Mostrando postagens com marcador CETAS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CETAS. Mostrar todas as postagens

03/08/2017

Bombeiros fazem capacitação para resgate de animais silvestres em Rio Branco - Acre

Como fico feliz de ver os CETAS que dão certo! É muito bom quando as superintendências dos Ibamas locais funcionam....
----------
Atividade é coordenada pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama). Primeira das três turmas foi encerrada nesta terça (1°).

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) formou, nesta terça-feira (1°), a primeira turma de bombeiros no Curso de Manejo e Contenção de Animais Silvestres. A capacitação vai ter ainda duas turmas durante esta semana.

O treinamento padroniza o trato de bichos capturados na capital e interior. A chefe do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama, a bióloga Elaine Oliveira, explica que a atividade é direcionada aos bombeiros por eles realizarem o recolhimento desses animais em vias públicas.

“Nosso maior intuito é que os animais sejam capturados e conduzidos dentro dos procedimentos, tudo para garantir a integridade física do bombeiro e do animal, para que seja encaminhado ao Cetas da melhor forma possível. Para isso, era necessário capacitar as pessoas”, complementa.

Com aulas teóricas e práticas, a iniciativa, ainda conforme a bióloga, conta com a parceria de profissionais da Universidade Federal do Acre (Ufac) e do Batalhão de Policiamento Ambiental da Polícia Militar (PM-AC).

FONTE: G1

02/08/2017

Polícia Civil alega dificuldades para encaminhar animais resgatados para reabilitação no AP

A situação da porcaria do nosso país está desesperadora..... Em todos os setores, mas, temos que lamentar mais aqueles que nossos animais estejam envolvidos.... Enquanto isto nossos político debocham do povo usando tanto dinheiro para benefícios próprios.... Os CETAS pelo país afora estão na penúria enquanto estes safados manobram verbas que poderiam resolver tudo imediatamente........ Gente, eu não aguento isto mais..... 
--------
Ibama suspendeu recebimento de animais que não estejam gravemente debilitados, devido a falta de tratadores. Sem o espaço, Delegacia de Meio Ambiente diz não ter onde entregar os bichos.

Depois do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) suspender temporariamente o recebimento de animais silvestres, a Delegacia de Meio Ambiente (Dema) do Amapá afirma ter dificuldades para onde encaminhar os bichos resgatados em operações para passarem por reabilitação.

“Nós dificilmente vamos poder realizar prisão em flagrante com apreensão, porque não temos para onde enviar esses resgatados, principalmente se forem dóceis, com nível de interferência humana muito grande, porque dificulta a reabilitação à natureza”, disse o titular da Dema, Sávio Pinto.

O Cetas, que é administrado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) enviou um ofício à Polícia Civil do Amapá informando da medida na quarta-feira (26).

O contrato com a empresa terceirizada que disponibiliza os tratadores venceu no dia 21 de julho e o Ibama aguarda a certificação administrativa para fazer nova licitação, e em seguida a contratação.

A previsão é que a liberação aconteça até segunda-feira (31). O processo deve ser encerrado entre 15 e 45 dias. A instituição estaria recebendo somente animais enviados por outras unidades do Ibama ou gravemente debilitados, devido à falta de tratadores na unidade.

“Sem os profissionais, a gente fica limitado em receber os animais que precisam de tratamento diferenciado. Não quer dizer que estamos dispensando todos os resgatados. Em casos de urgência ou caso especial, vamos receber. Os tratadores não estão indo, mas redirecionamos servidores do Ibama para acompanhar os animais já internados”, informou o superintendente, Leonardo Melo.

O tempo de recuperação dos animais em reabilitação depende do nível de domesticação e do estado de saúde deles, segundo o superintendente. Os últimos bichos recebidos pelo Cetas foram 8 araras vítimas de tráfico encaminhadas pelo estado de Pernambuco no dia 19 de julho.


Unidades de reabilitação
Segundo o Ibama, não há instituições no estado certificadas para reabilitação de animais além do Cetas. Na quarta-feira (26), a Dema fez o resgate de um macaco, que estava sendo ofertado no valor de R$ 130.

Dócil, o animal precisa de uma reabilitação à vida na floresta. Com a suspensão do recebimento no Cetas, o macaco foi recebido na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) - Revecom, localizada em Santana, a 17 quilômetros da capital, onde recebe tratamento com biólogo.

“Existem as reservas como a de Santana e do Curralinho, mas desconheço a estrutura com biólogos com possibilidade de reabilitar os animais, recondicionando eles a voltarem à vida na natureza como é no Cetas”, lembrou o delegado.

O titular da Dema afirmou que, por enquanto, a maioria dos animais apreendidos nas operações deverão ser soltos em áreas florestais. “O meio ambiente não está sendo priorizado”, finalizou Sávio Pinto.

FONTE: G1

30/07/2017

Em Seropédica, animais passam por reabilitação antes de voltarem à natureza

Olha, fico muito feliz em saber que o CETAS aqui do RJ está bem. Depois que fiquei doente, nunca mais pude acompanhar in loco as condições daquele Centro. Que bom saber que tudo está indo como deve porque ali já teve tráfico e falta de alimentação para os animais. Os devotados biólogos, veterinários e técnicos de apoio mantiveram comida para eles à duras penas. Lá no final vejam a comprovação em nossas postagens.
-------
Nem um único bater de asas no aviário de Seropédica, perto do Rio de Janeiro. A razão: araras e outros papagaios estão aqui para "treinar". Devem reaprender a voar depois de terem sido resgatados das garras de contrabandistas de aves.

Ao lado, macacos, tartarugas, jiboias e até mesmo jacarés se recuperam em um centro de tratamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama).

O organismo estatal tem, entre outras missões, a de tratar de animais selvagens que foram caçados, feridos, ou domesticados, e colocá-los em condições para que retornem a seu hábitat natural.

Entre os papagaios, alguns carregam as cicatrizes de maus-tratos, outros dizem "Olá" - sinal de que foram domesticados.

Para fortificar suas asas atrofiadas por anos de vida em gaiolas, Taciana Sherlock, veterinária do centro, faz com que se exercitem, colocando-os em seu braço e sacudindo-os de baixo para cima.

A bela arara azul e amarela abre suas frágeis asas, cujas penas foram cortadas no cativeiro para limitar sua mobilidade, mas ainda não parece pronta para decolar.

As aves também são incentivadas a voar por dois poleiros distantes um do outro, com comida em ambos os lados.

"Aqui é a escola para reaprender a voar! Nós os treinamos para que estejam prontos para a vida em liberdade. Também devemos prepará-los para que possam identificar predadores e encontrar comida", explica a veterinário do centro.

- Cortar as asas -
Aos poucos, a equipe do Ibama, que recebe cerca de 7.000 animais por ano, espaça os contatos com as aves até que se desacostumem com os seres humanos.

Em seguida, serão levados e libertados em sua região de origem - muitas vezes em florestas de outros estados, como, por exemplo, na Amazônia.

"É cruel o que eles têm que suportar e é terrível vê-los chegar em tal estado, mas a recompensa é vê-los partir para a liberdade. Na semana passada, nós libertamos 20 araras e tucanos que conseguiam voar no estado de Goiás!", comemora.

A venda de animais silvestres é proibida, mas amplamente praticada no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro, onde a maior floresta urbana do mundo está localizada. As espécies nativas ainda vivem na região e, por vezes, na cidade. Em alguns mercados, é fácil encontrar tucanos, cobras, macacos.

O Ibama estima que cerca de 38 milhões de animais são capturados na natureza a cada ano. Desses, quatro milhões são revendidos. Este comércio geraria cerca de 2,2 bilhões de euros por ano.

O negócio mais lucrativo é o de pequenos pássaros, especialmente aqueles que cantam. Ter um pássaro em uma gaiola em casa é quase uma tradição nos bairros populares do Rio, e as competições de canto são organizadas clandestinamente.

A fim de vendê-los mais facilmente para uso doméstico, alguns traficantes não hesitam em cortar-lhes algumas asas, ou quebrar seus ossos: o sofrimento os paralisa e os torna mais "doces".

Mais de 300 dessas aves foram trazidas em meados de julho para o centro de recuperação por um grupo de policiais especializados em meio ambiente. Roched Seba, fundador da ONG Instituto Vida Livre (que trabalha em parceria com o Ibama), mostra as dezenas de pequenas gaiolas no chão.

"Às vezes, colocam três por minicompartimento. Por isso, inevitavelmente, alguns sequer sobrevivem ao transporte quando os caçadores os trazem da floresta para a cidade", lamenta.

- Guaxinim cego -
"No Brasil, temos a maior biodiversidade do planeta, mas as pessoas não conhecem os animais e querem domesticar animais selvagens. Temos que mudar mentalidades através da melhoria da informação", afirma esse ambientalista de 31 anos.

Roched Seba abraçou a missão de libertar todos esses animais silvestres que vivem em cativeiro.

Ele vai regularmente ao centro veterinário de Seropédica com Taciana e, quase sempre, leva algum animal encontrado no Rio.

O dia em que o centro recebeu a equipe da AFP, ele chegou com um guaxinim cego encontrado em uma favela, provavelmente nativo da floresta tropical do Rio. O animal está assustado, ferido e quase completamente cego: jamais terá condições de retornar à natureza, de acordo Roched.

O guaxinim não vai ser o único a permanecer em cativeiro para o resto de sua vida. Alguns animais não serão libertados. Já muito acostumados à presença humana, eles correriam o risco de buscarem o contato a todo custo com humanos e de serem capturados novamente.

Um pequeno pássaro tropical todo verde acompanha os veterinários o tempo todo.

"Ele reaprendeu a voar aqui. É livre para partir, mas permanece conosco. Se tornou o mascote aqui!", afirma Roched.

FONTE: em.com
=========
Publicações em nosso blog:

19/07/2017

Espaço que fazia triagem de animais silvestres apreendidos no Paraná fecha e tem gestão sob impasse

Em se tratando de animais tudo é complicado. O que está se questionando é o por que tudo isto não foi tratado antes? E se foi tratado (a gente nunca sabe) porque não foi cumprido?
-------------
Centro de Triagem de Animais Silvestres, em Tijucas do Sul, era gerenciado pela PUC-PR, que encerrou as atividades em junho.

O Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), em Tijucas do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, encerrou as atividades no fim de junho deste ano. O local era gerenciado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), que mantinha uma parceria com o Ibama, para a manutenção do espaço. Com o fim das atividades do Cetas, o estado ficou sem um espaço específico para a triagem de animais silvestres.

Segundo a diretora de Avaliação de Impacto Ambiental e Licenciamentos Especiais, do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Edilaine Vieira, o Cetas era responsável por receber animais que chegavam, principalmente, por apreensões realizadas pelos órgãos de fiscalização ambiental. Ela explica que ali era avaliada a saúde do animal e a possibilidade de soltura ou de encaminhamento para criadores credenciados ou zoológicos, por exemplo.

Além disso, o local abrigava uma série de animais, que o Cetas não conseguia encaminhar. "Nós auxiliamos a destinação do plantel que eles tinham lá. Vários animais moravam no local porque a PUC-PR não conseguia fazer a destinação", diz Vieira.

Entre esses animais havia um grupo de tartarugas exóticas, que foram abatidas por não poderem ser soltas na natureza. "É proibida a criação, a soltura, o comércio, porque é uma espécie invasora", diz Vieira. Segundo ela, as tartarugas poderiam causar a morte de espécies nativas, por não possuírem um predador natural.

A PUC-PR informou, em nota, que a manutenção do Cetas custava cerca de R$ 700 mil ao ano. "A vinculação da PUC-PR com o Centro de Triagem não foi estendido por não se tratar de uma atividade relacionada diretamente ao foco da Instituição", diz trecho do texto.

Com o fim das atividades do Cetas, o Paraná ficou sem um espaço específico para a triagem de animais silvestres. Segundo Vieira, os animais que são apreendidos ou encontrados em situação de risco são avaliados. Ela diz que muitos são soltos imediatamente. Quando não é possível, eles são reencaminhados para criadores autorizados, até que possam ser soltos ou para viverem em cativeiro. "A gente não tem uma estrutura de recintos, como tem no Cetas. A gente não está operando com a guarda de animais", explica a diretora do IAP.

De acordo com a PUC-PR, o espaço onde o Cetas funcionava deve ser transferido para o Ibama que, por sua vez, deverá transferir a administração para o IAP. Vieira diz que as tratativas estão adiantadas, mas ainda não há definição sobre quando tudo será resolvido.

Veja a íntegra da nota da PUC-PR
A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) esclarece que o funcionamento do Centro de Triagem para Animais Selvagens (CETAS), em Tijucas do Sul, foi fruto de um termo de cooperação técnico-científico com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama/PR) desde 1999. No referido instrumento, a Instituição assumiu o compromisso de gerir integralmente o local até março de 2017. Cerca de 01 (um) ano antes do encerramento do Termo de Cooperação, foi iniciado um ciclo de alinhamentos entre a PUCPR e os representantes do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Ibama/PR, intuindo que o encerramento das atividades do CETAS se desenvolvesse da forma mais adequada, com o menor impacto possível e, inclusive, tendo-se colocado à disposição para assessorar e apoiar os órgãos competentes em suas eventuais novas iniciativas a respeito do tema. A vinculação da PUCPR com o Centro de Triagem não foi estendido por não se tratar de uma atividade relacionada diretamente ao foco da Instituição. Todas as etapas do encerramento das atividades foram devidamente acompanhadas pelos órgãos ambientais e respeitaram todos os protocolos vigentes, de modo que em junho de 2017 ocorreram as últimas destinações de animais para outras instituições.

À frente do CETAS há 17 anos, a Universidade manteve o local exclusivamente com recursos próprios, incluindo a manutenção da área com investimentos frequentes, alimentação e despesas necessárias para tratar e manter os animais silvestres. Por ano, o Centro consumia investimentos de cerca de R$ 700 mil. A PUCPR enfatiza que todos os procedimentos realizados para a destinação dos animais respeitaram os princípios clínicos, éticos, legais e regulamentares vigentes.

A Instituição informa ainda que há possibilidade da área e estrutura serem transferidas definitivamente para o Ibama, o qual manifestou interesse na reativação do CETAS. Porém, tal projeto depende do interesse do IAP em se comprometer com a gestão da área, sobretudo, porque este órgão é o titular da missão de proteger, preservar, conservar, controlar e recuperar o patrimônio ambiental do nosso Estado.

A PUCPR ressalta que não haverá prejuízos para a comunidade acadêmica em relação ao aprendizado, uma vez que possui outras estruturas e parcerias que oferecem o suporte para o desenvolvimento das competências necessárias aos profissionais das áreas de Medicina Veterinária e Ciências Biológicas. A Universidade reitera que não poupou esforços para manter o CETAS por tantos anos com recursos próprios, com um padrão de qualidade modelar no Brasil e no mundo.

FONTE: G1

02/02/2017

Ibama devolve à natureza animais capturados ilegalmente no Ceará

O mais triste é saber que estes animais serão capturados novamente e ninguém saberá se terão a mesma sorte..... Enquanto não houver uma política pública e programas educacionais, vai ser um enxuga gelo só...
--------------------
Cerca de 500 animais são recebidos pelo centro de triagem do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) no Ceará a cada mês. O animais são levados após operações ou por meio de entrega voluntário dos donos. Após um período no local, eles são devolvidos à natureza. De acordo com o Ibama, inicialmente, os animais ficam no local para serem tratados antes de voltar à natureza.


Pássaros, cobras ,iguanas e até raposas ganham liberdade em locais que não são divulgados pelo órgão, que podem ser na capital ou fora do estado. Mas a opção mais comum é em locais de difícil

27/01/2017

Devido ao calor, centro de triagem de animais silvestres redobra os cuidados - Conquista - BA

Se este CETAS fica tão bem localizado e está sofrendo com o aumento de calor, imagina os animais que estão num CETAS como o do Rio de Janeiro que ficava numa área protegida e agora em uma estrada no meio. Eu não tenho coragem de ir lá já que estive na inauguração.....
------------------------
O Cetas atende atualmente quase 500 animais.




17/10/2016

Seop apreende 23 pássaros silvestres dentro de carro na Tijuca - RJ

Óbvio que era para vender na feira que todo mundo conhece..... Agora, detalhe é para onde foram os pássaros... para o CETAS? ishi, perdido!!!!!!
-------------
RIO - Um carro com veículo com 23 pássaros silvestres foi apreendido na manhã deste domingo na Tijuca, Zona Norte do Rio. A fiscalização contou com a participação de agentes da Secretaria especial de Ordem Pública (Seop), em conjunto com fiscais da Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (SEPDA) e polícias militares da Patrulha Ambiental. O dono do veículo não foi encontrado no local. Os animais foram encaminhados pelos agentes à 19ª DP (Tijuca).

O carro encontrado na Rua Félix da Cunha tinha 23 pássaros silvestres presos em gaiolas. No carro, a fiscalização encontrou dez canários-da-terra, sete trinca-ferros, três cardeais, dois papagaios e um sabiá. Também foram apreendidas duas gaiolas e 20 estruturas de papel para o transporte dos pássaros. O dono do veículo não foi encontrado no local.

Fonte: EXTRA 

12/09/2016

Suspeito de traficar animais é preso em flagrante em Seropédica, RJ

Gente, p´ra quem não sabe, o CETAS aqui do Rio de Janeiro nunca foi seguro para os animais. Há anos atrás, eu denunciei a Polícia Federal o que acontecia lá, pois, quem fazia a "segurança local" era a PM. O delegado que aceitou minha denúncia e ia investigar, foi transferido e aí ninguém mais quis saber do assunto. Taí, depois de tantos anos, mais uma comprovação da patifaria que sempre rolou lá por causa da tal "segurança".....
------------------------
Homem foi multado pelo Ibama e preso pela Polícia Federal.
Com ele foram apreendidos 60 pássaros silvestres.

Um homem foi preso em flagrante nesta sexta-feira (2) em Seropédica, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro suspeito de tráfico de animais silvestres. Com ele, foram apreendido pelo menos 60 pássaros. Segundo o Ibama, ele também é um dos suspeitos de receptação de parte dos 41 pássaros furtados em agosto durante uma invasão ao Centro de

17/06/2016

Corpo de Bombeiros reivindica a criação de abrigo para animais silvestres - Caldas Novas - GO

Eu amei a reportagem.... eu amei este bombeiro.... Vou mandar uma mensagem para aquela Unidade de Caldas Novas cumprimentando a lucidez e coragem de falar sobre a ausência do poder público municipal. Ameiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!  o nome dele é Major Tiago e o endereço está ao final. E viva nossos heróis que atuam pelo país inteiro!!!!!
--------------------


Publicado em 16 de jun de 2016
Por dia são várias ocorrências envolvendo animais, e na maioria animais silvestres. Os Bombeiros enfrentam um dilema: socorre os animais feridos e não tem pra onde encaminhá-los. Gestões são feitas junto a políticos para que seja criado em Caldas Novas o CETAS, o Centro de Triagem de Animais Silvestres, órgão ligado ao IBAMA.
------------------
9º Batalhão Bombeiro Militar – 9º BBM – Caldas Novas
Comandante: Tenente-Coronel BM Mauro Gonçalves de QUEIROZ
Avenida D, quadra 18, lote C, Parque das Brisas – Caldas Novas-GO – CEP 75690-000
e-mail: 9bbm@bombeiros.go.gov.br - telefone: 64-3454-6653

26/05/2016

CETAS em Araguaína cuida da reabilitação de animais resgatados - Tocantins


Seria bom se todos os CETAS do país funcionassem assim.... Aliás, faz tempo que não tenho notícias do CETAS aqui do Rio de Janeiro que estava passando sérias dificuldades para alimentar os animais lá em recuperação...
----------------------

31/10/2015

Polícia apreende cerca de 700 pássaros silvestres - RJ


Esta é a tragédia do tráfico no Rio. Não tem para onde levar os animais.... O Zoológico do Rio? um nojo..... o CETAS do Ibama não tem comida..... O que se faz? é lamentável que a proteção do Rio só se importe com cachorro e gato..... lamentável mesmo!!!!!!!
---------------------------------------

Balanço Geral RJ - Rede Record - 29/10/15
A Polícia fez uma das maiores apreensões de pássaros silvestres deste ano. Após receber uma denúncia anônima, agentes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente encontraram cerca de 700 aves em uma casa em Honório Gurgel, na zona norte do Rio. O responsável vai responder pelas mortes dos animais, maus tratos, posse ilegal de aves silvestres e atividade comercial sem autorização dos órgãos competentes. As espécies seriam vendias por até R$ 5.000.

26/08/2015

Pinguins resgatados e tratados pelo Cetas Marinho, em Guarujá, voltam ao mar no próximo mês

Estes bichos são muito queridos. Tive oportunidade de conhecer alguns deles quando foram recolhidos por um protetor aqui no Rio. Como são graciosos.....
--------------------------
Só neste ano, desde o início do mês de junho, mais de 100 pinguins da espécie Spheniscus Magellanicus, conhecido popularmente como Pinguim de Magalhães, foram encontrados na região costeira do litoral sul, entre Peruíbe e Bertioga. O triplo em comparação ao ano passado.

Os animais chegaram famintos, debilitados e muitos foram encontrados já mortos. Entretanto, para 25

30/07/2015

Em seis meses, Ibama recolheu 480 animais silvestres no Maranhão

O problema é manter estes animais.... daqui a pouco a gente vai publicar aqui que não há verbas para alimentar, quer apostar?
----------------------------------
45% dos casos são frutos de apreensões resultado da fiscalização do órgão.
Último animal recebido pelo Ibama foi um macaco espécie capijuba.

Do G1 MA com informações da TV Mirante

Um total de 480 animais silvestres foram apreendidos de janeiro a junho deste ano no Maranhão, segundo dados do Centro de Triagem e Recolhimento de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto

25/07/2015

Minas é líder de tráfico de animais no Brasil

Olha, eu não duvido não, mas, me parece que há mais controle naquele Estado... o resto deve estar deixando rolar, né não?
---------------------- 
Arara em processo de recuperação em centro de triagem de animais na capitalEm garrafas de leite, tubos de PVC e malas. Assim, em condições degradantes, pássaros, répteis e pequenos mamíferos são transportados rotineiramente em Minas, com um único objetivo: o lucro. Apenas neste primeiro semestre, 9.802 espécimes da fauna regional foram apreendidos pela Polícia Militar de Meio Ambiente, média de 54 ao dia. Números que reforçam a posição do Estado como líder no tráfico de animais.

Boa parte desses bichos é levada para os Centros

26/05/2015

Centro de Triagem de Animais Silvestres de Araguaína completa um ano - Tocantins

Caramba!!!!! como é bom saber que ao menos em algum lugar deste pobre país, um CETAS está funcionando como deve!!!!! Será que este a Ministra do Meio Ambiente conhece e aí libera as verbas para alimentar e tratar os bichos de lá? Bem, perguntar não ofende, né mesmo?
----------------------------------------------------



07/05/2015

Sem centro de triagem, animais apreendidos no RJ agora vão para SP

É uma patifaria indescritível!!!!!!!!!!!! E a Ministra do Meio Ambiente diz que não sabe de nada? Que que é isto?????? Onde vamos parar? Agora, animais apreendidos no Rio vão para São Paulo? Me tira o tubo!!!!!!!!!
----------------------------------------

Crise já dura dois meses e previsão é que problema só seja normalizado em junho. Bichos podem morrer durante viagem

Rio - O destino dos animais silvestres apreendidos pela Polícia Ambiental do Rio está a 250 quilômetros da cidade.

Sem verba para compra de alimentação, por conta do atraso de repasse estadual, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) suspendeu temporariamente o recebimento de animais apreendidos no único centro de triagem do estado, em Seropédica, passando a responsabilidade para uma unidade em Lorena, no Estado de São Paulo. A crise já dura dois meses e a previsão é que a situação só seja normalizada em junho.

Desde quando o Ibama passou a rejeitar a entrada de animais capturados pelos órgãos fiscalizadores,

05/03/2015

Animais silvestres apreendidos sofrem com barulho de carros no RJ

Pois é.... será que é lá que os macacos do Franklin vão estar melhor? CLIQUE AQUI  para ver o vídeo.



03/03/2015 19h40 - Atualizado em 03/03/2015 19h40 
Animais silvestres apreendidos sofrem com barulho de carros no RJ Centro de Triagem tem quase dois mil animais silvestres apreendidos. Empresa para construção do novo Cetas chegou a ser contratada em 2010.  

Muitos animais silvestres que sofrem maus tratos e acabam apreendidos são levados para uma

29/10/2013

Polícia prende quadrilha que vendia animais silvestres em feira na Tijuca (RJ)

Pois é, será que as aves foram levados para o CETAS do Ibama em Seropédica? preciso saber como anda aquilo lá já que os animais estavam sem comida e tratador.... é dose segurar estas pontas!!!!!

RJ no Ar - Rede Record - 28/10/13

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪