Mostrando postagens com marcador CFMV. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CFMV. Mostrar todas as postagens

19/04/2017

CFMV lança campanha pelo bem-estar animal

Falando a verdade? até que enfim os veterinários estão assumindo princípios que, graças a protetores dos animais, foram estimulados. A classe percebeu que estava ficando p´ra trás. Quem briga pelo fim dos animais em pesquisas, na alimentação, nos abusos, na implementação dos direitos deles e tudo mais? Pois é....  Somos nós, né?  
Então, agora passaram a perceber que a sociedade está cobrando uma definição já que salvam a vida de alguns animais enquanto se esmeram na morte de outros. 
Esta profissão vai ter que um dia descer do muro e se alinhar com a cobrança do tipo de apoiar a crueldade das vaquejadas e rodeios, matarem bois sabendo que esta industria está acabando com o planeta e saúde humana.... etc etc etc..... enfim, tudo que todos nós sabemos..... Já é hora, amigos!!!!!
-----------------------
Durante cerimônia de abertura do IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar Animal, nesta terça-feira, 18, em Porto Alegre, RS, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) lançou uma campanha nacional para informar e conscientizar a população sobre o bem-estar animal.  A campanha destaca que os médicos veterinários e zootecnistas são os grandes aliados da população na busca por um bem-estar único.

“Não podemos ficar restritos apenas ao bem-estar humano, animal ou da natureza, mas entender que somos uma célula única e interdependente e que é possível estabelecer uma convivência saudável entre todos”, disse o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda. Em todas as áreas, seja para animais de produção, de companhia, selvagens ou de laboratório, o bem-estar deve ser considerado e o comportamento de cada espécie conhecido por médicos veterinários e zootecnistas para que suas necessidades sejam atendidas.

Hoje em dia, a sociedade reconhece cada vez mais a importância de pensar alternativas para minimizar a dor e o sofrimento dos animais, que são capazes de sentir emoções como medo e felicidade.

Cinco Liberdades - A expressão do comportamento natural da espécie é uma das cinco liberdades que todo animal deve ter. As liberdades são instrumento reconhecido mundialmente para diagnosticar o bem-estar e incluem aspectos que influenciam a qualidade de vida do rebanho. São eles: a liberdade de sede, fome e má-nutrição; a liberdade de dor e doença; de desconforto; liberdade para expressar o comportamento natural da espécie e de medo e estresse. 

Livre de fome: O animal deve ter acesso a comida e água na quantidade, qualidade e frequência ideais. Caso não tenha uma dieta adequada e hidratação apropriada isso pode causar desequilíbrio, gerando obesidade, por exemplo.

Livre de dor e doenças: essa liberdade fala das questões da saúde física. No caso dos animais de companhia, pode haver maior risco de transmissão de doenças para os humanos. As vacinações devem estar sempre em dia, para que o bem-estar dos homens e animais seja preservado.

Livre de desconforto: o animal também deve estar abrigado em ambiente com temperaturas confortáveis para a espécie e superfícies adequadas para proporcionar conforto. Animais selvagens colocados em recintos pequenos, como gaiolas, por exemplo, não estão exercendo essa liberdade.

Livre para expressar seu comportamento natural: a expressão do comportamento natural da espécie deve sempre ser considerada para medir a qualidade de vida e bem-estar do animal. É importante estimular os animais com tarefas e objetos que permitam sua expressão natural. Quando o animal não consegue fazer isso, podem aparecer comportamentos anormais, como andar repetitivamente.

Livre de medo e estresse: essa liberdade diz que os animais devem ser livres de sentimentos negativos, para evitar que sofram. Um exemplo é quando há incompatibilidade entre animais domésticos, em que a família introduz um novo animal na casa, caso em que é importante a orientação de um médico veterinário.

Campanha - A campanha promovida pelo CFMV contará com ações variadas, que buscam levar as pessoas e os profissionais à reflexão e ao maior entendimento sobre o bem-estar animal. O material foi publicado em uma página exclusiva da campanha, e está sendo compartilhado com a hashtag #bemestaranimal.

O vídeo produzido para a campanha será exibido na TV e também em salas de cinema de todo o Brasil. A iniciativa conta, ainda, com um quiz, produzido para testar seus conhecimentos sobre o tema, e quatro cartazes que simbolizam os animais de produção, domésticos e selvagens, e que estão disponíveis para download.

Também no Portal do CFMV, estão disponíveis cinco podcasts com a participação do médico veterinário Marco Antônio Gioso e da zootecnista Meyb dos Santos. Os dois discutem temas ligados ao bem-estar em um bate-papo e citam exemplos que esclarecem as principais dúvidas e questões da sociedade, seja dentro de casa, seja no campo. Outra novidade da campanha é o Twibbon – ferramenta que permite mudar sua foto de perfil do Facebook e usar um avatar especial para mostrar que você aderiu à causa da campanha.

Congresso - O IV Congresso Brasileiro de Bioética e Bem-estar é promovido pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e acontece entre os dias 18 e 20 de abril em Porto Alegre, RS. 

Na programação, debates multidisciplinares tratarão de práticas do cotidiano sobre dor e bem-estar nas diferentes espécies, avanços na neurociência, ética e emoções para subsidiar e aprimorar as atuações dos profissionais. Os temas incluem animais de companhia, selvagens, de produção e de laboratório.

Palestrantes do Brasil e do exterior que são referências em suas áreas estarão presentes no evento. Entre eles, o pesquisador escocês perito mundial em bem-estar animal, Ian Duncan; o catedrático da Escola de Veterinária da Universidade de Bristol, Mike Mendl; o lecionador de Ética e Bem-Estar Animal na Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia, Paul Flecknell; e muitos outros.

Fonte: Portal DBO e CFMV

07/01/2017

CFMV abre consulta pública para resolução sobre maus-tratos e crueldade

Achei interessante o Conselho de Veterinária (e porque não dizer: DEMORÔ) se manifestar a respeito. Em várias ações judiciais, fica sempre por conta da avaliação do juiz do que vem a ser crueldade e maus-tratos. Agora, pelo menos, haverá um parecer técnico, embora tenha minhas preocupações se vão ser fidedignos com o sofrimento dos animais de laboratório. A conferir!!!!!
-------------------
05 de janeiro de 2017
Está aberta consulta pública do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) sobre proposta de Resolução que conceitua crueldade e maus-tratos e dispõe sobre a conduta de médicos veterinários e zootecnistas em relação a maus-tratos contra animais vertebrados.

A proposta, elaborada pela Comissão de Ética, Bioética e Bem-estar Animal (Cebea) e Comissão

27/10/2016

Algumas notícias e ações para fazermos sobre as vaquejadas

Estamos atualizando as informações sobre a repercussão da manifestação do dia 25 feita pelos exploradores de animais lá em Brasília. Acompanhe ossas postagnes anteriores AQUI.
--------------------
1 - Só queria lembrar a todos que Jari Bolsonaro é a favor da caça. Confiram AQUI nossas postagens a respeito. Portanto, nada a estranhar seu apoio sendo ele da "Bancada da Bala" do Congresso.

Jair Bolsonaro discursa no ato em favor da Vaquejada, em Brasília-DF.


2 - Vaquejistas esperam acórdão para avaliar recurso

26/06/2013

Conselho Federal de Veterinária proíbe corte de rabo em cães.... até que enfim!

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA (CMFV) PROÍBE O CORTE DA CAUDA EM CÃES PARA FINS ESTÉTICOS


O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) determinou por meio da Resolução nº 1027, de 18 de junho de 2013, a proibição da prática de caudectomia – amputação ou corte da cauda de caninos para fins estéticos. O dispositivo modifica a Resolução nº 877, de 15 de fevereiro de 2008, que continha em seu texto apenas uma recomendação do CFMV para que a cirurgia não fosse feita. 

Raças como Cocker Spaniel, Pinsher, Poodle, além de Pitbull, Rottweiller e Doberman são alvos comuns do procedimento que são corriqueiramente justificados como para “embelezar” o animal. De acordo com o Presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda, o Conselho priva pelo bem-estar do animal.”Queremos coibir a caudectomia e conscientizar o Médico-Veterinário a não recomenda-la, já que amputar parte de um animal por motivo torpe é inadmissível”. Arruda acrescenta que toda a população pode procurar o Conselho Regional de Medicina Veterinária(CRMV) de seu Estado para denunciar a prática.

Desde 2008, o CFMV proíbe a cordectomia (cirurgia que retira as cordas vocais dos animais), a conchectomia (para levantar as orelhas) e a onicectomia ( extração das unhas de gatos). 

O Médico- Veterinário que infringir as normas determinadas pelo CFMV estará sujeito a processo ético-profissional.                                       

19/01/2013

Cães com leishmaniose poderão ser tratados por decisão federal


Claro que temos que ficar sempre atentos, mas, inegavelmente, a Record faz um bom trabalho pela causa de defesa animal, não? Olha que matéria excelente... o veterinário fala claramente da problemática.... muito bom!!!!

DF Record - 18/01/13

Matérias a respeito:
Cachorro pode ser tratado com remédios para humanos, decide justiça no MS
Decisão da Justiça Federal autoriza tratamento de cães com leishmaniose
Presidente do CRMV/MS fala sobre a decisão judicial que derrubou a Portaria 1.426/08
Mesmo com decisão judicial, veterinários continuam orientados a sacrificar cães


Nossa querida Fernanda nos lembra do caso que, também, foi uma grande vitória:

Cão Scooby retorna ao Abrigo dos Bichos após determinação judicial

MS Record - 16/01/13

Leiam a decisão do Tribunal:

19/05/2012

Resolução do CFMV sobre eutanásia e uma reflexão sobre Vida e Morte... O que temer?

.
Observo muito, na proteção animal de países latinos, uma certa dificuldade de encarar a morte como um processo natural da vida. Por mais que se tenha medo dela, será inexorável nosso fim. 
Volta e meia, refletimos no cotidiano que VAMOS MORRER e o quanto não queremos que aconteça!!! 

Uma vez, vendo uma série de TV, um discípulo confessa ao seu mestre que, quase sempre, lhe assombrava o momento de sua morte. O mestre lhe ensinou que: todas as vezes que pensares na sua morte, pense na sua vida!!! Eu segui este princípio até algum tempo atrás quando me dei conta que prefiro conviver com o entendimento e conceito de morte. Realmente, é quando a gente se desapega de tudo. As coisas passam a ter um brilho diferente e sem conflitos.

Discussão sobre conceito de vida e morte... o que temer?

Percebo que há uma rejeição enorme quanto às chamadas "matadoras", aos CCZ`s que ainda matam, aos matadouros, aos abatedouros, os a favor do aborto e outros mais que lidam com a morte diferentemente. Entretanto, tal observação me levou a entender a dificuldade destas mesmas pessoas de se entender com o fim da vida. Explicado pela nossa colonização feita por civilizações que se caracterizam por tal dificuldade, continuamos nos horrorizando quanto ao comportamento dos europeus e asiáticos com referência ao que reconhecemos como crueldade praticada contra os animais.

A humanidade briga por "conceitos" diferenciados entre as civilizações promovendo grandes guerras em nome daquilo que não conseguem perceber e aceitar do outro...  Bem, mas, isto é papo p´ra mais de metro.... kakakaka... Chega, já falei demais!!!! desculpa aê, galera!

Vejam a resolução do CFMV que estabelece metodologias para eutanasiar os animais. Clique no título abaixo:

O "Movimento SOS Bichos" emitiu uma opinião que me parece interessante ser lida. Cliquem no link abaixo:

.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪