Mostrando postagens com marcador comércio. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador comércio. Mostrar todas as postagens

02/11/2017

O elixir chinês "milagroso" que ameaça burros ao redor do mundo

Já fizemos várias postagens sobre o abuso promovido pela China para conseguir peles de burro pelo mundo inteiro. Confira. Aqui no Brasil, em 2015, publicamos Exportação de jumentos para China geraria receita de US$ 3 bilhões e esta receita está entrando direto porque estão considerando jumentos com a mesma qualidade dos burros na produção desta gelatina que eles produzem.

16/08/2017

África do Sul avança no comércio de chifres de rinoceronte

Eu não sei como ainda tem rinocerontes e elefantes neste mundo..... Todo dia temos notícias da quantidade destes seres que são mortos covardemente por psicopatas que recebem o aval da humanidade que os chamam de caçadores..... Tinham que exterminar todos estes seres nocivos ao planeta....
---------------
A África do Sul afirmou que está avançando com um projeto de regulamentação para o comércio doméstico de chifres de rinoceronte, apesar das preocupações dos críticos de que um mercado legal estimule a caça.

Qualquer pessoa que possua um chifre de rinoceronte precisará de uma licença de acordo com as regras nacionais que estão sendo elaboradas, e a África do Sul continua a reconhecer a proibição do comércio internacional de chifres que foi imposto em 1977, disse Edna Molewa, ministra dos assuntos ambientais.

No início deste ano, o Tribunal Constitucional da África do Sul rejeitou um apelo do governo para preservar uma proibição de 2009 sobre o comércio interno de chifres de rinocerontes, que foram retirados dos animais em números recorde na última década.

Os criadores de rinocerontes dizem que um comércio regulamentado prejudicaria a caça furtiva. Alguns grupos internacionais de conservação discordam, dizendo que só incentivaria traficantes a matar rinocerontes e tentarem vender seus chifres no mercado legal.

Sob os regulamentos preliminares, os chifres de rinoceronte podem ser exportados da África do Sul para “fins não comerciais, como uso pessoal, troféus de caça, pesquisa ou educação e treinamento”, disse Molewa.

Os chifres que são exportados devem estar sujeitos a testes de DNA, conter um microchip e número de série, de acordo com a ministra. As informações sobre o proprietário de um chifre exportado, bem como sobre o próprio chifre, devem ser registradas em uma base de dados nacional, e uma licença de um grupo da ONU, a Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Selvagens, também será requeridos.

Molewa também disse que 529 rinocerontes foram mortos na África do Sul no primeiro semestre deste ano, uma queda de 13 em comparação com o mesmo período em 2016. A África do Sul tem quase 20 mil rinocerontes, de acordo com algumas estimativas.

A caça ao rinoceronte no Parque Nacional Kruger, a maior reserva do país, caiu significativamente devido ao aumento da segurança e outras medidas, mas o número de rinocerontes mortos em alguns outros parques aumentou à medida que os caçadores se moviam para outros lugares, de acordo com autoridades sul-africanas.

FONTE: climatologiageografica

01/08/2017

Cães são adotados como companheiros em empresas em Uberaba - MG

Olha, eu adorei e matérias assim promovem e estimulam outros comerciantes a fazer o mesmo. Muito bom. Só achei que o Gordinho, apesar de comer bem e estar bem gordinho, não tem um abrigo ou um dono que ele vá para casa depois de comer, né? ficou faltando a informação....
---------------
Animais recebem e dão carinho, além de ajudar a cativar clientes.
Os cães Gordinho, Postinho e Bob fazem toda a diferença em ambientes de trabalho de Uberaba. Eles foram adotados por empresários e recebem carinho de funcionários, retribuem com alegria e ajudam a cativar clientes.

Bob é um poodle cheio de personalidade, comilão e que adora ganhar atenção dos donos da concessionária de veículos. Um dia ele apareceu debaixo da mesa do empresário Geraldo Amuí. “Cheguei para trabalhar e este cachorro apareceu. Coloquei ele para fora e ele voltou. Se ele quer ficar aqui, não posso deixar o portão da loja fechada. Levei para dar vacina, banho e passei a cuidar dele e ele acabou ficando funcionário da loja. Só falta crachá e bater ponto”, contou.
Para Bob, só falta o crachá em Uberaba (Foto: Reprodução/TV Integração)
O Postinho adora ficar na cama. O vira-lata, que adora uma cama quentinha, é o mascote de um posto de combustíveis. Todo dia é assim: ao acordar, sai para dar uma volta e brinca com funcionários e clientes. “Quando eu chego, tem que brincar com ele, dar boa tarde, bom dia”, contou o engenheiro Sílvio Rodrigues. “É um irmão nosso aqui. A gente chega, encosta a moto e ele já vem encontrar com a gente, quer abraçar e pular. O bichinho é uma benção. É só alegria”, disse o frentista Baltazer Júlio.
Quando foi adotado pelo dono do posto, Flávio Madeira, o cão estava com fome e doente. "Começamos a cuidar dele. Ficou um dia, dois dias e resolvemos adotá-lo. Ele chegou para alegrar o ambiente”, explicou.

Postinho adora ficar na cama em um posto de combustíveis de Uberaba (Foto: Reprodução/TV Integração)
Uma placa na entrada do estabelecimento mostra que é proibido entrar animal, mesmo assim tem um cachorro que vive no mercado, é o Gordinho, sem raça definida e super obediente. “O Gordinho só chega até na porta quando ele está com fome, mas não entra. A gente dá uma carninha pra ele e ele volta pra rua de novo. O máximo que ele vem é até a porta só pra avisar que está com fome”, conta Antônio Jaílson Leandro, que é gerente do mercado. Gordinho é querido por clientes e funcionários de um mercado. “Ele é enjoado, só come carne três vezes por dia. É como se fosse filho nosso. Tem que cuidar bem”, contou o cliente Alair Borges.

Para o psicólogo Jonathan Mazetti, é fácil de entender a relação entre homens e animais. "Independente do animal que a pessoa escolha ou seja escolhida pelo animal, esse afeto faz muito bem. Estudos mostram que faz bem tanto para a alma quanto para o físico. Um animal precisa de carinho e atenção. A pessoa que trata bem um animal,aprendeu a tratar bem o ser humano”, explicou.

Gordinho foi adotado por um mercado em Uberaba (Foto: TV Integração/Reprodução)

20/07/2017

MPE quer o fim do comércio de animais vivos no Mercado - Aracaju - SE

Sinceramente? já vi tantas tentativas, mas, na verdade não vejo sucesso.... Até em BH que a proteção se empenhou tanto, os comerciantes continuam lá... Aqui no Rio? o maldito Mercadão de Madureira continua vendendo bichos a vontade incluindo os famosos para macumbas.... gente filha do "coisa ruim".... Vejam ao final  o que já publicamos a respeito deste Mercadão em Aracaju desde 2012:
------------
Emsurb diz que comerciantes já não estão mais autorizados

O comércio de animais vivos na área do Mercado Albano Franco, no centro de Aracaju, oferece riscos à saúde pública. Este é o entendimento do Ministério Público Estadual, que desde 2011, vem tentando proibir definitivamente esse tipo de comércio no local. A Ação Civil Pública em desfavor da Prefeitura de Aracaju e Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) já teve decisão favorável ao MPE, mas os comerciantes conseguiram uma liminar, e por isso, quem vai ao Mercado ainda encontra animais expostos para venda.

Nossa reportagem encontrou pontos de vendas nos mercados Thales Ferraz e Albano Franco. A promotora responsável pelo caso não quis gravar entrevista, mas nossa reportagem conversou com a representante de uma ONG em defesa dos animais, que desde o início acompanha o caso.

A assessoria de comunicação da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) afirmou que desde que saiu a decisão, proíbe o comércio de animais vivos no Mercado Albano Franco, mas não no Thales Ferraz. “A decisão é específica na proibição desse tipo de comércio no Mercado Albano Franco”, pontua Augusto Aranha, assessor de comunicação. Aranha explicou ainda que somente um comerciante permanece vendendo pássaros, pois teria uma liminar que o permitia.

Fonte: Infonet

--------------
Postagens desde 2012

07/07/2017

‘Harry Potter’ ameaça as corujas? Pesquisadores investigam comércio das aves na Indonésia

P´ra mim, é bem possível que esta influência esteja prejudicando mesmo a existência das corujas.... O comércio ilegal e a retirada da natureza deve estar rolando solto porque todo mundo quer ter a coruja do Sr. Potter....
-------------
Na série de livros e filmes, elas são animais de estimação dos bruxos. Cientistas averiguaram vendas de corujas desde os anos 1970 para entender efeito da saga

Em 26 de junho, o mundo de Harry Potter completou 20 anos. O bruxo protagoniza uma das séries de ficção mais bem-sucedidas da história, seja em livros ou filmes, com milhões de fãs e uma marca com valor de mercado por volta de US$ 15 bilhões.

Na série de fantasia criada pela britânica J.K. Rowling, as corujas são companheiras e animais de estimação de diversos personagens bruxos, incluindo o protagonista. A elas também cabe entregar cartas e outras correspondências.

Agora, dois cientistas da Universidade Oxford Brookes, no Reino Unido, levantam a possibilidade — destacando que ainda não há provas —  de que a popularidade estrondosa dos livros e filmes de Harry Potter pode ter tido um efeito negativo para a natureza: o aumento do interesse comercial por corujas na Indonésia, com caça predatória e ameaça a algumas espécies.

Os antropólogos Vincent Nijman e Anna Nekaris foram ao país asiático e atestaram o aumento expressivo no número de corujas à venda em mercados de aves, em comparação à época em que “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, o primeiro livro da série, ainda não havia sido publicado ou virado filme.

Os resultados foram publicados no artigo “The Harry Potter effect: The rise in trade of owls as pets in Java and Bali, Indonesia” (Efeito Harry Potter: O aumento do comércio de corujas como animais de estimação em Java e Bali, na Indonésia), que saiu na edição de julho de 2017 da revista “Global Ecology and Conservation”.

Como a pesquisa foi feita
Entre 2012 e 2016, os pesquisadores foram 109 vezes a mercados de aves em diferentes cidades das ilhas de Java e Bali. Eles contavam e anotavam manualmente quantas corujas viam e qual era a espécie.

Os cientistas compararam os dados coletados a levantamentos sobre o comércio de aves feitos desde o final da década de 1970. Constataram que da segunda metade dos anos 2000 em diante, os mercados passaram a ter muito mais corujas — no número absoluto, na variedade de espécies e na proporção em relação a todas as aves à venda. O primeiro livro da saga é de 1997, mas a popularização mundial ocorreu mesmo após a estreia nos cinemas, em 2001.

As corujas como mercadoria na Indonésia
As aves são, em quase todos os casos, capturadas da natureza e vendidas nos mercados. Os preços atuais em Java e em Bali podem variar entre US$ 6 e mais de US$ 100.

Antes de 2002, considerando estudos distintos, a proporção de corujas em relação à quantidade total de aves vendidas nos mercados era de no máximo 0,06%. Após 2008, estava sempre entre 0,43% e chegou a 1,44%. Isso significa um aumento entre 7 e 24 vezes. O número absoluto também aumentou drasticamente.

13 mil
é o número estimado de corujas vendidas em 2016 em Java e Bali, segundo o artigo

De acordo com a pesquisa, há 11 espécies naturais de Java ou Bali, mas nos mercados se vendem mais — o que significa que espécies originárias do exterior ou de outras partes da Indonésia são capturadas e transportadas para esses locais.

Comum na Indonésia, o comércio de aves é também um indicador social: espécies mais raras e vistosas costumam ficar restritas aos mais ricos.

Os autores afirmam que a disseminação da internet no país também influenciou. Ao longo dos anos foram criados sites e fóruns de fãs de Harry Potter e de pessoas com corujas em casa, que compartilhavam dicas e experiências sobre como cuidar do animal.

Em 2001, ano do primeiro filme, apenas 2% da população indonésia tinha acesso à internet. Em 2016, era 20%.

“Harry Potter tornou normal ter corujas como animais de estimação”
Vincent Nijman autor do artigo “Efeito Harry Potter: O aumento do comércio de corujas como animais de estimação em Java e Bali, na Indonésia”

A legislação indonésia não proíbe especificamente o comércio de corujas, mas veta a comercialização de animais cuja caça não é regulada — justamente o caso.

O problema é que, segundo os cientistas, as autoridades não agem em favor das aves. As vendas ocorrem normalmente, sem nenhum perigo de represália ou apreensão por parte de algum órgão regulador. Apenas uma espécie de coruja (Otus beccarii) é diretamente protegida por lei no país.

Por serem animais noturnos, mesmo uma queda brusca da população na natureza pode ser difícil de perceber em um período de poucos anos.

Quase nenhuma das espécies verificadas pelos pesquisadores está ameaçada de extinção. Mas a caça e o comércio indiscriminados são sinais negativos para a preservação a longo prazo.

Corujas não se adaptam a gaiolas, mesmo se estas forem grandes. O tamanho e os hábitos desses animais, incluindo as necessidades nutricionais, os tornam difíceis de serem domesticados. Morar em uma casa comum é extremamente prejudicial às corujas.

Causa não pode ser comprovada
Apesar de os autores do artigo demonstrarem como as corujas estão mais populares, eles deixam claro que não é possível atestar cientificamente que os dois fenômenos (sucesso da saga Harry Potter e mais vendas de corujas na Indonésia) estão conectados.

“Durante nosso estudo, as corujas eram frequentemente chamadas de ‘Burung Harry Potter’ (pássaros de Harry Potter), e quando falávamos sobre corujas com os vendedores eles com frequência mencionavam Harry Potter. Mas apenas isso não demonstra uma relação causal entre os livros e filmes de Harry Potter e a popularidade das corujas como animais domésticos na Indonésia”, dizem no artigo.

Nijman e Nekaris indicam que houve uma resposta tardia do comércio em relação à publicação dos livros e exibição dos filmes. Não houve um aumento expressivo logo após “A Pedra Filosofal” — isso ocorreu apenas anos depois na Indonésia, atraso que atribuem ao acesso precário à internet no começo do século. Essa demora dificulta uma comprovação.

Caso não é inédito Já foram registrados outros casos parecidos após filmes de sucesso que mostram animais. Espécies de peixe-palhaço, como o protagonista de “Procurando Nemo” (2004), passaram a ser retiradas da natureza com mais frequência após o filme, o que causou preocupação de efeito similar na sequência “Procurando Dory” (2016). Antes disso, com “101 Dálmatas” (1996) houve um aumento de procura pela espécie de cachorro — e o abandono de muitos deles pouco tempo depois. Até “Jurassic Park” (1993) entra nesse grupo: apesar de mostrar dinossauros, após o filme houve um crescimento do comércio global de iguanas.

Um dos problemas em casos como esses é adquirir os animais por impulso, com pouca informação sobre os cuidados específicos de que necessitam ou mesmo sem permissão legal. Também é comum se desinteressar pouco tempo após a compra, levando a maus-tratos ou à morte do animal.

Embora empiricamente se verifique aumento no interesse comercial, é sempre complicado comprovar uma correlação direta entre fenômenos desse tipo ou responsabilizar alguma empresa ou entidade pela captura indiscriminada de animais direto da natureza.

FONTE: nexojornal

23/05/2017

Legalizar ou proibir comércio de chifres de rinocerontes?

Qual é? qual ativista de proteção animal que quer a regulamentação do comércio de chifres de rinoceronte? tá maluco?
------------------------
Os ativistas de proteção animal não chegam a um consenso quanto à eficácia da proibição ou da legalização do comércio de chifres de rinocerontes para a preservação da espécie

Um rinoceronte morto, com sangue no lugar dos chifres, tem significados diferentes. Para a espécie representa o perigo de extinção; na visão dos ativistas de proteção animal é um símbolo da barbárie humana; e para os agentes da lei é a imagem do fracasso. No entanto, para os caçadores ilegais a exportação dos chifres é uma fonte de milhares de dólares.

Na África do Sul as estatísticas de caça ilegal são alarmantes. Os dados oficiais mostraram que os caçadores mataram 1.054 rinocerontes em 2016, em comparação com apenas 13 em 2007. No Parque Nacional Kruger, o local que reúne a maior população de rinocerontes do mundo, os números estão diminuindo, em razão da queda dos registros de caça ilegal. Segundo Tom Milliken da ONG de proteção animal Traffic, os caçadores descobriram meios mais eficientes para esconder as carcaças.

O problema é internacional. O comércio ilegal de rinocerontes se estende da África do Sul, onde vivem quase três quartos dos rinocerontes do mundo, para a Ásia, sobretudo para o Vietnã, onde o chifre de rinoceronte é usado como remédio para febres, alcoolismo e até câncer.

A demanda por chifres de rinocerontes na China teve uma queda expressiva depois que o governo proibiu seu uso em 1993. Nos hábitats dos rinocerontes a vigilância mais rigorosa, as cercas e as penalidades mais severas ajudaram a diminuir a caça ilegal nos últimos dois anos. Mas alguns argumentam que a proibição do comércio pode agravar o problema. Por outro lado, sua legalização aumentaria a demanda junto com a oferta e, portanto, incentivaria ainda mais a prática da caça ilegal.

11/10/2016

O desconhecido pangolim luta para se salvar


Já fizemos várias postagens sobre os pobres pangolins que são caçados por conta de suas escamas.... Claro que a China tem a ver, né? a famosa medicina chinesa ...
------------------
há ± 1 semana
O desconhecido pangolim luta para se salvar.


17/09/2016

Associação francesa pede proibição da comércio do coelho angorá

É revoltante saber da indiferença das pessoas ao provocar tamanho sofrimento a um animal como este..... aliás, é coisa inadmissível em qualquer animal, mas, é tão covarde fazer isto com seres tão frágeis, tão sensíveis..... são uns monstros.....
---------------------
Entidade usou vídeo para denunciar sofrimento do animais. Coelhos são 'depilados' e seus pelos usados na indústria têxtil.

Depois das galinhas em gaiolas em bateria e nos matadouros, o sofrimento dos coelhos da raça angorá nas granjas é denunciado em um vídeo divulgado por uma associação francesa de defesa dos

08/01/2016

Número de estabelecimentos que aceitam animais sobe no Brasil

Maravilha!!!!! isto é fabuloso!!!! mudança de comportamento é algo que me faz trabalhar incansavelmente!!!! é o efeito da educação.... efeito do "fazer pensa".... Fico feliz que nem pinto no lixo!!!!!
--------------------
São cada vez mais comuns os restaurantes onde clientes de quatro patas são bem-vindos. Alguns têm até cardápio especial pra eles. 
Fonte: Jornal da Band

23/12/2015

Buscando diferencial, bares abrem espaço para pets

Tem mais é que abrir mesmo!!!!!! 
------------------------ 
De olho em donos cada vez mais apegados a seus animais de estimação, estabelecimentos oferecem até cerveja e menu para cachorros

Os animais de estimação estão cada vez mais sendo tratados como membros da família por seus donos. Em resposta a esta tendência, muitos bares e restaurantes estão se tornando mais flexíveis à presença de pets e até mesmo abrindo espaço para eles na montagem do cardápio.

André Lazzarotto, sócio do bar e restaurante Alto

30/11/2015

CPI que apura maus-tratos a animais visita comércio no Mercado Central

Parece que o bicho pegou no Mercadão Central.... Continuo dando crédito a esta CPI embora não entenda bem como funciona e qual será o objetivo final. Estou publicando duas matérias que se completam.
------------------------------

Lojas terão que fazer adequações; prazo vai ser definido. Vistoria ocorreu um dia após protesto que pediu liberdade dos bichos.


Deputados da comissão nacional que apura maus-tratos a animais estiveram no Mercado Central de Belo Horizonte, na manhã deste domingo (29), com o objetivo de fiscalizar o comércio de aves, cães,

01/09/2015

O predatório comércio de barbatanas de tubarão

Que barbaridade!!!!! não deixe de assinar a petição ao final, gente!!!!! é o mínimo que podemos fazer!!!!!!!!!!!!!
Fonte: The Dodo
Colaboração: Helô Arruda
----------------------------

Eles podem não ser os animais mais fofinhos, mas os tubarões são uma parte crucial do delicado ecossistema dos oceanos.  Infelizmente, as populações de tubarões estão em declínio em todo o mundo, o que desestabiliza ecossistemas afetando todos os outros tipos de vida do oceano, incluindo tartarugas e peixes-boi.

O comércio de barbatana de tubarão é responsável pela morte de aproximadamente

16/06/2015

Dono de choperia acolhe cães de rua


Que matéria deliciosa de ver!!!!!!!!!!O dono do estabelecimento reconhece que sua freguesia aumentou depois que passou a tratar bem os cães..... Muito bom!!!!!!!!!!!! se todos fizessem o mesmo, ah, que bom seria, não?
-----------------------------------------------------


Rio Grande no Ar - Rede Record - 15/06/15

Um grupo de cães de rua ganhou um carinho especial do dono e dos frequentadores de uma choperia de Porto Alegre.

08/06/2015

As terríveis fábricas de filhotes na Austrália

Que tristeza!!!! A Austrália, sinceramente, não responde o que ela representa para o mundo. Como um país tão civilizado permite estas patifarias?
Fonte: Daily Mail
Colaboração: Helô Arruda
-------------------------------------------



Gaiolas apertadas cheios de cães, alguns dos quais nunca viram a luz do dia, assim são as fábricas de filhotes da Austrália, onde centenas de aterrorizados, animais vivem imundos e esfomeados antes de serem vendidos para compradores desavisados.

Uma dessas  terríveis fábricas de filhote onde os cães viviam em gaiolas apertadas e cheias de suas

06/03/2015

Em visita à China, príncipe William pede fim do comércio de marfim

Gente, eu acho este príncipe um cara de pau sem tamanho!!!! o cara é um tremendo caçador e fica fazendo campanha como um bom moço.... quem não te conhece te compra!!!!!
--------------------------------------



O príncipe William, do Reino Unido, pediu nesta quarta-feira (4) o fim do comércio de marfim durante visita a um santuário de elefantes na província de Yunnan, no sudoeste da China, no final de

12/01/2015

Para sobreviver, rinoceronte sul-africano pode perder chifre

Jesus amado, uma das possibilidades é cortar o chifre periodicamente e manter o maldito comércio? socoooorroooo, tira o tubo!!!!!!!!!!!!!!!!
------------------------------------
 Depois de ser salva da extinção há mais de um século, espécie está novamente ameaçada pela caça clandestina. Agora a África do Sul considera liberar o comércio do valioso chifre, a fim de salvar o rinoceronte branco.

Na última década, disparou o número dos rinocerontes caçados ilegalmente na África. Enquanto em 2004 dez animais foram mortos, no ano passado a cifra mais que centuplicou, alcançando o triste recorde de 1.100.

A África do Sul é lar de 90% dos rinocerontes-brancos (Ceratotherium simum simum) existentes. Aqui se decide a sobrevivência da espécie. Por isso, Pretória enviou tropas de solo e helicópteros para

24/09/2014

Reportagem flagra venda ilegal de animais em São Paulo



Já publicamos várias postagens sobre a venda de cães nas ruas de Sampa. O que me espanta é que lá tem uma Lei Municipal fabulosa. O que falta para  pegar esta gente nojenta que comercializa os animais como mercadoria?





São Paulo no Ar - Rede Record - 23/09/14

O jornalismo da Record flagrou uma feira ilegal de animais em uma praça na Vila Leopoldina. Filhotes de cães são apresentados aos compradores dentro de porta-malas de carros. Os bichos ficam expostos ao frio e horas sem beber água. Uma lei municipal proíbe a venda de cães e gatos em áreas públicas.

19/09/2014

Proibições à venda de animais domésticos acendem debate sobre indústria dos pets

O movimento pela libertação animal está indo muito bem... Quem diria ver um movimento destes? Gente, aqui no Rio rola tanta Feira de Filhotes.... Tem que apertar a goela do Prefeito e fazer a SEPDA funcionar quanto a esta situação.... 
---------------------
Ativistas vêm bolando projetos de lei e recolhendo assinaturas para tentar proibir o comércio de animais nas pet shops

Lojas se defendem dizendo que o problema é a fiscalização, e não a vendaFoto: Jean Pimentel / Agencia RBS

Em outubro do ano passado, ativistas invadiram o Instituto Royal, em São Roque (SP), para salvar beagles de um cenário de “pesadelo”, segundo se relatou. Foi lenha no debate cada vez mais aceso sobre o bem-estar dos bichos, que agora, em Miami, se volta ao comércio de animais domésticos. Na

01/09/2014

Comerciantes japoneses apostam em bichos para atrair clientela

A exploração é sob todos os aspectos.... até os mais civilizatórios.....


Jornal da Record - 30/08/14

A ideia surgiu em 2012, quando a dona de um estabelecimento resolveu dividir com os clientes o carinho que tinha pelos animais. Em outro local, são 22 espécies diferentes e mais de 50 bichos que dão o ar da graça. Veja!

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪