Mostrando postagens com marcador carroça. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador carroça. Mostrar todas as postagens

09/12/2017

Idosa se ajoelha e implora para que cavalos sejam devolvidos

Algum motivo houve para a ONG tirar os animais dela....ou não?
------------
Uma ONG retirou os animais da propriedade dela, alegando estariam sofrendo maus tratos...
Dona Neiva Aparecida Pereira é catadora de papelão e mora no Bairro Pioneiros Catarinenses.

10/11/2017

Sem fiscalização carroças transitam regulamente em JP

É o que eu falo: assinam leis, mas, se não tiver o complemento da parte do executivo, não adianta de nada. Olha este caso p´ra comprovarem.
-------
Desde 2015, através de Lei do vereador Bruno Farias (PPS) disse, a Prefeitura de João Pessoa deveria fazer a fiscalização do uso de carroças nas ruas, uma vez que elas foram

17/08/2017

Política de proteção aos animais de grande porte é sancionada em Valadares - MG

Sou meia radical nisto... Prefiro lutar pela substituição das carroças por outro veículo porque não é sempre que se pode flagrar os maus-tratos e encontrar uma autoridade policial disposta a atuar. Em todo caso, espero que a população ajude denunciando.
--------------
Lei prevê registro dos carroceiros e implante de microchips nos animais; associação comemora nova legislação, que entra em vigor 60 dias após a publicação.

Solto às margens da rodovia, um cavalo foi atropelado por um caminhão na BR-381 na manhã desta quarta-feira (9) em Governador Valadares. Com o impacto da colisão, o animal foi arremessado para o acostamento e morreu no local. Até o início da tarde, o corpo continuava no local.

No último sábado (5), outro cavalo foi atropelado no bairro Vera Cruz e passou horas agonizando até morrer na manhã de domingo, mas só foi recolhido na segunda-feira pela manhã. Moradores reclamaram da situação; eles afirma que ligaram para a Prefeitura solicitando ajuda para o equino enquanto este agonizava, e voltaram a pedir o recolhimento após o animal morrer e começar a cheirar mal.

Nova Lei
Publicada nesta semana, a Lei 6.798/2017 institui a política de proteção ao animal de grande porte, como cavalos, bois, mulas. Segundo o autor do projeto, vereador Alessandro Ferraz, a legislação anterior não era adequada, pois o dono do animal que fosse recolhido pelo município pagava multa de apenas R$ 33, o que não inibia a conduta de deixá-los à solta.

“Agora, se o animal foi recolhido, para resgatá-lo o dono deve pagar multa de R$ 163 mais R$ 15 por dia que tiver ficado no curral. Mas o mais importante é que agora quem trabalhar com animal deverá registrá-lo, implantando um microchip. Isso permitirá que o município identifique e puna o dono, caso o animal seja encontrado solto nas ruas”, explica o vereador.

A publicação da lei foi comemorada por Silvana Soares, presidente da Associação de Proteção e Bem-Estar Animal (Aprobem). No último mês, a entidade recebeu mais de 10 pedidos de ajuda para cavalos e outros animais de grande porte soltos nas ruas, mas a associação tem dificuldade de atender esses pedidos devido a diversos fatores.

“Quando é cachorro, a gente coloca no carro e leva no veterinário, mas para resgatar um cavalo precisa de um veículo maior. É um animal pesado, se estiver caído não temos como recolher. E ainda tem a dificuldade de levar veterinários especializados, porque tivemos um caso em que resgatamos um potro doente, tratamos, devolvemos para o local onde foi resgatado, mas depois ele morreu. O dono ainda registrou boletim de ocorrência por roubo, e a veterinária foi chamada à delegacia. Depois disso, alguns veterinários ficaram resistentes, porque os donos não cuidam, mas ainda prestavam queixa se algo acontecesse”, conta Silvana.

Ela afirma que a entidade participou da elaboração da lei 6.798, e que há cerca de cinco anos a Aprobem lutava por uma lei que oferecesse maior proteção aos animais de grande porte. “Esse é um passo importante, pois permite que haja fiscalização e aplicação de penalidades em caso de descumprimento. Mas o que queremos não é punir ninguém, queremos é que a lei coíba o abandono e maus tratos. A punição é só para quem não seguir a lei”, aponta a presidente da Aprobem.

A legislação prevê ainda que menores de 18 anos não podem exercer a atividade de carroceiro na cidade; já os profissionais terão que ser cadastrados, passarão por capacitação e terão que cumprir as regras estabelecidas no Código Trânsito Brasileiro (CTB) para veículo de tração animal. O proprietário que deixar o animal solto em vias públicas será multado, e o valor será dobrado em caso de reincidência. Na terceira infração registrada o animal será doado. As novas regras passam a valer 60 dias após a sanção do prefeito.

O promotor de meio-ambiente, Leonardo Diniz, aponta que não há nenhuma ação ajuizada por maus tratos animais, mas acredita que a lei representa um avanço para a comunidade valadarense. “Isso nos traz um instrumento jurídico que vai permitir que o Ministério Público fiscalize e acompanhe o cumprimento da lei”.

Com novas responsabilidades para carroceiros e município, a protetora Silvana Soares ressalta que a população também pode atuar para a promoção do bem-estar dos animais de grande porte. “Ao contratar um carroceiro, qualquer pessoa pode observar como ele trata o animal, se ele apresenta ferimentos, se aparenta estar doente, se está puxando carroça com sobrecarga ou não. É preciso uma consciência coletiva, todos podem e devem abraçar essa causa”, conclui.

FONTE: G1

26/05/2017

Carroceiros iniciam curso para ter habilitação e conduzir animais em Vitória da Conquista

Caracaaaa!!!! eu juro que adoraria acreditar que estes carroceiros irão, realmente, mudar de atitude depois deste curso..... Vamos ver se estou errada e só espero que eles tenham fiscais o suficiente.
-------------
Cerca de 300 carroceiros de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, que fizeram cadastramento na prefeitura, começaram a participar nesta semana de um curso gratuito de capacitação para serem habilitados para conduzir os veículos na cidade.

A obrigatoriedade da habilitação é determinada por um lei municipal que estabelece regras para o trânsito de veículos de tração animal. Os condutores vão ter que seguir regras de trânsito para circularem pelas ruas. Além disso, todas as carroças cadastradas devem receber placas, semelhantes às utilizadas de carros e motos, para facilitar a identificação. Menores de 18 anos ficam impedidos de guiar carroças.

Pelas novas regras estabelecidas na lei, os carroceiros não podem circular por vias da cidade que têm muita circulação de carros, como é o caso da Avenida Lauro de Freitas, da Rua Francisco Santos e da Praça Barão do Rio Branco.

"Estamos tratando de temas como circulação no trânsito, cuidado com os animais, saneamento básico, sobre onde descartar o material que eles carregam, entre outras coisas", afirmou a assessora da Coordenadoria de Trânsito da cidade, Rayner Mendes.

Segundo a prefeitura, os carroceiros devem ainda obedecer a um limite de peso da carga transportada nas carroças, para evitar que os animais sejam sobrecarregados.
A lei também determina que os cavalos sejam obrigados a usar uma espécie de "fralda" para evitar que sujem as ruas do município. A coordenação de trânsito da cidade disse, no entanto, que ainda não há nada definido com relação às bolsas coletoras de excrementos. De acordo com a coordenação do curso, assim que a capacitação dos carroceiros for concluída, serão definidas as regras para a fiscalização dos condutores.

Lei
A administração municipal de Vitória da Conquista afirma que, com a execução da lei, pretende, com as novas regras, ordenar o fluxo de veículos na cidade, além de evitar sujeira e problemas de saúde.

Em 2015, parte das carroças começou a ser emplacada, mas somente aquelas contratadas pela prefeitura para realização de coleta de lixo em áreas onde caminhões de limpeza não têm acesso.
A prefeitura diz que não tem informações sobre quantos carroceiros existem atualmente na cidade, e que esse número só será determinado após o fim do licenciamento.

Fonte: G1 - Rede Bahia - 24/05/17

13/04/2017

Ação "Dia do Carroceiro" é neste sábado - Pinhas - PR

Juro por Deus que não entendi isto.... Em vez de acabar, estimula? Minha Santa das Pimentas Malaguetas, tô ficando pirada? O destino de uma causa deve ficar momentaneamente nas mãos de algumas pessoas bem intencionadas? e na hora que eles não tiverem mais lá? o que carroceiros vão fazer? Tinha que estimular o "cavalo de latas" ou outro meio alternativo ao invés de institucionalizar..... 
------------------------
Mais uma edição do projeto “Dia do Carroceiro” acontece no próximo sábado (8), no bairro Weissópolis. A ação busca melhorar as condições de saúde dos cavalos de Pinhais, com vermifugação e avaliação da saúde dos animais. O evento vai ser realizado das 9h às 16h, com orientação aos donos sobre os principais cuidados necessários com os bichos.

Durante o dia também irá acontecer a chipagem dos cavalos, de acordo com a Lei Municipal nº 1374/12, que dispões sobre o bem-estar, utilização, a circulação e a permanência de animais de grande porte nas vias públicas do município.

O projeto busca ainda a vigilância epidemiológica ativa das principais zoonoses transmitidas por cavalos, com enfoque na saúde pública.

A ação é uma iniciativa da Seção de Defesa e Proteção Animal (Sedea), da Secretaria de Meio Ambiente de Pinhais e a Universidade Federal do Paraná (UFPR).

30/03/2017

Jumento fica pendurado devido ao peso que carregava - Colômbia




Meu Deus, tenha piedade dos animais explorados por humanos malditos!!!!! É triste saber que isto acontece no mundo inteiro. Quando vamos poder, efetivamente, proteger os animais como merecem?
------------------
Um jumento foi deixado pendurado com as pernas no ar após a carroça que estava puxando derrubou ele porque era muito pesado. O infeliz animal foi deixado no ar quando o peso que estava destinado a puxar ao longo agiu como uma balança e o carro levantou-o no ar. O incidente ocorreu na cidade de Cartagena, na Colômbia, onde carroças de burro são uma forma regular de transporte de mercadorias, mesmo que sejam proibidos por lei.

Dois homens levavam detritos de pedra pela estrada e sobrecarregaram a carroça até o ponto em que o burro não tinha chance de suportar. Um homem que parou para olhar enquanto o jumento se balançava aterrorizado disse: "Isso só pode acontecer na Colômbia".

Outros usuários da estrada correram para a criatura perplexa afim de ajudar e, finalmente, eles foram capazes de trazê-lo de volta para o chão. O vídeo foi compartilhado em redes sociais e causou indignação porque foi visto como clara evidência de abuso animal.

O ativista dos direitos dos animais Juan Carlos Carcamo informou: "A lei atual diz que aqueles que fazem algo semelhante podem enfrentar entre 12 e 36 meses de prisão e uma multa!"

Edilberto Mendoza, diretor de trânsito da cidade, disse: "Fizemos uma pesquisa e constatamos que cerca de 586 pessoas fazem este tipo de carreto." Mas ao usar burros como transporte de mercadorias é tecnicamente ilegal, acontece o tempo todo e as autoridades muitas vezes fecham os olhos.

Fonte: Daily Mail - 29/03/17
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"

08/03/2017

Proibição de transporte de carga em animais é desrespeitada em São Luís

Quando a gente fica revoltada não é sem razão. Vejam o publicado no Facebook abaixo da matéria da Globo, onde a denunciante mostra, também, a situação dos animais naquela cidade. O que ela ouviu de uma veterinária é para levar ao Conselho Federal.
---------------------
Uso de animais para transporte de cargas em carroças é proibido em várias capitais brasileiras, em São Luis, Maranhão, a falta de fiscalização faz com que as pessoas desrespeitem a lei.


-----------------
Cecília Leite
19 de fevereiro às 14:51 ·

Há pouco, uma cena triste me fez chorar. Um jumentinho atropelado por um carro tentava se equilibrar para não morrer em plena Av. Marechal Castelo Branco. Deve ter quebrado as patas e estava com fome. Provavelmente, foi largado pelo dono que, como costumam fazer os carroceiros, soltam seus animais nas ruas para que procurem comida, pois sequer recebem água e alimento depois de um intenso turno de trabalho, carregando cargas bem acima do que conseguem suportar, acompanhadas de fortes e desnecessárias chibatadas. Até quando vamos fechar os olhos e ignorar o sofrimento desses animais? Podem alegar que os equinos geram renda para centenas de carroceiros, pois nossa cidade ainda caminha a passos de carroça, em muitos sentidos. Mas, onde está, pelo menos, a fiscalização? Pedi ajuda a uma viatura de polícia que passava na hora. Os guardas riram e disseram que ninguém podia fazer nada. Perguntei pela Blitz Urbana, eles nem sabiam do que se tratava. Cheguei a ligar pra lá, mas, como me confirmaram alguns protetores de animais, esse telefone nunca atende. Onde está a UVZ, Unidade de Vigilância em Zoonoses, uma promessa de campanha, que até agora só existe como prédio fantasma? 
Sensibilizada pela cena, tentando, ao menos, diminuir o sofrimento do pobre jumentinho, fui a uma clínica veterinária próxima ao local, me dispondo a pagar pelo atendimento. A veterinária de plantão, com uma “boa vontade franciscana”, disse que não trabalhava com animais de grande porte e que não podia fazer nada. Perguntei se poderíamos ao menos dar a ele um remédio para dor ou algum alimento. Ela disse que sequer sabia o que um jumento come além de grama, pois só trata de cães e gatos... Bom, diante da insensibilidade até de quem opta por salvar animais, como cobrar bom senso das autoridades? Não está na hora de começarmos a levar a sério essa situação? Como um dia falou Martin Luther King, o que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons.

26/08/2016

Regulamentação da Lei de Tração Animal do Recife vai parar na Justiça

Espero que o MP consiga exito.... é um absurdo ser necessário uma atitude desta para o prefeito cumprir a lei..... absurdo..... Detalhe? lá tem uma Secretaria de proteção Animal..... Eu juro que é verdade!!!!!!!
------------------------
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ingressou, no último dia 11 de agosto, com um mandado de injunção coletivo contra o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). Por meio da ação o MPPE requer à Justiça que reconheça o atraso do gestor em regulamentar a Lei Municipal nº17.918/2013 e que fixe um prazo para que ele edite um decreto regulamentando a referida lei. Caso o prefeito não cumpra o seu papel no prazo determinado, a Justiça deverá

08/07/2016

Resgate da Julliete, a égua maltratada por carroceiros - SUIPA - Rio

A SUIPA responde as calúnias sobre ela mostrando seu trabalho. Eu já teria posto na justiça estas mulheres nojentas que vivem denegrindo a entidade. Mas, a sua presidente fala que nem tem tempo p´ra isto devido a quantidade de casos que atende por minuto. É, pode ser.... 

Olha só a história da Julliete..... foi ontem..... E que égua linda!!!!!! Os policiais da PM meteram a pobrezinha na própria viatura e a levaram para lá porque é o único local que recebe qualquer animal machucado e em sofrimento. Tanto a civil, a militar, os bombeiros e a justiça só se socorrem da SUIPA porque o Estado não oferece lugar para levá-los..... Pois é..... e estas desgraçadas enchem a boca de m. para falar mal de lá..... Desculpem, mas, tenho que desabafar..... acordei hoje com este vídeo no meu whatsapp e estou chorando de emoção até agora..... sei o que vai acontecer com ela e para onde vai depois de boa.... Deus abençoe Julliete!!!!!
---------------------------

18/06/2016

O sofrimento imposto aos cavalos pelos carroceiros


Vejam o que estes pobres animais sofrem por este mundo de meu Deus..... o outro cavalo também estava machucado no mesmo lugar.... menos, mas, estava..... O imbecil ainda tenta arranjar desculpas.... Serumano é podre!!!!!!
------------------------

08/06/2016

Burro não suporta carga de tijolos e quase é enforcado por carroça - Quixadá - CE

Esta matéria foi publicada há 8 dias e não achei nada se houve desdobramento. Alguém sabe dizer? É preciso denunciar este calhorda!!!!!!
----------------
Uma cena chocante registrada durante a manhã desta segunda-feira, 30, por um internauta, é de deixar todos revoltados. O crime de maus-tratos a animais ocorreu na cidade de Quixadá, na região Central do Ceará.

O animal que supostamente presta serviço para um depósito de material de construção foi visto sendo empinado, diante do peso que estava em uma carroça. No transporte é possível perceber que o transporte estava completamente cheio de tijolos.

Nas redes sociais, populares classificam o caso, como um ato de crueldade contra o burro. O animalzinho entra em desespero ao não suportar a carga, suas patas ficam flutuando. Até o momento, o caso não foi registrado na Delegacia Regional de Polícia Civil. A reportagem ligou varias vezes para o telefone que aparece na carroça, mas ninguém atendeu.

No dia a dia é comum ver animais sendo expostos a tratamento cruel como este; em outros casos, muitos burros e jegues apanham para suportar o peso dos objetos transportados nas carroças.
Com a imagem, a população espera um posicionamento da Delegacia Regional de Polícia Civil e do Ministério Público.

Fonte: FJ Notícias

29/03/2016

Mula dispara e carroça mata homem em Montes Claros - MG


Estou preocupada é com o destino da pobre mula.... tenho 
p´ra mim que vão se vingar nela.... será que estou errada?
----------------------



15/01/2016

Carroceiros de Campos, RJ, protestam contra lei que proíbe uso de tração animal

Como falei, devo estar ficando maluca, mesmo tento lido que alguns coleguinhas de causa pensam igual a mim. 

Esta lei não proíbe nada e pior, a impressa repete o besteirol mostrando a incompetência da classe de jornalistas.... Enfim, se quiser conferir, veja nossa postagem: Proibido uso de cavalos para transporte no RJ? que lei fajuta é esta? peço ajuda dos universitários....

Agora, no final da matéria abaixo diz que o autor da Lei vai fazer uma modificação na mesma. Só espero que ele modifique o que a torna inócua. Aí sim, vamos poder comemorar aqui.....
----------------------------

11/01/2016

Proibido uso de cavalos para transporte no RJ? que lei fajuta é esta? peço ajuda dos universitários....

Estou lendo em várias matérias que "AGORA É LEI: USO DE ANIMAIS PARA TRANSPORTE É PROIBIDO NO ESTADO DO RJ". Tem protetor comemorando e tudo mais.... Eu não estou não!!!!! Leia primeiro a matéria do Extra e depois o que diz a tal Lei que não proíbe nada, apenas, diz como é possível usar cavalos nos transportes:
----------------------

Uma lei que proíbe o uso de cavalos e jumentos para transporte de cargas, como materiais de construção e mudanças, foi sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão, na última sexta-feira. Agora, o cidadão que flagrar os animais sendo utilizados dessas maneiras em carroças ou charretes poderá chamar a polícia, em todo o Estado do Rio. O animal será recolhido, e o condutor indiciado e penalizado

06/01/2016

Abaixo-assinado em Cuiabá busca proibir carroças puxadas por cavalos

Vamos dar uma força para a proibição de cavalos puxarem carroças em Cuiabá. O link está aí no texto:
------------------------
A universitária Thaís Fonseca Figueiredo, de 20 anos, que mora em Cuiabá, está fazendo um abaixo-assinado para tentar sensibilizar os legisladores sobre os maus tratos sofridos por cavalos que puxam carroças. A única lei municipal em vigor sobre a temática disserta somente sobre o horário em que esses veículos podem circular.

"Uma das vezes o animal levou tantas chicotadas que veio para o outro lado da pista onde quase sofri um acidente, pois dirijo em Cuiabá. Outra vez foi um cavalo fraco, desnutrido cheio de feridas, que carregava um senhor e seus entulhos. Notava-se que o senhor não tinha condições de cuidar de um animal de grande porte e que aquele animal estava ali somente para ser escravo", diz trecho do texto em que pede apoio das pessoas para a proibição.

Um dos exemplos verificados por ela foi o da prefeitura de Curitiba (PR), que proibiu em outubro do ano passado a circulação de veículos com tração animal na cidade. Ela não pretende apenas alcançar a meta do site – que é de 25 mil assinaturas - e que o objetivo é que o abaixo-assinado consiga o apoio de, pelo menos, 300 mil pessoas.

Thaís, que cursa enfermagem, conta que é uma simpatizante do ativismo digital [também chamado de cyberativismo] já há alguns anos e que decidiu defender a causa dos animais porque sempre gostou muito de bichos. O abaixo-assinado tem, atualmente, 19 mil apoiadores, mas ainda está longe da meta, segundo a criadora. Ela defende a internet como ferramenta política para essas mudanças e crê que essa é uma boa forma de se lutar pelas coisas em que se acredita.

“Comecei nesta causa animal quando conheci e comecei a me envolver com as causas veganas [pessoas que não consomem nada de origem animal]. Como já tinha certo interesse pelas lutas políticas pela internet, decidi entrar na luta pelo direito dos animais. Acredito que a internet é a melhor ferramenta para se fazer esse tipo de coisa, ela é muito ampla e a mensagem alcança muita gente”, argumenta.

Ela participa de vários grupos de defesa aos direito dos animais em redes sociais e que atuou, inclusive, em um caso na capital. “Uma vez vi um cachorro muito debilitado em um casa. Espalhei a história pelos grupos e realizei a denúncia para alguns órgãos. Depois de algum tempo, voltei ao local e vi que o cão estava bem saudável e com uma aparência 100% melhor. Fiquei muito feliz com aquilo”, diz.

Sobre o abaixo-assinado, ela relata que criou após verificar uma notícia em que dizia que a cidade de Curitiba debatia medidas para proibir o uso de veículos com tração animal. Além disso, ela afirma que uma experiência pessoal a fez decidir atuar na questão.

“Passo em uma avenida de Cuiabá e vejo todos os dias um homem em uma carroça sendo puxada por um cavalo. Claramente, o animal está bem debilitado, porque manca e está bem magro. Acho errado isso, é muito peso. Choro todo vez que vejo”, revela.

Ela disse quase ter sofrido um acidente após ter sido fechada por uma carroça. Segundo ela, que costuma trafegar de moto por Cuiabá, ver algum tipo de transporte desse sendo puxado por um animais é frequente.

"É o mínimo de assinaturas para fazer alguma diferença prática. Quando chega nessa valor, as pessoas se mobilizam mais”.

Lei vigente
A lei municipal de número 5463, de setembro de 2011, de Cuiabá, disserta que os serviços de carroceiros, incluindo os de tração animal, só podem circular na cidade entre 20h e 6h. No município, esse é a única medida que legisla sobre os transportes que utilizam animais na tração.

Em novembro, o vereador Haroldo Kuzai (Solidariedade) apresentou na Câmara um projeto de lei para disciplinar o uso de animais em carroça na capital. A intenção da proposta, segundo o vereador, é prezar pela saúde e boa condição dos animais, além de aumentar a segurança no transito.

O texto do projeto aponta que os animais devem estar em boas condições físicas e de saúde, portando identificação e os donos ainda devem respeitar um intervalo de, pelo menos, dez minutos de descanso para o animal por hora de trabalho. Animais com ferimentos, gestantes ou em aleitamento não poderiam ser utilizados. Além disso, a jornada de trabalho deles não poderia passar de 8 horas por dia.

FONTE: G1

06/10/2015

PL pretende proibir uso de carroças movidas por animais em Joinville

O que me impressiona é que os carroceiros falam que não tem dinheiro para nada e aí, como tratam o animal? 
ficou doente larga p´ra lá? dão o mínimo necessário aos cavalos como comida, vermífugo e exames? deixam, ao menos, os bichos descansarem? ah, me poupem.... são uns miseráveis e como querem ter um animal? se fosse um carro, não teriam que por gasolina, pagar IPVA, licenciar, manutenção, etc.? ai que nojo!!!!!! pior que tem "otoridades" que não percebem isto.....
----------------------------------------------

Bom dia SC - Rede Globo - 06/10/15

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪