Mostrando postagens com marcador decisão judicial. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador decisão judicial. Mostrar todas as postagens

05/09/2017

Notícias do resgate dos gatinhos soterrados depois de uma demolição de prédio no Rio

Faz tempo que eu não me emocionava com a proteção animal aqui do Rio. Ontem, à noite, minha garganta fechou e senti vontade de chorar. Eu que achava que este esprit de corps estava abalado na minha cidade, me enganei. Ao ver este vídeo no Facebook do Randel Silva que com sua Cris está a frente do resgate dos gatinhos vítimas de soterramento de uma demolição feita em um prédio do INSS, senti meu espírito revigorado. O interesse e o conjunto de atendimentos estão possibilitando o resgate de vários gatinhos que ainda se encontram presos no porão do referido prédio. Sugiro que vejam o vídeo que nos trás informações preciosas, vitoriosas e muito satisfatórias. Na verdade, nunca tinha visto uma decisão judicial parecida..... Isto está sendo muito bom.....

Facebook do Randel Silva.
👆👆👆👆VENCEMOSSS 👆👆👆👆
Saiu a decisão judicial. Podemos ficar no terreno fazendo os resgates por tempo indeterminado.
É uma grande vitória de toda causa animal. 
Confiram aqui a decisão judicial.
==========
Segundo moradores, mais de 50 gatos viviam no local e apenas 35 foram resgatados. Na semana passada também houve denúncia de que gatos estavam sendo torturados e mortos na região.

A polícia está investigando a demolição de uma casa abandonada com diversos gatos dentro no Maracanã, na Zona Norte do Rio. Em poucos dias, é o segundo caso que provoca indignação na região. No fim da semana passada, houve uma denúncia de que gatos estavam sendo torturados e mortos no interior do complexo do Maracanã. Artistas chegaram a fazer uma campanha na internet contra as mortes dos animais.

O prédio demolido é do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e quando os moradores souberam que ele seria demolido avisaram para a empresa que havia muitos gatos no local e pediram que a empresa aguardasse um pouco para que os gatos fossem retirados. De acordo com os moradores, os responsáveis pela empresa fizeram um acordo verbal e disse que retornaria nesta segunda (4) para realizar a demolição.

No entanto, no sábado (2) o prédio começou a ser demolido e não houve tempo para as pessoas retirarem os animais. No sábado mesmo os moradores conseguiram resgatar uma parte dos animais, totalizando 35 gatos. Desses, 21 estão recebendo tratamento em clínicas veterinárias e serão levados para ONGs para serem colocados para adoção. Segundo os moradores, cerca de 50 gatos viviam no local.
“A gente tem certeza que aconteceu um crime aqui. Não poderia ter sido feito dessa forma, nós entramos num acordo que segunda-feira os resgatistas viriam tirar os animais com os protetores. Segunda-feira a secretaria viria verificar se não teria nenhum animal e, assim, fazer a demolição. Nós fomos surpreendidos com a notícia”, afirmou Sezane Rizzo, subsecretária Municipal de Bem-estar Animal, destacando só foi possível salvar um número razoável de animais porque, apesar da surpresa, os resgatistas foram rápidos.

Na sexta-feira (1), após a denúncia de que gatos estariam sendo torturados e mortos no Maracanã, alguns artistas começaram uma campanha nas redes sociais pedindo o fim dessa violência e postaram fotos com a hashtag "SOS Gatos Maracanã". Entre os atores que se manifestaram contra a crueldade contra os animais estão: Heloísa Périssé, Evandro Mesquita e Betty Goffmann. "Tem um monstro matando de forma cruel os gatos do Maracanã", criticou Heloisa.

============
Nossas postagens a respeito:
Ativistas fazem força-tarefa para recolher gatos em imóvel demolido - RJ
Nojo: Assessora da SUBEM usa resgate de gatos em proveito político
Protetores tinham denunciado às autoridades a demolição de prédio cheio de gatos - Rio de Janeiro

02/09/2017

Justiça determina retirada de cordas vocais de cães por latidos incessantes

Entendam o que vou falar: entre serem condenados a eutanásia como sempre acontece, prefiro a cirurgia.... 
----------
Uma briga judicial que já dura cinco anos terminou de maneira polêmica nos Estados Unidos. A Justiça de Oregon determinou que cães de uma fazenda local passem por uma cirurgia de retirada de cordas vocais (cordectomia). Os animais das raças mastim tibetano e mastim dos Pirenéus foram punidos por latir demais.

Os cachorros pertencem à propriedade de Karen Szewc e John Updegraff. Há mais de uma década, eles usam caninos para proteger a fazenda de 1,3 hectare. Eles servem como guarda de cabras, ovelhas e galinhas.

Em 2012, os ‘latidos incessantes’ começaram a incomodar o casal vizinho, Dale e Debra Krein. Eles entraram com uma ação contra os fazendeiros e gravaram áudios como provas. Segundo o casal Krein, eles não conseguiam dormir nem assistir à televisão, além dos constantes sustos sofridos pelos visitantes, inclusive crianças.

Em 2015, os donos dos cachorros foram condenados a pagar pena de US$ 238 mil (cerca de R$ 750). Entretanto, a multa não acabou com os barulhos, o que sustentou a decisão da Justiça.
O Oregon Humane Society, órgão de defesa ao direitos dos animais, repudiou a medida. “Estamos chocados”, afirmou David Lythe ao jornal The Oregorian.

A dona dos cães, Karen Szewc, também não concordou com a ação. “Eles são meus funcionários. Não temos os cachorros para incomodar os vizinhos, mas para proteger nossas ovelhas. A próxima linha de defesa é uma arma. Não tenho que usar uma arma, posso proteger minhas ovelhas com os cachorros”, afirmou à imprensa local.

O que diz a lei?
Se nos EUA alguns estados permitem a cirurgia de retirada das cordas vocais de animais, no Brasil não é assim. Desde 2008, uma lei federal proíbe não só a cordectomia, mas também a caudectomia. Mais comum, a última consiste no corte da cauda dos animais.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária defende que esses procedimentos cirúrgicos têm como única finalidade a estética. Dessa maneira, os maus-tratos causados aos animais não se justificam. Veterinários que realizam esses procedimentos, inclusive, podem perder suas licenças.

FONTE: correiobraziliense


24/06/2017

STJ garante posse de papagaio a idosa

Pois é, depois que sai da natureza e passa tantos anos com humanos fica difícil reintroduzir.....
------------------------
Após denúncia anônima, Leozinho seria tirada do lar onde vive há 17 anos
O ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, manteve decisão do Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5) que assegurou a uma idosa o direito de continuar na posse de um papagaio com o qual convive há 17 anos. As informações foram divulgadas no site do STJ.

A decisão do TRF5 foi contestada no STJ pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), sob a alegação de que os animais silvestres mantidos em cativeiro irregular devem ser apreendidos para serem liberados em seu habitat ou entregues a jardins zoológicos.

De acordo com Og Fernandes, no entanto, o tribunal de segunda instância constatou que o papagaio está "totalmente adaptado ao ambiente doméstico e não há indícios de maus-tratos, razão pela qual concluiu que não seria razoável retirá-lo de sua dona após tanto tempo". Eventual mudança desse entendimento, como pretendia o Ibama, exigiria reexame de provas, o que não é admitido em recurso especial, assinalou o ministro.

Outros casos
Segundo o relator, o STJ já julgou casos similares, de aves criadas por longo período em ambiente doméstico, sem qualquer indício de maus-tratos ou risco de extinção, e decidiu pela aplicação do princípio da razoabilidade para não permitir a apreensão.

"Extrai-se da leitura do acórdão combatido que o tema referente à legalidade da posse do animal teve amparo no princípio da razoabilidade, considerando-se as peculiaridades do caso concreto", observou o ministro.

Leozinho
Dona Izaura, de 77 anos de idade, moradora de Cajazeiras, interior da Paraíba, cria há 17 anos o papagaio "Leozinho". Depois de uma denúncia anônima, em novembro de 2010, um fiscal do Ibama esteve em sua casa e lavrou o auto de infração. Ela teve uma crise de pressão alta, e o fiscal disse que voltaria em 15 dias para apreender "Leozinho".

Dona Izaura entrou na Justiça com um pedido de tutela antecipada para evitar a apreensão do papagaio, a qual foi concedida pelo juiz.

“Exigência da Constituição”
O Ibama recorreu da decisão, alegando que ‘a proteção da fauna é exigência da Constituição’ e que ‘o poder público deve adotar medidas para coibir o tráfico de animais silvestres’.

Como foi comprovado que o papagaio, em todos esses anos, já adquiriu hábitos de animal de estimação, está plenamente adaptado ao ambiente doméstico e não sofreu maus-tratos nem pertence a espécie ameaçada de extinção, o TRF5 confirmou que dona Izaura poderia mantê-lo.

O Ibama então ingressou com o recurso especial no STJ, alegando ‘ofensa à lei federal’, mas o próprio Ministério Público Federal optou pelo não conhecimento do apelo.

FONTE: Uol

03/12/2015

OCUPA VIÇOSA! Eles estão com as horas contadas

Gente, ocupa a Universidade de Viçosa antes que matem os animais.... se o juiz, promotor, e o raio que o parta não estão atendendo ninguém, só OCUPANDO..... em marcha galera, antes que seja tarde!!!!!!! Mais informações em nossa postagem anterior: Universidade de Viçosa está se negando devolver cães usados em experimentosVejam no facebook da turma de lá, clicando AQUI. onde explicam porque usam cães em experimentos. Lembro que esta Universidade é a mesma que promove CURSO DE CAÇA.
------------------------
Olhe bem para cada um dos rostos que ilustram essa matéria. É provavelmente a última vez que poderão ser vistos com vida. Vida que, aliás, está por um fio. Um fio de esperança, um fio de dignidade, um fio de humanidade.

Eles viviam nas ruas comendo lixo e dormindo no asfalto, mas ainda assim a vida desses cães era muito melhor que essa que enfrentam agora passando por dolorosos experimentos na Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais. Primeiro foram recolhidos ao CCZ da cidade que fica dentro da UFV e, mais tarde, escolhidos para a vivissecção sem chance de serem adotados.

Por isso, cada um dos próximos minutos é uma contagem regressiva, uma despedida. As pesquisas visam sacrificar os animais ao final de

24/10/2015

CCZ descumpre decisão que proíbe sacrifício de animais saudáveis, denuncia ONG

Não tem desculpa, gente!!!!! tem que cumprir a decisão.... recorrer do que?
----------------------------
MPE diz que decisão está em prazo de recurso, mas denúncia será fiscalizada

A Associação de Proteção aos Animais (Amemais) de Três Lagoas, cidade distante 338 km de Campo Grande, afirma que o Centro de Controle de Zooneses (CCZ) tem descumprido determinação judicial e sacrificado animais saudáveis no município.

A denúncia chegou por meio de um pecuarista, que teria ido ao CCZ obter informações sobre como proceder

12/08/2014

Decisão judicial devolve dois papagaios a uma mulher em Montes Claros - MG

Mais uma discussão: qual é o certo? manter os animais com os donos ou oferecer a possibilidade de reintrodução? Como já opinei aqui no blog, acho que cada caso deve ser analisado por si. 

video
Bom dia Minas - Rede Globo - 31/07/14

Ibama garantiu que vai recorrer da determinação judicial. Animais convivem com a dona há 20 anos

11/04/2013

Por maus tratos, juíza retira cavalo da posse de dono em Nova Iguaçu

Grande vitória da ONG Pró-Vida!!! Parabéns!!!!! Vale o exemplo para quem quiser agir.



"A juíza Rosana Navega, do 1º Juizado Especial Criminal de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, nomeou a presidente da Associação de Animais Pró-Vida, Maria Amélia da Silva, como depositária fiel de um cavalo. O animal foi apreendido depois de ser encontrado debilitado, sem água e comida, vagando pelas ruas da cidade e com feridas provocadas por carrapatos. De forma

02/10/2010

SENTENÇA SOBRE O DESTINO DA CADELA BELINHA


NOSSA LEITORA IZABEL, NOS ENVIOU UMA SENTENÇA ESPETACULAR PUBLICADA NO SITE "VITAL BRASIL" SOBRE A GUARDA DE UMA CADELINHA.

PESSOAL DO DIREITO DEVIA GUARDAR...

RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪