RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador cães abandonados. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador cães abandonados. Mostrar todas as postagens

5 de agosto de 2017

Após denúncia, 12 cachorros abandonados são resgatados de casa no DF

Pois é.... um caso deste perante a justiça americana, a responsável pelos maus-tratos a estes animais, seria presa imediatamente. No nosso Brasilzilzil.... ela, se condenada, vai pagar cestas básicas ou cumprir serviços comunitários..... Aqui, o criminoso confere que vale a pena ser bandido..... ô nojo!!!!!
--------------
Cães foram encontrados pela Polícia Militar com fome, sem água e sem comida no Guará I. Dona dos animais foi localizada e deve prestar esclarecimentos à Justiça, segundo PM.

A Polícia Militar do Distrito Federal resgatou 12 cachorros – dois adultos e dez filhotes – em uma casa abandonada no Guará I na tarde desta quinta-feira (4). A busca pelos animais ocorreu após denúncia de abandono e maus-tratos feita por uma advogada que também atua, de forma independente, como protetora de animais.

A advogada, Ana Paula Vasconcelos, contou ao G1 que a casa estava vazia e que a dona só aparecia “de vez em quando". Segundo ela, os animais foram encontrados famintos, sem água nem comida e em um local muito sujo, com fezes, uirna e restos de jornais. “Estavam com tanta fome que jogamos ração num local mais limpo e elas puxavam com a pata, sem levantar."

De acordo com a PM, os animais estão em um abrigo provisório de um grupo de proteção e só ficarão disponíveis para adoção após decisão judicial. “Eles estão à disposição da Justiça e não podem ser adotados enquanto não houver audiência. Mas, posteriormente serão", disse Ana Paula. “Agora vão receber tratamento veterinário, porque a saúde está debilitada. Estão abaixo do peso e doentes”.

A dona dos animais e da casa foi localizada e compareceu ao local no momento do resgate, segundo a polícia. "Ela assinou um termo de compromisso para comparecer a justiça, a fim de prestar maiores esclarecimentos dos fatos", disse o sargento de policiamento ambiental Luciano Alves.

Fonte: G1 - Distrito Federal

22 de julho de 2017

Homem vende a própria casa para cuidar de mais de trinta cães abandonados na cidade de Monteiro - PB

Já vi tanto protetor ficando sem teto para atender as necessidades dos seus animais.... e aí ele mesmo passa a ser o necessitado.... É terrível a indiferença do poder público que não oferece uma solução para os animais abandonados e a penalidade para a irresponsabilidade da sociedade.
--------
Por conta da grande quantidade de animais neguinho não teve condições de continuar morando na zona urbana o que forçou o mesmo a vender sua casa e mudar-se para o sitio

Há mais de 12 anos que  Edimarcio Pereira, “Neguinho dos Cachorros” como e mais conhecido dedica todo seu tempo para cuidar dos animais que ele mesmo recolhe pelas ruas da cidade de Monteiro no Cariri da Paraíba.

Por conta da grande quantidade de animais neguinho não teve condições de continuar morando na zona urbana o que forçou o mesmo a vender sua casa e mudar-se para o sitio Anjiquinho para abrigar todos os animais.

Sem qualquer ajuda de órgãos governamentais Edimarcio mantém os animais através de doações de alimentos vencidos, restos de ossos e partes de animais abatidos que não servem para o consumo humano ambos doados por donos de frigoríficos.

Sem condições os animais se alimentas a cada 2 dias, não tem vacinas, consultas veterinárias e até remédios o que leva ao óbito de alguns que já chegam doentes por maus tratos de seus antigos donos, pode faltar qualquer coisa menos amor e carinho de toda família.

“Mas eu tô fazendo milagres só pra eles se manterem vivos né? Fome eu não vou negar que eles passam é tanto que estão magrinhos” disse  Edimarcio

As doações podem ser feitas em contato com o Portal TV Cariri pelo WhatsApp: (83) 9.8101-0083 ou com o próprio Edimarcio : (83) 9.9963-2758.

FONTE: clickpb

7 de julho de 2017

Expedição denuncia problema de cães abandonados em Ilha Grande - RJ



O que eu fico muito feliz é que o assunto está sendo motivo de muitas matérias jornalisticas que nos ajudam bastante na conscientização da sociedade quanto ao abandono de animais. E legal saber que temos um dos nossos naquela Ilha tão querida p´ra mim.....
----------

25 de junho de 2017

Cães invadem praça da Matriz em Iguatu - Ceará

Tenho a maior preocupação quando cães abandonados nas ruas formam matilhas. Geralmente, são apreendidos ou mortos envenenados. Seria bom algum protetora da área dar uma olhada nisto
----------
Quem passou pela Praça da Matriz no centro de Iguatu na manhã desse feriado de Corpus Christi, 15/06, deparou-se com uma grande quantidade de cães soltos, perambulando de um lado pro outro da rua, colocando em risco os que trafegam de carros e motos. Muitos motoristas tinham que frear quase em cima dos animais para não ter que atropelá-los.

Algumas pessoas que estavam sentadas na Praça, pediram à reportagem que pudesse mostrar o fato e chamar a atenção do centro de controle de zoonoses no sentido de recolher esses animais, que podem ser mortos atropelados, como causar graves acidentes aos que trafegam por ali.

Lavadores de carros disseram que quase todo dia é assim: esses cães tomam conta da praça em busca de cadelas no cio.



FONTE: maisfm

10 de junho de 2017

Câmara realiza audiência sobre situação dos animais que vivem nas ruas de Uberlândia

Muito bom!!!!! o problema é de todos..... políticas públicas são necessárias para ontem não só em Uberlândia, mas, em todo país.
--------------
Maus-tratos, castração e criação de local para acolher cães e gatos foram os assuntos tratados na sessão.
Foi realizada na tarde desta quinta-feira (8) uma audiência no plenário da Câmara de Vereadores de Uberlândia para tratar da realidade e das perspectivas de animais que ficam nas ruas da cidade. São quase 20 mil animais que vivem nesta situação. Na ocasião foram discutidos os casos de maus-tratos que vêm crescendo no município, o aumento no número de castração dos bichos e a criação de um local que acolha e proteja cães e gatos que estejam nessa situação.

Além de fome e frio, muitos animais sofrem maus-tratos, um dos temas 
discutidos na audiência (Foto: MGTV/Reprodução.)  

Vereadores, deputados, representantes das polícias Civil e Militar de Meio Ambiente, bombeiros e pessoas ligadas à Organizações Não Governamentais (ONGS) e protetoras de animais participaram do debate. Durante a audiência foi dito que um casal de cães e os descentes em condições favoráveis podem gerar 80 milhões de animais em dez anos. Um número que pode diminuir nas ruas, porém mostra a importância da castração.

O Hospital Veterinário da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) realiza o procedimento, mas não consegue atender a demanda do município. No mês passado, quando o “Castramóvel” esteve na cidade, foram realizados 600 atendimentos em 10 dias.

Outro problema são os maus-tratos que os animais sofrem. As ocorrências tiveram aumento de janeiro a abril deste ano. Foram registradas 26 ocorrências na cidade, já no mesmo período do ano passado foram 17 casos. A vereadora Michele Bretas afirma que somente com penas mais duras, a situação pode melhorar. “Quando algumas pessoas forem punidas por cometer maus-tratos certamente estes dados podem cair,” disse. A legislação brasileira tem pena de três meses a um ano de detenção pela prática de maus-tratos, além de multa.

O Ministério Público Estadual deseja soluções rápidas para a situação dos animais em Uberlândia, o promotor Breno Lintz afirmou que ainda este mês vai entrar com uma ação para que o município disponibilize um local para acolhimento, tratamento e esterilização dos animais. “ Nós temos que recolher e cuidar dos animais porque eles não nasceram do asfalto e foram colocados na rua pelos próprios cidadãos,” concluiu.

17 de maio de 2017

Abandonados em Portugal e adotados em outros países da Europa

Eu fico emocionada com o trabalho de certas pessoas e ONG´s da proteção animal... São coisas mirabolantes e que exigem muito empenho e dão muito trabalho..... Adoção internacional é super hiper trabalhoso e tem um simbolismo impagável..... Axé para todos!
------------------------
Adoção internacional é uma tendência cada vez mais presente e já salvou muitos cães.

Mais de uma dezena de cães que estavam à guarda do canil municipal de Évora já foram adotados por famílias estrangeiras no âmbito do projeto ‘Fiel Out of Portugal’. Fénix e Yoda serão os próximos. O programa que promove a adoção internacional foi criado pelo serviço veterinário municipal para alterar comportamentos e mentalidades quanto aos nossos melhores amigos de quatro patas e encontrar nova casa para aqueles que a perderam. E o seu sucesso reflete uma tendência cada vez mais forte a nível global.

O projeto desenvolvido em Évora por voluntários permitiu já enviar 15 cães para lá da fronteira, designadamente para a Bélgica e Holanda.

"Estes países, por oposição ao que se passa em Portugal, há muito que praticam a adoção responsável de animais e a esterilização, daí que não haja sobrepopulação nem abandono", explica a veterinária.

O processo de adoção acaba por ser "muito simples". "Temos dois intermediários, uma senhora holandesa residente em Estremoz e um jovem estudante de Veterinária, da Universidade de Évora, com dupla nacionalidade, que fazem a ponte entre o canil municipal e as associações protetoras dos animais desses países", explica a veterinária.

Quase sempre é a internet que dá a conhecer os animais. Mas as famílias candidatas começam por ser "visitadas por um elemento dessas associações para ver se têm condições para receber os animais, e só depois é que formalizam o pedido", desenrolando-se "todo o processo burocrático". O que até não é assim tão caro ou complicado.

POR TERRA OU PELO AR
Um dos fatores que tem contribuído para esta "quinzena de finais felizes" prende-se com a despesa envolvida e a forma como são transportados os animais até aos novos lares, de acordo com Ana Margarida Câmara. "Quer seja pelo ar ou por estrada, estamos a falar de valores muito acessíveis face ao poder de compra das famílias adotantes", acrescenta a médica veterinária.

Por outro lado, os cães antes de ‘levantarem voo’ são previamente esterilizados, chipados, vacinados, desparasitados e testados para a Leishmaniose no veterinário municipal, uma "grande oferta da edilidade que significa muito dinheiro se levarmos em linha de conta os preços praticados numa clínica privada", sublinha Ana Margarida.

Mas para os adotados seguirem viagem há outras pessoas envolvidas. Quando vão de avião, e depois de encontrado um parceiro de voo – humano responsável pelo animal – a viagem custa cerca de 60 euros, e se for por estrada, através de uma empresa especializada, o transporte ronda os 150 euros.

TENDÊNCIA INTERNACIONAL
Se estiver no aeroporto de Lisboa e der de caras com uma hospedeira com vários cães pela trela não estranhe. Pode ser Dani Engels, assistente de bordo na Lufthansa e voluntária para fazer o transporte de animais recém-adotados a bordo.

"Somos flight-buddies, ou seja, as pessoas que os acalmam, aconchegam, falam com eles, que lhes dão água ou comida se for preciso para que possam chegar ao destino mais tranquilos", explica. Como um animal não pode viajar sozinho, esta é uma forma de ajudar. Só no último ano, Dani Engels transportou, ou salvou, 50 cães portugueses.

Natural de Munique, Dani faz voluntariado há vários anos, tem casa em Portugal, e é geralmente através da internet que fica a saber quem serão os companheiros de voo. "Às vezes são maiores do que nas fotos, outras vezes muito tímidos. Mas é sempre uma emoção entregá-los às suas novas famílias, que os esperam no aeroporto de destino", conta. Uma emoção que se repete cada vez mais. "A adoção internacional está a aumentar muito, porque em países como a Alemanha não há praticamente animais abandonados. Além disso, as pessoas já estão habituadas a pagar por um animal, porque mesmo que não seja de raça é preciso pagar a taxa de adoção, licenças e fazer registos para ter um cão. Não é barato nem de graça adotar um cão na Alemanha. Por isso, muitas pessoas já preferem salvar um animal vindo de onde dificilmente teria um final feliz. Fica-lhes pelo mesmo preço e estão a salvar uma vida", justifica, com Leia pela mão.

Leia foi recolhida por uma organização de Braga, mas entrou na adoção internacional graças ao Movimento Movido a 4 patas, que confirma a tendência. "Há atualmente canis em Portugal em que todas as adoções conseguidas são para o estrangeiro. O número tem aumentado muito. São centenas de animais adotados anualmente, sobretudo na Alemanha e Inglaterra", diz uma das responsáveis, Mafalda Campos.

São também estes os destinos pródigos da maioria dos animais acolhidos por Kerry Gross, da AEZA, associação de Aljezur, fundada por uma cidadã germânica que vive no Algarve há quase duas décadas. A língua e os contactos internacionais ajudam às adoções além-fronteiras, mas sobretudo "o interesse crescente" dos europeus. "Portugal é perto. Há quem venha cá pessoalmente conhecer os cães", frisa.

EXEMPLOS DE HOLLYWOOD
A Humane Society International, uma organização internacional que concentra os seus esforços na implementação de programas sustentáveis e humanitários de gestão de populações de animais de companhia em todo o Mundo, não tem dados oficiais sobre a adoção internacional, mas também nota um "aumento do interesse, dos pedidos de contactos e na procura de animais online".

A organização encontra uma justificação na mudança de mentalidades. "Celebridades em todo o Mundo também estão a ajudar a consciencializar e, por isso, o cidadão comum está também mais atento às campanhas e participante desse esforço", afirma Alexandra Rothlisberger, que é a diretora do Departamento de Animais de Companhia da organização norte-americana. Os atores Orlando Bloom e Charlize Theron são bons exemplos de adoções internacionais. Ela levou alguns animais da África do Sul, de onde é natural, e ele adotou um amigo felpudo em Marrocos.

Todavia, adotar internacionalmente tem custos, normalmente suportados pelo novo dono. Despesas veterinárias, viagem e documentos. Dependendo dos países de origem e destino, pode custar até largas centenas de euros.

Outras vezes são as próprias associações que pagam. "Algumas organizações estão tão desesperadas para encontrar casas para os seus animais resgatados que não cobram taxa de adoção e até tentam arranjar doações para custear as viagens. Estas organizações, em geral, precisam angariar fundos para recuperar o custo do cuidado que foi prestado aos animais por um período indefinido de tempo", esclarece Alexandra Rothlisberger.

E há adoções que são uma verdadeira batalha: "A nossa campanha contra o consumo de carne de cachorro, por exemplo. Já conseguimos fechar seis criações de carne de cão na Coreia do Sul, porém a adoção dos cães resgatados não é possível na Coreia."

Por isso, até agora, a Humane Society International já resgatou 770 cães destinados ao comércio de carne e conseguiu enviá-los para países da América do Norte e para o Reino Unido, sendo colocados para adoção. Para que todos tenham direito a um final feliz.

FONTE: cmjornal.pt

12 de maio de 2017

Jovem tailandês passa o dia dando abraços em cães que moram nas ruas

Acho legal, mas, sei lá, entende? o rapaz, realmente, gosta de bichos, mas, efetivamente? não sei... sei lá....  as imagens e a reação dos cães é demais.... tem uns que parecem super felizes... Então, então.... acho que valeu a pena....  Olha, o Portal do Dog publicou ontem, mas, este vídeo é de dez/2016.
---------------
Jovem tailandês passa o dia dando abraços em cães que moram nas ruas como parte do projeto ”Primeiro abraço”
Já conhecíamos o Sorasart Wisetsin, jovem que aparece no vídeo, desde o dia que noticiamos a história de Gluta, uma linda SRD que ele resgatou das ruas e com câncer. Ela se tornou uma das cadelas mais felizes do mundo e seu instagram só reflete essa alegria.

Wisetsin não deixou de se envolver com a causa animal e nos impressionar com seu trabalho, que já incluiu dar banhos em cães que moram nas ruas sem ganhar nada em troca, apenas para aliviar seus corpos da sujeira e parasitas.

Sua última iniciativa é o projeto Primeiro abraço, que consiste em dedicar um tempo do seu dia para abraçar e dar carinho para cães que moram nas ruas.

Sem o costume de receber qualquer atenção positiva, levou um tempo para eles se abrirem. Aos poucos, depois de ganhar a confiança dos cachorros, cada um foi reagindo de forma única. Uns queriam brincar, outros apenas receber o carinho. Porém, o que todos tinham em comum, era a inocência e o fato de adorarem o contato humano que nunca tiveram.

Fonte: Portal do Dog

11 de março de 2017

O torneio de tênis que utiliza cães abandonados como apanha bolas

.
O tema foi abordado novamente e vale a pena rever a matéria de um ano atrás.
-------------------
Dexter, Ovelha e Pretinha são três dos seis cães abandonados que 'trabalharam' no torneio de tênis em São Paulo, Brasil, como apanha bolas. O objetivo é que os animais encontrem dono.

Dexter, Ovelha e Pretinha são três dos seis novos ‘trabalhadores’ do Open de São Paulo em tênis. O seu trabalho é apanhar bolas e o objetivo é mostrarem as suas habilidades para encontrarem um dono.

Um total de seis cães abandonados pode assim, como conta o ABC, trocar os canis para poder correr à volta dos courts de tênis do Open de São Paulo. Os cães foram utilizados antes do encontro das meias finais do torneio em que o português João Sousa defrontou o espanhol Albert Ramos Viñolas, contra quem acabou por perder.


Foi durante um jogo de exibição entre João Zwestsch e Marcelo Demoliner que os animais surgiram e, durante breves momentos, transformaram-se nos assistentes do jogo.

Com pulseiras nas patas da frente e um lenço azul ao pescoço, a cadela Pretinha foi a primeira a entrar ‘em campo’ e acabou por pregar uma partida aos jogadores, não querendo passar-lhes a bola. Nada que demovesse Demoliner: o tenista já expressou o desejo de poder vir a adotar um cão.


Quando tiver a minha própria casa e uma família quem sabe se não posso vir a adotar um animal como eles, que são os melhores amigos do homem “, afirmou o jogador após a partida.
O desportista, de 28 anos, pegou ainda ao colo o cachorro Dexter, que estava bastante cansado das suas correrias. De apenas dois anos, foi abandonado à porta de uma instituição, o “Projeto Segunda Chance”, que tem como fim abrigar animais abandonados. 

Foi esta instituição que treinou durante algumas semanas três animais para que pudessem exibir os seus dotes no torneio. Uma outra instituição, a “Cão sem dono”, treinou também outros três animais de forma a aumentar a sua visibilidade e potencializar a sua adoção.


A empresa responsável pela iniciativa, a PremieR Pet, inspirou-se na edição do ano passado, que contou também com quatro animais que encontraram um novo lar após os jogos.

O que queremos mostrar é que estes animais, independentemente da sua história de abandono e da sua idade, podem converter-se em grandes companheiros para os seus novos donos”, afirmou Lilia Rebello do gabinete de comunicação de PremieR Pet.

Fone: Observador

12 de novembro de 2016

Protetor luta pelos cães abandonados na Cidade do Cabo - África

Pára tudo!!!!!!  Mas, pára tudo mesmo!!!!!!!! e se debulhe de lágrimas..... É, a partir de hoje, a melhor matéria publicada em nosso blog.  

Em um lugar miserável, sem recursos, pobre mesmo tem um SER HUMANO deste...... O nome dele é Shaygam Newman, tem 23 anos e ajuda animais de rua desde os 10.  Meu Deus, abençoe e faça a vida sorrir para ele, pois, os animais é que serão beneficiados..... com certeza é o que o seu coração mais quer......
----------------------
O herói dos animais de rua. Conheça este jovem que resolveu devotar sua vida a salvar animais de rua. Mesmo com pouco dinheiro, ele não deixa de fazer este trabalho incrível. Confira sua história! Zoonit TV

20 de outubro de 2016

Autoridades acorrentam cães de rua para que morram à fome em Irã

Noutro dia citei o caso destes cães no Irã achando que havia publicado. Ainda em tempo queria registrar tamanha covardia de uma gente que deve ter parafuso a menos. Será que não são capazes de se apiedar de nada? Deus meu, você tem certeza que estes caras são seus filhos e meus irmãos? Discordo.... sou não.... Cruz Credo!!!!!
------------------------
Hoje em dia vemos muitos cachorrinhos abandonados e a viver nas ruas por conta própria. Todos nós sabemos as privações e dificuldades pelas quais eles passam. Água e comida são escassos. No lixo por vezes eles têm a sorte de encontrar algo que lhe sacie um pouco da fome.

Pior que serem ignorados é serem por vezes maltratados, como se suas vidas não tivessem valor! Nas cidades de Siah Estalakh e Saqad ol Molk em Irã está acontecendo algo terrível, que

15 de outubro de 2016

Cães abandonados vivem em um vale na Turquia

Que dó.... os animais mansos.... vem ao encontro esperando comida..... Que coisa nojenta é o tal "Serumano"...
Fonte: Daily Mail
Colaboração: Helo Arruda
--------------
Um vale remoto na Turquia tornou-se uma lixeira para dezenas de cães desesperados, que foram abandonados e forçados a lutar pela sobrevivência após os seus cruéis donos decidiram abandoná-los.

Os amantes de animais dizem que uma passagem estreita no meio das montanhas se tornou congestionada com os cãezinhos indesejados e até sugeriram que alguém está recolhendo animais de rua para abandonar lá deliberadamente.


Outros cães são parecem ter sido deixados ali por proprietários insensíveis, que os despejam no vale com pleno conhecimento de que o animal nunca será capaz de encontrar o caminho de casa.

23 de setembro de 2016

Resgates da ONG Hope for Paws são emocionantes

Os resgates desta ONG são comoventes.... Estou publicado um do dia 15 e outro do dia 22 deste mês. Faz a gente abrir um berreiro danado!!!!! São 8 milhões de visualizações. Eles pedem ajuda para continuar o trabalho.....
-------------------------
Por favor, seja um doador mensal de R$5  para nossa ONG para que possamos salvar mais animais: http://www.HopeForPaws.org. Também, por favor, por favor, por favor, compartilhe este importante vídeo  e nos ajudar a aumentar a consciência sobre a importância de microchip e colocando coleiras com etiquetas de nome em seus animais de estimação. Muito obrigado!!!


20 de setembro de 2016

Mais casos de abandonos de animais por conta de casinhas para animais de rua - Serra - SC

Mais uma matéria falando do abandono dos animais no local das casinhas..... Gente, continuo repetindo que a intenção é maravilhosa, mas, é totalmente negativa olhando pela segurança dos animais. Neste caso da matéria, alguém acha que colocar um cartaz vai adiantar?  Temos mostrado aqui no blog todas as consequências tanto de envenenamento, de roubo, de queimar, enfim, tudo de ruim.....
------------
video



6 de setembro de 2016

Funcionários da Colônia Juliano Moreira ajudam cães abandonados - RJ

Estes animais foram atendidos  por um om período por nossa ONG há muito anos atrás. Faz muitos anos. Quando perdemos nosso convênio com a Prefeitura, deixamos, infelizmente, de atende-los, mas, a SUIPA sempre dava uma cobertura quando chamada. Que bom que tem esta turma do bem por lá!!!!! Axé companheiros.....
------------------------
Dóceis e carentes, eles podem se tornar agressivos ao longo do tempo

RIO — Nos últimos anos, a população da Colônia Juliano Moreira sofreu um boom, com a chegada de moradias sociais e o crescimento das comunidades do entorno. Outra população também aumentou, por motivo menos nobre: o abandono. Cães, e em menor escala gatos, vivem em ruas e terrenos baldios da área. Mobilizados, moradores e funcionários ajudam distribuindo

9 de agosto de 2016

Cães que se conheceram em lar temporário se reencontram após separação

Estas histórias nos fazem entender porque amamos tanto os animais.....
------------------------ 
Breve separação não foi suficiente para apagar o amor que os animais sentiam um pelo outro e, depois do reencontro emocionante, os amigos não se desgrudaram mais.

Só quem realmente se apaixonou sabe como é de cortar o coração ficar separado de seu amado. Pois foi exatamente isso o que sentiram os cães Caesar, já idoso, e Saskia, ainda filhote. Após se apaixonarem um pelo outro, os animais foram separados, sem saber se algum dia se encontrariam

27 de julho de 2016

Casinha de cachorro nas ruas faz duas vítimas - Concórdia - SC


Ah, sou eu a errada em dizer que Casinhas para cachorros na rua colocam suas vidas em perigo ? Venho alertando, falando, explicando e PROVANDO que os animais correm muito risco quando ficam expostos. 

Taí mais um caso que vai para os nossos arquivos porque as pessoas dizem que vão continuar com as tais casinhas nas ruas...... Fazer o que? estar na mídia é mais importante!!!! A vida destes animais ficarão na consciência de cada um...... Se quiser ler todo nosso dossier sobre os problemas existentes sobre manter uma casinha de cachorro na rua LEIA AQUI
-------------------------
ONG realiza projeto pioneiro para abrigar animais e mesmo assim eles são mortos

Dias após a ONG ConAnimal, de Concórdia, implantar uma novidade no município, - o projeto Cão Comunitário, que visa dar abrigo a cães abandonados -, alguns cachorros do bairro Natureza foram encontrados mortos. O fato foi registrado neste fim de semana e observado pelos próprios voluntários 

19 de julho de 2016

Casinhas para cachorros na rua colocam suas vidas em perigo

Gente, não leve a mal.... mas, as diversas matérias nos mostram o problema desta invenção de casinhas para cães pelas ruas. Certo é a intenção de ajudar os animais, mas, na verdade isto só prejudica, só chama atenção das mentes podres que colocam em risco a vida dos animais. Pelo amor de Deus, vamos refletir.... eu fico falando aqui e parece que ninguém quer ver e entender o quão negativo é tudo isto. A saída é encontrar lugares para adoção destes animais, lares provisórios, locais da prefeitura, enfim, qualquer lugar menos nas ruas porque institucionaliza o crime de abandono. Ninguém põe cabaninha para mendigos e crianças de sinal de trânsito, né mesmo? Colocar casinhas pelas ruas é cumpliciar com o erro de Prefeituras já que a Lei diz que "Todo animal é tutelado pelo Estado".
-----------------------
Casinhas de cachorro instaladas em praça geram confusão em Passo Fundo - RS

video

============

Três casinhas para cães abandonados são furtadas em Orleans

Três casinhas para cães abandonados de Orleans, adquiridas por meio de doações em projeto realizado pela ONG Dog Lovers, foram furtadas. O caso foi denunciado nesse sábado na página oficial da ONG no Facebook. Estava previsto para que elas fossem realocadas na próxima semana, dependendo apenas da aprovação da Vigilância Sanitária Municipal.

Elas estavam na praça localizada ao lado da Maçonaria São João Batista. No local, três já estão fixadas, mas, além delas, havia mais cinco

2 de julho de 2016

Apaixonados por animais, idosos cuidam de 73 cachorros dentro de casa em Arapiraca - Alagoas

Como tem gente boa neste mundo afora...... Galera de Alagoas, dá uma força?
----------------------
O cotidiano do casal de aposentados Benedito Floriano da Silva e Marilene da Silva é compartilhado com 73 cachorros e cinco gatos. Os animais foram acolhidos das ruas e vivem em uma casa simples localizada na avenida João Saturnino de Almeida, no bairro Guaribas.

A vida de dedicação à causa animal já dura mais de 15 anos, quando o casal adotou a primeira cadelinha, uma poodle que vive até hoje com eles. Em entrevista ao Portal 7 Segundos, dona Marilene contou que sempre sonhou em ter um cachorro, mas como trabalhavam viajando nunca teve a oportunidade.


"Antes de nos aposentarmos a gente trabalhava como caminhoneiros e viajávamos muito. Em uma dessas viagens, em Fortaleza, nós encontramos uma cadelinha dentro de um tonel e resolvemos levá-

19 de junho de 2016

Grêmio Estudantil cria casinhas com garrafas PET para abrigar cachorros abandonados

A ideia é bem interessante, mas, pelo amor de Deus, doem para abrigos que tanto precisam.... Nas ruas, isto é chamariz para práticas de crueldade contra animais.
------------------------
Garrafas PET, barbantes, spray de tinta e madeira. A combinação desses quatro materiais é o segredo para transformar a vida dos cachorros do município de Ilha Comprida, em São Paulo. Graças a um belo gesto dos integrantes do Grêmio Estudantil “O Futuro é Agora”, que decidiram criar casinhas para os animais que estão abandonados nas ruas da cidade.

“Queríamos passar aos alunos a mensagem de que tínhamos que ajudar a comunidade, mostrar a eles que poderíamos fazer alguma coisa por Ilha Comprida. A escola