RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador caçada. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador caçada. Mostrar todas as postagens

18 de agosto de 2017

Caçador argentino é esmagado por elefante que ele tentava matar na Namíbia

Ah, coitado!!!!!! na verdade queria saber mesmo é do elefante que fez este belo serviço!!!!!
------------
Um caçador profissional argentino foi morto, no último sábado, enquanto tentava matar um elefante numa reserva animal privada, a 70 quilômetros da cidade de Kalkfeld, na Namíbia. Segundo informações da mídia local, o homem foi esmagado pelo elefante enquanto procurava um ponto para atirar no animal.

O caçador estava acompanhado de outro argentino e mais três guias locais no momento da morte. De acordo com a Agência de Notícias da Namíbia, o homem foi identificado como José Monzales, de 46 anos, funcionário de uma empresa de petróleo brasileira. A morte aconteceu por volta das 16h, enquanto o grupo procurava um lugar para atirar nos elefantes. Um dos animais começou a correr em direção aos caçadores até alcançar a vítima, que não conseguiu escapar e morreu esmagada.

Monzales tinha permissão para matar animais, segundo informou a agência estatal. Os familiares do caçador foram avisados da morte imediatamente, conforme informou o governo da Namíbia. "O falecido era um caçador profissional que tinha uma licença válida ", disse Maureen Mbeha, porta-voz da polícia da  da região de Otjonzondjupa ao jornal argentino "Clárin".

Fonte: EXTRA

30 de julho de 2017

Caça furtiva matou (até ao momento) 295 rinocerontes no Parque do Limpopo - África do Sul

Palavra de honra, eu não sei onde estão as pessoas que cumpliciam com estas mortes....  Caçadores são psicopatas e as pessoas que os conhecem são cúmplices....
------------------------
Caçadores furtivos mataram 295 rinocerontes este ano no Parque Transfronteiriço do Limpopo, partilhado entre Moçambique, África do Sul e Zimbabué, indicou esta segunda-feira a Administração Nacional de Áreas de Conservação (ANAC) moçambicana.

Falando num seminário sobre a criação de uma unidade de combate ao crime contra a fauna, o director de Protecção e Fiscalização da ANAC, Carlos Pereira, afirmou que quatro dos rinocerontes mortos foram abatidos no lado moçambicano do parque.

Ao longo deste ano, 95 caçadores furtivos foram detidos no parque, sete dos quais moçambicanos, disse Carlos Pereira. No mesmo período, foram apreendidas 72 armas e registaram-se cerca de 70 confrontos armados entre os caçadores furtivos e as forças da lei e ordem moçambicanas e sul-africanas.

Carlos Pereira declarou que, em 2016, os caçadores furtivos abateram 667 rinocerontes e 92 elefantes no Parque Transfronteiriço do Limpopo e foram detidos 363 caçadores furtivos, incluindo 184 moçambicanos.

"Os indicadores de tendência são preocupantes, porque ainda não estabilizámos as perdas, o que quer dizer que temos uma curva ascendente", declarou o director de Fiscalização e Proteção da ANAC. Carlos Pereira disse que Moçambique ainda não conseguiu estancar a caça furtiva, muito menos baixar o abate de animais selvagens.

FONTE: sapo.pt

24 de julho de 2017

A exploração de cães greyhound em corridas e caçadas

Esta raça de cães é super explorada em corridas e caças. Quando não servem mais aos propósitos humanos, são descartados da forma mais cruel possível.... enforcados ou abandonados para morrerem de fome.... Queria tanto ver uma luz no fim do túnel....
------------
Por detrás das cenas de treino deprimente e cruel de greyhound em Lixnaw, na Irlanda. Galgos forçados a andar em círculos enquanto amordaçado. Não é mau o suficiente para os galgos estarem presos em canis até 23 horas por dia?

4 de junho de 2017

Oitenta e quatro baleias são mortas durante primeira temporada de caça nas Ilhas Faroé

Que coisa desesperadora!!!!!! Confiram nossas postagens sobre tamanha crueldade praticada contra estes seres magníficos e inocentes....
--------------------
Ativistas estão de luto pela perda de 84 baleias-piloto que foram assassinadas na primeira caça nas Ilhas Faroé neste ano.
Durante as temporadas de caça que ocorrem anualmente na região, grupos inteiros de baleias-piloto e outros pequenos cetáceos são conduzidos para uma baía por embarcações e a água fica vermelha com o sangue dos animais brutalmente mortos.

Além de serem encurraladas, as baleias sofrem o extremo estresse de testemunhar a morte dos membros de suas famílias.

Robert Read, diretor de operações do Sea Shepherd UK, descreveu o horror mais recente: “O sofrimento causado durante várias horas é incrivelmente cruel enquanto o grupo é conduzido por dezenas de barcos. As baleias-piloto são mortas durante um período prolongado (de minutos a algumas horas) na frente de toda a família enquanto são encalhadas na areia, em rochas ou apenas lutam em águas rasas até que não reste nenhuma. Toda baleia-piloto do grupo é morta, incluindo mães grávidas, jovens, bebês. Ninguém é poupado das facas”.

O Sea Shepherd aumentou a conscientização sobre a prática bárbara documentando a perda trágica e violenta das vidas dos animais e, assim, despertando a indignação de pessoas em todo o mundo.

Ainda assim, as caçadas continuam, como Read apontou. Neste ano, os relatórios sobre o número de baleias-piloto perseguidas estavam imprecisos e não estava claro quantas foram realmente mortas até a contagem final dos corpos, segundo o Care2.

Há esperança de que aqueles que autorizam esse horror sejam responsabilizados.
Embora os moradores das Ilhas Faroé sejam autônomos, a Dinamarca controla a área, desde o policiamento até a moeda e a troca com membros da União Europeia. O Sea Shepherd tem se empenhado para responsabilizar a Dinamarca por não apenas permitir a caça de baleias, mas também por adotar ações que a apoie.

No início deste mês, com o apoio de 27 deputados do Parlamento Europeu, a Sea Shepherd da Holanda apresentou formalmente uma queixa à Comissão Europeia exigindo processos de infração contra a Dinamarca por facilitar a morte dos cetáceos, que são protegidos pela Proteção de Habitats Naturais e da Flora e Fauna Selvagens na União Europeia.

“É proibido matar baleias e golfinhos na Europa. Ao apoiar as Ilhas Faroé no assassinato de baleias-piloto e outros cetáceos, a Dinamarca facilita a matança e não cumpre as obrigações da União Europeia. O governo da Dinamarca mostrou interesse em fazer o que for possível para garantir que as mortes continuem”, disse Geert Vons, diretor da Sea Shepherd da Holanda.

Fonte: ANDA

26 de maio de 2017

Homem tenta atirar em javali e mata a própria esposa

Tenho pena da pobre mulher, mas, quero que este mequetrefe vá p´ro inferno! tomara que morra de tanto chorar!!!!! Deus que me perdoe!!!!
-----------
A polícia de Tabapuã deve investigar a morte de uma mulher de 30 anos na noite deste último domingo (21) no bairro rural Estrela. 

Segundo a Polícia Militar, Claudia Eduarda Zanela foi morta com tiro nas costas pelo próprio marido que saia para caçar javali. O irmão de Carlos Alexandre Corredeira, de 25 anos, contou aos policiais que os dois siariam para caçar quando Carlos colocou a arma em cima da mesa e um único disparo acertou as costas de Claudia. Equipes de resgate de Tabapuã chegaram a ser acionadas, mas a mulher já estava sem vida. 

De acordo com o sargento da Polícia Militar, Rodrigo Ronaldo Pimenta, vizinhos ouviram o barulho do tiro e ligaram 190. “Ao chegar no Sítio Santa Rosa, nesse bairro rural Estrela, nossos policiais encontraram o homem chorando e a arma em cima da mesa”, conta. 

O irmão do suspeito contou ainda que o casal vivia bem e não brigava. Claudia tinha um filho de sete anos com o rapaz e outras duas filhas, uma de 14 e outra de 15 anos de seu primeiro casamento. 

A arma, uma espingarda cartucheira foi apreendida. Carlos que foi preso em flagrante por homicídio e posse ilegal de arma, foi levado para a cadeia de Catanduva. 

O corpo de Claudia está no IML de Catanduva e ainda não há previsão do velório e de enterro. Nossa reportagem tentou contato com o delegado da cidade, mas ele não foi encontrado para falar sobre o crime.

24 de maio de 2017

Filha de caçador morto ao ser esmagado por um elefante, faz tributo ao pai.

Publicamos ontem este belo feito do pobre elefante que antes de morrer matou este caçador maldito. Agora, a filha dele, a continuar com esta psicopatia do pai, vai p´ro mesmo lugar no inferno!!!! 

Vejam no vídeo ao final o criminoso carregando um leopardo morto em uma caçada. É nojento demais a gente assistir estas cenas e não saber o que fazer para impedir este massacre aos animais por pura diversão. 

Ou melhor, nós sabemos: uma bomba nuclear com nomes específicos para explodir!!!! Reparem no mesmo vídeo que crianças muito pequenas estão envolvidas nestes momentos sangrentos..... Gente podre!!!!  Deus! ó Deus! onde estás que não respondes? (Castro Alves em vozes da África)
-------------
A filha do caçador de animais selvagens que foi esmagado até a morte no ultimo sábado quando um elefante caiu em cima dele, publicou um tributo no seu Facebook.

Carmen Botha, de 21 anos, carregou uma imagem de si mesma quando criança ao lado do pai Theunis enquanto agarra um rifle e descansa suas mãos em uma gazela morta. O post apareceu no domingo sem nenhuma legenda, e rapidamente atraiu centenas de gostos e comentários de pessoas enviando suas condolências.

Paul Scott escreveu: "Estamos enviando orações da Inglaterra para você e sua família." Enquanto isso Moisés Mohale acrescentou: "Meus sinceros sentimentos. Deus ajude você e sua família nestes tempos difíceis".  
  
Theunis, 51, conhecido líder de safari e caçador da África do Sul, morreu durante uma viagem de caça em Gwai, no Zimbábue, quando seu grupo encontrou um rebanho de elefantes. O grupo abriu fogo contra os elefantes, que ficaram assustados e  dispararam.  

Um elefante fêmea, então, pisou em Botha com seu corpo. Em uma tentativa de salvar Botha um dos caçadores atirou no elefante, mas isso fez com que o animal moribundo caísse sobre ele, esmagando-o até a morte.

Botha morava com sua esposa Carika e seus cinco filhos e moravam em Tzaneen, África do Sul. Theunis era um caçador bem conhecido e trabalhava numa empresa que oferecia caçadas.  

Carmen postou várias imagens de si mesma com o que parece ser troféus de caça. Espera-se que Carika faça a viagem ao Zimbábue nos próximos dias para identificar o corpo de seu marido e depois levá-lo para casa.

Botha era um caçador altamente-considerado e conduziu inúmeros safaris de caça de leopardo e leões com um grupo de cães da  empresa que trabalhava Game Hounds Safaris

Carmen parece que gostava muito do pai pois publicou várias imagens dela com seu pai e praticando caça como uma homenagem.
   
Fonte: Daily Mail
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"

18 de maio de 2017

Mais de 9 mil assinaram petição: Parlamento debaterá fim da caça à raposa

Bem, Portugal tinha que banir a caça do país, não? Libera a raposa, mas, e o resto dos bichos? 
-----------
Movimento pela Abolição da Caça à Raposa diz que “142.480 raposas foram mortas entre 2005 e 2015” e classifica a prática de “cruel e bárbara”.

Vai ser discutida na Assembleia da República uma petição pelo fim da caça à raposa. A iniciativa é do Movimento pela Abolição da Caça à Raposa e colheu o apoio de mais de nove mil signatários.


A petição será entregue no Parlamento na próxima quinta-feira pelas 14 horas. “Estamos no século XXI e parece-nos indicado pedir ao legislador que repense a forma como esta atividade está legislada. Vários outros países estão avançar no sentido de restringir a caça e o caminho natural será que no futuro esta seja totalmente abolida”, reivindicam os signatários.

Na iniciativa publicada no site Petição Pública, é expressa “preocupação com a normalização de uma atividade que, ao contrário do que muitas vezes é defendido, não pretende proteger espécie alguma, mas sim dizimá-la” e é pedido “que o legislador avance mais um pouco para controlar um flagelo que acontece com animais cuja proteção também é da sua responsabilidade”.

Em comunicado enviado às redações, o Movimento pela Abolição da Caça à Raposa explica que “pelo menos 142.480 raposas foram mortas entre 2005 e 2015” e que “entre 15 a 20 batidas foram organizadas durante os meses de janeiro e fevereiro, precisamente durante a época de acasalamento, em que as raposas são mais suscetíveis de caçar”.

“Não há bases científicas que suportem e demonstrem um excesso populacional de raposas”, asseguram os responsáveis pelo movimento, convictos de que a caça à espécie “trata-se de uma prática cruel e bárbara” e “contrária aos esforços de educação ambiental atuais”.


No site do Parlamento português é explicado que qualquer petição subscrita por um mínimo de mil cidadãos é, obrigatoriamente, publicada no Diário da Assembleia da República e, se for subscrita por mais de 4.000 cidadãos, é apreciada em Plenário da Assembleia.

11 de maio de 2017

PF investiga grupo que caçou 170 animais silvestres ilegalmente

Pois é..... e precisa lei para permissão de caça? não me faça de palhaça...... quero ver estes caras pagando o preço desta caçada..... quero ver....
------------------------
A Polícia Federal (PF) desencadeou nesta sexta-feira (5) a operação Dia da Caça, para combater a caça ilegal de animais silvestres em cinco cidades dos estados de Pernambuco, Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Segundo a corporação, o grupo investigado caçou pelo menos 170 bichos, inclusive de espécies em extinção.

Foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva. Os alvos estavam nas cidades de Arcoverde (PE), Campo Largo (PR), Joinville (SC), Cruzeiro (SP) e Lorena (SP). A PF não divulgou qual a finalidade da caça e se os acusados tinha alguma relação entre si.

A investigação foi motivada por uma denúncia. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) a confirmou ao constatar que pessoas postavam nas redes sociais vídeos e fotos de caça não autorizada. Os investigados responderão pode crimes de maus tratos, caça ilegal de animais e porte de arma de fogo.

FONTE: jb

27 de abril de 2017

Enquete: o que você pensa sobre o uso de cães na caça ao javali?

Caçador é nojento mesmo.... são psicopatas.... gente do capeta!!!!! Estão desesperados porque o IBAMA vai soltar o Plano de Manejo do javali retirando os cachorros durante sua caça. 

Estes caras estão preocupados com outras coisas, menos socorrer agricultor que tem suas plantações atingidas pelos javalis. 

Agora, estas figuras do mal, estão fazendo uma campanha danada contra esta decisão do IBAMA. Vejam a matéria feita pelo Canal Rural que está a favor dos psicopatas.

Agora, por favor, vamos votar na pesquisa que o Canal Rural está fazendo que está 90% a favor de manter os animais e, apenas, 10% contra. CLIQUE AQUI PARA VOTAR.

26 de abril de 2017

Bloco e PAN querem proibir caça com matilhas - Portugal

Olha, este projeto de Portugal vai de encontro com o que penso. É crime aqui no Brasil promover luta entre animais e a covardia no embate de cães e javalis é repugnante. Digam: se os caçadores usam armas, para que cachorros? ou vice-versa, se esfaqueiam os javalis após uma matilha de cães ataca-los, para que as armas?
------------------------
Em iniciativa conjunta, o Bloco de Esquerda e o PAN propõem a proibição da utilização de matilhas como meio de caça e que apenas as matilhas já existentes e legalizadas possam continuar com atividade cinegética.

Numa iniciativa conjunta trabalhada desde há vários meses entre o Bloco de Esquerda e o PAN, os partidos propõem proibir a utilização de matilhas de cães como meio de caça, estabelecendo que apenas as matilhas já existentes e devidamente legalizadas podem continuar a participar na atividade cinegética e impedindo o licenciamento de novas matilhas ou a adição de cães às já existentes.

Segundo dados do Ministério da Agricultura, existem registadas em Portugal 792 matilhas, não havendo condições de contabilizar o número de matilhas ilegais. Neste processo de caça, os cães funcionam como arma usado contra o animal a ser caçado, isto porque é da luta entre os cães e a presa que resulta a morte ou quase morte desta. Esta situação consubstancia uma verdadeira incoerência legal, visto a luta entre animais já ser proibida em Portugal pelo Decreto-Lei n.º 315/2009, de 29 de Outubro.

O legislador considerou censurável a promoção de luta entre animais, designadamente entre cães, por concluir que a mesma é degradante para o ser humano e pode potenciar o carácter agressivo de determinados animais. "Então, tratando-se da luta entre um cão e um javali já é menos censurável? E se forem trinta ou quarenta cães contra um javali? Não cremos”, afirmam ambos os partido na exposição de motivos do projeto-lei.

Este projeto-lei deu entrada na Assembleia da República juntamente com um conjunto de outras cinco propostas de alteração feitas pelo PAN ao regime jurídico da caça.

FONTE: esquerda

6 de abril de 2017

Homem é multado por caça ilegal e maus-tratos a animais em Canitar

E os animais, qual foi o destino? Gente, precisamos escrever sempre para estes jornalistas cobrando uma matéria decente.... Poxa, o profissional não tinha que perguntar o que foi feito deles? É um nojo mesmo!!!!!
---------------------

Um homem foi multado em R$ 6 mil por caça ilegal e maus-tratos a animais depois de ser flagrado com dois cães da raça Americano amarrados em uma corda e bastante sujos. O flagrante foi feito na segunda-feira (3), durante uma fiscalização de rotina em Canitar (SP).

Durante a abordagem, os policiais ambientais constataram que um deles estava com um corte profundo na região lombar, provavelmente provocado por animal silvestre, enquanto o outro estava com a orelha esquerda mutilada e sujo de sangue.

Além disso, foram apreendidos com o suspeito duas armadilhas de fabricação caseira e um facão. O homem foi multado e vai responder em liberdade por caça ilegal e maus-tratos a animais.

28 de março de 2017

Superpopulação de javalis tem impacto ambiental no Cerrado. Prende quem os soltou na região!

Eu só queria saber porque as autoridades não fazem cumprir o art. 31 da Lei de Crimes Ambientais que diz que deve ser penalizado aquele que:  "Introduzir espécime animal no País, sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida por autoridade competente: Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa." . Ora, javali foi solto na natureza aqui no Brasil, comprovadamente, por pessoas interessadas em explorar a caça. Provei isto através de documentação e o IBAMA cancelou em 2010 a portaria que permitia a caça deste animal. Infelizmente, através de manobras obscuras de políticos, a permissão voltou em 2013. De que adiantou a matança se a população continua aumentando? Questão de matemática......
------------------------
Controle de ocorrência da espécie exótica é regulamentado, e há regras para evitar o abate de animais nativos, como tatus, tamanduás, pacas e caititus

A introdução de animais exóticos no Cerrado, como o javali, leva ao desequilíbrio do ecossistema de diversas formas. Uma vez na região, ele disputa — em vantagem — território e alimento com as espécies nativas que ocupam o mesmo nicho ecológico, como o caititu. Outro problema é que a caça do invasor abre brecha para o abate proibido de espécies da fauna local, como tatus, tamanduás e pacas.

Para coibir essa prática e outros tipos de crime ambiental, o Grupamento de Operações no Cerrado (GOC), ligado ao Comando de Policiamento Ambiental (Cpam), da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), faz fiscalização periódica nas áreas rurais de todo o DF.

Em 2016, o GOC fez 81 flagrantes de crimes contra a flora ou a fauna. Apreenderam-se 12 armas de fogo — um dos recursos usados para a caça de animais silvestres. Além disso, 90 pessoas foram conduzidas a delegacias no período.

Uma das frentes de trabalho do grupamento consiste em evitar que os caçadores se aproveitem do abate autorizado do javali para matar animais silvestres. Para isso, monitora as áreas de ocorrência da atividade, mapeia armadilhas e monta operações.

"Temos um trabalho contínuo de combate à caça irregular em todo o Distrito Federal"
1º sargento Luciano Cunha, integrante do Grupamento de Operações no Cerrado

O objetivo é flagrar quem descumpre a lei. “Temos um trabalho contínuo de combate à caça irregular em todo o Distrito Federal”, afirma o primeiro-sargento Luciano Cunha, da PMDF, integrante do grupamento.
Um animal invasor declarado nocivo em todo o País

A caça do javali é regulamentada em todo o País desde 2013, quando o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) declarou o animal nocivo em todo o território brasileiro.

Como eles têm hábito noturno, escondem-se em corredores de vegetação nativa e nos arredores de lavouras durante o dia.

À noite, no entanto, eles saem em busca de comida e atacam tanto a vegetação natural quanto cultivos de grãos. “O javali tem hábito generalista, come arbustos, revira o solo em busca de raízes, desfaz ninhos. Ele destrói os locais por onde passa”, explica a gerente de Fiscalização de Fauna, do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Karina Loureiro Kegles Torres.

O problema pode se tornar ainda mais grave se o javali invadir unidades de conservação de proteção integral. Nesse caso, o impacto em locais ambientalmente sensíveis pode pressionar ainda mais as áreas e provocar desequilíbrios drásticos.

Para acompanhar a situação, o Ibram mantém câmeras tipo trap (armadilha, em inglês), acionadas quando detectam movimento, em pontos da zona rural de Planaltina e do Paranoá. Em algumas das filmagens (veja o vídeo), é possível identificar caçadores e cães errantes em regiões de ocorrência dos javalis.


A espécie costuma atacar outros animais da fauna local. “O javali é agressivo e não tem predador natural no Cerrado”, destaca Karina. O intenso impacto que causa se amplia pelo fato de se reproduzir rapidamente e ocupar o nicho ecológico do caititu. “Ele pressiona o nativo, ocupando o espaço físico e tirando o alimento dele. Nessa competição, o nativo perde sempre”, avalia a gerente de Fiscalização de Fauna do Ibram.

De nome científico Sus scrofa, ele é de origem europeia, mas se adaptou muito bem ao Brasil. Foi trazido para fim comercial na década de 1980. Mas a atividade foi proibida em 1998, e os criadores optaram por soltá-lo no meio natural. Dessa forma, a espécie se espalhou pelos estados, e no DF encontrou oferta de alimento.

Como é feito o controle populacional do javali

Uma forma de combater a superpopulação da espécie foi autorizar o abate por pessoas com inscrição no Cadastro Técnico Federal (CTF), ligado ao Ibama. O registro é autodeclaratório e deve ser renovado anualmente. Para emiti-lo, a pessoa deve ter posse de arma, no caso de atividade de caça.

"O javali tem hábito generalista, come arbustos, revira o solo em busca de raízes, desfaz ninhos. Ele destrói os locais por onde passa"
Karina Loureiro Kegles Torres, gerente de Fiscalização de Fauna do Ibram

Por se tratar de registro generalista e não licenciamento — o que exigiria mais rigor na concessão —, o CTF dá margem para que mal-intencionados pratiquem caça ilegal. “A forma como o CTF está estruturado coloca muita gente no bolo, como quem não tem técnica para caçar ou quem não tem conhecimento e não vai diferenciar o javali do cateto ou da queixada”, lista Karina.

Outro problema é usar cachorros para esse fim. “O javali pode atacar o cão e, dessa forma, os dois animais sofrem. O abate tem que ser feito de uma única vez”, afirma a servidora.

Para fazer o controle populacional de javali, os caçadores devem obedecer a uma série de regras estabelecidas pela Instrução Normativa nº 3, de 31 de janeiro de 2013, do Ibama.

Uma delas é que o animal não pode ser transportado, seja vivo ou morto. Ele deve ser abatido, e a carcaça, deixada no local. O consumo da carne, por sua vez, é proibido por razões sanitárias.

Além disso, é obrigatória a apresentação do CTF durante a caça. “A pessoa deve estar com o documento quando for a campo”, destaca o primeiro-sargento Cunha.

Outra exigência é a autorização dos donos das propriedades para a atividade. “Ocorre muito de os caçadores entrarem nas terras sem o consentimento do proprietário.”

São as seguintes as regras para caçar javali, conforme a Instrução Normativa nº 3, de 31 de janeiro de 2013, do Ibama:


  • O controle populacional do javali pode ser feito por meio de perseguição, abate, captura e eliminação dos animais
  • Armadilhas que capturem e mantenham o animal vivo só são permitidas se não infligirem sofrimento ao animal
  • Estão proibidas as armadilhas que matam ou ferem com laços e dispositivos que envolvam o acionamento de armas de fogo (conhecidas como canhão)
  • O controle de javali em propriedades particulares deve ser consentido pelos proprietários ou detentores dos direitos de uso da terra
  • Os produtos e subprodutos obtidos do abate dos javalis não podem ser comercializados ou distribuídos
  • Os javalis devem ser abatidos no local da captura. Não é permitido o transporte de animais vivos
A legislação que vai atualizar o diagnóstico e os procedimentos em relação ao animal — Plano Nacional de Prevenção, Controle e Monitoramento do Javali em estado asselvajado — está em elaboração em âmbito federal.

Perfil de quem pratica a caça de animais silvestres

Os caçadores agem em grupos, divididos em áreas de atuação em todo o DF. Em geral, eles são moradores ou pessoas que conhecem bem a região em que praticam o crime ambiental.

“Existe uma cultura da caça, um hobby passado de pai para filho. Os caçadores são pessoas com profissões variadas, não dependem disso para viver. Na maioria dos casos, fazem isso por diversão”, explica Cunha.

Espécies como o tatu, a paca e o caititu estão entre as mais visadas. A carne delas abastece o comércio ilegal em feiras no DF. Para atraí-las, os caçadores montam armadilhas de diversos formatos, como as que imitam chiqueiros, que deixam os animais presos por dias.

Em outros casos, é montada a ceva, uma estrutura de cano PVC preenchida com milho. Uma vez instalada a armadilha, o caçador fica à espera do animal para atirar nele à distância.
Existe uma cultura da caça, um hobby passado de pai para filho no Brasil. São pessoas que em geral não dependem disso para viver e o fazem por diversão

Esses instrumentos são acompanhados pelo GOC para a obtenção do flagrante de crime ambiental. “Temos um trabalho de inteligência para descobrir quem são as pessoas envolvidas com o crime”, conta o primeiro-sargento.

Ocorre também de os criminosos serem pegos nas rondas de rotina do grupamento. A divisão existe há 10 anos e é a responsável pelo policiamento das áreas rurais. Além disso, o GOC oferece treinamento especializado a policiais e servidores dos órgãos ambientais no DF.

A caça silvestre é vedada em todo o País pela Lei nº 5.197, de 3 de janeiro de 1967, também chamada de Lei de Proteção à Fauna. Do ponto de vista ambiental, a atividade oferece risco à biodiversidade, uma vez que reduz populações que já estão ameaçadas de desaparecimento.

Além disso a Instrução Normativa nº 3 também impede o uso de produtos ou métodos que afetem outros animais que não sejam o javali.

20 de março de 2017

Nas mãos de quem estão os pobres pits.....


Todo dia recebemos denúncias de cachorros estraçalhados durante a captura de javalis. Agora, precisamos saber: se eles derrubam javalis num verdadeiro espetáculo de tortura através de mordeduras de cães e depois usam a faca para sangrar, me digam para que a arma? Pela quantidade de cães machucados agora estão usando colar e colete.... Vejam as fotos o horror......



Olhem onde a pobre fica....

já leva ela cruzada.... 



18 de março de 2017

Como seria um safari humano segundo Rémi Gaillard






Muito bom!!!!!!! vale a pena compartilhar !!!! o vídeo é de agosto de 2016 e eu não tinha visto.... achei ótimo por sua mensagem educacional....
----------------------






22 de dezembro de 2016

Pacote de caçada com filhos de Trump custa entre US$ 25 mil e US$ 1 mil

Por um motivo ou por outro, dizem que tudo que acontece no mundo tem o aval de Deus, mas, eu tenho minhas dúvidas..... Será que ele não moscou quando deixou este cara vencer a eleição americana? Já li em vários lugares profecias dizendo que Obama foi o último presidente dos EUA.....  mayday  mayday  mayday  mayday !!!!!!
------------------------
Donald Trump Jr. e Eric Trump, filhos de Donald Trump, estão organizando um fundraiser para o dia seguinte após a posse do bilionário como presidente dos Estados Unidos, no dia 20 de janeiro, no qual oferecerão pacotes de viagens para caça e pesca em vários destinos do país. Os valores dos pacotes variam de US$ 25 mil (R$ 83,8 mil), para duas pessoas, até US$ 1 milhão (R$ 3,3 milhões), para 16 pessoas, e ainda com direito a tirar uma foto com Trump.

Apesar de parecer polêmica para muitas pessoas, a ideia de Eric e Donald Jr. é defendida por eles como uma forma de celebrar uma das maiores

19 de dezembro de 2016

Cerca de 600 mil ursos são mortos em temporada de caça nos EUA

Revolta qualquer cristão!!!!!! é nojento demais!!!!! é podre demais!!!!!!!!!! covardia!!!!!
------------------------
Caçadores mataram mais 27 ursos negros em Nova Jersey (EUA) embora mais de 500 indivíduos da espécie tenham sido assassinados na região em outubro.

Isto significa que 589 ursos foram mortos até agora neste ano em Nova Jersey, o que chega perto de bater o recorde de 2010 quando a caça reabriu e 592 ursos foram mortos.

O segundo segmento da temporada de caça de ursos recém-estendida começou na segunda-feira (5). O início da caça, que ocorreu em outubro,

16 de dezembro de 2016

Veterinário italiano que posava ao lado de animais abatidos morre durante caça

Como disse uma amiga, notícia boa para o final de semana, né? Depois da matéria, estou publicando um vídeo sobre as ações feitas pela proteção animal italiana contra este veterinário psicopata desde nov/2015 e um outro sobre a notícia de sua morte...... YESSSSS!!!! 
-------------
Luciano Ponzetto postava imagens dos animais que caçou no Instagram
O veterinário italiano Luciano Ponzetto é um velho conhecido das redes sociais: ao longo dos últimos anos, ele se tornou alvo de uma grande polêmica ao postar imagens suas ao lado de animais que matou. Ponzetto morreu nesta semana enquanto caçava pássaros na região de Turim, na Itália. Ele

5 de dezembro de 2016

Cresce o número de elefantes africanos nascidos sem presas

Leitora Verônica nos mandou a matéria com o comentário de que a natureza estava criando um mecanismo de defesa.... Realmente, mas, que tristeza porque os elefantes usam as presas para cavucar a terra por vários motivos
Colaboração: Helô Arruda
----------------
Um número cada vez maior de elefantes africanos nasce agora sem as presas, porque os caçadores ilegais têm caçado, consistentemente ao longo de décadas, os animais com o melhor

18 de novembro de 2016

Redes sociais reforçam caçada a misterioso serial killer de gatos em Londres

Quem precisa neste mundo de um ser psicopata como este? 
------------------------
Um misterioso serial killer de gatos tem tirado o sono dos donos de animais de estimação em Londres.

A caçada ao criminoso, suspeito de ter assassinado mais de cem felinos, ganhou agora o reforço das redes sociais. Ativistas de direitos dos animais e voluntários buscam pistas no Facebook e no Twitter para ajudar a polícia a capturar o chamado #UKCatKiller (matador

17 de novembro de 2016

Animais: outro grupo que perde com a vitória de Trump

Minha Santa dos Disparates, onde estava a cabeça dos americanos ao votarem neste homem?  Agora, o mundo está nas mãos de loucos.... Estamos ferrados.....
------------------------
Correntes são usadas para amarrar as patas de um elefante depois que ele foi pego durante uma caçada em Phnom Penh, no Camboja/ Foto: ll Heng Sinith/Associated Press

O reino animal vai perder um dos seus maiores defensores quando Barack Obama deixar a Sala Oval, já que através de uma série de regulamentações administrativas críticas ele fez mais para proteger os animais do que qualquer outro presidente na história recente. A sua