Mostrando postagens com marcador exploração animal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador exploração animal. Mostrar todas as postagens

18/04/2017

Na Asia, grandes símios oriundos do tráfico ilegal estão sendo usados em shows

Este material publicado no último dia 12 de abril pela ONG Mongabay de jornalismo independente é espetacular.... Um documento, p´ra falar a verdade!!!!
Colaboração: Helô Arruda
-----------------------
Após 146 anos de operação, a Ringling Bros. e Barnum & Bailey está fechando seu circo, por conta de vendas de ingressos cada vez menores. Esse declínio nos negócios reflete um sentimento crescente entre os americanos de que os programas de circo envolvem tratamento inapropriado, se não desumano, dos animais, diz Julia Gallucci, uma primatologista que trabalha com a PETA.

Esse sentimento não é, contudo, atual em muitas partes da Ásia, onde certos países estão vendo um aumento de circos e outras formas de entretenimento focados em animais.

Um número crescente de zoológicos asiáticos e parques de safari estão montando mega- produções com macacos fantasiados - com jovens chimpanzés e orangotangos comumente forçados a posar com os visitantes em trajes de palhaço, ou com comportamentos humanos, dança e patinação para entreter o público. Em contraste, a Ringling parou suas apresentações de grandes macacos nos anos 90.

Técnicas de treinamento e condições de cativeiro nesses jardins zoológicos asiáticos e parques estão levantando graves preocupações de bem-estar animal, enquanto o comércio ilegal usado para obter grandes macacos em extinção para o entretenimento asiático é uma bandeira vermelha para conservacionistas da vida selvagem.

Em teoria, os zoológicos asiáticos e os parques de vida selvagem devem ser capazes de criar grandes macacos em cativeiro ou legalmente adquirir animais criados em cativeiro do exterior para seus shows. Mas, como a evidência relatada abaixo sugere, muitos dos animais que aparecem em apresentações asiáticas foram, e continuam a ser, ilegalmente arrebatados da natureza como bebês.
TRAFFIC, a rede internacional de monitoramento do comércio de animais selvagens, publicou recentemente um relatório detalhando a demanda de macacos em atrações de vida selvagem na Malásia Peninsular e na Tailândia. Eles mostram que uma proporção significativa de grandes macacos destas atrações estão vindo da natureza ou são de origem desconhecida devido à manutenção de registros alterados. Os autores descobriram, por exemplo, que enquanto 57 instalações tailandesas exibiram 51 orangotangos, os seus livros genealógicos só mostravam registros de 21 dos animais.

Da mesma forma, um grupo de bem-estar animal baseado na China - que prefere o anonimato por causa de investigações secretas em andamento - acredita que a maioria dos grandes macacos em shows de animais chineses se originou na natureza. Na verdade, alguns chegam até mesmo a divulgar que os chimpanzés que eles apresentam começaram suas vidas na África.

Embora dois ministérios chineses proíbam o uso de animais em mostras de circo, o grupo de bem-estar animal registrou 11 parques safari chineses ou zoológicos usando chimpanzés em performances. Destes, pelo menos seis apresentaram chimpanzés selvagens.

Daniel Stiles gerencia o projeto para acabar com a Escravidão dos Grandes Escravos (PEGAS), e vem investigando o comércio de grandes símios há quatro anos. Ele fez várias viagens ao Oriente Médio, China e Sudeste Asiático desde 2013, onde observou um aumento em shows de circo com chimpanzés e orangotangos.

Os shows de circo da China são os mais sofisticados e de grande escala, diz Stiles, e eles atraem multidões. Durante o recente Ano Novo Chinês, o Grupo Chimelong teria recebido 30 milhões de visitantes em seus parques em um único dia.

O estudo da TRAFFIC e outras investigações secretas na China demonstram que os espetáculos com apresentações de animais são de fato difundidos, mas não necessariamente que os proprietários de zoológicos e circo estão agindo em ignorar as leis internacionais de tráfico. Os importadores chineses são provavelmente cúmplices, mas mesmo eles poderiam, teoricamente, ser ignorantes da violação da lei porque a falsificação de registros só foi provada no extremo africano da cadeia de suprimentos. Autoridades chinesas e tailandesas não responderam aos pedidos de comentários para esta história.

Os grandes macacos jovens são inicialmente traumatizados quando capturados na África, depois novamente por serem traficados (muitas vezes sem alimentos ou cuidados adequados) para a Ásia. Eles são posteriormente alojados em jardins zoológicos, circos e parques de animais em condições aparentemente terríveis - privados de atenção adequada, afeto, e da companhia de outros macacos, algo que é necessário para o desenvolvimento saudável entre essas espécies sociais. Regimes de treinamento severo só compõem o trauma.

Grandes macacos tirados da vida selvagem quando crianças são excepcionalmente vulneráveis. E seu primeiro ano de vida é fundamental para seu desenvolvimento saudável, explica Stephen Ross, diretor do Centro Lester E. Fisher para o Estudo e Conservação de Macacos no Lincoln Park Zoo em Chicago.

Os treinadores de atrações asiáticas com animais geralmente usam jovens chimpanzés e orangotangos com apenas alguns meses de idade em fotos de divulgação. Os animais são treinados para aparecer com os visitantes pelo pagamento de uma taxa. Então, à medida que os primatas envelhecem, eles são treinados para atuar em shows que apresentam truques não naturais que vão desde lutas de boxe de falsas até círculos de dança.

Os chimpanzés são aprendizes sociais, explica Gallucci, então jovens chimpanzés em cativeiro muitas vezes imitam os comportamentos dos seus detentores. No entanto, Gallucci e Ross ambos acreditam que o treinamento exigido para shows de primatas coreografados quase sempre requer abuso de animais.

Stiles concorda: "Para treinar esses animais para executar, os detentores quase certamente precisam ter os animais em submissão, recompensando o bom comportamento com os alimentos, o que significa que eles não estão apenas traumatizados: eles também estão subalimentados".
Ross estudou extensivamente o comportamento de chimpanzés em cativeiro, comparando o dos chimpanzés mantidos como animais de estimação ou artistas nos primeiros anos contra comportamentos exibidos por animais que tiveram maior exposição a outros chimpanzés enquanto jovens. Ele descobriu que os chimpanzés adultos criados por pessoas, e com exposição limitada a outros macacos, são menos extrovertidos como adultos - mesmo depois de anos de desfrutar de condições melhoradas, como as oferecidas pelos santuários. Essa tendência à introversão perturba a habilidade do animal de socializar corretamente com outros chimpanzés. A perda resultante de tendências selvagens significa que há zero chance de estes primatas nunca ter sido devolvido em segurança à natureza.

Ross também descobriu uma grande diferença entre como as audiências percebem os animais de desempenho e seus contrapartes selvagens - com a familiaridade que conduz a uma opinião diminuída na urgência para a conservação.

Em um estudo, os pesquisadores descobriram que o público que muitas vezes viu chimpanzés em comerciais e na televisão assumiu automaticamente que esses animais "comuns" eram mais numerosos e menos ameaçados do que outras espécies de macacos. Parece provável que se os espectadores asiáticos fizerem o mesmo raciocínio lógico, eles vão ter dificuldade para entender a necessidade de conservação de grandes macacos ou para perceber os efeitos prejudiciais que as atrações animais têm em primatas cativos.

À medida que os macacos envelhecem, tornam-se menos desejáveis aos seus senhores. Os primatas adultos são mais difíceis de controlar, para não mencionar mais fortes, o que os torna mais perigosos para o público e os detentores.

Os chimpanzés adultos são particularmente perigosos: em 2009, um chimpanzé de estimação que vive em Connecticut atacou um amigo de seu dono, quase matando-o. O evento ajudou a mudar as atitudes americanas sobre a conveniência de manter chimpanzés como animais de estimação.

A TRAFFIC se pergunta o que acontece com os macacos que se apresentam na Ásia uma vez que entram na "aposentadoria".  "Não está claro o que acontece aos animais uma vez que eles são muito velhos para essas atividades". A TRAFFIC recomenda que as instalações notifiquem uma autoridade relevante do país cada vez que o animal está sendo aposentado, detalhando futuros "cuidados e habitação".

O fotojornalista e investigador Karl Ammann argumenta que na Ásia esses macacos costumam ser "aposentados" em pequenas gaiolas solitárias. Outros, diz ele, simplesmente desaparecem. Os afortunados passam o resto de suas vidas em santuários animais.

Acredita-se que o grande tráfico de macacos seja amplamente sub-relatado, e sua natureza geralmente ilegal torne difícil quantificar. Em um relatório de 2013, o Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (PNUMA) identificou 1.808 grandes macacos selvagens ilegalmente entre 2005 e 2011, mas esses foram apenas os casos documentados. Muito mais certamente entrou no mercado negro sem deixar rastros; Da mesma forma, vários estudos mostram que mais animais morrem durante a caça ou em trânsito do que jamais foram confiscados.

Em seu relatório, a TRAFFIC observa que "o número de macacos que aparecem no comércio é muito menor do que a quantidade que morre no processo de captura e trânsito até o consumidor final." Dados confiáveis são difíceis de encontrar, mas a TRAFFIC afirma que as mortes ocorrem em todas as fases da cadeia, desde a captura até o trânsito e a chegada ao comprador final.

O relatório do PNUMA faz eco a esses pontos, afirmando: "É provável que esses números sejam de fato uma subestimativa grosseira do impacto real do comércio ilegal". Para melhorar o monitoramento, o PNUMA insta os governos e ONGs a trabalharem juntos para manter e compartilhar registros.

Quando se trata de chimpanzés selvagens, sua organização social íntima significa que um grande número de adultos são mortos para cada bebê que é capturado. Uma investigação da BBC descobriu que 10 chimpanzés adultos são tipicamente mortos quando um bebê é arrebatado da natureza. O UNEP concluiu que até 15 grandes macacos morrem por cada indivíduo que entra no comércio ilegal. Os adultos são geralmente baleados e processados como carne de caça para consumo local, ou sua carne é enviada para cidades urbanas e, possivelmente, tão longe quanto a Europa. Crânios adultos e partes do corpo também são vendidos e transportados através da cadeia de fornecimento ilícito.

O grande tráfico de macacos é um problema que se agrava em países como Camarões, à medida que a atividade humana se expande para grandes habitats de macacos através de estradas de exploração madeireira e à medida que mais florestas são convertidas em plantações de dendezeiros e em outros usos na África e Sudeste Asiático. À medida que as oportunidades para encontrar e tirar animais da natureza aumentam, também aumenta a probabilidade de que os caçadores empobrecidos, bem como os caçadores sofisticados, muitas vezes fortemente armados, busquem grandes macacos para captura e venda a redes criminosas de tráfico.

O UNEP estima que o comércio ilegal deve ter removido 22,218 macacos das selvas entre 2005 e 2011. Estima-se que 34 por cento eram chimpanzés, enquanto 56 por cento dos grandes símios apreendidos pelas autoridades eram orangotangos. Os chimpanzés, com quem compartilhamos 98% de nosso DNA, estão em perigo, com uma população global de apenas 150 mil animais, segundo o World Wildlife Fund (WWF). Orangotangos estão pior: eles estão em risco crítico, e WWF estima que pouco menos de 120.000 permaneçam na natureza. No entanto, a Orangutan Foundation International aponta que os números reais podem ser consideravelmente menores.

Preocupantemente, o PNUA acredita que o grande comércio de macacos continua a crescer, em detrimento óbvio das populações selvagens. Parte desse crescimento é alimentado pela alta demanda de primatas jovens como animais de estimação (muitas vezes no Oriente Médio) ou como animais de execução na Ásia.

A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção (CITES) é um tratado internacional que entrou em vigor em 1975 para assegurar que o comércio de plantas e animais selvagens não tenha um impacto negativo na sua sobrevivência. Atualmente, 183 países são signatários e todos são obrigados a promulgar leis internas para colocar o tratado em vigor.

Em um relatório de 2014, o escritório de advocacia DLA Piper observou que, embora todos os signatários tenham aprovado algum tipo de legislação para atender aos requisitos da CITES, essas leis nacionais às vezes ficam muito aquém do que é necessário, contêm lacunas legais ou são mal aplicadas.

Muitas vezes, as prisões são poucas e distantes entre si. O PNUA descobriu, por exemplo, que apenas 27 prisões foram feitas na África e na Ásia entre 2005 e 2011, período durante o qual mais de 1.800 grandes macacos foram documentados como sendo traficados ilegalmente. As acusações são incomuns, e as sentenças são frequentemente insignificantes, assim não inibem a atividade criminal futura. Como resultado, o comércio ilegal de vida selvagem está florescendo. É agora considerada a quarta forma mais valiosa de comércio ilícito (por trás de drogas, armas e tráfico de seres humanos), de acordo com o relatório do DLA Piper.

Tal como acontece com uma variedade de espécies, é importante notar que parte do comércio de grandes macacos ocorre legalmente. As espécies protegidas pela CITES estão listadas em três apêndices - I, II e III. O Apêndice I abrange espécies ameaçadas de extinção, espécimes que não podem ser comercializados internacionalmente, a menos que sejam importados para fins não comerciais. As espécies que poderiam se extinguir na ausência de um comércio estreitamente controlado estão listadas no Apêndice II. Embora todas as espécies de grandes macacos estejam listadas no Apêndice I, elas podem ser negociadas legalmente como se estivessem no Apêndice II se fossem criadas em cativeiro em instalações registradas na CITES.

Mas os comerciantes muitas vezes jogam com o sistema CITES, às vezes exportando grandes macacos através de falsificação de autorizações - alegando que os animais que estão vendendo foram criados em cativeiro quando foram de fato capturados. De acordo com Ammann, a corrupção generalizada torna a falsificação fácil.

Entre 2009 e 2011, a China importou a maior parte dos seus grandes símios da Guiné, utilizando as licenças que indicam que todos os animais comercializados foram criados em cativeiro. Os conservacionistas sabiam, no entanto, que a Guiné não tinha instalações de reprodução de macacos, por isso pediram à CITES para intervir. De fato, "a CITES não registrou instalações de reprodução de chimpanzés ou orangotangos para fins comerciais", explica o chefe da unidade legal e de conformidade da organização, Juan Carlos Vásquez.

Após a realização de uma investigação, a CITES concluiu que a Guiné estava falsificando licenças para exportar ilegalmente macacos capturados na natureza. Como resultado, a CITES suspendeu todo o comércio de espécies incluídas na CITES com a Guiné em 2013, e o chefe da Autoridade de Gestão do CITES da Guiné foi posteriormente preso por emissão fraudulenta de licenças (foi condenado mas posteriormente perdoado pelo Presidente do país).

A China, na outra extremidade da cadeia de suprimentos de chimpanzés da Guiné, não sofreu nenhuma consequência por essas violações, e as autoridades ali insistiram que não sabiam que os animais importados foram capturados. No entanto, Stiles e Ammann suspeitam que a China foi cúmplice. Independentemente disso, qualquer ação legal contra a China só poderia ter sido iniciada pelos próprios chineses sob suas leis domésticas, já que a importação já tinha ocorrido.

Como a China, a Tailândia também é signatária da CITES que aprovou a legislação nacional de conservação, mas a lei tailandesa não protege a grande maioria das espécies não nativas. E quando alguém é pego possuindo um animal ou planta legalmente protegida, o ônus da prova é do estado tailandês e não do indivíduo para mostrar a importação legal. De acordo com a TRAFFIC, a Tailândia está atualmente elaborando uma nova legislação que, se aprovada, protegeria espécies não-nativas. Durante uma reunião do Comité Permanente da CITES de Janeiro de 2016, a organização internacional incentivou todos os países a eliminar lacunas deste tipo.

15/04/2017

O macaco Riki é o mais novo tenista do Japão

O macaco está sendo explorado e ridicularizado em sua essência, evidentemente. As pessoas não percebem que humilhamos os animais quando tentamos fazê-los iguais a nós, a única sub-espécie do planeta.
----------
Vídeo de um macaco pelo nome de 'Riki' jogando tênis está varrendo a internet
O macaco japonês mostra suas habilidades  com uma raquete de tênis na mão
Começando por praticar suas voleios, o macaco continua a bater smashes no meio do ar.

Um macaco do Japão com o nome de 'Riki' está sensibilizando a internet pela sua habilidade de jogar tênis.Usando uma raquete de tamanho adequado, o macaco joga tênis com um homem que é aparentemente seu proprietário.

O macaco de seis anos de idade começa por praticar suas voleios, antes de saltar no ar para acertar uma série de tiros de quebra de cabeça.

No final de sua aula de tênis o macaco é felicitado, antes de posar para uma foto com o homem.

Enquanto uma parte do público demonstra simpatia para o adorável macaco outros criticaram considerando a filmagem cruel apontando para o fato de Riki estar amarrado a uma corda.  Em menos de 6 horas o vídeo do macaco tenista foi visto por mais de 300.000 vezes nesta ultima quinta-feira.

Fonte:Daily Mail
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"



27/03/2017

Foto de um urso no Nepal que não precisa legenda

Recebido pelo Facebook.... sinceramente, não é preciso comentar nada diante da situação.... triste, não?

Ana Calixto
Existem imagens que não precisam de legenda ...
Apenas, compaixão, lagrimas e uma única pergunta:
EM QUE PONTO CHEGAMOS ???
**Esta foto foi tirada no Nepal**

25/02/2017

Carnaval gera indústria de crueldade com aves por causa de suas penas.

É, realmente, uma alienação total das pessoas que não sabem que aquelas plumas e penas tem origem no sofrimento de um animal.....
------------------------
Carnaval no Brasil é sinônimo de festa, música e diversão. E isso vale tanto para quem já assistiu ao vivo, como para quem acompanha tudo pela tv. Porém, esta enorme e colorida festa popular esconde algumas facetas terríveis. 

Todos os anos, os desfiles das escolas de samba atraem visitantes dos quatro cantos do mundo, maravilhados com o samba e com a exuberância e o luxo das fantasias. Porém, poucos se questionam sobre a origem das plumas e penas

07/12/2016

CAMALEÃO leva animais vítimas do Especismo para ato em Luto

Gosto desta turma.... são ativistas muito dedicados à causa....
------------------------
Nesse sábado (3), o CAMALEÃO realizou pelo quarto ano consecutivo a ação de exposição de animais (reais) vitimados pelo Especismo nos mais diversos âmbitos da Exploração Animal como matadouros, laboratórios de vivissecção, caça, pesca, fábricas de criação de animais para comércio e muitos outros.

09/11/2016

China: aumentam os casos de Centros Comerciais-Zoológicos

Quem aguenta com isto, gente? Que coisa miserável..... que povo sem sentimentos..... Fico pensando na barra de companheiros nossos que são chineses e tem que tentar resolver isto..... é igual aos ativistas ue atuam em países que tem touradas..... não deve ser mole.....
------------------------
Com o crescimento das vendas online, os centros comerciais estão a apostar em animais selvagens para atrair mais clientes. Há shoppings onde podem ser vistos elefantes, lamas e até um urso polar.

Na China, há organizações não-governamentais que pedem ao Governo para avançar com leis que travem aquilo que está a ser descrito como uma nova moda no país.

07/11/2016

Exposição de animais é boa opção de diversão para toda a família.... Que horror!!!!



Sinceramente, gente!!!!!! isto vira uma diversão para a "família" que passa conceitos tão errôneos sobre a vida dos animais...... vejam as gaiolas onde estão pintinhos...... que nojo!!!!!
--------------




05/11/2016

De férias, Patrícia Abravanel e marido posam com tigres

Que gracinha, né? ah, me poupem..... não saberem que os animais são dopados tudo bem, mas, eles não se dão conta que é um animal fora do seu habitat e sendo explorado?
------------------------
Após receber algumas críticas, apresentadora afirmou que os animais não são dopados. 'Se eles fossem dopados, eu nem iria visitar'

Rio - Patrícia Abravanel e o marido, Fábio Faria, estão curtindo uns dias de férias. A apresentadora postou no Instagram várias fotos em que o casal aparece posando com tigres e chegou a receber algumas críticas de internautas.

Os seguidores de Patrícia alertaram que

28/10/2016

Treinadora de tigre é arrastada pelo animal na frente de crianças - Flórida - EUA


Quando vão parar de explorar estes animais.... Por pouco não seria mais um tigre morto, ou não?

--------------
A Treinadora de animais selvagens Vicenta Páginas estava realizando um show na frente das crianças na Feira Pensacola Interstate na terça-feira, quando o tigre de Bengala a agarrou e passou a arrastá-la. As imagens registradas por um visitante mostram que tanto ela quanto o assistente batem insistentemente até que ele a solta. O animal de dois anos de idade chamado Gandhy por algum motivo se irritou passou a arrastar a treinadora como querendo levá-la para sua jaula.


Ela sofreu lacerações na perna, mas, funcionários afirmaram que ela não chegou a ser mordida, mas, foi levada ao hospital e o show foi cancelado. O tigre aparece ileso

24/10/2016

Animais trazem alegria e ajudam no tratamento de pessoas

Já opinei que não acho o uso de animais em zooterapia uma exploraçãooo animallllllll..... Realmente, se usa animais para servir humanos, mas, penso que em certas situações temos que aproveitar o quanto estes seres considerados "inferiores" são capazes de coisas que nenhum ouro humano é capaz.... Daí acho extremamente favorável, ou não?
------------------------

18/10/2016

Como é a produção de ovos na Bahia com direito a "bem estar das galinhas".... hein?

O título da matéria é "Garantir o bem estar das galinhas poedeiras ajuda no aumento da produção de ovos". Tive a curiosidade de ver até o final para descobrir o que seria o "bem estar" das galinhas. Pelo jeito o único direito das galinhas é cacarejar a vontade, segundo a jornalista inicia a matéria.
-------------------
A alimentação e ambiência em que o animal vive são um dos fatores que merecem atenção especial.

15/10/2016

Teresa Britto é reeleita já polemizando: "vai acabar com as carroças"

Gostei das providências da jovem vereadora de Teresina!!!!! Axé para todo seu trabalho!!!!!
------------------------
Teresa Britto parece uma máquina incansável de trabalho
Com 4.926 votos, a psicóloga Teresa dos Santos Sousa Britto, a “Teresa Britto”, foi reeleita para o seu quarto mandato na Câmara Municipal de Teresina e já anuncia três novos projetos, um deles polêmico que deverá por fim as carroças puxadas por animais que ainda são vistas pelas ruas de Teresina.

Antes de repercutir e polemizar o assunto, Teresa

14/10/2016

A guerra dos exploradores de animais a favor das vaquejadas

Várias manifestações estão sendo feitas contra a decisão do STF. Era o esperado, mas, os exploradores de animais estão abusando e fazendo com que a mídia fique a favor deles..... Reparem nas diversas matérias abaixo. Engraçado é que eles falam somente que os eventos geram grandes lucros promovendo a economia local. Esta é a maior confissão que fazem de que vaquejadas maltratam sim os animais.  Não deixem de comparecer ao ATO DE APOIO À DECISÃO DO STF. Aliás, a Elizabeth do Fórum nos mandou o e-mail:



VAQUEJADA NUNCA MAIS
Comemoramos na semana passada vitória no STF, porém associações de vaquejada estão organizando manifestações contrárias à essa decisão em vários estados, inclusive uma grande em

07/10/2016

Centro resgata ursos vítimas de tráfico em Laos

Matéria super bem feita ....
----------------------
Em Laos muitos ursos são vítimas do tráfico ilegal de animais. Eles são capturados e levados para fazendas. Lá ficam presos em jaulas minúsculas e recebem o mínimo de alimento. Essas fazendas mantêm os ursos presos para retirar, principalmente, o suco biliar. Ele é usado na medicina chinesa e tem alto valor no mercado.

17/09/2016

Polícia holandesa será 1ª a utilizar águias para derrubar drones

No dia 15, o programa "Mais Você" apresentou  a matéria Aeroportos empregam falcoeiros para evitar acidentes causados por aves e hoje vi esta aqui do G1. Ou seja, a eterna exploração humana dos animais.
-------------------
A polícia da Holanda será a primeira do mundo em utilizar águias para derrubar drones em pleno voo, após submeter as aves a um processo de treinamento, informou nesta segunda-feira (12) o site de notícias "DutchNews".

Polícia da Holanda treina águias para atacar drones sem autorização (Foto: Reprodução/YouTube/Politie)

Apesar de as aves pertencerem a uma empresa privada, a polícia deve começar a utilizar as suas próprias a partir de junho do ano que vem. As autoridades começaram o adestramento em janeiro,

06/09/2016

Você vai pensar duas vezes antes de comer uma bala de goma

Excelente vídeo educacional.... realmente, faz todo mundo pensar duas vezes na deliciosa bala de goma que todo mundo já comeu um dia... Aliás, muita gente não sabe como ela é feita....
--------------------
São Paulo – Se você é apaixonado por balas de goma, daquelas de ursinho, ou qualquer doce que contenha gelatina em sua fórmula, aqui vai um aviso: talvez você não queira assistir a este vídeo.


Provavelmente, você já ouviu falar que a gelatina tradicional é feita à base de colágeno, proteína presente nos ossos e na pele de animais. Por esse motivo, pessoas vegetarianas evitam consumir o

22/08/2016

Noé tinha uma arca, Carlos tem um armazém

Seria legal, mas, ele cruza para vender os animais
------------------------
Geckos leopardo, cobras pitón, tartaturgas, iguanas, esquilos, petauros do açúcar e vários pássaros. São cerca de 2500 os animais exóticos que ocupam o pequeno zoológico do veterinário Carlos Henrique. O que começou por ser um passatempo acabou por se tornar um negócio... para exportação

Carlos Henrique é médico veterinário, mas secundarizou a prática clínica à medida que o negócio da criação e venda de animais exóticos

13/08/2016

Cavalo tomba e agoniza em rua no Centro de Santa Maria - RS



Esta exploração de animais tem que acabar.... é preciso que trabalhemos com afinco.... Vamos conseguir se todos participarem..... Há uma petição pedindo o fim das carroças naquela cidade. Vamos dar uma força? CLIQUE AQUI para assinar.
-------------------------
O animal estava puxando uma carroça quando desmaiou na Rua Serafim Valandro


Um cavalo, visivelmente fraco e debilitado, caiu ontem à tarde, por volta das 17h, na Rua Serafim Valandro, quase esquina com a Rua Coronel Niederauer, no Centro de Santa Maria. O carroceiro

04/08/2016

Os animais que detetam tuberculose, cancro e minas terrestres

Sempre falo que, considerando a existência da vida neste planeta, os animais são infinitamente superiores aos humanos... humanos estes que vivem explorando os animais das formas mais covardes possíveis..... Nossa espécie é uma invasora da Terra!!!!
------------------------ 
As ratazanas conseguem identificar o cheiro da tuberculose. Os cães farejam o cancro. Agora estão a ser treinados para salvar vidas. O relato é de Emma Young.

Numa sala pequena e quente, num complexo situado nas terras altas do sul da Tanzânia, estão três técnicos de laboratório vestidos de branco, uma câmara de vidro e metal e uma grande

21/07/2016

Treinamento de filhotes de ursos para serem explorados em circos - China

O Holocausto publicou um dos vídeos, mas, veja a campanha inteira da PETA onde ela pede que você se comprometa em não ser cúmplice destes maus-tratos.  Assine a PETIÇÃO
-------------
Como ursos de circos são treinados
Uma investigação recente da PETA ASIA, revelou o que filhotes de ursos passam no treinamento para circos com animais. O flagrante foi feito na China, onde circos com animais não são proibidos. Outros países como Estados Unidos também não proíbem a prática. Diga NÃO ao uso de animais para entretenimento humano! Os animais NÃO são nossos.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪