Mostrando postagens com marcador escola. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador escola. Mostrar todas as postagens

14/11/2017

Cadela que ajuda a tranquilizar alunos para o Enem é eleita mascote de escola no PI

Acho muito simpático estas matérias que prestigiam os animais dentro da sociedade.... sociedade esta que está aprendendo a inserir os animais no seu cotidiano ao invés de  rejeitá-los como antigamente.....
-----------
De acordo com o diretor da escola, o animal acompanha os alunos em todos os momentos da preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio.

18/10/2017

Índia institui ‘Compaixão pelos Animais’ como matéria escolar em milhares de colégios públicos e privados

A Índia é uma contradição. Em vários locais daquele país se promove matanças de animais e outras coisinhas mais. Confira em nosso arquivo sobre a Índia.
----------
Desde a pouca idade, a natureza aflora em nós um encantador universo de descobertas e autoconhecimento. Na Índia, essa ideia é levada a sério e foi incluída na grade

28/06/2017

Opção vegetariana em todas as escolas dos Açores no próximo ano letivo - Portugal

Muito bom!!!!! aqui no Brasil temos o Projeto do Ugo Werneck que pedimos tanto a participação dos amigos, mas, não obtivemos a ajuda necessária. Confira aqui: Galera, vamos ajudar ao Ugo Werneck implantar alimentação vegana nas escolas?
-----------
O secretário da Educação e Cultura dos Açores afirmou hoje que todas as escolas do arquipélago vão ter no próximo ano letivo a opção vegetariana com marcação prévia, dado ser expectável uma reduzida procura e para evitar desperdício alimentar

"O desperdício alimentar nas cantinas escolares - e creio que nas cantinas públicas de uma forma geral - é um assunto que tem sido pouco tratado, mas é um problema quotidiano com que nós nos deparamos”, disse à agência Lusa Avelino Meneses, justificando a marcação prévia porque, dada a experiência atual, há a “expectativa de que a procura poderá não ser elevada”.

Avelino Meneses falava à agência Lusa após ser ouvido na Comissão de Assuntos Sociais do parlamento dos Açores, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, sobre uma petição pela inclusão de uma alternativa vegetariana nas cantinas das escolas.

“Já oferecemos desde 2015/2016 um prato ovolactevegetariano que tem uma procura baixa e também porque nos refeitórios escolares os agentes do ensino sabem perfeitamente que há alguma resistência dos alunos em matéria de consumo, por exemplo, de vegetais”, adiantou o governante.

Segundo o secretário regional, “para que o desperdício não seja efetivamente grande”, o executivo açoriano partirá para “um regime de marcação prévia que garantirá a todos que o queiram ter regularmente um prato vegetariano”.

O texto da petição, que entrou em março na Assembleia Legislativa Regional, começa por dizer que “os motivos que podem levar à opção vegetariana podem ser éticos (relacionado com a proteção, bem-estar e direito dos animais), ecológicos ou de saúde”, sendo que “nos últimos anos acumulou-se evidência científica a favor do aumento” na alimentação “de produtos de origem vegetal”.

“Por outro lado, sabemos hoje que uma alimentação exclusivamente vegetariana, quando bem planeada, pode preencher todas as necessidades nutricionais de um ser humano e pode ser adaptada a todas as fases do ciclo de vida”, adianta o documento, considerando que “o facto de uma escola não ter esta opção limita, discrimina e exclui uma criança com uma alimentação distinta”.

Nesse sentido, os peticionários consideram “imperativo incluir nas cantinas/refeitórios das escolas uma alternativa vegetariana”.

No mês seguinte, o BE anunciou que iria propor no parlamento dos Açores a inclusão de refeições vegetarianas nas cantinas escolares e outros refeitórios públicos, adaptando à região uma legislação já aplicada no continente português.

"A diversidade nas opções de dieta alimentar é uma realidade e as cantinas públicas e entidades financiadas maioritariamente por fundos públicos devem dar resposta, para que ninguém seja discriminado pela sua dieta alimentar", salientou então o co-líder do BE nos Açores Paulo Mendes, numa conferência de imprensa.

Segundo o dirigente do BE, esta proposta dá resposta a uma petição com cerca de 800 assinaturas, que defende a inclusão de refeições vegetarianas nas cantinas das escolas dos Açores.

FONTE: acorianooriental

01/06/2017

Aulas são canceladas após grave invasão de coelhos em escola na Inglaterra

Que nojeira esta gente destrambelhada que faz um monte de caquinha na natureza e depois diz que os animais viram pragas ... 
------------------------
Desde o início do ano, o colégio britânico Cranborne Middle School precisa lidar com um problema incomum: uma surpreendente praga de coelhos.

Uma epidemia de coelhos na cidade de Cramborne, no sul do Reino Unido, está causando transtornos a uma escola local. Eles transformaram o gramado do colégio em uma espécie de campo minado: não importa onde você pise, ali terá um buraco cavado pelo animal. 

Os coelhos sempre habitaram a região da escola, e com a ajuda do governo e dos esforços da própria instituição, durante anos, a situação se manteve sob controle. Entretanto, desta vez o problema ganhou proporções muito maiores.

Uma das principais preocupações é de que os alunos, crianças de nove a treze anos, se machuquem tropeçando nas centenas de buracos que os animais abriram ao longo do campo. Por conta disso, todas as atividades externas da escola foram suspensas, assim como o anual Dia dos Esportes, tradicional evento de escolas britânicas.

O zelador do colégio e a polícia florestal estão trabalhando juntos para conter a praga, fechando os buracos assim que eles aparecem além de abaterem alguns dos animais, mas nenhum sucesso foi registrado até agora.

O diretor da escola, Craig Watson, enviou uma carta aos pais dos alunos explicando a situação e as medidas que estão sendo tomadas. Segundo ele, o problema será resolvido até setembro deste ano, quando se reinicia o ano letivo na Inglaterra.

Inglaterra
Esses pequenos animais e o Reino Unido parecem compartilhar algumas histórias estranhas. Como no início do século 18, quando correu a notícia de que uma mulher dava à luz coelhos na Inglaterra . 

"Desde que escrevi pela última vez, a pobre mulher deu à luz três novos coelhos, todos eles mal-formados. O último durou 23 horas dentro do útero antes de morrer. Não sabemos quanto mais há lá dentro", relatou o cirurgião John Howard.

Depois de muita polêmica, a verdade começou a vir à tona, e a mulher, Mary Toft, realmente deu à luz coelhos. Partes dissecadas dos animais foram introduzidas em seu corpo, e em um processo muito incômodo, ela as expelia algumas horas depois.

29/05/2017

Escola de cães-guia contribui para melhorar a vida de cegos em SC

Tem gente que acha que é exploração animal o uso de cães-guia.... Eu acho às vezes que sim outras não.....
------------------------
Estado tem 14.727 pessoas que não enxergam de modo algum, e 174.550 pessoas com grande dificuldade de enxergar.

Uma escola de cães-guia contribui para melhorar a vida de pessoas cegas em Santa Catarina. Apesar de ser considerada uma companhia essencial para o dia a dia de um deficiente visual, o número de cães-guia no Brasil ainda não é suficiente para atender à demanda para conseguir ter a tecnologia assistiva. Entre as adversidades, está a ausência de recursos para a manutenção e treinamento dos animais.

Na tentativa de minimizar essas barreiras, a Escola de Cães Guias Helen Keller, em Balneário Camboriú, entidade sem fins lucrativos, desenvolve um trabalho que reflete na qualidade de vida de muitos catarinenses e representa 20% dos cães-guia dos 150 existentes hoje no país.

A reportagem integra a série do SC+ e mostra a força de vontade das pessoas que acreditam na inclusão e no potencial dos animais, que juntos espalham por Santa Catarina mais lições de cidadania e de respeito.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são 582 mil pessoas cegas e 6,5 milhões de pessoas com baixa visão. No entanto, os números estão desatualizados, pois são com base no Censo 2010. A região Sul concentra a maior proporção de pessoas com deficiência visual com 5,4%.

Em Santa Catarina, 14.727 pessoas não conseguem enxergar de modo algum e 174.550 pessoas tem grande dificuldade de enxergar. Dados cadastrados na Associação de Deficientes Visuais de Itajaí e Região (ADVIR) indicam que as cidades da micro-região da Foz do Rio Itajaí que tem maior número de cegos ou baixa visão são Itajaí (268), Navegantes (142) e Balneário Camboriú (76).

A escola foi criada com o objetivo de diminuir esse déficit e promover o treinamento e adaptação de cães geneticamente predispostos ao trabalho de guia sem custos para pessoa cega ou baixa visão.

“O que mais inspira neste trabalho é poder contribuir para diminuir a enorme fila de espera por pessoas cegas ou baixa visão da nossa sociedade, para que elas tenham a oportunidade de melhor qualidade vida, na sua mobilidade com menor dependência de terceiros, ou seja, promover a minha responsabilidade social”, afirma o diretor presidente da escola, Enio Gomes, de 67 anos.

Fundada em 2010, a sede começou os trabalhos com instalações modestas em Florianópolis. A sede física atual foi inaugurada em julho do ano passado e os trabalhos resultaram na formação de 23 novas duplas de usuários cães-guia, as últimas foram formadas e entregues gratuitamente, nos meses de novembro e dezembro de 2016, duas em janeiro de 2017.

Mudança de vida
O aposentado Jairton Fabeni Domingos, de 52 anos, presidente da Federação Catarinense de Entidades para Cegos, foi contemplado na última entrega de cães-guia. Ele afirma que foi premiado na loteria quando a Alegria chegou e mudou radicalmente a sua vida. Portador de uma doença que provoca a degeneração da retina e perda gradativa da visão, ele luta desde 1992 para abandonar a bengala.

“Deveria ter muito mais instituições como esta, principalmente pela quantidade de usuários que precisam. A diferença é muito grande, hoje não batemos mais em árvores e não piso mais em poças d´água. Minha autonomia é outra, além da sensação de segurança e a socialização com as outras pessoas. Eu nunca mais estive sozinho em nenhuma caminhada, pois ela está sempre comigo, é uma amiga 24h”, afirma.

Formação de cães-guia
Com 45 dias os filhotes são levados para as famílias socializadoras que, de forma voluntária, têm a responsabilidade de cuidar do animal. Durante esse período, os cães-guia aprendizes recebem educação básica e vivenciam as mais diversificadas experiências. Todos os custos com o cachorro, desde a ração até visitas ao veterinário, são pagos pela escola, por meio de apoios e doações. O treinador e instrutor da escola faz o acompanhamento do cão-guia aprendiz durante esse período.

Após a fase de socialização eles retornam para a escola e ficam até 6 meses para receberem o treinamento específico. Além disso, passam para a fase de adaptação com os deficientes visuais que pode durar um mês dependendo de como for o entrosamento.

A família da professora Roxana Vanesa Milak, de 41 anos, é socializadora desde novembro de uma cão-guia matriz Waffle, de oito meses, que irá gerar os novos animais para a escola. “É uma responsabilidade muito grande, pois muitas pessoas estão esperando por um cão-guia. Para a minha alegria fui escolhida para iniciar o projeto que tem o objetivo de treinar 30 cachorros por ano. Ela é de uma ninhada que veio do exterior, de uma geração de 60 anos de cães-guia. Sabemos que a genética é forte”, afirma.

Segundo a professora a oportunidade de participar da escola possibilitou a prática de um trabalho voluntário e também um exercício de empatia.

“Nunca se sabe quando precisaremos de alguém, se estiver ao meu alcance estarei sempre pronta. Não é fácil sair para socializar um cachorro e ser olhado com cara feia, mesmo tendo identificação e ser amparada por lei”, explica.

A instituição busca apoio de pessoas físicas e de empresas para serem parceiras no projeto social. A causa também inspira a literatura como o livro Amor de Guia, escrito pela jornalista Natália Alcantara, que ao tomar contato com as histórias dos usuários e seus cães-guia resolveu apresentar às pessoas como ocorre o processo de treinamento dos cães.

Serviço
O que: Escola de Cães Guias Helen Keller
O que faz: uma associação civil de direito privado, de responsabilidade limitada, sem fins lucrativos, que oferece a tecnologia assistiva do cão-guia à pessoa cega ou baixa visão para oportunizar independência, qualidade de vida, mobilidade confiante e inserção social.
Sede: Balneário Camboriú
Início das atividades: 2000
Contato: contato@caoguia.org.br
Mais informações no site

FONTE: G1

05/05/2017

Cabra holandesa adquirida por escola vira atração no Embaré

Acho super simpático este tipo de projeto... acho que passa uma ideia boa às crianças....
------------------------
Lilica tem cinco anos e faz parte de um projeto do Colégio Novo Tempo
Lilica sai para passear todos os dias da semana – com descanso aos domingos. As pessoas param nas calçadas para tirar foto com ela. E muitos motoristas retornam com os veículos para verificar se não é uma ilusão o que estão vendo. 

Puxando o seu adestrador, o petwalker Paulo Antonio Pinto da Costa, por um cabresto que leva amarrado ao peito, Lilica se transformou na figura mais popular do Embaré. 

Lilica é uma cabra holandesa de cinco anos, que pertence ao Colégio Novo Tempo, na Rua Castro Alves, 48, em Santos. Foi comprada para um projeto da escola que coloca as 400 crianças que ali estudam (em dois turnos) em contato com animais de vários tipos e tamanhos.

Mas a popularidade é tanta que, nesses tempos de desalento com políticos, alguns moradores do bairro já pensam em lançá-la a vereadora nas próximas eleições municipais. E com direito a um slogan criado por Douglas Silva, que reside próximo à Avenida Epitácio Pessoa, roteiro do passeio diário do animal: “vote na cabra, que não vai dar bode”.

Se a projeção política de Lilica não deve (realmente?) ser levada a sério, o sentido educativo dos dirigentes da escola que compraram a cabra para incorporá-la à “minifazenda” (que tem de jabutis a coelhos) é um sucesso. Alunos a adoram. Crianças a param na rua para alimentá-la com pedaços de couve levadas em uma bolsa pelo petwalker. É uma cabra dócil, educada, limpa e cheirosa. “Toma banho em um petshop todas as terças-feiras”, informa Paulo.

Cabras
São animais domesticados desde os primórdios da humanidade. Mas a sua criação como bichos de estimação exige cuidados. São espécies curiosas e bonitas. Não podem ser criados em apartamentos ou casas sem quintal. Exigem espaço e paciência para longas caminhadas destinadas a descarregar a energia. 

Rita Laura Marcondes Paz, uma das proprietárias da escola (em sociedade com a irmã, Regina Lucia Marcondes), gosta muito de animais. Tanto que implantou no Novo Tempo um núcleo ambiental com horta, coelhos, codornas, tartarugas – tudo com apoio do Ibama. Faltava uma cabra. E a oportunidade surgiu quando visitou um veterinário amigo, que cria cabras. 

“Ficamos com a Lilica, uma minicabra. Foi um encanto, as crianças adoravam, ela brincava entre eles”. Rita começou a passear com Lilica nas calçadas do Embaré. E logo passou a perceber duas coisas: Lilica engordava e crescia. Resultado: Rita comprou gato por lebre, Lilica não era uma minicabra, era uma doce senhorita cabra de tamanho normal para a espécie Capra aegagus hircus.

“Nem pensamos em devolvê-la. Nós nos afeiçoamos muito a ela e os alunos também”.

A escola decidiu então contratar Paulo Costa. Especialista em cães, Paulo fez curso de formação com o dogwalker Fernando Bayard e de adestramento no Bicho Vira.


Quando viu a Lilica, pediu uma hora para pensar. Lembrou-se das histórias de que quando alguém é teimoso, é comparado a uma cabra e não responde a uma disciplina severa. Mas cabras são animais que atendem a reforços positivos, como comida. “Logo me afeiçoei”, conta.

Hoje, quando Paulo entra na escola, Lilica já se agita na baia e tenta pular a cerca, toda feliz. Paulo tem 1,8 m. Mas quando o vê, a cabra fica de pé esticada a quase a 1,7 m e consegue pegar pedaços de couve que ele mostra na altura do rosto.

Lilica esfrega as laterais do focinho nas pernas do tratador e dá pequenas marradas (os chifres foram cirurgicamente removidos) em Paulo, em uma espécie de brincadeira de medir forças. 

Sandra Maria de Farias, casada com Paulo, o acompanha no passeio do último sábado. Vê a alegria de Lilica e responde rindo às brincadeiras dos mais curiosos: “Ela é muito fofa. Não tenho ciúmes não”.

FONTE: A Tribuna

15/03/2017

Cachorro adota escola em Uruguaiana e tem tratamento pago por alunos - RS


Eu amo demais cachorro velho.... tenho toda paciência do mundo com eles.... Veja a história de Amarelo, o velhusco adotado pela direção de uma escola em Uruguaiana... Fiquei emocionada demais!!!!
----------------------
Amarelo percorre salas e corredores do colégio Dom Hermeto há 16 anos.
Estudantes fizeram vaquinha para bancar consultas com veterinário.

Alunos da escola estadual Dom Hermeto adotaram um cachorro em Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Amarelo, como é chamado, transformou os corredores da instituição de ensino em lar há 16 anos, como mostra a reportagem exibida nesta terça-feira (14), Dia Nacional dos Animais, pelo Jornal do Almoço.


“Ele é uma presença frequente todos os dias. Manhã, tarde e noite. Com o tempo, a gente foi verificando que inclusive no sábado ele se apresentava na frente do portão esperando que houvesse aula. Acabou que os alunos simpatizaram com ele, e ele acabou se inserindo no contexto da escola”, conta Adair Vicente da Campo, diretor da escola.


O que atraiu o vira-lata para o local ainda é um mistério. Pode ter sido a oferta de lanche ou a própria movimentação dos estudantes.
“Ele tem uma predileção por algumas salas. Eu não vejo problema nenhum [em dar aula na presença do animal], até porque ele é bem mais frequente que muitos alunos aqui também”, brinca o professor de geografia Miguel Fábio da Silva.


Os alunos aprovam e gostam a presença do Amarelo. “Ele se comporta, não atrapalha nada. Ele se comporta melhor que muita gente”, comenta a estudante do 7º ano Maria Rita da Costa. “Ele é um cachorro bem querido por aqui. Aqui todo mundo gosta do Amarelo”, completa o colega Vinicius Lopes.


 A saúde, porém, já não é mais a mesma. Em 2016, Amarelo precisou de um tratamento veterinário, que foi pago com dinheiro de uma vaquinha feita pelos próprios alunos.
Atualmente, o mascote toma remédio, é vacinado e tem uma coleira no pescoço com os dados da escola. O zelo, que já era grande, ficou ainda maior.
“O Amarelo é muito especial pra nós. Ele é o mascote, ele é tudo. Quando ele estava mal, a gente ficou muito mal também”, afirma a estudante Taiele Costa Amaral, do 6º ano.


A importância é tamanha que o animal já foi até tema de concurso de talentos. O melhor desenho do Amarelo foi pintado no muro da escola. Esse envolvimento é explorado pelos professores na formação dos alunos.
“A questão do espírito da solidariedade e também que os animais merecem respeito. A gente tem conseguindo passar isso para os alunos, e isso é muito bom”, conclui o professor Miguel.

Fonte: G1 RS - RBS - 14/03/17

24/08/2016

Vídeo flagra vândalos soltando crocodilos em escola australiana

Ouvi na Band que os animais estavam com a boca amarrada, totalmente debilitados e foram encaminhados para atendimento..... 
---------------------
Vândalos soltaram três crocodilos em um gabinete de uma escola na Austrália.
O incidente aconteceu no domingo. Câmeras de segurança mostram os répteis sendo lançados através de uma janela quebrada no colégio Taminmin College, na cidade de Humpty Doo, no Território do Norte. Em seguida, uma gangue de invasores mascarados vandaliza o local.
Autoridades que capturaram os crocodilos disseram que o estado de saúde dos animais era precário e suas bocas estavam enfaixadas. O maior dos crocodilos tinha dois metros de comprimento. Ainda não se sabe por que eles foram soltos na escola. A polícia está procurando os invasores, que podem ter de pagar até 50 mil dólares australianos (R$ 93 mil) de multa por maus tratos contra animais.

01/08/2016

Ministério da Educação da França proíbe dissecação de animais nas escolas

Pode não parecer, mas, considero um grande avanço..... 
------------------------
Depois de uma longa batalha entre Ongs de defesa de direitos animais, sindicatos de professores e governo, o Ministério da Educação da França anunciou nesta semana que a dissecação de vertebrados para fins científicos está proibida nas escolas do país. A maioria dos estabelecimentos de ensino ainda utilizam a prática nas aulas da disciplina Ciências da Vida e da Terra (SVT). Os animais mais comuns utilizados para o estudo da anatomia são

23/06/2016

Pintinhos e peixes viram prêmios e causam polêmica - SP

Pelos calos do profeta!!!!! esta gente não tem jeito mesmo!!!!! Espero que sejam denunciados e penalizados.... Se isto acontece numa escola, o que dirá em outros lugares!!!!!
----------------------
A entrega de pintinhos e peixes como premiação em uma festa junina do Colégio Piaget de Franca causou polêmica com os defensores do meio ambiente e protetores de animais da cidade. O caso aconteceu no último domingo, 19, durante evento realizado em um salão de festa e foi

13/06/2016

Felino vai a universidade todos os dias para dar rolê e ser paparicado pelos alunos



É muito bonitinho..... Aliás, ontem, li outra história de um gatinho que visita uma escola todo dia na Califórnia que ganhou até carteirinha de estudante. CLIQUE AQUI. É tão bom ler coisas assim, não?
------------------------
Conhecido como “Campus Cat”, o gatinho laranja adora andar pela Universidade de Augsburg e ser mimado pelos alunos. Diariamente ele está por lá, pedindo colo, tomando sol e fazendo gatices que ninguém consegue resistir, além de ser cuidado e alimentado por todos. Os alunos costumam dizer que ter o gatinho por lá ajuda muito a relaxar antes das provas, entregas de trabalhos…

Vejam mais fotos:

21/05/2016

Na Austrália, escola tradicional é investigada por maus tratos a ovelhas pela equipe de rúgby

Meu coração não aguenta!!!! publicamos há dois dias a escola que durante a aula de anatomia permite que os alunos pulem corda usando os intestinos de um gato. Hoje está aí a prática explicita de maus-tratos e com alegação das mais estúpidas....
Fonte: ABC News
Colaboração: Helô Arruda
-------------------
Uma das escolas privadas mais antigas e prestigiadas do país está sendo investigado por crueldade contra os animais após a ABC obter vídeos de membros da equipe de rugby da escola derrubando ovelhas em um prado da exploração agrícola.


A King’s School  é uma  pioneira na liga de rugby na Austrália e já produziu dezenas de jogadores Wallabies.  Mas os vídeos obtidos,  ameaçam manchar essa história desportiva.

A filmagem foi postada em uma página de Facebook do professor e treinador James Hilgendorf e de

14/05/2016

Há anos que patos fazem os ninhos nesta escola - EUA




Paraaaaa tudo!!!!!!! olha que solenidade linda!!!!!!!!!!!!!!
-----------------





A Elementary School Glover em Milton, Massachusetts,  tem uma tradição especial ao oferecer refúgio aos patos que fazem seus ninhos no pátio interior da escola. Cada vez que nascem patinhos toda a escola ajuda a guiá-los com segurança para uma lagoa vizinha.


30/03/2016

Petições: criança torturando cão, homem que mata cão sufocado em caixa e outras mais

Uma criança impiedosa foi filmada enquanto agarrava um cachorrinho indefeso pelas orelhas e mordendo-o várias vezes. A cena se passa em plena vista de outras crianças, que riem. De qualquer forma, nenhum deles intervém para parar o seu amigo. O filhote de cachorro sete uma dor terrível durante todo o vídeo. Para o final, o filhote afligido é jogado

12/02/2016

Bebês orangotangos vão à escola para aprender a viver na natureza - Indonésia

Depois de deixar acabar com os animais, a Indonésia agora tenta recuperar os orangotangos.... Eu juro que não entendo o tal humano e fico me perguntando se sou mesma desta espécie. Leiam AQUI  nossas publicações sobre as barbáries daquele país. Vejam estas matérias, também:
-----------------------
Ameaçados por caça e desmatamento, primatas aprendem táticas de sobrevivência em centro de reabilitação em floresta da Indonésia.
BBC Brasil - 09/02/16

09/02/2016

Leopardo perdido e desesperado invade escola na Índia

Estou pulicando 3 vídeos porque um completa o outro. Não achei nenhum com todas as imagens. O pobre animal estava em panico. Só que não achei nenhuma imagem do animal sedado e levado para o tal parque. Quem achar, manda p´ra nós?
------------------------
Um leopardo invadiu no sábado uma escola na cidade de Banglore, no sul da Índia, e deixou três pessoas feridas. Câmeras de segurança do colégio Vibgyor flagraram o momento em que o felino ataca uma pessoa perto da piscina da escola. O homem tenta fugir do local, pulando o muro, quando é puxado para baixo com uma mordida do animal. Entre os feridos, está um funcionário do departamento florestal e um jornalista que estava cobrindo o caso.


As autoridades demoraram cerca de 14 horas para capturar o animal desde que ele foi avistado pelas redondezas. O leopardo conseguiu ser contido após ser alvejado com tranquilizantes. Ele foi

20/11/2015

Cães que morderam menina em escola correm risco - Santa Maria - RS

Alguém de Santa Maria no RS não pode dar uma olhada no caso? no final da matéria falaram que iam levar eles para um sitio de um homem, mas, que precisava de coleira corrente e ração..... Como o cara aceita ficar com os cães sem ter condições de sustento? e eles vão ficar na corrente? num sítio, onde se supõe que haja um bom espaço? Será que algum protetor não poderia dar uma olhada?
--------------------------

Jornal do Almoço - Rede Globo - 19/11/15

23/06/2015

Projeto incentiva adoção comunitária de cães abandonados



Muito legal, gente!!!!!!!!!!!
-----------------------------




Dois cães estão mudando a rotina de uma escola em Água Fria, na Zona Norte do Recife. Os animais foram adotados e agora fazem parte do dia a dia dos alunos. O projeto denominado Cãe Comunitários é uma iniciativa da instituição para incentivar a adoção em grupo de animais de rua. Na Escola de Ensino Integral Antônio Heráclito do Rêgo, os cachorros tem contribuído para o aprendizado dos alunos.

13/06/2015

Polícia investiga morte de pombos em escola de Bauru - SP

Só me diz uma coisa: 12 sacos cheios de pombos mortos? caraca, supondo que cada saco tenha 10 aves mortas (quantidade mínima que considero para encher um saco de lixo já que lá é uma escola) já são 120 pombos mortos..... Quem vai apurar isto? alguém tem dúvida do que aconteceu?
------------------------------------------


Tem Notícias - Rede Globo - 12/06/15

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪