Mostrando postagens com marcador castração química. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador castração química. Mostrar todas as postagens

30/09/2017

Castração química? Não, obrigado.

Muito legal a matéria.... Bem informativa.... Pior é saber que tem muito protetor que nem sabe disto...
-----------
O método é fortemente condenado por ativistas da causa animal, bem como por centenas de médicos veterinários
A esterilização, ou castração, tradicional é um procedimento cirúrgico admitido e saudável para os animais domésticos, como cães e gatos, sendo abraçado por todos os militantes

05/06/2017

Vídeo de assessor da SUBEM é um escárnio e afronta à proteção do Rio de Janeiro

Olha, eu estou enojada com o deboche feito contra todos os integrantes da proteção animal do Rio de Janeiro. Todos nós questionamos o porquê da Subsecretaria de Proteção Animal  - SUBEM, usar um procedimento de castração química em 11/05/17 sem haver um protocolo de experimentação dentro de uma unidade municipal regida pelo  Decreto 19.432, de 1º de Janeiro de 2001. A ironia é que cabe a Secretaria de Proteção Animal zelar pelo cumprimento do Decreto. O que fazemos se é a mesma que praticou a desobediência? Será que a Subsecretária vai pedir para o Prefeito Crivella acabar com este Decreto para livrar a responsabilidade dela?

Vamos aos fatos:

- primeiro, a Secretaria declara ao Jornal O Globo de 31/05/17 que a realização de castração química na Fazenda Modelo, segundo denúncias, seria uma inverdade. — Nós fazemos a castração tradicional com cirurgia. Isso é uma briga política.;

- indagado por mim, neste mesmo dia, por telefone, o assessor responsável pela Fazenda Modelo, Dr. Rodrigo,  diz que houve somente uma apresentação do produto Infertile, mas, que nenhum procedimento foi feito em qualquer cachorro;  

- no dia 01/06 pela manhã, todos nós ficamos sabendo que os animais sumiram e que ninguém sabia de nada;

- no dia 02/06, um outro assessor pela manhã informou para alguns protetores que o procedimento estava autorizado pela Prefeitura, que não sabia dizer porque os cães sumiram, que não imaginava onde estariam e que só a Subsecretária poderia dizer. Mais tarde, a informação foi de que os animais teriam sido adotados; 

- publicamos em nossas postagens anteriores que o produto citado para a castração química tem regulamentação para ser aplicado, porém, não é aprovado pela maioria dos veterinários. Agora, para tal procedimento dentro da Fazenda Modelo, onde os animais são tutelados pelo Município, só poderia ser feito através de protocolo de licença já que existe legislação que proíbe qualquer tipo de experimentação em unidades municipais;

- descaradamente, ontem pela manhã (04), foi feito um vídeo onde de início, o assessor Tunico da SUBEM, apresenta os personagens e começa a ironizar que a Subsecretária agora estava fazendo milagres por ressuscitar  os animais que supostamente teriam sido mortos de acordo com as acusações que lhes fizeram.  Não li em nenhum lugar esta afirmação. Só sabíamos que eles haviam desaparecido misteriosamente e que havia todo um clima estranho dos fatos;

- no vídeo, a Subsecretária disse que o "adotante" dos cães pediu para fazer castração química nos animais e aí ela aproveitou que havia possibilidade de demonstração do produto para saber o "custo/benefício" a fim de tornar o método como padrão na SUBEM. Então, ela repete que como foi a pedido do adotante,  autorizou. Hein? mas, ela não negou para o jornal que era uma inverdade? e seu assessor Rodrigo não negou p´ra mim, também? Por que a mentira? se não havia nada demais porque todo este enrolo durante estes últimos 6 dias de contradições? ela mentiu também para o Inspetor Bruno que foi apurar o fato? Indiscutivelmente, nas imagens confessa que cometeu o ilícito ao fazer o procedimento dentro da Fazenda Modelo e com animais sob sua responsabilidade;

- a Subsecretária fala que eles foram adotados. Por quem? por que o adotante não estava ontem na Fazenda Modelo durante a filmagem para confirmar a história que ela inventou? Será porque os cães,  na verdade, estavam escondidos num canil nojento na casa de uma de suas assessoras? Ela sabe porque estou falando isto;

- olha, eu peço que vejam este vídeo e confiram o deboche com que o caso foi tratado.... É NOJENTO DEMAIS!!!! O que mais lamento é que sou uma sequelada por um AVC e em tratamento de um câncer, fatos que me impedem de mostrar a estes debochados com quantos paus se faz uma canoa;

- a cara de pau da Subsecretária ao explicar no vídeo à "um dos mais importantes protetores do Rio de Janeiro" (?) que tudo foi feito com autorização do adotante dos animais, é de fazer vomitar. Agora, nem sei como este protetor se prestou ao papel de cumpliciar com TAMANHA PATIFARIA contra toda proteção animal do Rio de Janeiro. Principalmente, porque ela confessa que o procedimento foi feito para medir a "viabilidade econômica" na utilização do método. O "protetor conceituado" ainda repete os fantasiosos argumentos aceitando toda manipulação revoltante;

- ela diz que vai devolver os animais ao "adotante" que, aliás, está muito revoltado com toda polêmica em torno dos animais. Confessa, também, que ELA SUMIU COM ELES COM MEDO DE QUE FOSSEM MORTOS PELOS TAIS INIMIGOS QUE ACHA QUE TEM EM SUA GESTÃO...... É MUITO PODREEEEE!!!!!

- a Subsecretária acha que deveríamos ir a SP para comprovar o uso da castração química nas "diversas prefeituras" que o usaram... Fala sério!!!! E o que é engraçado é o "conceituado protetor" querer saber informações sobre este método porque acha útil para que ninguém confunda um macho com uma fêmea já que depois do procedimento os machos "mantem o saco" perfeitos.... Protetor conceituado que nem sabe do que se trata e que compactua com a manipulação nojenta feita pelas pessoas ao seu redor, tinha que se enfiar debaixo da cama de tanta vergonha;

- o assesssor Tunico explica que as gaiolas dos gatos apresentadas nas denúncias estão enferrujadas assim porque sofrem problema de maresia.... hein? que loucura.... Vejam como a Fazenda está a beira mar!!!!! que nojo!!!!

- peço que assistam os inúmeros disparates destas imagens e que pessoas possam se rebelar, como eu, diante desta ofensa à toda proteção animal do Rio de Janeiro. Nos consideraram umas idiotas!!!! Este vídeo pode ter a legenda: xupa, suas babacas!!!!!! E dizer que o Crivella colocou estas pessoas para trabalhar na SUBEM porque gosta muito delas!!!!! Que qualidade de Prefeito nós temos, hein? Nojo!!!!!!!!!

Leiam, também, sobre tamanha podridão em nossas duas postagens anteriores:
ONGs denunciam maus-tratos de animais e falta de higiene na Fazenda Modelo
Cobrando transparência da SUBEM e mostrando Parecer confiável sobre castração química

Mais situações sobre esta secretaria chamada SUBEM, clique aqui.

Link do vídeo citado
https://www.facebook.com/tunico.desouza/videos/1547079778636747/?pnref=story

03/06/2017

Cobrando transparência da SUBEM e mostrando Parecer confiável sobre castração química

Só queria entender, gente!!!! eu juro..... Na Audiência Pública do dia 27/05/17 a Subsecretária elogiou muito o excelente trabalho do seu assessor Miracildo  que, com sua equipe e remuneração de 10 mil reais,  foi nomeado para dar água aos gatinhos do Campo de Santana. 

O trabalho foi tão bom que ele foi para o RioZoo, segundo o mesmo declarou na mesma audiência (não temos ideia do que ele quis dizer com isto). 

Estranhamente, a Subsecretária estava no Campo de Santana ontem tomando providências para resolver o "bom trabalho" do seu assessor usando os alunos voluntários da universidade que ela dá aula..... Eu juro que queria entender...... Isto não é esquisito? Vejam a publicação no facebook da SUBEM e a foto do local.... cruzes!!!!!!! 

(os grifos no texto em vermelho são meus e como sou muito cricri, queria complementar a informação sobre o Campo de Santana. Lá era uma arena de touradas e é uma pena que quem escreveu não incluiu esta tragédia que é o que importa pra nós, defensores dos animais.)

Nesta quinta-feira (01), a subsecretária de Bem-Estar Animal, Suzane Rizzo realizou um mapeamento no Campo de Santana, em parceria com a Universidade Castelo Branco. De acordo com Suzane, está sendo levantado em conjunto com os alunos e professores o número de animais e a localização deles, para que possa ser planejado o manejo adequado de Bem-estar para todos animais presentes no parque."Também tivemos no ambulatório anexo, para conversar sobre um grande mutirão de ajuda, que faremos para promover a recuperação dos animais assistidos. Além de termos conseguimos inclusive, um veterinário voluntário para ajudar no trabalho do ambulatório. Estamos em um esforço conjunto para melhorar a condição dos animais, dentro da política de animais de colônia", afirmou Suzane.
Mais sobre o Campo de Santana
Nos tempos coloniais, a região atualmente ocupada pela praça era um grande pântano. Com o tempo, a região foi sendo aterrada. O Campo da Cidade, ou Campo de São Domingos, passou a ser um marco divisório entre o Centro da cidade e a zona rural.
Em 1753, já era chamado de Campo de Santana, nome originado da igreja construída nos seus arredores, local de grande afluência de devotos, demolida em 1854 para dar lugar à primeira estação ferroviária urbana do Brasil, a Estação Dom Pedro II. #PrefeituraDoRio #SUBEM#PelosAnimais
=======================

Agora, fiquei sabendo que os dois cães que passaram pela sigilosa castração química no dia 11/05 na Fazenda Modelo, SUMIRAM!!!!! Evaporaram, exatamente, no dia que a matéria do Jornal O Globo saiu. Como falei na nossa postagem anterior, este comportamento confirma a ilegalidade de usar este produto em animais tutelados pelo ESTADO sem nenhum protocolo e aprovação do coletivo. Nós, como seus representantes legais, devemos zelar por eles. A forte impressão que estou tendo é de que a intenção da atual gestão é utilizar os animais abrigados na Fazenda Modelo como cobaias. Aliás, um dos veterinários que trabalha na Fazenda me mandou um áudio com esta mesma impressão. 

Só acho que, desta feita foi castração química, amanhã pode ser um trabalho de conclusão de curso para alunos desta Universidade Castelo Branco e mais adiante quem sabe? Realmente, eles precisam de um Banco de Cobaias e a Fazenda Modelo, poderá ser um fornecedor e totalmente legalizado se for assinado um convenio prevendo isto. 

Prá mim, este lance de tirar sangue dos animais já ocorrida em duas ocasiões, já deve ter sido uma iniciação. Inegavelmente,  os fatos nos levam a crer que tais mutirões devem ter servido de treinamento já que a maioria dos voluntários eram alunos. Mesmo com supervisão, acredito que os animais serviram de cobaia para o aprendizado de manejo para tirar sangue..... EU FAÇO QUESTÃO DE LER ESTE CONVÊNIO COM A UNIVERSIDADE que se fala muito, mas, que ninguém viu até agora. 

O que fico furiosa é com a falta de transparência e a tentativa de subestimar minha inteligência: 
- a Subsecretária declara no jornal que é uma inverdade que foi feito castração química no dia 01/06; 
- indagado por mim, neste mesmo dia por telefone, o assessor responsável pela Fazenda Modelo diz que NÃO HOUVE NENHUM PROCEDIMENTO E SIM UMA APRESENTAÇÃO DO PRODUTO INFERTILE USADO PARA CASTRAÇÃO QUÍMICA;  
- ontem, um outro assessor pela manhã informou que o procedimento estava autorizado pela Prefeitura, que não sabia dizer porque os cães sumiram, que não imaginava onde estariam e que só a Subsecretária poderia dizer;
- mais tarde, a informação foi de que os animais foram adotados;

A noite tive informações fidedignas, mas, vou me abster já que minha fonte afirmou que tudo será esclarecido através da "polícia". Nada disto me agrada e tenho a impressão de ver um trem descarrilhando...

Enfim, para quem não sabe, o produto Infertile é registrado conforme informei através do link do produtor desta droga. Só que não foi aprovado pela maioria dos veterinários embora, alguns conselhos regionais tenham, de início, dado um parecer favorável. O principal  é que os animais da Fazenda Modelo não serão cobaias para ninguém, eles não estão lá para isto não!!!!!

Finalizando: em 2009, o Vista-se publicou o parecer sobre castração química do Presidente da Anclivepa/SP que poderão ler abaixo:
-------------
Wilson Grassi, veterinário, fala sobre castração química
(publicado no site VISTA-SE)

Esterilização química – vamos abrir os olhos!
Quanto mais eu me informei sobre o assunto, mais preocupado fiquei, e sugiro que todos, protetores e veterinários, também se preocupem.

São duas injeções de gluconato de zinco, de até 2,0 ml, aplicada uma em cada testículo, e talvez uma segunda dose tempos depois. Não precisa ser veterinário o aplicador. Com o tempo, o produto provoca uma isquemia e o testículo vai se transformando em uma fibrose. Se a aplicação provoca muita dor, não vou afirmar, mas posso desconfiar. Se o lento processo de fibrose provoca uma dor constante, ainda não sabemos. Em quantos animais surgirá uma ulceração e deverão ser posteriormente castrados, ainda não sabemos, mas temos más notícias vindas do co-irmão México. Se o depósito deste metal causará tumores com o passar dos anos, também ainda não sei, mas tem uma coisa que eu sei: jamais a um produto testado no Brasil em apenas 11 animais poderia ser consentida a venda e distribuição de milhares de doses.

O produto foi certificado no Ministério da Agricultura com um trabalho simplista e diminuto, e que só levou em conta se o produto causa esterilidade ou não. Uma afronta ao bom senso! Em momento algum foi avaliada a questão do bem-estar animal. Nenhum teste, dos vários disponíveis foi realizado neste sentido.

Jamais um produto para uso humano seria ou será liberado para uso em larga escala após testar em apenas onze pessoas. Por que para cães poderia? E muitas outras coisas ainda não entendi: porque um produto não usado nos EUA, nem na Europa, e mal sucedido no México, deve ser introduzido dessa forma no Brasil? Como empresários da industria farmacêutica, de uma hora para outra ficaram preocupados com o abandono de animais? Por que houve tanta ingenuidade de figuras conceituadas da proteção animal dando apoio a um projeto tão estapafúrdio e precipitado? Dos vários “pais” da criança, suspeito que nenhum teve a coragem de testar o produto em seus próprios animais, mas agora sugerem que as prefeituras façam de cobaias os já tão sofridos animais de rua ou de comunidades pobres das periferias. Pense na cena, capturar um animal abandonado, segurá-lo com as patas para cima, e no chão, aplicar lentamente duas injeções em seus testículos. Não consigo imaginar o sucesso. Impraticável sem anestesia, e crueldade se não for acompanhado de um protocolo de analgésicos e anti-inflamatórios. E se optar pela anestesia, acaba a vantagem financeira do negócio.

O futuro pode até me convencer que eu esteja errado, mas por hora fico com a impressão que estão nos confundindo com regiões africanas onde se fazem testes que os americanos não aceitam em suas terras. Fora isso tudo, todos sabem da inutilidade de se esterilizar parcialmente uma população de machos, sendo que apenas um remanescente poderia fecundar diversas fêmeas.

Até que várias questões se esclareçam e que trabalhos científicos amplos, que levem em consideração a saúde e o bem-estar dos animais, sejam efetivamente levados a termo, não recomendo este método de controle populacional e conclamo que a sociedade e em especial a Anclivepa-SP, Associação dos Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de São Paulo e o CRMV-SP, Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo, imediatamente acionem seus departamentos jurídicos para suspender a comercialização e a farta distribuição gratuita que está em curso deste produto. Aplico na questão do controle reprodutivo, um antigo ditado: Muito faz quem não atrapalha!

Wilson Grassi
Médico Veterinário crmv-sp 8611
Diretor da Associação dos Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de São Paulo
www.wilsonveterinario.com.br

01/06/2017

ONGs denunciam maus-tratos de animais e falta de higiene na Fazenda Modelo

Uma das coisas que me deixa fora da casinha é alguém tentar subestimar minha inteligência. Sou uma pessoa bastante equilibrada até chegar neste exato momento... depois, não respondo por mim. 

Na sexta-feira passada(27) houve uma audiência na Câmara Municipal para avaliar algumas situações ilegais encontradas por vereadores e protetores na Fazenda Modelo, onde funciona o canil municipal da cidade do Rio de Janeiro. Noticiamos aqui: Como foi a Audiência Pública que abordou denúncias sobre a Fazenda Modelo - SUBEM - RJ

No meu texto digo que vou assistir o vídeo da audiência para avaliar e confirmar a baixaria de um assessor da subsecretaria dizendo que está lotado na SUBEM, mas que trabalha no RioZoo e que em breve irá para o Instituto Jorge Vaitsman, pois, ele vai onde é preciso (?). Realmente ele fala isto mesmo e desmentiu a D. Ione, uma mulher de 77 anos que dedica sua vida aos gatos do Campo de Santana há mais de 20 anos. Foi uma ofensa imperdoável! E comentei até que a SubSecretária não precisa de inimigos tendo assessores desta qualidade....

Mas, nestas ultimas horas comecei a receber uma quantidade de material comprobatório vindo de várias fontes de que ESTARIAM FAZENDO APLICAÇÃO DO INFERTILE  (PRODUTO USADO NA CHAMADA CASTRAÇÃO QUÍMICA), NOS CÃES ABRIGADOS NA FAZENDA. Como assim? como é que se faz isto naquele canil municipal e ainda na "moita" para que a proteção animal não soubesse, segundo me foi dito? Este "método" tem sido usado em vários municípios do interiorzão brasileiro onde é avaliado o custo e benefício. Se o animal morrer não faz mal, o que importa é que menos um na população. Veja o vídeo ao final.

Existem vários pareceres de veterinários condenando este método devido as ocorrências a posteriori, além de ser super doloroso sua aplicação. Vou citar apenas um artigo porque está escrito de forma bem compreensível: Infertile - Injeção da Discórdia. Em SP houve a apresentação deste produto e logo em seguida foi banido devido  aos vários pareceres o considerando nocivo. Não é um método reconhecido e aprovado.

Daí, ao saber disto, liguei já noite para o Veterinário Rodrigo Latine, administrador daquela Unidade, que me disse que foi "apenas uma apresentação do produto feita por um veterinário da Fiocruz e que não houvera aplicação do infertile em nenhum cachorro". Surtei!!!!!!!!!!!!!! eu compreendo um erro, mas, negar diante dos fatos documentados e testemunhados, É SUBESTIMAR MINHA INTELIGÊNCIA E ME CONSIDERAR UMA IDIOTA QUE NÃO SABE O QUE ESTÁ FALANDO!!!!!

Confiram as fotos dos animais e o canil onde estão em observação já que o procedimento foi feito no último dia 11 de maio. Aliás, fica desde já o aviso que se sumirem com os cães será a comprovação da ilegalidade considerando que no Município existe um decreto que proíbe qualquer tipo de experimentação com animais em unidades municipais de veterinária.


Confiram abaixo a matéria feita pelo Jornal O Globo publicada no On Line às 20:26hs de ontem falando sobre tudo isto, inclusive, com a SubSecretária dizendo que a castração química feita em dois cachorros  é uma "inverdade".... Hein? O Veterinário Rodrigo, com quem falei pelo telefone, disse que ela sabia sim da tal "apresentação" do produto e que eu deveria solicitar mais informações com ela. E aí, como ficamos?

 ------------------------------- 
Há relatos de lugares sujos de fezes e escassez de funcionários. Comissão da Câmara vistoriou o local e encontrou irregularidades

Gaiolas de gatos sujas e com água contaminada por fezes Foto: Divulgação
  
RIO - Defensores de animais relatam maus-tratos, falta de higiene e até o uso de castração química no Centro de Proteção Animal da Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (Sepda), instalado na Fazenda Modelo, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Devido a inúmeras denúncias, a Comissão dos Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio fez uma vistoria no local no último dia 15 para atestar as condições do espaço, que tem 13 mil metros quadrados e é o principal abrigo de aminais da prefeitura. Atualmente, com 839 bichos.

Os vereadores Luiz Carlos Ramos Filho (PTN) e João Ricardo Ribas (PMDB) estiveram no local acompanhados de representantes da sociedade civil, que afirmam terem sido constatados vários problemas. Após a visita, foi elencada uma lista de medidas urgentes que devem ser implementadas nas instalações.

— Inicialmente, o foco foi verificar as condições de habitabilidade dos animais lá abrigados, como cães, felinos e também equinos. Agora estamos avaliando a situação e vamos fazer um relatório, que será encaminhado à Sepda para que ela tome as providências necessárias. Realmente, as instalações de lá estão inadequadas. Também é preciso mais funcionários para cuidar dos animais. Além disso, encontramos ração de menos qualidade, mas a subsecretaria disse que essa questão já está sendo resolvida — afirmou Luiz Carlos Ramos Filho.

Para o vereador, o ideal é reformular totalmente a Fazenda Modelo:
— Aquilo é uma colcha de retalhos. Ali poderia ser feito um grande centro de atendimento animal, com hospital veterinário, postos de vacinação e tudo mais. Tem que reformular toda a estrutura. Mas é um programa de suma importância para a população. O poder público precisa ver essa questão.

Segundo os protetores, durante a visita foram encontrados gatos com esporotricose e tantos outros em gaiolas, em situação de maus-tratos. Eles sugerem a construção de espaços de alvenaria para manter os animais enfermos, que necessitam isolamento.

Voluntários divulgaram fotos que mostram a situação do local. Nas imagens, é possível ver as gaiolas sujas onde ficam os gatos. Alguns animais comem e bebem em recipientes com fezes. De acordo com eles, o canil aparece completamente inadequado e com cheiro de xixi insuportável.

Segundo a veterinária Andrea Lambert, da ONG Anida (Associação Nacional de Implementação dos Direitos dos Animais), alguns animais chegam no espaço ainda filhotes e ali crescem presos em pequenas gaiolas, sem conseguir se movimentar.

Além das péssimas condições relatadas, cuidadores afirmam que dois cães sofreram castrações química no dia 11 de maio. Trata-se de uma injeção que deixa os machos inférteis. O procedimento ainda não foi regulamentado no município. A ONGs acusam a prefeitura de estar desrespeitando um decreto municipal (Decreto 19.432, de 1º de Janeiro de 2001), que proíbe a prática de vivisseção e de experiências com animais nas instituições veterinárias públicas municipais.

— Perdemos duas chances de adoção para um cão porque ele estava em quarentena de 30 dias após passar pela castração química. Os funcionários estão sem receber a dois meses e estão sendo ameaçados. Não podem tirar fotos nem fazer vídeos do local, que são ameaçados de demissão. A situação está insustentável — disse Raquel Barreto, que afirma ter sido demitida na última segunda-feira por ter participado de uma audiência pública na Câmara do Rio sobre a situação da Fazenda Modelo e também por ter comentado o caso nas redes sociais. Ela era responsável pelo setor de doação de animais da Fazenda Modelo.

A subsecretária de Promoção e Defesa dos Animais, Suzane Rizzo, disse que as denúncias não procedem.
— São informações falsas. Essas pessoas estão chateadas porque tivemos que fazer uma série de mudanças na Fazenda, trocar algumas pessoas. Isso gerou insatisfação — alega a médica veterinária.

Sobre o relato de uso de castração química no local, Suzane Rizzo afirmou que isso é uma inverdade.
— Nós fazemos a castração tradicional com cirurgia. Isso é uma briga política. Temos vários mutirões de castração. Estamos com parcerias com universidades. É claro que, com poucos recursos, temos dificuldades. Encontrei, por exemplo, uma dívida de R$ 1,5 milhão da antiga gestão. Mas estamos com muito enfoque nos animais — disse a subsecretária, informando que no início de junho será inaugurado o primeiro posto de saúde animal em Santa Cruz, na Zona Oeste.

— Será um posto de castração que vai ter vacinação e, futuramente distribuição de remédio para esporotricose. A instalação será num contêiner com ar condicionado para que o bem estar da população, enquanto ela aguarda o atendimento aos animais.

VEJA AS MUDANÇAS SUGERIDAS PELOS CUIDADORES DE ANIMAIS
Após visita ao local, a Comissão dos Direitos dos Animais da Câmara do Rio sugeriu algumas mudanças a serem adotadas na Fazenda Modelo. Confira as sugestões:

- Providenciar vacinas suficientes para atendimento aos animais que, porventura, não tenham sido vacinados.
- Fixar prontuários médicos nas gaiolas dos animais alojados.
- Apresentar à comissão certificado de dedetização do local.
- Fazer contato com a Comlurb para imediato corte de grama, retirada de entulhos, limpeza de valas e matos em toda a extensão da Fazenda Modelo.
- Colocar instalações adequadas para animais enfermos.
- Colocar azulejar nos canis.
- Preservar higiene das instalações e pintar as mesmas.
- Repor profissionais demitidos.
- Aumentar a equipe de tratadores e auxiliares de enfermagem para atendimento 24 horas.
- Instalar divisões para manter gatos sadios separados dos testados para Fiv/Felv positivo.
- Solução adequada para animais apreendidos e que aguardam decisão judicial.
- Providenciar compra de medicamentos para atender qualquer necessidade de saúde dos animais abrigados seja cachorro, gato ou cavalo.
- Separar cães medrosos de outros que os aterrorizam.






=============

RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪