Mostrando postagens com marcador bituca. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador bituca. Mostrar todas as postagens

11/07/2017

Passarinho mexicano usa bitucas de cigarro para fazer seu ninho

Gente, passarinho sabe muito mais que a gente.... Fui dar uma pesquisada e encontrei: nicotina = alcaloide (C10H14N2) encontrado no tabaco, muito usado em veterinária como vermífugo e inseticida. Caraca, só eu não sabia?
--------------
Anualmente, cerca de 6 trilhões de cigarros são fumados pela população e 2/3 das bitucas (4 trilhões) são jogadas no chão, sendo uma das formas mais comuns de lixo urbano. Obviamente, isso gera risco para diversos ecossistemas e animais, mas um passarinho mexicano está se beneficiando dessa fartura – mesmo que isso traga alguns problemas.

As aves Carpodacus mexicanus são naturais da América do Norte e, ao menos na Cidade do México, estão acumulando bitucas de cigarros em seus ninhos com o intuito de afastar seus predadores. Um estudo anterior, de 2012, acreditava que os filtros dos cigarros poderiam servir como uma espécie de isolante térmico, mas agora os cientistas têm uma nova teoria para sua finalidade.

A nicotina é muito mais agressiva em animais menores, por isso tem sido usada por essa espécie de passarinho como forma de pesticida ou repelente. Os filtros ainda têm uma textura semelhante à das penas dos animais, talvez por isso as aves começaram a usá-los, antes de o benefício de afastar predadores ser descoberto.

Ninhos com bitucas afastam os carrapatos
Quem mais se aproveita das nidificações são os carrapatos, por isso eles foram usados pelos pesquisadores para analisar o efeito das pontas dos cigarros. Quanto mais desses parasitas aparecem nos ninhos, mais bitucas são colocadas como forma de os aniquilar, observaram os cientistas da Universidade Autônoma do México.

Claro que isso tem um custo: um estudo de 2014 mostrou que o contato excessivo dos filhotes de pássaros com a nicotina os fez desenvolver anomalias cromossômicas. Além disso, eles se tornam mais frágeis imunologicamente, já que seus corpos não precisam mais enfrentar os parasitas que seus antepassados precisavam superar “na marra”. Ainda não se sabe, entretanto, quais são os efeitos em longo prazo dessa exposição. 

FONTE: megacurioso

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪