Mostrando postagens com marcador aldeia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador aldeia. Mostrar todas as postagens

06/08/2017

Onça Suçuarana morre em aldeia indígena em São João das Missões - MG

Gente, eu só fiquei pensando se os índios desta aldeia não ajudaram na sua morte.... olha o que eles deram para ela? laranja? que que é isto? pobrezinha... pena que não deu tempo de ser atendida....
---------
Animal chegou ao local na tarde dessa quarta (2) bastante debilitada; carcaça será encaminhada para Museu Regional, da Unimontes.

Uma Onça Suçuarana morreu nesta quinta-feira (3) em uma aldeia das Cavernas do Peruaçu, dentro da Área de Preservação Ambiental, em São João das Missões. Foram os indígenas que perceberam a presença da onça na aldeia e fizeram contato com a Secretaria de Meio Ambiente em São João das Missões.

De acordo com o ambientalista e secretário de meio ambiente, Adailton José de Santana Oliveira, a onça estava extremamente debilitada e não apresentava riscos aos indígenas. "Ela apareceu ontem à tarde, e, imediatamente, o pessoal me ligou e tomamos todas providências juntos aos órgão ambientais", disse o secretário.

O ambientalista acredita que os animais estão com dificuldades de sobrevivência em função do incêndio que atingiu a reserva indígena em fevereiro deste ano. Na ocasião, as chamas destruíram 530 hectares de vereda e o fogo foi controlado após seis dias de combate. A área destruída tinha como predominância a vegetação de buritis, e o fogo se propagou rapidamente, impulsionado pelo calor forte e a grande quantidade de matéria orgânica encontrada no solo local.

“A onça é comum na região, mas não em área povoada. Como houve degradação em função do incêndio em fevereiro, os rios secaram e há falta de alimentos. Com isso, os animais estão indo com mais frequência às aldeias. No entanto, esta é a primeira vez que temos relato de uma onça debilitada aparecer no local”, explica o secretário.

Técnicos do Instituto Estadual de Floresta (IEF) foram à aldeia nesta quinta para resgatar a onça, mas ela não resistiu e faleceu no local. A carcaça foi recolhida e encaminhada ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) em Montes Claros.

“Nós iremos fazer exames nesta carcaça para que possamos tentar resgatar o máximo de informações sobre a origem desta onça. Sabemos que é um animal silvestre que está em extinção e, por isso, é importante fazer este resgate histórico”, explica a bióloga do Cetas, Cilene Barbosa.

A bióloga explicou ainda que uma parceria entre o órgão ambiental e a Unimontes possibilitou que a carcaça fosse doada à universidade. “Será exposto no museu da Unimontes. Fará parte de um programa de educação ambiental, e é essencial que as pessoas entendam o histórico deste animal. Assim, podem ajudar a preservar a espécie”.

Para o professor Vicente Ferreira, responsável pelo laboratório de taxidernia da universidade, receber um animal desta espécie pode contribuir para a disseminação do conhecimento sobre a região. “Os animais do cerrado estão acabando. Ter um animal deste é uma oportunidade para professores e estudantes entenderem melhor nossa fauna”.

O professor informou ainda que o Museu Regional já possui 24 animais em exposição. “Eles estão expostos em redomas de vidro. Agora iremos preparar a onça, trabalho que pode levar mais de 30 dias, devido ao porte deste animal”.

Onça Parda ou Suçuarana
A onça Parda ou Suçuarana, como é conhecida, é uma predadora, oportunista, que ataca eventualmente criações de galinha e pequenos animais. “Em Minas Gerais, temos relatos que acontece a caça ao animal em retaliação à preservação das criações e até por certo de medo de ataques a humanos, ainda que este seja um evento extremamente raro. Ficamos satisfeitos com o contato dos indígenas para o resgate, demonstrando respeito ao animal e interesse na preservação da vida dele”, disse Daniel Dias, analista ambiental do Cetas.

FONTE: G1

05/06/2017

Com seu habitat natural destruído, elefante invade aldeia e pisoteia 4 pessoas - Índia

As tragédias têm acontecido com muita frequência. Pior que as autoridades da Índia estão convictas que o excesso de população humana está destruindo o habitat dos animais... Não fazem nada para um controle de natalidade....
---------- 
Um elefante pisoteou quatro pessoas, incluindo uma garota de 12 anos de idade, quando atingiu uma aldeia no sul da Índia na sexta-feira, informou a polícia. A menina estava dormindo quando o elefante entrou na aldeia no início da sexta-feira, também ferindo seus pais que estão recebendo tratamento. Duas mulheres e um homem idoso também foram pisoteados até o incidente no estado de Tamil Nadu.

"O mesmo elefante havia se desviado para esta localidade dois dias atrás e ferido uma pessoa", disse o sub inspector Vijayan do policial de Coimbatore, que apenas conhece um nome. "Esta manhã, voltou e deixou quatro pessoas mortas e outras duas feridas", disse ele à AFP por telefone.

Especialistas em vida selvagem dizem que encontros entre humanos e elefantes estão aumentando nas áreas rurais da Índia devido à destruição do habitat dos animais.

No ano passado, um rebanho de elefantes selvagens passou por uma fuga de um longo período de tempo na vizinha Bengala Ocidental, matando cinco pessoas e prejudicando veículos e casas antes de ser submetido a dardos tranquilizantes.

Polícia e trabalhadores florestais disseram ter conseguido tranquilizar o elefante antes de voltar para a floresta.

Fonte: Daily Mail
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"

19/08/2016

Suposta tradição na China transporta cão em um trono durante procissão pela aldeia

Claro que fui pesquisar, mas, não achei quase nada, ou melhor, achei comentários na própria mídia chinesa que esta "tradição" não é conhecida e que parece ter sido criada para atrair turistas da mesma forma que a cidade de Yulin o faz durante a realização do Festival de carne de cachorro.

Os moradores da aldeia de Jiaobang da Província de Guizhou fazem parte de  uma minoria étnica chamada Miao,  acharam que transportar cães vestidos de humanos pela aldeia, iriam atrair o povo que gosta de cães e rituais exóticos. Só que eles estão sendo super criticados pela forma desconfortável com que o cão é submetido durante todo período desta tal "procissão". Na última foto abaixo vemos que ele fica acorrentado de jeito a ficar em pé o tempo todo.

Confira neste site chamado Festival  Miao os vários eventos nojentos com touros, cavalos, patos, galinhas realizados nesta mesma aldeia. Lá não achei nenhuma referência a esta "tradição" do "Dia de Transporte do cão".
--------------------------
“Dia de transporte do cão” é festival ancestral em aldeia na China, onde o fiel amigo do homem é venerado por ser capaz de encontrar água. Mas há quem diga que se trata de um evento cruel.

Transportar cães em tronos de madeira, vestidos como humanos, e desfilar com eles dessa forma

24/12/2014

Anclivepa-SP instala câmeras em aldeia indígena para evitar abandono de animais

Eu não sabia que a Anclivepa/SP fazia este trabalho de atendimento aos animais..... muito bom!!!!! aquela "aldeia" precisava faz tempo de algo do gênero.....
-----------------------------------
Infratores serão identificados e punidos por meio do registro das imagens.

Após a instalação do trailler para atendimento veterinário e da contratação de dois moradores para a manutenção e limpeza da Aldeia Indígena Tekoa Pyau, a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa-SP, São Paulo/SP) deu mais um passo no trabalho iniciado em setembro deste ano. 

Na última quarta-feira (18/12) foram instaladas câmeras de

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪