RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador cobra anaconda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cobra anaconda. Mostrar todas as postagens

17 de agosto de 2017

Jovem morre asfixiado enquanto mantinha relações com sua anaconda

Credooooo!!!! isto jamais tinha imaginado.... Só não entendi se foi a cobra que penetrou nele ou vice-versa.... Minha Nossa, uma anaconda? tá difícil de acreditar...
-----------
David Brown, de 22 anos, foi encontrado pela polícia nu e enrolado em sua cobra, uma anaconda, na Flórida, Estados Unidos, na semana passada, segundo o site  peplnews.com.

O corpo foi encontrado por um amigo, que imediatamente acionou as autoridades na esperança de socorrê-lo com vida, mas ele não respirava mais. Segundo a polícia, foram necessárias várias horas para separá-lo do animal.

No IML, verificou-se que o rapaz teve penetração com o animal.

De acordo com a família, Brown tinha vários animais de estimação, entre cobras, escorpiões, tartarugas, serpentes e até um porco bebê.

Essa não foi a primeira vez que Brown teve problemas com animais. Meses atrás foi levado à emergência do hospital por seus familiares com problema semelhante.

Fonte: Metro
========
ATUALIZAÇÃO em 19/08/17
O site E-farsas desmentiu a história. Confira em http://www.e-farsas.com/um-jovem-morreu-asfixiado-enquanto-mantinha-relacoes-com-sua-anaconda.html

30 de maio de 2017

Jovem arrisca 'selfie' com cobra anaconda em rio no AM, e foto viraliza

A anaconda devia ter dado um belo susto no abestalhado..... 
------------------------
Postagem já passa das 5.800 curtidas no Facebook.

Era para ser uma simples 'selfie', mas a companhia do autônomo Carlos Andrade, de 22 anos, na imagem acabou dando o que falar. Na postagem, ele aparece em um rio do município de Nhamundá, a 375 Km de Manaus, com uma sucuri ao fundo. A foto foi publicada no perfil dele no sábado (27) e reproduzida em diversas páginas no Facebook. Uma das postagens já conta com mais de 5.800 curtidas e pelo menos 1.650 compartilhamentos.

Ao G1, Carlos contou que tirou a foto no dia 22 deste mês. O animal estava no Rio Nhamundá, que banha o município e é um dos afluentes do Rio Amazonas. "[Minha família] tem um sítio na cabeceira do rio. Vi a cobra e fiquei assustado, porque temos muitos animais. Mas, ela não estava se mexendo. Entrei na água e peguei o celular para fazer a foto", relatou.

Carlos afirma que o animal não avançou ao perceber a presença dele na água. "Na verdade, ela foi se afastando à medida que eu entrava no rio. Ela parecia ter algo na barriga. Por isso, não se mexia. Tirei a foto e saí da água. Depois, já não a vi mais", acrescentou.

Em comentários nas diversas postagens da foto, internautas mostraram espanto e até brincaram com a situação. Comentários como “Eu amo esses animais, só que não queria encontrá-los assim. #medo”, “Eu já estaria correndo sobre as águas...” e “Menino, tenha amor pela vida. Eu só de ver esta foto quase tenho um troço”, acompanham a publicação.

'Força para matar ou afogar pessoa'
De acordo com a pesquisadora de cobras da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Luciana Frazão, não é comum ter registros frequentes de ataques de sucuris a humanos. Conforme ela, a espécie de cobra não é venenosa, porém, tem grandes tamanhos e força. O autônomo estima que a cobra vista em Nhamundá tenha entre 4 e 5 metros de comprimento.

“Elas alcançam de 7 a 8 metros. Já teve registros de sucuris maiores de até 10 metros. Apesar de não serem venenosas, elas mordem e podem afogar uma pessoa, por ter muita força”, disse Luciana.

A pesquisadora informou ainda que as sucuris não têm humanos como presas, mas podem atacar caso se sintam ameaçadas. “Como elas são muito fortes quando adultas, as sucuris podem sim ter força suficiente para matar uma pessoa ou até afogá-la. Já que são mais aquáticas e podem segurar uma pessoa embaixo da água”, comentou.

Após analisar a foto publicada por Carlos, a pesquisadora de cobras orientou para pessoas que encontrem uma sucuri que deve ser mantido um respeito e uma distância segura para que não haja risco.

FONTE: G1