Mostrando postagens com marcador Centro de Primatologia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Centro de Primatologia. Mostrar todas as postagens

22/07/2017

Filhote de macaco que perdeu a mãe em Mato Grosso é levado para viver no RJ

O problema de animais viverem em cidades passam pelo risco da eletrocução.... Dá muita dó, gente!!!!
------------ 
Mãe do filhote morreu eletrocutada em Juína (MT) e macaco foi resgatado em janeiro. Animal tem 6 meses de vida e vai começar um processo de reprodução e perpetuação da espécie.

Um filhote de macaco bugio-ruivo, que foi resgatado depois de ficar órfão ao perder a mãe, foi enviado para crescer e viver no Centro de Primatologia do Rio Janeiro (CPRJ), situado em Guapimirim. De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o animal, que tem seis meses de vida, chegou ao Rio de Janeiro na terça-feira (18).

O macaco foi resgatado em janeiro deste ano, no município de Juína, a 737 km de Cuiabá, por uma equipe do Batalhão de Proteção Ambiental. Segundo a Sema, a mãe do animal morreu eletrocutada e ele ficou sob os cuidados de uma moradora até as equipes providenciarem o transporte para levá-lo ao batalhão.

Animal tem 6 meses de vida e vai começar um processo de reprodução e perpetuação da espécie no Rio de Janeiro (Foto: Sema/MT)

Em Cuiabá, uma pessoa ficou com a guarda provisória do filhote até que a transferência dele para o Rio de Janeiro estivesse oficializada.

O macaco saiu do Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, na noite de segunda-feira (17), e enfrentou 17 horas de voo para chegar ao destino.

De acordo com a médica veterinária da Sema, Isabela Ferreira, a viagem foi tranquila. O animal passa bem e se prepara para o processo de adaptação ao novo lar.

Conforme a Sema, o CPRJ fica em um cenário florestal integrado ao Parque Estadual dos Três Picos, ocupando uma área de quase 270 hectares, em meio a uma riqueza biótica extremamente significativa. O local possui uma metodologia de trabalho voltada para a manutenção e reprodução das espécies de primatas da Mata Atlântica.

De acordo com o coordenador de Fauna e Recursos Pesqueiros da Sema, Christiano Justino, a espécie desse macaco apresenta uma dentição não muito especializada, alimentando-se de uma grande variedade de alimentos, principalmente frutas. Por isso, são importantes para os ecossistemas onde vivem, sendo os dispersores de sementes e, consequentemente, formadores de florestas.

FONTE: G1

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪