RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Mostrando postagens com marcador artificial. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador artificial. Mostrar todas as postagens

6 de janeiro de 2017

Para evitar testes de cosméticos em animais, laboratório cria pele humana artificial

A gente noticia, noticia, noticia e noticia..... mas, quando isto vai estar no mercado?
------------------------
Parece até um episódio de Black Mirror, mas é realidade. O laboratório MatTek, em Boston, nos Estados Unidos, está criando pele humana para as empresas de cosméticos e higiene pessoal realizarem seus testes.

A ideia é que a pele artificial ajude a acabar com os testes realizados em animais, muito comum entre as gigantes do mercado. A pele possui espessura fina com menos de um milímetro e textura gelatinosa.

13 de maio de 2014

Pele artificial criada por laboratório da USP evitará testes com animais no Brasil

Tudo é possível quando se quer....
_____________
Estruturas celulares da pele artificial, aumentadas
em microscopio, foram desenvolvidas pela USP.
A pesquisa, lançada na Universidade em 2005, é coordenada pela professora da Faculdade de Ciências Famarcêuticas da USP (Universidade de São Paulo) Sylvia Stuchi Maria-Engler e visa desenvolver técnicas alternativas à experimentação animal. Com a transferência tecnólogica do projeto para o governo brasileiro, parceria iniciada em 2013, o objetivo é que o país possa produzir a pele em escala industrial dentro de alguns anos.

O objetivo do projeto, explica a especialista, é desenvolver o kit de pele artificial para o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. De acordo com ela, estão sendo feito pequenos "ajustes protocolares" antes que a

7 de dezembro de 2013

A carne artificial pode salvar o mundo?

Olha, queria muito estar viva para ver o fim desta barbárie chamada matadouros e abatedouros....
____________

Beyond Meat - Foto Divulgação
Em uma manhã de primavera comum em Columbia, no estado norte-americano do Missouri, Ethan Brown está no meio de uma cozinha comum rasgando uma tira frango. “Olhe para isso”, diz ele. “É incrível!”. Em torno dele, um punhado de trabalhadores robustos de uma fábrica de alimentos do Centro-Oeste do país se inclina e acena com aprovação.

A carne que Brown está cortando parece normal o suficiente: é bege e se separa em longos fios. Não