Mostrando postagens com marcador animais de estimação. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador animais de estimação. Mostrar todas as postagens

12/11/2017

Água e petisco: bares viram ponto de encontro para animais de estimação

Que maravilha, não? embora eu concorde com aquela veterinária que disse que quem gosta de cães leva eles para passear e não para bares..... kakaka.... há controvérsia....
----------------
Movimento dog friendly se espalhou pela Zona Sul do Rio
RIO — Tim, um espevitado poodle print de 13 anos, chega muito à vontade à Adega do Cesare, em Copacabana. Cheira

Passeadores ganham até R$ 4 mil por mês para cuidar de animais de estimação

Sinceramente, nada contra passeador, mas, é impressão ou o cachorrinho menor estava sendo exigido demais da conta? Será que sou chata? mas, é que quando a pessoa se presta a fazer um serviço tem que fazer legal.... Bem, eu que estou exigente demais, não?
-----------
Laércio Martins tem 16 clientes e cobra R$ 250 por mês para

03/11/2017

Falta de planejamento para ter um pet atinge 60% dos consumidores do País

Realmente, tem gente que acha que ter bichos não custa nada....
--------------- 
Em contrapartida ao planejamento de gastos estão 14% dos consumidores, que alegaram ter ficado com o nome sujo por conta do excesso nas compras
Cada vez mais parte da família, os brasileiros não têm medido esforços na hora de agradar seus animais de

26/10/2017

Vereador apresenta projeto de lei para enterrar animais de estimação junto dos donos

Os apresentadores apresentam a matéria com uma ironia desnecessária, ou não? Em Niterói houve pleito para o mesmo em 2014. Confira. Acho que não deu em nada. Em Blumenau também foi pleiteado. Confira. Também não sei o que aconteceu.
----------
O Vereador de São Caetano do Sul apresentou o projeto que autoriza os animais de estimação a serem enterrados na

18/10/2017

Esta tendência de humanizar os animais é desprovida de sentido - Portugal

Não sei se vão entender, mas, o que ele fala faz sentido p´ra mim. Tem muita gente que tem o seu animal de estimação como uma extensão própria e não pelas necessidades reais dos bichos. Conviver com animais é maravilhoso, mas, sinceramente não vejo nenhum prazer para os animais irem a restaurantes humanos. Portugal discute isto faz um tempo e acho meio estranho isto ter chegado até ao Parlamento. 

01/10/2017

Ex-prefeito abandonou os seus animais de estimação para o atual Prefeito cuidar

Pelo jeito combinaram tudo quando Dudu entregou a Gávea Pequena ao Crivella..... Ô nojo!!!!!!!!
-------------
Mudança
Quando Eduardo Paes (PMDB) deixou a Gávea Pequena, residência oficial do prefeito, no Alto da Boa Vista, deixou por lá os pets que o acompanharam em sua gestão: cinco cachorros e um pônei. Filha de Crivella, Rachel tem tomado

27/09/2017

Casal desafia o furacão Maria para salvar animais de estimação em Porto Rico

Gente, isto é amor mesmo!!!!!Que Deus abençoe o casal.... Olha, a imagem não está muito boa. Estou tentando achar outra.
----------
O furacão Maria devastou países do Caribe, matando ao menos 45 pessoas, mas não foi capaz de separar o casal Sandra Harasimowicz e Gary Rosario dos seus animais de estimação. A casa onde vivem,

Música: O amigo animal faz por você

O vídeo é bonitinho, a letra da música e as crianças dão o recado muito bem para um determinado segmento social. É um material interessante para divulgar em locais específicos. Valia a pena um vídeo para ser divulgado nas escolas públicas com uma realidade mais próxima das crianças que vivem em comunidade. Fica a dica!
-----------

24/09/2017

Animais de estimação passam a ser bem-vindos em shopping de Maceió

É uma boa notícia.... O passeio com animais de estimação é muito saudável. Quando o comércio percebe isto, é uma maravilha para todos.... Quem diria, né? muito bom!!!!!
-----------
A partir deste sábado (23), os cachorros de estimação de pequeno e médio porte vão poder frequentar o Parque Shopping, localizado em Cruz das Almas, em Maceió. A novidade tem como objetivo tornar a experiência do cliente ainda melhor, ao reunir todos os familiares em um só lugar.

O shopping agora é um Pet Friendly, onde está apto a receber animais de estimação. Para dar boas vindas aos pets no shopping, neste sábado e domingo, acontece o lançamento do “Lá Fora Pet Park”, um espaço com parquinho pet, desfile, feira de adoção de animais e muito mais. O aniversário pet é outro atrativo para os aniversariantes do mês de setembro, que vão ganhar festa com buffet, assinado pelo Faça Festa Pet.

20/09/2017

61% dos donos de animais veem seus pets como um membro da família

Acredito na pesquisa, mas acho que o índice é maior.... Animais são realmente da família e tanto é que o mercado que mais cresce é o do pet shop que oferece os mimos que damos à eles.... E olha, quem diz isto são os entendidos no mercado que volta e meia saem nas mídias. Confere aí...
----------------

08/09/2017

Aparelho permite ligações entre animais de estimação e seu dono

Muito legal..... 
--------------
Por meio do PetChatz, é possível ver e interagir com seu pet em tempo real, além de dar petiscos e até espalhar seu perfume favorito pela casa!

Você sai todo dia para trabalhar e não aguenta ter que deixar seu cão ou gatinho sozinho em casa? O PetChatz promete suprir essa saudade tanto do dono quanto do pet. Trata-se de um aparelho que permite que o dono ligue para seu animal de estimação e possa vê-lo através de uma espécie de webcam. O pet também pode ver o seu dono.

A ligação pode ser feita de um computador, celular ou tablet e o próprio pet também pode ligar para o dono: basta colocar sua pata num espaço específico e o dono receberá a notificação no aparelho que estiver conectado com o PetChatz.


Ainda é possível que o dono acione um comando para dar petiscos aos pets que estão na ligação ou espalhar seu perfume favorito pelo ambiente. O material da câmera é pensado para animais de estimação e promete ser resistente. A câmera está à venda por 379,99 dólares no site da PetChatz e na Amazon.

FONTE: casa.abril

02/09/2017

Animais de estimação abandonados precisam de um novo lar em Bauru

Sinceramente, achei a matéria muito bem feita.... Aquele cachorrinho velhinho é demais..... Se estivesse lá em Bauru teria pego ele.... E se tivesse grana, ia traze-lo para o Rio mesmo sabendo que por aqui está cheio de velhotes iguais..... Na verdade, acho que estou ficando meia detraquê (amalucada) quando falo da minha primeira reação já que não tenho mais condição de nada kakaka.... leitores, me perdoem.... 
------------
A adoção de animais é uma atitude que vem conquistando corações das pessoas. Mas mesmo assim, os casos de maus-tratos e abandono de animais ainda preocupa organizações e protetores dos animais.

Outras situações vividas pelos animais vítimas do furacão Harvey

É algo de absurdo ler coisas do gênero.... que tragédia não, minha gente? Veja o que já publicamos a respeito AQUI.
---------
Após a passagem do furacão Harvey, que atingiu milhares de pessoas no sul dos Estados Unidos, muitas pessoas se comoveram com cães abandonados por conta das fortes tempestades. Mas, ao que parece, um hotel na região não se importou muito com os pets e impediu uma família com três cães de estimação de se hospedar no local.

Ao receber o comunicado de evacuação obrigatória, o casal Gillian e Philip Parker deixou sua casa com a filha Alisson e a avó Sylvia. Além disso, levou seus três cachorros Arrow, Wiggum e Buttercup.

Depois de horas em busca de um lugar seguro, eles encontraram o hotel Holiday Inn Express na cidade de Katy, mas receberam a notícia de que os cães não poderiam ficar com a família. "É ridículo e ultrajante", disse Gillian ao site da revista People. "Esta a maior inundação em muitos anos. A guarda nacional está tirando as pessoas de suas casas. E nossos cachorros não podem entrar em segurança?", questionou. Gillian afirma que tentou negociar com os gerentes do hotel, mas eles foram irredutíveis.

A família não teve outra opção a não ser deixar os pets no estacionamento do hotel. Eles se revezaram para não deixar os cães sozinhos em nenhum momento. Mesmo durante a noite, alguém ia ao carro para fazer companhia aos animais. Gillian ressaltou que teve medo de insistir em entrar com os cachorros e ser expulsa do local. “Eu não quero perder meu lugar no hotel. Estamos tão cansados e temos medo de sair por causa das chuvas. Esperamos que todos possam ficar a salvo", completou a norte-americana. 

FONTE: gazetadigital
==================
Além do salvamento das pessoas em áreas alagadas, uma das grandes preocupações dos americanos - afetados pela passagem da tempestade tropical Harvey - é o resgate dos rebanhos em áreas rurais. Ranchos e fazendas do Texas estão debaixo d'água.

Fonte: Band News
==============
Esta matéria da Veja, tem várias fotos:

31/08/2017

Hospital de Tubarão passa a permitir a visita de animais de estimação

Tenho certeza absoluta que os animais levantam até defuntos com seu poder mágico.... são os milagres diários da nossa vida.... Tomara eu mereça morrer depois de todos os meus terem partido.... Seria a maior graça que Deus me daria.... 
--------------
Publicado em 28 de ago de 2017
Hospital Socimed, daqui de Tubarão passou a permitir visita de animais de estimação, porém algumas regras precisam ser seguidas. Na quinta-feira, 24/8, uma paciente foi a primeira beneficiada pelo projeto.
Fonte: Unisul

30/08/2017

Alimentação vegetariana sem supervisão para pets pode causar doenças graves

Acho que todos devem avaliar este tipo de questão..... afinal, nosso modo de viver deve intervir na natureza animal? falo isto porque uma vez tive problemas sérios com um protetora que estava matando seus gatos alimentando eles com legumes e frutas.... Aliás, um deles (eram 6) não sobreviveu. Precisamos ter tudo isto na nossa mente para decidir o mais correto.....
------------
Médica veterinária alerta que a dieta de cães e gatos devem respeitar as necessidades nutricionais

Uma nova tendência no mundo pet tem chamado atenção de veterinários: a alimentação vegetariana para cães e gatos. Muitos tutores têm estendido seu estilo de alimentação para os animais e, de acordo com a professora de Medicina Veterinária da Unime, Aline Quintela, a mudança da dieta dos pets precisa ser acompanhada por um médico veterinário ou nutrólogo de animais, para que as exigências nutricionais sejam supridas e evite problemas mais graves.

“Qualquer alteração na alimentação de cães e gatos deve ser lenta e gradual. Cães e gatos que são submetidos a uma dieta vegetariana demonstram precocemente sinais de deficiência nutricional, como pelos opacos e quebradiços e menor disposição para brincadeiras e exercícios. Com o passar do tempo, estes animais podem demonstrar sinais clínicos mais graves, como anemia, hipoproteinemia e edema de membros”, alerta Aline.

Ainda de acordo com a médica veterinária, que também é professora de Clínica Médica de Pequenos Animais, Oftalmologia Veterinária e Reprodução Animal na Unime, alimentação ideal para oferecer aos animais deve ser balanceada e de qualidade, já que cães e gatos foram ‘fabricados’ para uma dieta rica em carnes. Fibras vegetais devem fazer parte da dieta, mas jamais como componente exclusivo ou principal. “Temos muitas rações comerciais disponíveis no mercado que são completas”, afirma.

Para os tutores que pretendem fazer a transição de ração e alimentos processados para a alimentação natural, a especialista faz mais um alerta: “jamais retire ou substitua ingredientes sem orientação profissional. O acompanhamento clínico e a realização de exames são essenciais, pelo menos semestralmente”.

A especialista complementa que, se a opção do tutor for a dieta caseira, esta deve ser prescrita por um médico veterinário. “A prescrição é baseada no estilo de vida do cão ou gato. Se é sedentário ou faz exercícios, se é castrado, se vive sozinho, dentre outras características, e deve conter os nutrientes essenciais a sua boa nutrição. O tutor deve ter em mente que, apesar de ser mais natural por não conter corantes e conservantes e ser mais atrativa para os animais, a dieta caseira tem que ser preparada diariamente, o que demanda tempo para comprar ingredientes e preparar a refeição. O preço costuma ser mais alto e há necessidade de suplementação com vitaminas, além de ser necessário acompanhamento veterinário constante”, completa Quintela.

Contatos para a imprensa:
Weber Shandwick
http://www.webershandwick.com
PABX:(11) 3027.0200 / 3531.4950
Celular: (71) 99330-0013 / (71) 98266-7667

Igor Leonardo Santos – isantos@webershandwick.com
Paula Ramos – pfiori@webershandwick.com
Samara Busa – sbusa@webershandwick.com
Priscila Rocha – procha@webershandwick.com

FONTE: jornaldiadia

29/08/2017

Algumas pessoas deixaram seus cães amarrados para morrer no dilúvio do Texas

Ontem publicamos a postagem: Proprietários carregam cães após passagem de furacão no Texas. Daí, nossa querida Paulinha nos manda esta matéria que mostra o outro lado da moeda.... Revoltante....
-----------
Houston, Texas, está atualmente experimentando níveis catastróficos de inundações devido às chuvas torrenciais provocadas pela tempestade tropical Harvey. Cinco pessoas morreram até agora, muitas estão feridas e milhares foram deslocados. Mas, à medida que as pessoas fogem para se salvar, muitos estão esquecendo de levar seus animais com eles, e, como você pode ver a partir dessas imagens doloridas, os cães estão sendo deixados para trás para se defenderem em que poderia ser a pior inundação da história de Houston.

Apesar de autoridades texanas terem repetidamente avisado as pessoas sobre deixar seus animais de estimação e gado para trás, um cão foi flagrado segurando uma barreira de estrada (foto ao lado) enquanto um rio de chuva ameaçava levá-lo na correnteza. Outros foram vistos acorrentados a árvores e postes telefônicos em áreas que choveu 10 polegadas de chuva em apenas 24 horas.

"Eu prometo a você, que vou responsabilizar todas as pessoas que ilegalmente acorrentaram seu cachorro em condições climáticas extremas", disse o Chefe Stephen Carlisle em Roman Forest, a cerca de 40 quilômetros ao norte de Houston. "Os cães também são os membros da sua família".  

Nossos corações vão às pessoas e aos animais de estimação que são atualmente afetados pela tempestade tropical Harvey.  Este pobre cão foi deixado em corrente sem qualquer esperança de escapar ...

Este cachorro triste foi visto acorrentado a uma árvore fora de um trailer em Victoria, também deixada sozinha

Este pequeno amigo também foi deixado por seus donos, mas um vizinho gentil decidiu salvá-lo

Fonte: Boredpanda

Acupuntura é alternativa no tratamento de animais de estimação

Já ouvi muita gente falando que o tratamento é muito bom, principalmente, para displasia e problemas na coluna. Agora, tem muito profissional que não é muito bom, entende? 
----------------
Na China, é cada vez mais maior o número de donos de bichos de estimação que recorrem a terapias alternativas e à medicina tradicional para tratar as doenças de seus animais. Em Xangai, o Pets TCM Center (Centro de Medicina Tradicional Chinesa) é especializado em prover o tratamento para cães, gatos e outros pets.
Fonte: Veja

28/08/2017

Proprietários carregam cães após passagem de furacão no Texas


A matéria mostra a situação que ficou alguns locais no Texas e algumas pessoas resgatando seus bichos..... Não é mole não..... O que me impressiona é que tem gente que larga eles a sua própria sorte....
---------------


Fonte: G1

17/08/2017

Baratas e ratos mudam de status e viram animais de estimação em Suzano

Já fizemos várias postagens sobre a dita barata que causa tanto nervoso e nojo à muita gente.... Agora, tem gente que gosta delas e as tratam muito bem.... kakaka...
--------------
As baratas Aroldo, Ernesto, Clotilde e Bernadete se alimentam de ração e cenouras. Donos garantem que além de casa e comida, dão carinho aos 'bichinhos'.

Baratas e ratos costumam despertar sentimentos como medo, pavor e nojo na maioria das pessoas. No entanto, para dois moradores de Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, estes animais se tornaram “bichos de estimação”, com direito a carinho e cuidados para evitar o estresse dos pets.

Aroldo, Ernesto, Clotilde e Bernadete formam um quarteto de baratas de Madagascar cuidado com dedicação pelo engenheiro ambiental Luiz Fernando Alcântara Araújo, de 28 anos. Ele comprou as duas fêmeas e os dois machos há mais de quatro meses motivado pela curiosidade e o interesse por insetos e animais exóticos.

A venda destes animais é permitida no Brasil, mas depende da autorização do órgão ambiental de cada estado, segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Baratas, porém limpinhas
Luiz disse que escolheu a barata de Madasgacar por elas serem mais limpas, não se alimenterem de dejetos e terem um convívio melhor com o ser humano. A dieta é à base de ração de cachorro triturada, alface e cenoura. Já a água é consumida por meio de um algodão umedecido.

“Elas não possuem cheiro e são suscetíveis ao toque. Quando se sentem ameaçadas emitem um assovio de alerta, mas somente para demonstrar que não estão à vontade. Elas não são capazes de atacar com mordidas e nem voar. É um inseto muito dócil e tranquilo, ótimo para quem tem pouco espaço ou procura ter um animal diferente. É recomendado para qualquer pessoa e para crianças a partir de 7 anos”, afirma Araújo.

O engenheiro explica que os cuidados são simples e envolvem medidas básicas de higiene. Uma das providências é manter o terrário onde elas vivem limpo e saudável. “Elas gostam de locais com baixa claridade. Durante o dia costumam estar escondidas e durante a noite são mais ativas, sendo mais fácil de visualizá-las.”

O engenheiro, que mora sozinho, revela que as pessoas se espantam quando descobrem seus "pets". “Mas depois ficam curiosas para vê-las. Algumas até se arriscam a tocá-las. Geralmente perguntam o porquê de se criar baratas e qual é a rotina delas.”

Para não assustar as pessoas, o engenheiro evita sair de casa com o quarteto. Por isso, durante a noite ele, as tira do terrário para que circulem pela casa.

”Eu as coloco no ombro ou no braço e dou uma volta pela casa, para que possam sentir o ambiente e se sentirem seguras. Pelo fato de ser um inseto noturno e não gostar muito de claridade, eu procuro evitar expor a muita luminosidade para não causar nenhum estresse.”

Mestre Splinter, o rato pelado
O analista de suporte técnico Nabil Jmail Hariri Junior, de 27 anos, escolheu seu pet justamente por ele ser diferente. “A maioria das pessoas já tem medo por se tratar de um rato, ainda mais devido à aparência dele , não possuindo pelos e tendo olhos vermelhos”, descreve Junior.

Ele explica ainda que essas particularidades do animal o fizeram desejar compreendê-lo melhor. O analista garante que “Mestre Splinter”, como chama o rato da raça hairless, é muito carinhoso e dócil. Embora conviva com o ratinho há menos de seis meses, Junior afirma que os cuidados com o pet são simples.

Ele diz que são necessários cuidados diários com a higiene do animal para garantir a saúde de “Mestre Splinter” e de sua família. “Essa rotina inclui o recolhimento das fezes, alimentação com ração normal e alfafa para roedores e uma vez por semana lascas de cenoura e de coco, troca da água; troca do pano de dormir e o aquário/gaiola deve ficar em local arejado, porque como ele não tem os pelos, ele é mais suscetível às intempéries do clima.”

“ Até hoje ainda não tiveram coragem de segurá-lo nas mãos. Ele é muito carinhoso e comportado, o medo e espanto das pessoas só se justifica devido ao medo do desconhecido, mas isto é normal. Sempre quando vem alguém em minha casa, faço questão de apresentá-lo para que as pessoas se familiarizem e não tenham tanto preconceito com este roedor incrível.”

Toby, um cachorro da raça pincher, é o outro animal de estimação do analista. Mas a amizade entre Mestre Splinter e Toby ainda não decolou. “Eles já se conheceram e se estranharam muito no primeiro encontro. Sendo assim, promovo encontros rápidos entre os dois, até que se familiarizem e aprendam a conviver juntos”, espera o dedicado dono do rato sem pelo de olhos vermelhos.

Empreendedor inovador
O comerciante Stenner Paulo Kazuhiko Hidaka resolveu apostar nesse segmento de pets diferentes em Suzano. Aberta há aproximadamente seis meses, a loja dele vende baratas, rato hairless, esquilo da mongólia (parecido com um rato), grilos, entre outros itens.

“Baratas eu tenho de dois jeitos. A de madasgacar que pode ser um pet e também para alimentação de macacos e lagartos. Assim como o grilo que é alimentação também. Eu sempre gostei de animais diferentes e conhecia pessoas que também gostavam. Eu fui pensando no negócio”, conta Hidaka.

Quanto aos pets inusitados, Hidaka garante que eles são os preferidos dos adultos. “As crianças ficam com medo e preferem o peixe, hamster ou porquinho da índia.”

De olho na lei
Para comprar um animal exótico é preciso, antes de mais nada, saber o que é permitido pela legislação brasileira. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), define animais exóticos como aqueles que não ocorrem naturalmente no país, como por exemplo, algumas espécies de cobras e lagartos.

De acordo com o Ibama são proibidas a venda, importação e criadouros para venda de qualquer espécie de répteis, anfíbios e invertebrados venenosos e peçonhentos.

“A lei coloca no mesmo patamar tanto quem vende quanto quem compra ou mantém em cativeiro um animal de origem ilegal. Ele responde pelo crime e a multa pode chegar até R$ 5 mil e prisão de seis meses a um ano”, explica a coordenadora de fauna do Ibama, Maria Izabel Gomes.

Por não ser originária do Brasil, a barata de Madagascar é considerada um animal exótico, mas não é venenosa nem peçonhenta. A venda é liberada desde que as baratas sejam criadas no Brasil. Os órgãos ambientais de cada estado é que devem autorizar a venda.

Maria Izabel alerta que os donos que adotam as baratas como pet e se arrependem depois não podem deixar o inseto no meio ambiente. "Elas podem causar um desequílibrio ambiental porque podem competir com a espécie brasileira e causar sua extinção. O ideal é que sejam entregues a um órgão ambiental para a destinação correta."

Outro problema apontado por ela é o controle de natalidade das espécies. As baratas de Madagascar vivem, em média, cinco anos, mas se reproduzem com frequência e isso pode ser um problema para o criador.

Já o rato hairless é considerado um animal doméstico e, por isso, segundo o Ibama não é necessária autorização para importação. "Em termos de desequílibrio na natureza, ele nem gera muito, pois como não tem pelo, tem limitações quando está na natureza. A preocupação é com a questão sanitária que pode ser grave para a fauna."

Apesar das proibições e restrições do Ibama não é difícil encontrar quem crie animais exóticos de várias espécies no Brasil. "A questão é que o nosso País tem dimensões continentais e, por isso, é difícil fechar as fronteiras para esse tipo de comércio ilegal. Por mais que tenhamos órgãos de controle ambiental e fiscais é difícil combater a falta de consciência ambiental. As pessoas não pensam na origem desses animais, no risco que eles podem apresentar para suas famílias, quais doenças podem transmitir", ressalta Maria Izabel.

FONTE: G1

05/08/2017

Dicas de especialistas para superar o luto quando morre um pet

Eu tinha um programa dentro da Prefeitura do Rio para atendimento às pessoas que sofriam pela doença e perda de seus animais.... Era incrível!!!! Por que roubaram meu trabalho pioneiro dentro da causa, meu Deus!!!!!
----------
A dor pela perda de um animal de estimação é enorme, mas é preciso superar o luto e seguir adiante.

Lidar com a morte não é uma tarefa fácil e isso não é diferente no caso dos animais de estimação. Embora cada pessoa encare o luto de um jeito, os pets são parte da família e, quando eles vão embora, deixam um grande vazio. Porém, por mais doloroso que seja o processo, é necessário superá-lo para seguir em frente.

A perda pode acontecer por vários motivos, alguns mais agressivos do que os outros, mas se despedir de um pet nunca é simples. “Quando o óbito acontece por uma doença e o animal já estava passando por algum tratamento, vemos que a aceitação acaba sendo mais rápida. Principalmente nos casos em que o quadro do paciente evolui de forma crítica e o prognóstico vai deixando de ser favorável”, conta Marina Bueno, veterinária da Animal Place. “Nesse caso, há certo preparo emocional, mas a morte não é menos dolorida”, ressalta Rachel Rebouças, psicóloga da All Clinik, do Rio de Janeiro.

Quando morre um animal de estimação, é possível que a estrutura familiar seja afetada. Isso ocorre especialmente nos casos em que o mascote estava presente em várias atividades do dia a dia e era uma grande companhia para os membros da família. “Então, o ideal é que a rotina familiar seja readaptada”, aconselha Rachel.

Algumas crianças podem sofrer bastante com a situação, especialmente as que já têm idade para entender que o animal se foi. “Elas criam uma relação muito próxima com o pet. Na maioria das vezes, ele ajuda os pequenos a se relacionarem com o mundo. Por isso, eles podem sentir muito”, explica Juliana Germinari, psicóloga e psicanalista parceira da Kiddo. “Esse pode ser o momento ideal para introduzir o assunto ‘morte’ no universo da criança, que deve ser abordado à medida que ela esboçar curiosidade sobre o tema”, sugere Rachel.

E não são só os humanos que sofrem, não! Os outros animais da casa também sentem falta daquele que partiu. “Quando a Funny morreu, ainda filhote, o meu filho ficou bem triste. Mas não só ele: a minha outra cachorra, a Brisa, também sentiu muito aquela situação. Ela começou a se coçar muito e a ter queda dos pelos”, relata Tatiane Zuniga, veterinária da Animal Place.

Muitos adultos se sentem reprimidos durante o momento do luto pelo julgamento alheio. Isso porque grande parte da sociedade ainda acha que a aflição do tutor é “exagero” ou “frescura”.

“O mais importante é poder viver esse sofrimento sem medo ou vergonha. O luto tem que ser vivido para que ele possa chegar ao fim. Se a pessoa tenta preencher esse vazio com alguma coisa, ela não vai conseguir encarar de frente a situação, que vai acabar durando mais tempo. Pode parecer estranho, mas, para a dor passar, ela tem que ser sentida. Converse com pessoas próximas que compreendem a relação que você tinha com o pet e que não julgariam você. Só entende esse sofrimento quem já passou por ele”, indica Juliana.

“É preciso viver o luto em toda a sua dimensão. Você deve priorizar o seu emocional e se respeitar, não levando em consideração o que os outros estão pensando ou comentando, principalmente nesse momento de angústia. Enquanto isso, as pessoas ao redor podem ajudar, tornando-se disponíveis e respeitando o seu tempo”, ensina Rachel.

De acordo com as especialistas, quando a perda estiver insuportável, o ideal é buscar ajuda profissional. Isso é indispensável quando você perceber que está muito difícil superar a dor sozinha, quando o sofrimento estiver se prolongando por muito tempo e/ou quando a situação estiver atrapalhando as atividades do dia a dia, por exemplo.

Adotar um novo animal de estimação pode funcionar para algumas famílias superarem suas perdas, mas não é sempre que dá certo. “Para alguns, pode ser um conforto. Para outros, pode soar como ofensa a tentativa de ‘substituir’ o pet perdido”, aponta Rachel. “Quando passei por isso, a princípio, eu não quis outro animal, mas depois percebi que era um complemento importante para mim. Vi também que estaria dando a oportunidade de outro pet ser amado, tanto quanto aquele que morreu”, desabafa Patrícia Andrioli, veterinária da Animal Place, lembrando um pouco sobre a sua experiência pessoal.

Segundo Juliana, o momento ideal para se desfazer dos pertences do mascote é aquele em que a pessoa se sentir preparada para isso. “Ela deve perceber que os objetos em questão já não são tão importantes”, orienta.

Há também os óbitos causados por doenças infecciosas. “Nessa situação, o recomendado é se desfazer imediatamente das coisas e realizar uma boa desinfecção do ambiente, evitando manter animais no mesmo local por um período. Em outros casos, quando o tutor estiver preparado, pode aproveitar alguns itens e doá-los… Serão sempre aceitos com carinho!”, completa Marina.

FONTE: mdemulher

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪