar aos animais), mais 50 reais pro garoto que capina o terreiro e mais 150 reais de aluguel. Consegui convencê-la a nos entregar 19 dos seus cães, em sua maioria fêmeas, todos bonitos. Ainda deixamos 7 machos com ela, pois são a única fonte de carinho que ela tem, pois não tem nenhum familiar ou alguém que a ajude...todos os cães são loucos por ela, e ela alucinadas por eles. A casa em que ela vive alaga em todas as chuvas... Todos

os cães que recolhemos já foram castrados e ela os visita pelo menos 2 vezes por semana...Ela encontrou no ccz a confiança que precisava para aceitar mudar sua vida, pois sempre que chega, os funcionários fazem uma festa, ela sempre toma café com a gente e verifica como estão seus cães... Mas o real motivo desse post é pq precisamos conseguir um local pra ela se mudar...ela recebe um salário minimo, então poderá pagar cerca de 200 reais de aluguel, tem que ser um imóvel pequeno, porém com área, pois ela não abre mão dos seus cães...já adianto que ela é extremamente lúcida e ativa para ir para um asilo (antes que alguém recomende isso). Tb deve ter um ponto de ônibus bem próximo, podendo ser em qq bairro. Quem souber de um local assim, favor entrar em contato com o CCZ (37692229). A Alpa irá fornecer 1 saco de ração por mês, porém quem quiser ajudar tb, será mto bem vindo. Já conseguimos alguns móveis para ela, porém é necessário que ela mude, pois no atual local irão estragar rapidamente. Grande abraço a todos e obrigado pelo minutinho de atenção..."

06/04/2012

Jill Phipps, uma ativista inglesa que morreu atuando contra transporte de animais vivos

.
Quem quiser conhecer a ativista Jill Phipps (tradução Google da Wikipedia),  uma inglesa que morreu debaixo das rodas de um caminhão enquanto participava de manifestação para impedir a exportação de animais vivos, no caso carneiros, é só dar uma olhada no vídeo. Nascida em 1964, morreu em 01/02/1995. É uma história respeitável. Criaram uma Fundação com o nome dela para ajudar animais.


.

17/11/2011

13 ANOS QUE LYA CAVALCANTI SE FOI... QUE SAUDADES!!!!

Eu não sei se o Claudio Cavalcanti, sobrinho de Lya, e Maria Lucia Frota, sentem tanta falta dela quanto eu... Estes dois se conheceram numa reunião de proteção animal que Lya promovia sempre por causa de sua Associação Proteção animal - APA. Ela agregava pessoas para a causa das maneiras mais inventivas possíveis. Éramos tão poucos aqui no RJ.... ela queria formar um exército... e era uma diplomata e política ao extremo ao lidar com os humanos....

Esta figura fez parte de um bom pedaço da minha vida e do meu aprendizado na causa de defesa animal. Atualmente, ando muito precisada de ouvir suas definições da vida ... queria muito que ela me dissesse o que fazer neste estágio da luta de defesa animal....

Apesar de ter sido sócia da APA por muitos anos, só a conheci em 1983 quando Regina (minha amiga de infância), nos apresentou. Depois a reencontrei quando Regina me falou que ela estava promovendo uns encontros de protetores.

Era uma figura... revolucionária... sem igual.... Aprendi com ela, o que não aprendera em todos os anos anteriores de militância. Ela e Clody Dunin, me mostraram um lado que jamais imaginaria conhecer da proteção animal. Minha escola foi a SUIPA e lá, como linha de frente, não tinhamos tempo de focar em outra coisa que não receber os animais domésticos em abandono ou feridos, embora, Marília Pinheiro, não deixasse de lutar por baleias, meio ambiente, touradas e rinhas.

Lya Cavalcante fez parte da história da proteção animal no Brasil quando acabou no Rio de Janeiro, na época capital do Brasil, com as carroças de lixo puxadas por burros.... Revolucionou a veterinária quando, do próprio bolso, introduziu a eutanásia com anestesia que antes era feita em câmeras de gás e até elétrica...

Lya fez muita história e queria que avaliassem o que era falar de proteção animal na época dela (anos 50 e 60)... não era mole não.... a maioria dos que me lêem nem eram nascidos..... as situações eram infinitamente mais bárbaras do que é hoje...

Bem, como falei aqui, em 2009, a ultima vez que vi Lya, foi em seu aniversário no mesmo ano que se foi. Não fui ao enterro dela. Fugi de ver um caixão com aquele corpo franzino que tanto amava os animais. Queria lembrar da figura do jeito que vocês estão vendo nas fotos.

Sei que muita gente vai achar babaquice da minha parte estar usando este espaço para falar de quem já se foi, mas, sou da qualidade de farinha que não encaroça o leite, sabem como é? Respeito e agradeço os que me ensinam, independente da idade que for... aliás, sentimentos que considero raros, atualmente.

Noutro dia, li de uma "novata" da proteção (que não aceitou minha sugestão de não sair enfiando os pés pelas mãos, pois, existe um caminho já trilhado para se chegar algum lugar), o seguinte:
"Quanto aos demais, talvez seja a hora de se aposentar. DE VEZ!"
Os "demais" seria eu.


Bem, defino "novata" como aquela pessoa com altissima capacidade de trabalho que chega à militância achando que salvará o mundo. Passa um pouquinho de tempo, some. E aí, nós, "os antigos" ficamos corrigindo as besteiras feitas pelas criaturinhas bem intencionadas e momentâneas... é, aquelas que trocam todo ativismo por um namorado, um novo emprego, e otras cositas más...

Tenho tantos casos p´ra contar.... abandonam os animais, desligam o telefone, fingem que nunca estiveram envolvidas com a causa .... somem dizendo que vão se afastar por motivos de saúde.... hã hã....


A nossa causa poderia estar bem mais avançada se não fosse a arrogância e falta de inteligência dos que chegam... poderiam pegar a trilha até onde foi aberta. Por que começar de onde começamos e que nos fez quebrar a cabeça?

Estas novatas começam achando que descobriram a roda e agem como se tivessem lido uma cartilha de instruções da qual nunca conseguimos ter uma cópia. Aliás, a história desta cartilha, Angela Caruso, recentemente, me falou desta matáfora. Costumo dizer que é o famoso "achismo"... Esta galera sabe tudo e acha tudo.... Eu só sei que, depois de mais de 40 anos na militância, continuo sem saber nada e sem achar nada...... kakakakaka....


Pois é, embora esteja rindo, a coisa é triste mesmo... por isso sinto falta de Lya... das suas reflexões desaforadas... ah, Lya... ah, Lya ... olhe por mim, mestra.... sinto muito sua falta!!!!


Jonh (marido da Regina) Regina, Lya e euzinha, feliz da vida!!!!!

26/09/2011

AS MAIS INCRÍVEIS HISTÓRIAS DE AMOR E AMIZADE DO MUNDO ANIMAL

P´ra quem não viu, olha aí...
a história do orangotango e o cachorro é bem engraçada...


Domingo Espetacular - Rede Record - 25/09/11
.

29/08/2011

UM RATINHO E UMA LINDA HISTÓRIA DE AMOR E RESPEITO A VIDA ANIMAL

Nossa leitora Paula Regina mandou o e-mail abaixo dizendo que a história é a cara do O Grito do Bicho. Disse, também, que preparasse o lenço de papel de tão linda que é...
Depois que eu li e vi..... Buáááá
.... Buáááááá.....
______________________

É inevitável: o número de pessoas que gostam de espécies exóticas cresce, mas sempre acabamos focando o assunto em gatos e cachorros, por serem os bichos de estimação mais comuns. Acontece que os animais são quase como as pessoas: muitas vezes entram em nossas vidas meio por acaso, sem que tenhamos alguma escolha. E aí que no caso do casal norte-americano Angi e Silas esse amiguinho se chamava Zeus e veio na forma de… um rato.

“Abandonado por sua mãe com um dia de vida, ele saiu rastejando por debaixo da nossa máquina de lavar e sobreviveu, apesar de todas as dificuldades. Eu o alimentava a cada duas horas e o levava para passear no meu bolso”, lembra Angi. Zeus era tão mimado, que participou até das viagens do casal, passeou de balão e (pasmem!) acompanhou sua dona até o altar quando ela se casou, em maio de 2010.

Mas (e sempre tem um insuportável “mas” nas histórias)… um mês depois do casório, o animalzinho faleceu, com um ano de idade. E seus donos fizeram este vídeo, que foi postado no YouTube. Confesso – com as bochechas rosadas de vergonha – que tenho medo de ratos e que sou a primeira a sair gritando e procurando o móvel mais alto para subir se me deparo com um, mas o vídeo quase me fez chorar (de emoção, não de pavor!). Assistam aqui


.

08/06/2011

A HISTÓRIA COMPLETA DA ELEFANTA ANNE EM CIRCO

Ver a elefanta Anne se recuperando é tudo que acalma nossa alma...
A matéria da Record, como sempre, está excelente.


Tudo a Ver - Rede Record - 31/05/11
.

31/03/2011

TININHA, MINHA GATA REBELDE, SE FOI....

Tive uma gatinha chamada Branquinha. Um dia, ao levar uma amiga, aliás, uma ex-amiga, no portão da vila para pegar um táxi, ela foi comigo. Distraí e não vi ela voltar, como sempre fazia... Nunca mais vi Branquinha. Fiz aquela peregrinação de cartazes, folhetinhos, clínicas, pets, comércio, carro de som e tudo mais.

A única pista foi uma vizinha que viu uma gata branca no colo de um casal. Deve ter sido ela mesmo, pois, foi falado na coleira de veludo azul marinho com strass que ela usava sempre....


Fiquei arrazada. Um amigo, três meses depois, viu uma mulher levando um monte de gatinhos para abandonar no Hospital Pedro II, ponto tradicional desta prática no Eng. de Dentro, bairro aqui do RJ. Na caixa tinha uma branquinha... ele lembrou de mim e trouxe de "presente" para ver se eu esquecia a outra.

Realmente, ela foi aquela gata super super super dengosa e se adaptou muito bem com a gataiada encontrada. Dormia comigo a noite toda. Um dia, chegou Xuxa, uma gata linda e amada que me escolheu numa paixão recíproca. Tininha, não me perdoou pela chegada desta intrusa e se tornou insuportável. Deitava comigo, mas, ao menor movimento me mordia furiosamente. Precisei expulsá-la da minha cama. Quantas vezes me feriu feio? muitas...

Passou a sair de casa pulando pelos telhados. À noite, a vizinhança ouvia o meu: Tininha.... Tininha.... e lá vinha ela. As vezes não vinha. Tinha eu que sair que nem louca procurando pela madrugada afora.

Consegui telar toda grande área que só ela conseguia acessar. Pronto, Tininha não se jogava mais para suas aventuras. Ficou mais acomodada, mas, sempre irritada... seu rabo hasteado dando rabanadas, comprovavam sua revolta. Às vezes, vinha no meu colo e ficava por algum tempo. Se eu me mexesse, me tacava o dente.... ô, coisinha difícil era esta gata!!!!

Gostava, apenas, de Jean o primeiro gato macho que tive na vida. Vivia lambendo ele. Mas, quem não gosta de Jean? Hoje tenho ele e Gatinho, um feral que era para ir para o Abrigo de D. Ruth de tão inatingível que era.... era, entenderam?


Tininha ia fazer 15 anos em 08 de abril, um dia depois do niver da nossa Fala Bicho. Vomitou por dois dias e, mesmo medicada, se foi ontem.... Apesar de abatida, mostrava sua rebeldia por ter se achado preterida por Xuxa. Acho que, definitivamente, ela não me perdoou...

28/08/2010

A HISTÓRIA DE FULIGEM, O GATINHO

Lilian, da ONG OITO VIDAS, nos manda a história do Fuligem resgatado no túnel Zuzu Angel com o fundo musical daquela música da Adriana Calcanhoto, Ron Ron do gatinho, que publicamos aqui.

31/07/2010

HISTÓRIA DAS TOURADAS NO RIO DE JANEIRO

Hoje, o Jornal O Globo publicou esta matéria sobre a história das touradas aqui no RJ. Confesso que sabia que havia tido touradas aqui no pedaço, mas, com esta expressão não tinha a mínima idéia... Jesus amado, já rolou sangue de touros em uma área que meu bisavô foi proprietário... Acho que está explicado minha ojeriza às touradas!!!! só pode, né? Cliquem para ampliar...

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪