RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador burger king. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador burger king. Mostrar todas as postagens

28 de março de 2017

Burger King promete parar de recorrer a galinhas maltratadas

O que me espanta nestas "resoluções" é o prazo que serão aplicadas. Foi igual ao uso de animais na cosmetologia que vem passando de ano para ano na Comunidade Européia. Com as galinhas não vai ser diferente. Em 2024 vão alegar alguma coisa e pedir novo prazo....
------------
Multinacional quer garantir que a carne usada nos seus hambúrgueres não promove o abuso animal.

A Burger King planeia parar de recorrer a galinhas maltratadas para a confecção dos seus hambúrgueres.

Segundo a CNN, a multinacional compromete-se a deixar de negociar com produtoras cujos aviários não tenham condições de higiene e bem-estar para o animal.

Em 2024, a Burger King tenciona comprar apenas carne proveniente de galinhas criadas em quintas de acordo com os standards do grupo de defesa dos direitos dos animais Global Animal Partnership.

As galinhas criadas em massa para consumo humano estão entre os animais com maior risco de maus-tratos.

São alimentadas para crescer mais do que seria natural e, sem espaço para correr livremente, acabam por viver entre os próprios excrementos, imóveis, em espaços exíguos e escuros.

2 de junho de 2016

ONG de proteção animal fez protesto em frente ao Burger King

Muito bom!!!!! não sei se é impressão, mas, tenho sentido uma certa diminuição de manifestações dos ativistas.... Acho que elas funcionam tanto.... queria muito estar em condições de meter bronca nestas atividades....  Esta do Fórum foi muito boa....
------------------------
Ativistas do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, maior rede da causa no Brasil, protestaram em frente ao restaurante Burger King, na avenida Faria Lima, contra a prática de seus fornecedores em manter aves e suínos em gaiolas. A empresa anunciou que vai extinguir gaiolas para galinhas no mundo todo, mas só estabeleceu data para os EUA, Canadá e México. Nos EUA, se comprometeu a eliminar as gaiolas até 2022.

Com uma porca inflável de três metros de altura e um dos ativistas vestido de galinha enclausurado numa gaiola, a ONG expôs, em pleno horário de almoço, a tortura presente nos produtos da rede norte-americana, chamando a atenção das pessoas que passavam pelo local. Um ativista usava a máscara do rosto do bilionário Jorge Paulo Lemann, um dos donos do Burger King. Um banner também foi estendido com o pedido: “Lemann, acabe com a tortura de animais no Burger King”.

“Há meses estamos pedindo que tenham compaixão e parem de comprar ovos e carne suína de sistemas que aprisionam animais por toda a vida, mas estamos sendo ignorados. Esperamos que a devida atenção seja dada a