Mostrando postagens com marcador cachorros. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cachorros. Mostrar todas as postagens

06/09/2017

Centenas de cachorros ainda estão abandonados em Chernobyl. Mas isso pode mudar

Fico sempre muito feliz com iniciativas como estas.... Precisamos muito saber que estes animais estão sendo atendidos. Já publicamos várias postagens a respeito dos animais que vivem lá. Confiram aqui.
-----------
Quando pensamos no terrível acidente de Chernobyl, nossa mente vai imediatamente para as milhares de pessoas atingidas pela radiação e pela explosão. Mas, além do dano aos moradores, é importante pensar em quem não teve a chance de ir embora da zona de radiação — os animais de rua da cidade.

31 anos depois da tragédia, ainda há contaminação por radiação na região. Mesmo assim, muitos descendentes dos cachorros abandonados pelas vítimas da tragédia vagam pelo local, vivendo muitas vezes próximo a áreas muito perigosas.

Devido a isso, um grupo de veterinários está sendo enviada por uma ONG de bem-estar animal a fim de cuidar desses cães esquecidos, oferecendo serviços de castração e vacinas para animais em risco. "Devido a animais selvagens que também vivem dentro da zona de exclusão, os cães abandonados são frequentemente infectados com raiva", conta um representante da ONG Four Paws.

Ainda bem que eles vão até lá, não? Esperamos que esses animaizinhos sejam resgatados e que tenham o melhor destino possível!


FONTE: bestofweb

19/08/2017

Por que cachorros estão fazendo parte do dia a dia de escolas nos EUA

Cachorros e gatos deviam fazer parte de todos os locais públicos e particulares para mostrar aos humanos o quanto são mais civilizados....
------------
A simples presença dos animais no ambiente escolar é vista como um fator positivo por alunos e educadores

Diretores, professores, funcionários e um cachorro. Desde o início de 2017, esse é o quadro de profissionais que participam das atividades diárias de 37 escolas públicas no estado de Nova York, nos EUA. Até 2016, apenas sete instituições contavam com os chamados “cães de conforto” entre seus estudantes, mas o governo decidiu ampliar o projeto para outras 30 escolas da cidade.

Os animais fazem parte de um projeto curricular chamado Mutt-i-grees (mutt, em inglês, significa vira-lata), desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Yale em parceria com instituições de resgate de animais abandonados. A ideia é fazer com que a presença de cachorros ajude no desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais entre as crianças.

Existem aulas especiais que contam com a presença dos cachorros e tratam de temas como consciência, percepção de sentimentos, empatia, cooperação e lidar com a tomada de decisão. Para além da ajuda “oficial” dos animais, a simples presença deles na escola é vista como um fator positivo por alunos e educadores.

Em entrevista ao jornal americano The New York Times, Bonnie Durgin, diretor de uma das escolas que participam do projeto, disse que “crianças podem se transformar em ilhas quando têm 13 anos. [O cachorro] vira uma forma de desafogá-las delas mesmas”.

As mais de 30 escolas de Nova York fazem parte de uma rede de mais de 4.000, espalhadas entre EUA e Canadá, que adotam os animais. Os cães trabalham principalmente com crianças que têm necessidades especiais, mas nem por isso deixam de estar presentes no cotidiano do restante da escola.

Inteligência emocional e educação

Segundo a escola de medicina de Yale, a educação social e emocional “é o processo pelo qual crianças aprendem a lidar com suas emoções, se entrosar com outras, ter empatia e compaixão e descobrir habilidades essenciais de trabalho em equipe”.

Os pesquisadores acreditam que há uma relação direta entre o desenvolvimento de habilidades emocionais enquanto criança e a capacidade de, no futuro, adquirir competências acadêmicas. Jovens capazes de lidar bem com seus próprios sentimentos e das pessoas ao seu redor têm maiores probabilidades de serem saudáveis fisicamente, o que os torna mais “receptivos ao conhecimento”.

Cães de conforto nos EUA

A ideia de introduzir cachorros no dia a dia das escolas não é algo exatamente novo. O conceito de “cães de conforto” foi estabelecido nos EUA e em outras partes do mundo, e trabalha com a ideia de levar cães treinados em dar afeto e conforto a pessoas em ambientes como hospitais, asilos, ou que passaram por situações traumáticas ou de alto nível de estresse.

A Universidade da Califórnia, Davis, por exemplo, tem um programa parecido em seu campus desde 2010. Uma vez a cada quatro meses, a universidade leva alguns cachorros que vivem em centros de resgate da região para conviverem com os estudantes na tentativa de amenizar o estresse dos estudos e aliviar as saudades de casa.

FONTE: nexojornal

14/08/2017

Homem é condenado a prisão após trancar cachorros em varanda à beira da morte

Quando lemos que um caso deste acontece na Inglaterra, ficamos certos que o tal "serumano" existe em todos os lugares do mundo. Mas, que é difícil de aceitar, isto é, pois um país que educa tão bem seus cidadãos não dá para entender este tipo de crime. Agora, o que é legal é que o criminoso é devidamente punido como toda sociedade exige....
-----------
Um homem de Bristol, na Inglaterra, foi condenado a 18 anos de prisão por crueldade contra os animais após prender dois cachorros e deixá-los à beira da morte.

Proprietário de dois cachorros da raça Staffordshire bull terriers, batizados de Ruby e Blacky, Zach Cook, de 25 anos, abandonou os animais na varanda de sua casa. Os dois foram descobertos por autoridades após vizinhos próximos a residência do rapaz desconfiarem de um forte cheiro que vinha da propriedade. No local, policiais encontraram os dois cachorros em condições desumanas, envoltos em urina e fezes. "Ruby e Blacky sofreram crueldades horrendas e negligência porque Zach Cook decidiu trancar eles na varanda e apenas esquecer que eles existiam. 

O jeito de lidar com a vontade dele de não ter mais que cuidar dos cachorros foi fingir que eles não existiam enquanto ele continuava com a vida dele", afirmou Dan Hatflield, inspetor da "Associação de Prevenção de Crueldade Contra os Animais Royal Society".
"Quando foram descobertos, Blacky estava encolhido perto de Ruby e estava tão magro que todos os seus ossos estavam à mostra. Ruby estava em estado absolutamente terrível. Ela estava em colapso completo e estava deitada na miséria, incapaz de ficar em pé e precisou ser carregada até a van em uma cesta", continuou.

Zach foi preso e condenado na última quinta-feira (10) a 18 meses de prisão pelas acusações de causar sofrimento desnecessário e por não atender as necessidades dos animais de estimação.

Fonte: Rede TV

03/08/2017

Apresentando o bebê à cachorrada....

Gente, repara o rabinho dos cachorros..... coisa mais fofa..... Agora, o bebezinho é tão pequetitinho, não? Muito lindinhos.... todos....
---------

27/07/2017

Explicação para o cachorro ser o melhor amigo do homem pode estar nos genes

Já falei e repito: adoro ler estas matérias.... Pesquisadores precisam comprovar tudo cientificamente, né? 
-------------
Estudo publicado na revista 'Science Advances' identificou dois genes relacionados ao comportamento social extremo em cães.

Os cães que são extremamente amigáveis compartilham certas semelhanças genéticas com as pessoas que nasceram com um transtorno do desenvolvimento apelidado de o "oposto do autismo", que as torna hiper-sociais, disseram pesquisadores nesta quarta-feira (19).

O estudo publicado na revista "Science Advances" identificou variações em dois genes que estão relacionados ao comportamento social extremo em cães, e também em pessoas que nasceram com a síndrome de Williams-Beuren.

As pessoas com essa condição tendem a ser altamente extrovertidas, empáticas, interessadas em contato visual prolongado, propensas à ansiedade e podem ter dificuldades leves a moderadas de aprendizagem e deficiência intelectual.

Os resultados oferecem novos conhecimentos sobre como os cães se tornaram domesticados e se separaram dos seus antepassados lobos há milhares de anos.

"Anteriormente se pensava que, durante a domesticação, os cães desenvolveram uma forma avançada de cognição social que os lobos não tinham", disse a coautora do estudo Monique Udell, da Universidade do Estado do Oregon.

"Esta nova evidência sugere que os cães, em vez disso, têm uma condição genética que pode levar a uma motivação exagerada para buscar contato social em comparação com os lobos", acrescentou.

Os pesquisadores estudaram 18 cães domesticados e 10 lobos cinzentos em cativeiro para ver o quão sociais eles eram com as pessoas e como eles realizavam tarefas de resolução de problemas.

Quando receberam a tarefa de levantar uma tampa de uma caixa para ganhar uma salsicha, os caninos foram classificados de acordo com o quanto eles se voltaram para um humano na sala para obter ajuda.

Os lobos eram mais propensos a descobrir como obter o alimento do que os cães, que eram mais propensos a olhar com ansiedade para as pessoas que estavam perto.

"A verdadeira diferença parece estar no olhar persistente do cão em direção às pessoas e em um desejo de buscar proximidade prolongada das pessoas, além do ponto em que você espera que um animal adulto tenha esse comportamento", disse Udell.

Os pesquisadores então usaram amostras de sangue para ver como as características genéticas dos lobos e dos cachorros se alinhavam com suas personalidades.

Eles encontraram variações em dois genes -- GTF2I e GTF2IRD1 -- que "parecem estar conectados à hiper sociabilidade do cão, um elemento central da domesticação que os distingue dos lobos", disse o estudo.

Esses genes estão implicados nos comportamentos hiper-sociais de humanos com a síndrome de William-Beuren.

As mudanças não eram idênticas em humanos e cães. Por exemplo, nos cães, as inserções genéticas chamadas transpósons (segmentos móveis de DNA) nessas regiões genéticas estavam ligadas a uma forte tendência a procurar o contato humano.

Alguns desses transpósons "só foram encontrados em cães domésticos, e não em lobos", afirmou o estudo.

Nas pessoas, a supressão de genes dessa região no genoma humano está ligada à síndrome de Williams-Beuren.

"Nós não encontramos um 'gene social', mas um importante componente [genético] que molda a personalidade animal e que ajudou no processo de domesticar um lobo selvagem para torná-lo um cão manso", disse em uma declaração a coautora do estudo Bridgett vonHoldt, professora de ecologia e biologia evolutiva na Universidade de Princeton.

FONTE: G1

22/07/2017

Cachorros são abandonados sem água e comida em ilha de Vitória

Pela cusparada da lhama!!!!! o que que é isto? Como alguém abandona os animais numa ilha sem comida e água? filhotinhos e tudo mais..... É inacreditável que gente assim esteja entre nós!!!! Ainda bem que eles serão atendidos devidamente pela prefeitura local....
--------------
A principal suspeita da prefeitura é que os animais tenham sido deixados na ilha pelos donos.

A 10 minutos de barco do bairro Santo Antônio, na Ilha da Pólvora, em Vitória, cerca de 20 cachorros foram encontrados abandonados, sem água e sem comida, nesta terça-feira (18). Eles foram deixados em uma área de preservação permanente e a principal suspeita da prefeitura é que os animais tenham sido abandonados pelo próprio dono.

O secretário de Meio Ambiente de Vitória, Luiz Emanuel Zouain, disse que, assim que tomou conhecimento do que estava acontecendo, a prefeitura enviou uma equipe ao local para começar a fazer a retirada dos cães, que serão enviados para abrigos particulares, conforme vagas sejam disponibilizadas.

Entre os animais, há vira-latas doentes, com patas quebradas e, alguns, até saudáveis. “Só existe animal abandonado nas ruas da cidade se algum humano deixar esses animais. Eles são criados em domicílio”, falou o secretário.

O secretário disse que ainda não há informação de quem tenha abandonado os cachorros na ilha, mas acredita que não há um grupo específico responsável por isso. “A gente começou a investigar isso agora. Nossa prioridade, nesse momento, é ir retirando os animais paulatinamente dessa ilha. Naturalmente, com o tempo, podem surgir algumas evidências sobre o que, de fato, tenha acontecido. A primeira suspeita é que algumas pessoas tenham colocado animais em barcos e se dirigido à ilha para deixá-los”, disse.

Em uma casa usada por pescadores da região, fiscais da prefeitura encontraram quatro filhotes. Eles disseram que um pescador, às vezes, dorme no local e deixou uma vasilha com água e fubá para a mães e os filhotes.

Nesta terça-feira (18), só os filhotes, a mãe e os animais mais doentes foram recolhidos. Os outros vão continuar na ilha até a prefeitura conseguir espaço para eles. “Nós recolhemos, terça-feira, oito animais, sendo quatro adultos e quatro filhotes. Quinta, serão retirados mais dois. À medida que os espaços forem aparecendo nos abrigos, a gente vai recolhendo os animais, de maneira responsável, criteriosa. Esses animais serão cuidados, depois, serão castrados e, naturalmente, ofertados à adoção”, destacou Luiz Emanuel.

Pena
A prática de abandono de animais está no artigo 32, da Lei de Crimes Ambientais, que aponta a pena de detenção de três meses a um ano e multa. “O problema do crime ambiental é que precisamos que sejam flagrados esses atos de agressão a qualquer animal. Isso precisa acontecer, para que se possa oferecer denúncia à Delegacia de Crimes Ambientais e, então, conseguir a punição a esses agressores. O problema é que, muitas vezes, você não consegue essas imagens, esse flagrante e tem que lidar com o abandono”, falou o secretário.

Denúncia
Para denunciar abandono e maus-tratos de animais, o cidadão precisa ligar para o número 156. que é Fala Vitória, contato da prefeitura, na capital.

Filhotes abandonados em ilha (Foto: Fabricio Crhisti/ TV Gazeta)

Animais estavam sem alimento em ilha (Foto: Fabricio Crhisti/ TV Gazeta)

Cães foram resgatados de ilha em Vitória (Foto: Fabricio Crhisti/ TV Gazeta)

Fonte: G1 Espírito Santo

08/07/2017

Creche para cachorros, uma forma de desestressar os pets

Acho muito legal estes recursos para atender os animais de estimação.... Só deve ser um pouquinho caro, né? mas vale a pena...
-------------
Já chegou em casa e viu seu cachorro se lambendo sem parar ou tendo algum tipo de comportamento que não apresentava antes? Segundo o educador de cães André Bressan, isso pode ser sinal de estresse. Quer dizer que o animal não está gastando a energia necessária ao longo do dia. “Às vezes, um animal agressivo também está agindo desta forma porque precisa desestressar. Eles acabam ficando presos em casa, sem gastar a energia diária necessária”, afirma Bressan.

Nos últimos anos, um serviço que tem crescido no Brasil e também já chegou ao Sul de Santa Catarina é a creche para cachorros. O espaço de Bressan em Içara já recebe cerca de 120 cães durante a semana. “Nós buscamos em casa no início da manhã e devolvemos até as 17 horas. Começamos como um hotel para cães, e com a necessidade dos donos, passamos a ser uma creche”, conta o educador.

A maior função de uma creche para cães, segundo Bressan, é a socialização dos animais com outros indivíduos da mesma espécie, além do gasto de energia. “Eles não recebem nenhum tipo de adestramento no período em que estão na creche. É um espaço utilizado apenas para que eles corram, brinquem e descansem, junto com outros cães”. Para participar da creche, os animais precisam ser castrados - as fêmeas não podem estar no período de cio -, precisam receber acompanhamento veterinário, e estar em dia com as vacinas e vermífugos.

Confiança
Atualmente em funcionamento no bairro Presidente Vargas, em Içara, o espaço está de mudança para um local maior, de 10 mil m², localizado no bairro Aurora, também em Içara. Cuidam do local André Bressan e sua esposa (que são donos de quatro cães, entre eles o pastor alemão Hércules, do vídeo abaixo), além de duas colaboradoras. "Trabalhamos com a confiança dos donos dos pets. Somos nós quem buscamos e levamos os cães para casa, para garantir que estejam em segurança e bem", conta.


Fonte: engeplus

07/07/2017

10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos

Victória, uma de nossas leitoras Vips, nos enviou este artigo que gostei muito.
------------- 
Existem muitas coisas que os cachorros odeiam e que nós inconscientemente fazemos na nossa rotina. É por isso que no novo vídeo do Perito Animal nós explicamos quais são as 10 coisas que os cachorros odeiam nos humanos e porque isso acontece. 
Vale lembrar que essa é uma lista de sugestões e alguns cachorros podem odiar coisas que outros gostem e alguns podem simplesmente aceitar porque são submissos. 

 1. Os ruídos e os cheiros fortes
O secador de cabelo, o aspirador, os carros, os foguetes, os espirros, uma tosse ou algo que nos cai das mãos e faz muito barulho, qualquer ruído forte incomoda e assusta os cachorros. é algo normal, visto que têm um ouvido excepcional que lhe permite ouvir sons que a nós nos escapam e além disso, também possuem uma percepção das vibrações muito mais sensível que a nossa. Evidentemente, existem cachorros que foram criados desde filhotes com ruídos fortes e se acostumaram a isso, portanto não se assustam, mas o certo é que a maioria deles tem medo e odeiam estes barulhos fortes.
O tema dos cheiros fortes também é algo delicado para os cães. Tal como o ouvido, o seu olfato é mil vezes mais potente que o dos humanos. Assim sendo, qualquer odor que a si lhe pareça forte para o seu cachorro será realmente desconfortável. É verdade que se se tratar do cheiro da comida não os incomoda tanto. Mas imagine os cheiros dos produtos químicos, de higiene pessoal e de limpeza da casa. São odores muito fortes que irritam as fossas nasais dos nossos peludos, por isso facilmente podem espirrar e fugir para outros lugares.
Devemos procurar não assustar o nosso cachorro com ruídos fortes sempre que o conseguirmos evitar ou tentar acostumá-lo a isso. Também há que evitar utilizar produtos com cheiros fortes na presença do nosso cachorro e ventilar bem a zona antes dele entrar nela.

2. Falar muito e não usar a nossa linguagem corporal
Muitas vezes falamos com o nosso cachorro e isso está bem, mas se o fizermos em excesso ou se enquanto falamos não utilizamos gestos e palavras curtas que o cão possa chegar a aprender e relacionar com alguma coisa, estamos apenas a chatear o nosso amigo. Ele não perceberá nada do que dissermos e no final acaba por ficar nervoso. Preferem que comunique com eles com a sua linguagem corporal e se usar palavras ou sons, o melhor é que sejam poucos para que eles os possa, aprender durante o treinamento e aprendizado desde filhotes.
É verdade que os cachorros entendem as emoções básicas dos humanos, mas fazem-nos através da linguagem corporal e do tom de voz que utilizamos. Definitivamente, não entendem a nossa linguagem verbal completa, apenas aquelas palavras básicas que lhes ensinamos. Portanto, se falarmos muito e não usarmos a linguagem corporal isso pode confundi-los. Devemos procurar aprender a falar com o nosso cachorro e a comunicar com ele com o nosso corpo. Faça um teste, passe um dia inteiro sem lhe dizer uma única palavra. Apenas gesticule, sem exagerar, e tente comunicar com ele através de linguagem gestual. Pode usar algum som, mas tente não dizer nenhuma palavra e verá que se conseguem comunicar perfeitamente e que o seu fiel amigo fica mais relaxado.

3. Nossa energia negativa e dar bronca sem que percebam porquê
Pode acontecer que quando estamos de mau humor ou nos chateamos com o nosso cachorro porque fez alguma asneira, que lhe transmitamos essa negatividade como faríamos com uma pessoa. Como já comentamos, os cães não entendem o que lhes gritamos e a maioria das vezes também não entendem porque o fazemos. Evidentemente é algo que os chateia muito, sentem-se mal, recebem energia negativa e não sabem porque isso acontece.
Temos que aprender a evitar erros comuns ao dar bronca a um cachorro. Um deles é fazê-lo sem que possa entender o porquê, visto já ter passado muito tempo e outro erro é ser agressivo. Existem formas muito mais eficazes que os farão entender-nos melhor.

4. Falta de estrutura
Os cães gostam de ter uma rotina, embora a possa variar para que não vire muito aborrecida, e gostam de ter uma estrutura, visto que se sentem mais seguros e tranquilos. Um cachorro desestruturado, sem um mínimo de adestramento básico, acabará sendo um cachorro pouco feliz, visto que terá inseguranças e mal-entendidos tanto com a família como com outros cachorros ou animais. É por isso que outra coisa que não lhes agrada é a falta de estrutura na sua família.
Esta estrutura e aprendizado devem cobrir vários aspetos, desde quem lidera o grupo até aos passeios e à comida, entre outras coisas. Para isso, será melhor que primeiro se instrua sobre o adequado adestramento para o seu cachorro.

5. Olhá-los fixamente nos olhos, pegá-los na cara e dar-lhes palmadinhas na cabeça
Os cães realmente não gostam nada que os olhemos fixamente nos olhos. Se alguma vez o fez, deve ter notado que evitam o olhar quando o fazemos, mas talvez se tenha encontrado com um que aguenta mais o olhar e inclusivamente rosna. O contato visual prolongado para os cães equivale a desafio, por isso se afastam o olhar passam a ser submissos e por outro lado se o aguentam e o outro afasta, será ele o dominante. É perigoso fazer isto aos cães que não conhecemos, podem ficar agressivos. Uma coisa é que se cruzem os olhares, outra coisa é fixar o olhar. Assim sendo tente não manter o olhar fixo no cão.
Além disso, outra coisa que fazemos muitas vezes é pegar na cara deles e abanar e dar palmadinhas na cabeça. Isso é um erro, eles não gostam muito disso. Ao pegar a sua cara eles ficam bloqueados, sentem-se presos, lembre-se que é algo que eles não fazem. Os tapinhas na cabeça são desconfortáveis e inclusivamente podem fazer-lhes mal. Ao colocar a mão por cima deles, eles percebem isso como algo dominante, se além disso der uns tapinhas na cabeça eles ficam muito irrequietos. São gestos que para nós são normais, mas para eles têm um significado diferente, por isso devemos tentar não o fazer. Se quiser aproximar e saudar um cão, o melhor é que se aproxime um pouco de lado, sem o olhar fixamente e estendendo um pouco a mão permitindo que ele a cheire e o conheça, assim que o aceitar pode fazer um carinho.

6. Beijos e abraços em excesso
Existem muitas coisas que para nós são normais e gostamos de fazer, como por exemplo abanar, abraçar e dar muito beijos aos nossos patudos, mas eles não interpretam tudo como nós. Entre cães não se abraçam nem beijam como nós o fazemos. Para eles o fato de os beijarmos e abraçarmos constantemente torna-se algo muito confuso.
Por um lado, com os abraços eles ficam bloqueados e para eles colocar as patas em cima de outro significa que quer estabelecer o seu domínio, podem vê-lo como um jogo até certo ponto. Embora existam cachorro muito afetuosos e além disso submissos que aceitam abraços, a maioria deles não toleram isso muito bem. Por outro lado, os nossos beijos são como as suas lambidas e eles lambem por outros motivos, uma deles é quando querem mostrar submissão, por isso às vezes quando os beijamos podem entender que somos submissos. Assim sendo, estamos enviando sinais confusos e isso destabiliza o cachorro e faz com que se sinta desconfortável.

7. Não usar bem a guia e passear com pressa
É muito frequente que existam coisas que fazemos mal quando passeamos o nosso cão, mas temos que aprender a corrigir isso se queremos desfrutar dos passeios e não fazer com que o nosso cão se sinta mal. Às vezes mantemos a guia tensa, vamos dando puxões constantemente, não o deixamos cheirar o seu entrono, etc. Por vezes também passeamos muito poucos minutos e temos presa por chegar em algum lugar ou por terminar o passeio.
Não usar bem a guia e ter presa durante o passeio é algo que definitivamente o nosso cão não acha muita piada. Necessita de bastante tempo para explorar o seu meio envolvente e relacionar-se com os demais. Vai querer cheirar, parar e fazer as suas necessidades e brincar com outros, isso é normal. Temos que ser conscientes das necessidades básicas do nosso cão e aprender a usar bem a guia e fazer passeios tranquilos em que ele se possa divertir.


8. Vesti-los desnecessariamente
Claro, se fizer muito frio ou precisarmos de cobrir alguma parte do corpo do nosso cão por alguma ferida ou problema, pode vesti-lo com uma camisola ou com roupa especial para eles, inclusivamente botas especiais, isso está certe e em alguns casos é recomendável. O que os nossos amiguinhos não suportam, pelos menos a maioria deles, é que os vista só porque sim ou com coisas simplesmente decorativas e nada funcionais. Eles não se sentem confortáveis se não puderem andar bem ou se têm algo que não podem remover quando quiserem. Alguns cães aprendem a tolerar isso, mas muito não entendem porque é que alguém haveria de os vestir com essas coisas, inclusivamente sentem que outros cães não se aproximam deles, algo bastante normal mas que lhes causa repulsa e portanto a longo prazo um mal-estar emocional.
Lembre-se que o seu cão não é um humano, tente não humanizar visto que isso só irá trazer desequilíbrios e problemas. Vista-o se realmente for necessário.

9. Lava-los muitas vezes
Para nós é normal tomar banho todos os dias, para os cães não é assim. Eles mantêm-se limpos à sua maneira, precisam do seu odor corporal para comunicar com os demais. Assim sendo, se os lavarmos muitas vezes não lhes estamos fazendo nenhum favor. Uma coisa é que se tenha sujado muito e você o limpe, outra muito diferente é que lhe dê banho a regularmente com xampus com cheiros intensos. Os cachorros não gostam nada disso, gostam de cheirar a eles mesmos e os cheiros fortes dos produtos que usamos podem ser incômodos para eles.
É bom que dê banho ao cachorro em casa ou no cabeleireiro canino de vez em quando, mas não o podemos fazer muitas vezes porque, além de precisarem do seu cheiro para comunicar, estamos danificando as camadas de proteção natural da pele e podemos acabar provocando algum problema de saúde. Podemos limpá-los, mas sem exagerar.

10. Ser aborrecido ou estar ausente
Os cães não suportam estar aborrecidos, querem fazer coisas e partilhar o seu tempo consigo. Assim sendo, não gostam nada que não lhes faça caso e que seja aborrecido. Como é óbvio odeiam quando você está ausente, nunca estão seguros de quando você vai voltar ou se o fará, daí a enorme alegria que têm quando regressa embora só tenham estados uns minutos sem o ver. Mas o pior para eles é quando o seu companheiro humano nunca regressa. O pior que lhes pode acontecer é que o abandone, nunca entenderão o porquê e custa-lhes muito seguir em frente sem o seu dono.
Agora já sabe, não seja aborrecido e faça muitas coisas com o seu fiel companheiro, além disso procure estar o menor tempo possível ausente, mas sobretudo, nunca o abandone!

Fonte: Perito animal

24/06/2017

Polícia investiga abuso a animais após ONG encontrar cachorros dentro de container em Campinas

Caramba, olha que situação.... Todo dia a gente acha que já viu de tudo, mas, acaba concluindo que não viu nada de nada.... A foto ao lado é da ONG Amor de Bicho que está a frente do resgate.
-----------
Segundo a SSP, proprietário foi ouvido e outros depoimentos estão previstos. Além dos cães, égua, porco e aves também foram retirados do local e passarão por exames.

A Polícia Civil informou, nesta sexta-feira (23), que vai investigar um caso de abuso a animais, após a ONG Amor de bicho encontrar cachorros presos dentro de um container no bairro Gargantilha, em Campinas (SP). Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP), o proprietário dos animais foi ouvido no 4º Distrito Policial e novos depoimentos estão previstos para a próxima semana.

Os voluntários da ONG começaram a retirar os animais na tarde de quinta-feira (22) e seguiram até a manhã desta sexta. Eles vão passar por análise de veterinários e depois serão encaminhados para a própria entidade ou lares temporários.

O proprietário não ficou preso, mas concordou em entregar os cães, além das aves, égua e porco que também foram encontrados no entorno do local.

Imagens cedidas para a EPTV, afiliada da TV Globo, mostram cães tentando escapar do local por meio de uma fresta, além de animais em situação precária e famintos. A Guarda Municipal ainda encontrou encontrou na área um container fechado e um buraco onde foram achados corpos de animais. 

O que diz a Prefeitura
A Polícia Civil foi acionada para realizar perícia na área. À EPTV, o diretor do Departamento de Bem-Estar de Campinas, Paulo Anselmo, confirmou que há dois protocolos de denúncia sobre este espaço no barro Gargantilha. A expectativa é de que uma inspeção seja feita.
Ele disse que a função do departamento é orientar o proprietário dos animais, mas cabe à Polícia Civil avaliar se a situação pode ser considerada de maus-tratos e tomar providências judiciais.

Fonte: G1 Campinas - EPTV - 23/06/17

20/06/2017

Melancia faz mal para cachorros?

Minha Florzinha adora manga e melancia.... Já o Grudy adora banana.... salada de frutas? todos.... kakakakaka.....
-------------
Seu cachorro já enjoou da ração e não quer nem saber mais dela? Ou talvez ele já tenha comido toda a ração do pote e agora está com aqueles olhinhos - sim, aqueles olhinhos - irresistíveis voltados para a sua direção enquanto você está comendo uma deliciosa fatia de melancia?

Mas daí vem a grande dúvida: será que cachorros podem comer melancia? Você até cogita, olha pro pedaço da fruta na sua mão, depois olha para aqueles olhinhos pidões. Pensa que seria uma boa variar um pouco a alimentação do animal, afinal, coitado do bichinho, todos os dias só ração ninguém merece, não é mesmo?

E a resposta é sim. Sim, os cães podem comer melancia, que aliás faz muito bem para a saúde. Além de ser rica em fibras - o que ajuda bastante no trânsito intestinal -, é rica em nutrientes como as vitaminas A, B6, C e o potássio - um poderoso antioxidante que ajuda no controle da frequência cardíaca - e ainda ajuda o animal a se manter hidratado.

Agora, sabendo que esta fruta não é prejudicial à saúde dos cães e que ela tem todos esses benefícios, pode dar melancia à vontade para o seu cachorro. Lembre-se apenas de retirar as sementes e a casca antes que ele engula tudo!

Fonte: Adoro cães

19/06/2017

Mais de 80 cachorros são salvos de maus-tratos em mansão 'insalubre' nos EUA

Jesus amado..... mais um depósito de animais.... 84 dogues, não deve ser fácil manter limpo nestas condições..... 
--------------
Policiais e membros de grupos que defendem os direitos do animais resgataram, na última sexta-feira, 84 cães da raça dogue alemão mantidos num cativeiro em condições precárias dentro de uma mansão, no estado americano de New Hampshire.

As condições dentro do imóvel eram insalubres, e os cachorros tinham acesso limitado a comida e água. Vários animais estavam sofrendo de doenças graves nos olhos, provavelmente devido a infecções. Dentre os 84 cachorros, a maioria tinha livre circulação pela mansão de oito quartos e nove banheiros.

Os times de resgate disseram que o chão da casa, estimada em US$ 1,45 milhão (cerca de R$ 5 mlhões), estava coberto de fezes, também encontradas nas paredes e nos móveis. A área de preparação de comida estava repleta de pedaços de frango cru apodrecendo.

"Foi horrível lá dentro e o fato como um todo. Eu nunca tinha visto uma casa dessa magnitude em condições como essas", disse Lindsay Hamrick, diretora estadual da Humane Society of the United States ao jornal local "Union Leader".

A dona da propriedade, Christina Fay, de 60 anos, foi presa acusada duplamente por negligência depois que a mansão foi invadida para o resgate. "As condições eram deploráveis. Está difícil encontrar palavras para descrevê-las. Certamente é uma situação em que nenhum animal deveria ser deixado", disse Michael Straugh, chefe de polícia local ao jornal britânico "Daily Mail".
  
Os cachorros, que variavam de idade entre filhotes com apenas algumas semanas e adultos, foram todos retirados do local e estão recebendo tratamento veterinário. Eles não estarão disponíveis para adoção até que Christina seja julgada porque são evidência criminal do caso.

Um dos cachorros resgatados dos maus tratos na mansão Foto: Divulgação Humane Society 

Fonte: EXTRA

Nova-iorquinos resolvem lei de proibição de animais no metro

Sabe o que deve ter acontecido? pessoas abusando, deixando o cão fazer suas necessidades e largando p´ra lá, embora haja multa nestes casos. Mas, quem vai fiscalizar dentro de um metro?
----------- 
Nova regra em vigor desde outubro causou várias divergências por parte dos cidadãos.

Uma nova lei obriga a que os animais viagem no metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, dentro de um saco. Os cidadãos transportam assim os seus animais em sacos de todas as formas e feitios para evitar repressões da Metropolitan Transport Authority. 

A proibição de animais ‘à vontade’ no metro foi implementada com o intuito de desencorajar as pessoas a levá-los neste transporte público, contudo, os amantes dos ‘amigos de quatro patas’ não desistiram de trazer os seus animais para fora de casa e carregam-nos em sacos. 

As mochilas parecem ser o modo de transporte de eleição para a maioria dos donos de animais. Os vários tipos de sacos e mochilas que carregam os animais dão um ar divertido a toda a situação.




FONTE: CM Jornal

31/05/2017

Idosa que viajou de caminhão com cachorros recebe doações e chega ao destino final

A história da senhorinha e seus cães teve um final feliz.... 
------------------------
Na nova casa, na cidade natal de Parnaíba (PI), Leninha Carvalho, 62, agradeceu as doações de mais de R$ 1 mil vindas de Manaus

Depois de passar um sufoco com seus cinco cachorros durante uma viagem em um caminhão baú, de ficar sem dinheiro com fome e sede, e de ser abandonada no meio de uma estrada, a aposentada Leninha Carvalho, de 62 anos, conseguiu chegar ao seu destino final, Parnaíba, no interior do estado do Piauí. A idosa, que saiu de Manaus no dia 17 de maio e enfrentou nove dias de trajeto, incluindo de barco, superou dificuldades e finalmente retornou à cidade natal.

“Eu estou muito feliz e sou eternamente grata a todos que me ajudaram nessa hora tão difícil, pessoas que estavam do meu lado, me encorajando e me dando forças. Não tenho palavras para expressar minha felicidade”, disse Leninha. A idosa havia sido vítima de um golpe e ficou sem rendimentos para pagar a parte da viagem de caminhão, fazendo-a passar a noite à beira de uma rodovia no estado do Maranhão junto aos seus cinco animais de estimação.

Após o Portal A Crítica divulgar a história da aposentada, Leninha recebeu R$ 1.107 em doações vindas de Manaus e conseguiu pagar o caminheiro que fez o transporte dela, dos cachorros e das bagagens. “Ele (caminhoneiro) voltou sim. Descarregou uma carga em São Luís, pegou outra e voltou para me pegar, na quinta-feira mesmo (dia 25). Conseguiu abastecer (de combustível) e ficamos toda a madrugada e a manhã do outro dia na estrada. Cheguei aqui sexta (dia 26) à noite”, disse.

Segundo a aposentada, o caminhoneiro que a levou chegou a desconfiar se ela o pagaria ao final. “Eu mostrei a matéria (do Portal A Crítica) para ele e ele disse ‘é, a gente tem que acreditar’. Ele estava com medo de ser enganado, estava correto. Então eu paguei ele (sic) imediatamente”, disse. Depois de deixar Leninha em Parnaíba, o caminhoneiro seguiu viagem para Fortaleza (CE), onde mora.

Vítima do calote
Vítima de um calote em Manaus, a aposentada Leninha Carvalho afirmou que uma advogada se solidarizou para tentar requerer de volta os bens dela. Antes de sair da capital amazonense, onde viveu por muitos anos, a aposentada havia vendido os eletrodomésticos e móveis para uma mulher identificada apenas como “Lívia”. Porém, a mulher não pagou nada do prometido e fez Leninha passar dificuldades.

“Uma advogada de Manaus me prometeu ajuda para pegar de volta minhas coisas com essa mulher. Eu saí de Manaus de cabeça erguida e nunca comprei nada fiado, nunca devi esta mulher, a não ser um favor que ela me fez no passado. Nos tornamos (sic) próximas e ela parecia ser uma boa pessoa. Então confiei. Só que no meio da minha viagem ela se mostrou quem era”, disse Leninha.

Feliz com os cachorros

Agora na casa nova, alugada, a aposentada se diz feliz com seus cães e a família. “Eles (cachorros) estão ótimos, felizes, se soltam, correm. Minha família está feliz também, meus irmãos, minha cunhada e sobrinhos. Agora todos moramos na mesma rua”, disse. Segundo Leninha, ela agora vai cuidar da saúde. “Em Manaus não tinha ninguém por mim. Eu não conseguia fazer o tratamento e chegava morrendo de dor. Aqui tenho alguém para me amparar”, contou.

A aposentada falou ainda que vai continuar cuidando dos animais. “Jamais imaginei que receberia uma ajuda tão forte. Me senti (sic) abraçada por todos e serei grata por toda a minha vida. Agora mais ainda vou fazer pelos animais. No Brasil as pessoas não amam animais”, ponderou a aposentada. “Toda a humilhação por qual passei foi uma provação de Deus. Podem me chamar de louca, mas Deus fez uma provação por mim”, finalizou.

FONTE: acritica

27/04/2017

Crise obriga BM a leiloar cavalos de batalhões do Interior

Acho legal acabar com os animais de trabalho, mas, só estou preocupada se os cavalos vão cair nas mãos de carroceiros e os cachorros nas mãos de traficantes como aquele caso no Recife.
------------------------
De um total de 800 animais, apenas 300 serão mantidos. Haverá corte também nos canis da corporação 
O cavalo, animal símbolo do Rio Grande do Sul no imaginário do gaúcho, será menos visto em ações de policiamento da Brigada Militar (BM).

Uma ordem de serviço assinada pelo governador José Ivo Sartori determina, como forma de economia, a redução no número de animais de 800 para 300. Aqueles que não forem aproveitados serão vendidos em leilão. 

Haverá corte também nos canis da corporação, com o fechamento de 14 dos atuais 24. Os cães serão colocados à adoção.

Perderão os cavalos os batalhões da BM de Vacaria, Santiago, Cachoeira do Sul, Santo Ângelo, São Gabriel, Bagé, Pelotas, Rio Grande e Santa Cruz. Haverá redução de animais em Santa Maria, Santana do Livramento e Passo Fundo. Em Porto Alegre, em princípio, não haverá mudanças.

De acordo com informações da BM, os cavalos estão sendo catalogados e, em cerca de 70 dias, deverão ser leiloados em Santa Maria. O chefe do Estado Maior da corporação, coronel Júlio César Rocha Lopes, afirma que a medida visa a um melhor uso e a padronização da forma de utilização dos animais, além da redução de custos, com base em um estudo.

— Foram levados em consideração diversos aspectos técnicos, dentre eles as características locais e orçamentárias. Do ponto de vista técnico, verificou-se que era necessário padronizar a forma de emprego e a raça dos animais para que o resultado fosse o mais efetivo possível — argumenta.

O coronel nega que a redução no número de cavalos e cães possa provocar prejuízos ao policiamento.

— A medida adotada, e que será implementada, é de reestruturação e, em nenhum momento, essa ação trará prejuízos para a segurança pública dessas localidades. Muito pelo contrário, potencializará e aperfeiçoará o emprego dos recursos nas regiões do Estado — defende.

Para o especialista em segurança pública Gustavo Caleffi, o ponto de vista do governo e da BM está correto. Ele afirma que o policiamento não deverá ser afetado, e que a economia obtida com a redução dos cavalos deverá compensar eventual perda de um maior campo de visão que o policial tem quando está sobre um cavalo. 

— Não será a redução de 800 para 300 cavalos que vai prejudicar o trabalho da Brigada Militar. Era um recurso utilizado em um tempo em que não havia treinamento para contenção de distúrbios e armamento não letal. As polícias se modernizaram, mas mantiveram uma estrutura que se tornou obsoleta — argumenta.

FONTE: zh.clicrbs

26/04/2017

Cachorros são resgatados de carro em Ribeirão Preto

Olha, se ela estiver falando sério sobre a situação, merece ser ajudada. Agora, é muito estranho ela ficar no carro há uma semana com os cachorros.
------------------
Doze cães estavam sozinhos dentro do veículo, estacionado no Centro da cidade.
Um carro estacionado no cruzamento das ruas Américo Brasiliense com Barão do Amazonas, em Ribeirão Preto, chamou a atenção de quem passava pelo Centro na manhã desta segunda-feira (24). Isso porque, dentro do veículo, estavam doze cachorros de raça.



Segundo as pessoas que passaram pelo local, o motorista parou o carro após passar em um buraco. Ele, então, estacionou no local e foi embora, deixando os filhotes dentro do Pálio prata.

A polícia guinchou o veículo, que estava parado em local proibido, e os animais foram retirados. O carro estava com o pneu furado e com as janelas abertas pela metade.

O carro está na Central de Flagrantes e o dono do carro está sendo procurado. Os cachorros também estão na delegacia. Uma equipe da Coordenadoria de Bem Estar Animal da prefeitura foi chamada e também está na delegacia.

Fonte: CidadeOn - 24/04/17

18/04/2017

Amazon inaugura espaço para funcionários deixarem seus cachorros

Coisa boa de se ler!!!
-----------
O Dog Park conta com bebedouros e playgrounds para os animais e tem capacidade para dois mil cachorros

Estudos mostram que levar um animal de estimação ao trabalho pode trazer muitos benefícios aos funcionários. Ações desse tipo diminuem o estresse, encorajam a colaboração e incentivam a criatividade. De olho nesta tendência, a Amazon inaugurou no seu escritório de Seattle, nos Estados Unidos, um espaço de 100 m² para os funcionários deixarem seus cachorros.

Chamado de Dog Park, a área conta com fontes, plataformas e pedras para os animais brincarem. O espaço fica em frente ao escritório e também está disponível ao público.

Em declaração, a Amazon informou que é “busca sempre a inovação para os consumidores e poder trabalhar ao lado dos seus animais de estimação é uma forma ainda mais especial de fazer isso.”

O espaço situado no escritório de Seattle é o segundo Dog Park da gigante norte-americana. “Ter cachorros nos nossos escritórios é uma maneira muito positiva de fazer os funcionários sorrirem mais. Temos muito orgulho de transformar essa iniciativa em uma tradição da empresa. O amor pelos animais faz parte da nossa cultura.”

FONTE: revistapegn

14/04/2017

Sorveteria para cachorros é aberta no México

Vou abrir uma aqui no Rio... alguém topa vir comigo?
------------------------
O local conta com um cardápio variado especial para os gostos caninos

Uma sorveteria para cachorros foi aberta no México. O local conta com um cardápio variado especial para os gostos caninos, acompanhado por iogurte natural e lactobacilos bons para a digestão do animal.

Segundo o dono da Don Paletto, Mauricio Montoya, a produção do sorvete passou por um acompanhamento veterinário, que desenvolveu o alimento retirando os aditivos prejudiciais para o sistema digestivo dos animais. 

Assim como os humanos, os cães também podem passar por desidratação e sofrer com a alta temperatura; a ideia da empresa surgiu como uma solução para os animais. Montoya ainda lembra que o alimento pode ser aproiveitado também pelos donos dos animais.

09/04/2017

Vídeo: mulher abandona cachorros e atropela um deles no Santo Eduardo - Maceió - AL

Não consigo me conformar que pessoas sejam capazes de tamanha covardia... ô nojo!!!!divulguem para achar esta bandida!!!!!
--------------------
Câmeras de segurança de um edifício localizado no Conjunto Santo Eduardo flagraram o momento em que uma mulher abandona dois cachorros e atropela um dos animais. 

As imagens, obtidas com exclusividade pelo Cidade Alerta e TNH1, impressionam pela indiferença com que a mulher trata os cães. Apesar de serem pequenos, não dá para saber se são filhotes ou cachorros de pequeno porte.

O vídeo mostra quando a mulher sai do carro, um Citroen C4 de cor prata, abre a porta do passageiro, retira os cachorros, os coloca em uma calçada e volta para o veículo apressada. Neste momento, os filhotes caminham em direção à frente do carro, quando a mulher, já na direção, acelera e passa por cima de um deles. É possível perceber que o veículo balança ao atropelar o cão.

Após atropelar o cachorrinho, a mulher continua a dirigir tranquilamente e não volta para prestar socorro. Quando o carro passa, o filhote aparenta estar assustado e ferido, pois não consegue andar novamente.

Apesar de o vídeo ter registrado toda a ação, a placa do carro não foi identificada por causa da baixa qualidade das imagens.
Assista:
video
Fonte: TNH1 - 07/04/17

01/04/2017

Vídeo - Moradora denuncia homem que espanca cachorros até a morte - MS

Será que tem alguém da proteção naquela localidade? a denunciante precisa de apoio
-------------
Durante filmagem, choro de cachorros é ouvido e moradora pede ajuda para resgatar animais no bairro São Jorge da Lagoa

Uma denúncia na internet mostra que, em uma residência, um morador supostamente estaria matando cachorros a pauladas. Segundo a denúncia de uma vizinha, a barbárie acontece na Rua Porto Rico, no bairro São Jorge da Lagoa, onde a denunciante, em vídeo, mostra a fachada da casa e é possível ouvir o choro de cachorro ao fundo.

Segundo ela, os vizinhos teriam medo do homem, pois ele fala que seria "louco". "Ele mata. Ele deixa o cachorro amarrado dois, três dias, agonizando e depois mata a pauladas", diz. Ela também pede ajuda de alguma ONG (Organização Não Governamental) para que algo seja feito.

"Animais são maltratados até a morte nesta residência há muito tempo e a população fica de mãos atadas, quem puder ajudar pelo menos compartilhando agradeço", diz ela na postagem no Facebook em um grupo com o nome Classificados Campo Grande.

Entre os internautas, um grupo se mobilizou para ir até o local e, segundo uma das pessoas, ao chegarem na casa, o proprietário estaria embriagado, causando medo nas pessoas. (TopMidiaNews)

Assista o vídeo:

25/03/2017

Casal que andou 80 km para não perder cachorros precisa de ajuda

Eles só dormem com os cachorros, disse a prima do casal..... É difícil as pessoas entenderem isto, né? Fazer o quê?
-----------
Casal vive com os cachorros Paçoca e Milady em um barracão após serem rejeitados no albergue 
Depois de percorrerem 82 quilômetros a pé de Rio Preto a Votuporanga, no início do mês, o casal Carlos Barbato e Renata (Lenon Vinicius de Souza) está em busca de ajuda para começar a construir uma vida a dois, ou melhor, a quatro, na cidade. 

Sem desgrudar dos dois cães vira-latas, que consideram da família, os dois esperam por oportunidades para poder começar a trabalhar e alugar um pequeno imóvel.

“Foi prometido para o Carlos começar a trabalhar como padeiro na próxima semana, mas até receber não dá pra pagar o primeiro aluguel”, disse Alexandra, prima deles. Já Renata está aguardando ser inserida em um projeto da prefeitura. “Arrumamos um cômodo por R$350. Está ótimo para eu, meu marido e nossos dois cachorros, mas está difícil este dinheiro”, contou Renata, que também aceita doações em espécie e rações para os bichinhos.

“Eles já ganharam muitos móveis, só falta sofá e guarda-roupas, que estão guardados aqui em casa”, disse a prima. A família está morando desde a terça-feira, 14, em Votuporanga. Depois de uma caminhada de seis dias passando por cidades e distritos após serem impedidos de embarcar no ônibus com os dois cachorros vira-latas, Paçoca e Milady, o casal se estabeleceu na cidade, que fica a 82 km de Rio Preto, em um barracão abandonado no bairro Boa Vista.

Ao chegarem em Votuporanga, os dois procuraram por Alexandra, que lhes oferece diariamente banho e refeições, mas para dormir eles se aconchegaram no barracão. “Eu não gosto de cachorro dentro de casa e eles só dormem com os cachorros juntos, por isso preferiram ficar no barracão”, conta a prima. Antes de se instalar no local, o casal tentou uma vaga no albergue da cidade, mas também foi recusada por causa dos cachorros. 

RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪