Mostrando postagens com marcador câncer. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador câncer. Mostrar todas as postagens

15/10/2017

Depressão e o crescimento de tumores cancerígenos podem estar relacionados

Eu me rasgo toda quando leio matérias como estas que me dão conta de que continua a mediocridade e elucubrações de um grupo de psicopatas que se dizem pesquisadores em nome da saúde da "humanidade". Vão se catar, panacas!!!!! Repetem experimentos estúpidos e cruéis apenas para dar satisfação às suas fontes de financiamentos.

24/04/2017

Governo prepara mudança na lei para liberar agrotóxicos que causam câncer e malformação

Pela mãe do guarda!!!!! Gente, com este ministro da agricultura, Blairo Maggi, a gente podia esperar o quê? precisamos agir....
------------------------
Defensivos classificados como cancerígenos e teratogênicos são hoje proibidos no Brasil
A pulverização aérea de agrotóxicos é apontada como a principal causadora dos problemas relacionados aos pesticidas

O governo prepara uma medida provisória para afrouxar as regras de registro de agrotóxicos no País. 

O texto, redigido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), com a colaboração de fazendeiros e associações de grandes produtores, cria uma brecha para o uso de defensivos que hoje seriam classificados como cancerígenos, teratogênicos (com risco de malformação nos fetos) ou com capacidade de provocar mutações celulares. Atualmente, qualquer produto que preencha alguma dessas características é proibido de ser lançado no Brasil.

A mudança seria possível graças à inclusão da expressão "nas condições recomendadas para uso", no texto da lei atual, de número 7.802, de 1989. Essa incorporação, prevista na MP, permitiria liberar produtos considerados nocivos à saúde em testes de laboratório, desde que algumas condições fossem atendidas para reduzir os riscos desses efeitos. Entre essas condições estão o uso de equipamentos de proteção individual durante a aplicação do agrotóxico ou de pulverizadores protegidos com cabines com pressão negativa.

"O Brasil segue a filosofia do perigo. O ideal é que passássemos a adotar o gerenciamento de risco", afirmou o diretor da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), Fabricio Rosa. Para ele, o novo texto proporcionaria um avanço no setor. "O risco de toxicidade não é equivalente ao do que ocorre no laboratório", defende.

O problema no Brasil é que algumas empresas do agronegócio não fornecem o equipamento, ou então os próprios trabalhadores, por uma questão de costume ou desconforto, se recusam a utilizá-lo.

A diretora executiva do Sindicato Nacional da Indústria de Produto para Defesa Vegetal (Sindiveg), Sílvia Fagnani, tem avaliação semelhante. Ela afirma que as regras atuais são excessivamente rígidas.

"O fogo, por si só, é perigoso. Mas a fogueira, onde o risco está controlado, pode ajudar a aquecer quem está próximo. A avaliação de risco segue a mesma filosofia", comparou. Ela argumenta que resultados de testes em laboratórios, feitos com animais, não podem ser usados como parâmetro de risco para o que ocorre com seres humanos, no campo.

Como os testes são feitos?
Para entender como funcionam os testes dos pesticidas agrícolas, veja o que acontece com o glifosato, o agrotóxico mais usado do mundo, proibido em alguns países, e que passa hoje por um imbróglio científico e judicial. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) afirmou no ano passado que, em 2017, irá definir se proíbe ou não o produto. Se a nova lei passar, as chances de o glifosato continuar liberado são enormes.

Este herbicida foi patenteado em 1974, como ingrediente ativo do agrotóxico Roundup pela gigante norte-americana Monsanto — vendida no início de setembro para a farmacêutica Bayer. Desde os anos 1990, ele é o agrotóxico mais vendido no mundo. Sua patente expirou no ano 2000 e, hoje, é fabricado por várias empresas e comercializado a preços baixos.

No Brasil, o glifosato e seus derivados são classificados na classe toxicológica IV (pouco tóxico) e têm uso autorizado nas culturas de algodão, ameixa, arroz, banana, cacau, café, cana-de-açúcar, citros, coco, feijão, fumo, maçã, mamão, milho, nectarina, pastagem, pêra, pêssego, seringueira, soja, trigo e uva. Também são permitidos em áreas urbanas e domésticas, como na jardinagem amadora. Seu consumo aumentou significativamente nos últimos 20 anos com o desenvolvimento de sementes transgênicas.

A atual polêmica começou com um estudo de 2012, feito com ratos alimentados com milho transgênico resistente ao glifosato, que revelou morte precoce dos animais e aparecimento de tumores. 

A Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos (EFSA, na sigla em inglês) considerou o estudo insuficiente e questionou seus resultados. A revista Food and Chemical Toxicology, que publicara a pesquisa inicialmente, teve de publicar uma retratação. A partir daí o ingrediente ganhou ainda mais atenção de pesquisadores e agências de regulação.

Em março de 2015, a Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Câncer (IARC, na sigla em inglês), vinculada à OMS (Organização Mundial da Saúde), classificou o glifosato no grupo 2A, como "provável cancerígeno para humanos". Isso significa que há evidências “limitadas” quanto ao risco de câncer em humanos, e evidências “suficientes” de risco em animais. Acima dessa categoria está o grupo 1, quando há evidências suficientes tanto em animais quanto em humanos.

A notícia repercutiu em 2015 não somente por se tratar do glifosato, mas também porque sua licença de comercialização na Europa expiraria em 30 de junho de 2016. A Comissão Europeia, responsável por renovar a permissão, iniciou uma corrida científica para chegar a um veredicto.

Em novembro de 2015, a EFSA concluiu um “processo exaustivo” de revisão e comunicou ser “pouco provável” que o herbicida seja cancerígeno em humanos. A agência, contudo, ressaltou um limite máximo de ingestão diária de 0,5 miligramas por quilo de peso corporal.

Já em maio de 2016, faltando um mês para expirar a licença, especialistas da FAO (agência da ONU para alimentação e agricultura) e da OMS divulgaram uma revisão científica dos estudos, concluindo que o glifosato "provavelmente não representa um risco carcinogênico a humanos" expostos por meio da ingestão de alimentos. Ou seja, os resultados não se aplicam para quem trabalha diariamente com os produtos.

No documento, os especialistas afirmam que, "em vista da ausência de potencial carcinogênico em roedores em doses relevantes para seres humanos e da ausência de genotoxicidade pela via oral em mamíferos, e levando em conta a evidência epidemiológica de exposições no ambiente de trabalho, o comitê concluiu que o glifosato provavelmente não representa um risco carcinogênico a humanos pela exposição através da dieta”.

O grupo também determinou um limite aceitável de ingestão diária (de até 1 miligrama para cada quilo de peso corporal) para que não haja risco de câncer pela alimentação — no Brasil, esse limite é de 0,042 mg.

Diante desses resultados, a Comissão Europeia decidiu renovar a licença do glifosato por 18 meses, mas solicitou novos estudos. A intenção inicial era de renovação por 15 anos.

Embora os estudos da IARC e do painel conjunto OMS/FAO apresentem conclusões contraditórias, a OMS afirma que as duas revisões se complementam. Segundo a organização, a “avaliação de risco” de uma substância passa primeiramente por uma análise como a da IARC, para a “identificação do perigo”. Em seguida, o estudo da FAO/OMS avalia o risco real das substâncias na agricultura e nos alimentos, determinando limites seguros de ingestão.

O Brasil acompanha de perto essa disputa, que irá influenciar a decisão sobre proibir ou restringir o ingrediente em território nacional, em reavaliação desde 2008 pela Anvisa. Em nota enviada ao R7 em setembro passado, a agência afirma que está realizando “uma análise mais aprofundada sobre o assunto”.

“Como os diferentes órgãos internacionais chegaram a conclusões diferentes sobre esse assunto com base praticamente nos mesmos estudos, a Anvisa está analisando detalhadamente os estudos em animais e em humanos realizados com o glifosato. A finalização dessa análise está prevista para ocorrer em 2017, quando a conclusão da Anvisa e os pareceres técnicos que a embasaram serão submetidos à consulta pública, para manifestação da sociedade”, informa a nota.

Segurança e a possível mudança na lei
Embora recebida com entusiasmo pelo agronegócio, a proposta enfrenta resistências dentro do próprio governo. Em nota técnica, integrantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) foram contrários à mudança. "A edição da MP poderá gerar insegurança na população quanto à exposição de pessoas e recursos naturais a substâncias preocupantes e, também, quanto à contaminação de produtos agrícolas", informa o texto.

Em documento de três páginas, a instituição argumenta que a avaliação de riscos de agrotóxicos é um tema relevante, mas que sua aplicação requer uma estrutura ainda não disponível no País. "Neste momento, é uma medida prematura, precipitada e que, na prática, poderá não vir a ser atendida, especialmente em se tratando das fases mais avançadas de avaliação, que envolvam a realização de estudos de maior complexidade", diz a nota.

O Ibama observa que os resultados de testes de avaliação de risco feitos em outros países não podem ser simplesmente considerados como aplicáveis no Brasil. Os riscos do produto, acrescenta a instituição, têm de ser avaliados nas espécies locais e sob condições encontradas no País. O texto lembra ainda que a simples recomendação para melhor uso do produto não garante, por si, a redução de riscos. Para isso, é preciso que sejam cumpridas à risca. Algo que não há como ser garantido, sobretudo diante das deficiências na fiscalização.

Entre as críticas de integrantes do Ibama à medida provisória que deve alterar o registro de agrotóxicos está a previsão de supressão de uma regra que prevê que somente podem ser registrados no Brasil produtos que tenham ação tóxica comprovadamente igual ou menor do que os existentes atualmente.

Analistas da área de saúde ouvidos pela reportagem têm avaliação semelhante. Eles argumentam que a regra atual serve como incentivo para que a indústria redobre seus esforços em lançar produtos mais seguros tanto para saúde quanto para o meio ambiente.

Ibama e Anvisa integram, com o Ministério da Agricultura, o Comitê Técnico de Assessoramento, encarregado de avaliar os critérios para o uso de agrotóxicos no País. Cabe à Anvisa analisar se o produto é seguro à saúde. O Ibama, por sua vez, procura mensurar o impacto do uso do agrotóxico no meio ambiente.

"Não são apenas critérios econômicos que devem ser avaliados. Há outros pontos importantes, como segurança, que têm de ser levados em consideração", afirma um analista de saúde.

A redação do texto foi apresentada no comitê há menos de três meses. Nem Anvisa nem Ibama participaram da elaboração do documento. Procurada, a Anvisa não se manifestou. A diretora executiva do Sindiveg, Sílvia Fagnani, disse que o sindicato participou das discussões para a preparação do texto. O Ministério da Agricultura afirmou apenas que a MP está em avaliação. O Ministério da Saúde disse desconhecer o tema.

FONTE: R7

16/02/2017

Família gasta 780 reais para operar peixe dourado com câncer

Acho muito legal o avanço da veterinária.....
------------------------
Animal de estimação está na família há mais de 20 anos: "A opção era remover o tumor ou sacrificá-lo", revelou o veterinário responsável pelo procedimento

Um dia, uma família encontrou um caroço na nadadeira de Bob, seu peixe dourado. Eles resolveram levar o animal de estimação ao Dra. Faye Bethell, uma renomada veterinária de Norfolk, na Inglaterra. O motivo? O bichinho está na família há 20 anos.

A experiente profissional fez a cirurgia e, em

13/02/2017

História de amizade entre jovem com câncer e gato emociona web


Confesso que me engasguei forte com a história da menina e da gatinha..... Leia primeiro a história e depois veja o vídeo. Prepare o lencinho.
------------------------
Kylie Myers tinha apenas 12 anos de idade quando foi diagnosticada com câncer ósseo metastático e pediu para a família resgatar a mascote.


Ela começou o tratamento imediatamente, algo que sua mãe, Robin, descreveu como “brutal”. A adolescente, no entanto, sempre encontrava maneiras para se manter alegre e espirituosa. O

26/11/2016

Como pombas podem ajudar a detectar câncer de mama

Animais são infinitamente superiores a nós reles humanos.....
------------------------
Pesquisas recentes apontaram que pombas teriam a capacidade de identificar tecido canceroso em mamografias e imagens digitalizadas.

Um estudo, divulgado na publicação científica Plos One, apontou que pombas acertaram 99% dos casos.

As pesquisas, lideradas pelo professor de

04/11/2016

O Super-Homem do reino animal. Um rato imune ao cancro e que sente menos dor

Eu publico estas postagens para chamar atenção das pessoas: o que humanos não fizeram para concluir que este animal é resistente à queimaduras, à dor, ao câncer, etc. etc etc...... E estes humanos fazem isto sob alegação de que é "em nome da humanidade"..... Lembro que esta matéria foi escrita em Portugal, daí a grafia de palavras diferentes.
------------------------
O rato-toupeira-nu pode muito bem ser considerado o Super-Homem do reino animal. É imune ao cancro e menos sensível a alguns tipos de dor do que comum dos animais.

Considerado por muitos como o Super-Homem do reino animal, o rato-toupeira-nu, uma espécie rara de roedor de África, é mais resistente às queimaduras e feridas do que qualquer outro animal.

06/08/2016

Paciente com câncer recebe visita de seus animais de estimação e apresenta melhora

Sou atendida por 8 médicos e eles dizem que supero todas minhas doenças por causa dos meus animais..... Quer me matar? tira meus bichos..... não vivo uma hora.....
------------------------ 
Trabalho humanizado é realizado pela equipe multidisciplinar do Instituto do Câncer em uma unidade hospitalar de Três Lagoas

Quando o atendimento médico hospitalar é humanizado, os resultados são surpreendentes, ainda mais quando o paciente sofre de câncer e está sob cuidados paliativos. A três-lagoense Hemengardina de Carvalho Oliveira, 86, também conhecida como Sinhazinha ou simplesmente

03/03/2016

Cão entra na igreja e leva alegria a crianças e necessitados

Que benção, né? e que padre maneiro..... disse para não incomodar o cachorro.... show!!!!
------------------------
Uma missa especial estava sendo realizada em uma igreja na Bolívia, que seria um momento de orações por um grupo de crianças diagnosticadas com câncer, foi interrompida quando um cachorro de rua entrou caminhando.

O padre pediu que não incomodassem o animal. “Porque ele é uma criatura de Deus e está feliz”. Não só o cão estava feliz, mas também trouxe felicidade às crianças doentes que puderam se beneficiar do momento de descontração e inocência provocada pela sua aparição.

Como tem sido muito dito, não é segredo que os animais podem ter um efeito terapêutico e melhorar o bem estar físico e emocional bem como a qualidade de vida de crianças e pessoas que se encontram doentes.

FONTE: Facebook

16/02/2016

Os animais que detectam câncer e avisam pacientes antes de ataques

Que maravilha ler o quanto os desprezados pombos são infinitamente superior aos humanos.... E viva meus pombos amados!!!!!!
-------------------------------
Pombo leitor de exame, rato farejador de doença, cachorro de alerta para convulsões: conheça bichos com habilidades úteis à saúde do homem.
Um rato ou um pombo pode não ser a opção mais óbvia para indicar a alguém doente, mas tais criaturas possuem certas habilidades superiores que podem ajudar a diagnosticar e tratar doenças humanas.

Pombos podem ser treinados para detectar câncer de mama por meio de imagens  
(Foto: Univ. IowaWassermann Lab)

Pombos costumam ser vistos como sujos e incômodos, mas são os mais recentes numa lista longa de animais com habilidades que podem ser úteis à saúde do homem. Embora tenham um cérebro menor

06/02/2016

Receita para cura do câncer é amor e casal retribui com adoção de animais

Linda mensagem para quem está enfrentando esta barra.....
------------------------
São ao todo dois cachorros, um deles tetraplégico, e dois gatos.
Marido ainda raspou a cabeça para superar doença com a mulher.

No auge do namoro e um ano antes do casamento, o diagnóstico: câncer de ovário. A doença rara foi um baque na vida da fisioterapeuta Marina Belini Morilha, de 31 anos. No entanto, o apoio do companheiro foi tanto que ela superou as dificuldades e o casal ainda decidiu adotar animais "excluídos" pela

10/12/2015

Idosa nem imagina o que está crescendo em seu ombro

Eu sou testemunha do quanto meus animais  dão sinal de que algo não vai bem comigo.... Cada um faz ao seu jeito, mas, todos eles me sinalizam o que eu tenho.... Bichos? são indiscutivelmente superiores aos humanos.....
------------------------
Esta Idosa Nem Imagina O Que Está A Crescer No Seu Ombro. Quando O Seu Gato Começa A Se Comportar Estranhamente, Ela Entende Tudo.

Tom é um gatinho preto-e-branco, autêntico e muito fofo.

Quando ele era filhote, o bichano foi parar um dia na frente da porta de Sue McKenzie, durante um temporal.

O seu marido não queria o gatinho dentro da casa, mas a mulher não deu ouvidos e logo alimentou o animal com um pedaço de carne. Desde que entrou neste novo lar, Tom nunca mais saiu.

E 20 anos depois, Sue seria eternamente grata a

11/11/2015

Fátima Bernardes deixa de anunciar presunto após o alerta sobre câncer

Pois é..... agora já era.... tanto ela quanto o o Toni Ramos vendem câncer!!!!!!!! participem do Abaixo Assinado feito pelo Fórum de Proteção Animal: Fátima Bernardes, JBS e carnes cancerígenas
------------------------
O objetivo é não vincular, por ora, a imagem da jornalista e apresentadora com um vilão da saúde

A pesquisa da OMS divulgada na semana passada, a respeito do aumento de probabilidade de câncer para pessoas que consomem embutidos em excesso, já causa mudanças no mundo publicitário.

Em comum acordo entre todos os envolvidos (anunciante, agência e contratada), Fátima Bernardes não deverá mais anunciar presuntos e linguiças da marca Seara --pelo menos não nas próximas semanas.

O objetivo é não vincular, por ora, a imagem da

02/11/2015

Mulher com câncer ganha visita de cão de estimação em hospital - RS

Quando chegar minha vez, quero todos meus bichos comigo, ou então, me tragam para casa.....
--------------------------
Internada em um hospital de Porto Alegre para tratar um câncer, uma mulher de 49 anos teve a chance de realizar um pedido. Ela escolheu encontrar com alguém especial: Ritchie, seu cachorro. Foi a primeira vez que um paciente pediu para ver um bicho de estimação no Hospital Ernesto Dornelles. O vídeo do encontro foi gravado na quinta-feira (29) e emocionou familiares, amigos e a equipe médica do hospital. (veja o vídeo)



Rejane Chili, a paciente, está internada com câncer em fase terminal. O encontro dela com Ritchie foi autorizado pelo Grupo de Cuidados Paliativos do hospital. Por questões de segurança, a visita seria

Rede Globo e Dráuzio Varella se vendem ao Lobby nojento e orquestrado das indústrias químicas e farmacêuticas

Esta matéria não é off-opic não. É assim que agem com a pesquisa que não usa animais. Pesquisadores precisam produzir medicamentos para explorar o mercado e para tal o uso de animais é exigência. Nojo!!!!!! 

Depois desta matéria no Fantástico e toda repercussão da bagunça e comprometimento dos bastidores da pesquisa com a industria farmacêutica resolveram: Ministério da Saúde vai criar grupo de trabalho sobre fosfoetanolamina. Este produto que está sendo fornecido de graça, está com milhares de depoimentos positivo. 
---------------------------
Boicote realizado pela emissora quanto a potencialidade de cura da substância fosfoetanolamina sintética. (sentença de concessão liminar inserida ao final)

Em rede nacional, a Rede Globo patrocinou no programa FANTÁSTICO deste último de 18 de outubro, com a colaboração do médico oncologista Dráuzio Varella o linchamento da substância fosfoetanolamina sintética, indicada como possível

29/10/2015

Carne e câncer: vegetarianos confortados por dieta alternativa

Recentemente, o mundo resolveu a dar atenção ao que repetimos há dezenas de anos. Detalhe é que alguns tentam negar ao defender a industria da carne... urgh!!!!! Fazer o quê? Agora, alem da matéria abaixo, separei mais quatro para colocarmos em prática o que vimos aprendendo. Confiram:
---------------------
Paris, 26 Out 2015 (AFP) - Associações vegetarianas e veganas afirmaram nesta segunda-feira que a publicação de um estudo que relaciona certos cânceres ao consumo de carne vermelha e embutidos legitima seu combate em favor de dietas alternativas à alimentação com carnes. 

"Quantas crises alimentares nós devemos enfrentar antes que as pessoas se deem conta de

27/10/2015

Animais ajudam a tratar crianças com câncer

Tem gente que acha que zooterapia é uma forma de exploração animal.... Eu tenho minhas dúvidas, pois, os animais exercitam tanto o amor que me parece ser mais uma forma de mostrar o quanto nossa espécie pode melhorar.... Estou errada?
----------------------------- 
Visitas de cães a hospitais melhora pressão e ansiedade dos pacientes, diz estudo

SÃO PAULO e RIO — Diagnosticado com câncer em 2011, o ator Reynaldo Gianecchini vez ou outra visita o Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (Graacc), do qual é embaixador, na Zona Sul da capital paulista.

Quando o galã chega ao local, a meninada ali em tratamento esquece, por um instante, a doença e

19/10/2015

ONG de Suzano não comunicou a morte de animal para o qual pedimos ajuda

Na noite de ontem (18/10/15), liguei para Clínica onde o cão que pedimos ajuda estava internado. O veterinário muito delicadamente nos falou que ele não resistiu e que tinha morrido no dia 14. Heim? quase cai p´ra trás!!!!!!    

Ninguém da ONG que o socorreu notificou e, pelo contrário, existem várias repetições e pedido de socorro no facebook da  mesma até hoje. Só que não vou ficar calada e vou fazer uma retrospectiva:

13/10/2015

Ataque de tubarão salvou a vida deste homem nos EUA

Bendito tubarão!!!!!!!!!!!!!!
----------------------------

Um norte-americano de Massachusetts é eternamente grato a um tubarão que o atacou. Sim, você leu certo. Após ser internado no hospital para tratar seus ferimentos, o homem descobriu que tinha câncer. 

Eugene Finney estava nadando na praia de Huntington, na Califórnia, durante uma viagem em família em julho deste ano. De repente, o tubarão o atingiu por trás causando diversos

05/10/2015

Cão de Suzano é encontrado e precisa fazer tratamento urgente.

única foto publicável
Uma leitora nossa denunciou o caso deste pobre animal em 26/09/15. Veja em URGENTE: vamos ajudar encontrar um cão em sofrimento em Suzano?

Vários outros leitores se mobilizaram para localiza-lo e pedimos ajuda de uma ONG local que foi atendê-lo no dia 02/10/15 conforme receituário que nos foi enviado.

Acontece que, segundo o diagnóstico, será preciso fazer quimioterapia no cão que recebeu o nome de João. O tratamento é caro e a internação também. Peço que acompanhem o caso através da ONG PAS - Projeto Adote Suzano . O responsável pela ONG se chama Lisandro.  Leia o publicado na postagem específica:

Ele está desfigurado e morrendo de dor, ele está há meses com um tumor se formando no focinho e graças a falta de cuidados e falta de senso de urgência de muitas pessoas que o viu, a situação se tornou quase que incontornável! Ele vive nas ruas do Jd. Colorado em Suzano.
Hoje, mesmo com a ONG nadando em dívidas e tendo dificuldades para arrecadar apoio para eventos, sem espaço para abrigar sequer um passarinho, nossos voluntários Lisandro Frederico e Cintia Gonçalves foram resgatar esse garotão. Logo ao chegarmos ele parecia ter entendido que a tão esperada ajuda chegou e facilmente se acomodou no carro para irmos ao veterinário (viajou quietinho, descansando enquanto nossos voluntários o observavam).

Pela gravidade do caso, decidimos levá-lo ao Hospital Poli-Pet Veterinário e atendido pelo Dr. Gerson o peludo foi limpo, recebeu medicações e foi diagnosticado o tumor, com poucas chances de sobrevivência, pois a doença já atingiu a parte óssea, cobriu um olho e deformou a boca (ele come com dificuldades). Dias atrás aplicamos capstar acreditando que eram apenas bicheira, mas após os bichos serem eliminados vimos que se trata de algo mais grave. Conversamos com um senhor que diz "cuidar dele na rua" e nos garantiu que dará lar provisório durante o tratamento, já que não temos. Ele precisará de sessões de quimioterapia semanais e medicamentos diários.
PRECISAMOS DE AJUDA para quitar as despesas com o Poli Pet e financiar os medicamentos e sessões de quimioterapia daqui para frente. É importante que ele tenha ração de qualidade também! Qualquer ajuda pode ser direcionada para a conta-corrente utilizada pela ONG - Banco BRADESCO - Agência 0100-7 - CC 0101530-3 / doações via cartão de crédito mensais ou avulsas podem ser feitas através do linkhttp://goo.gl/7YFZ28 / Doações de ração e mantimentos podem ser deixada na To FLY Escola de Aviação ou nos pontos de coleta disponíveis no link http://goo.gl/TTv1vu
Esperamos que TODAS AS PESSOAS que pediram ajuda e não compreenderam as limitações da ONG, colaborem de alguma forma! Somos voluntários e não temos fins lucrativos! ‪#‎COMPARTILHE‬‪#‎SOCORRO‬

30/09/2015

Cientistas finalmente descobrem por que comer carne vermelha causa câncer

Achei este artigo pela internet e não se se procede. Mas, quando fazia programa de rádio (e o fiz durante muitos anos) tinha uma excelente resposta dos ouvintes quando falava sobre o fato de se comer carne dar câncer.
------------------------------------
Você provavelmente já ouviu falar que comer carne vermelha pode causar câncer.
A história parece ser verdadeira e o motivo finalmente foi descoberto.

De acordo com um estudo da Universidade da Califórnia, comer carne vermelha realmente aumenta o risco do surgimento de um câncer.


E o motivo é um tipo de açúcar. Como assim? Sente e leia com atenção, pois esta informação é importante.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪