Mostrando postagens com marcador Câmara Federal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Câmara Federal. Mostrar todas as postagens

29/04/2017

URGENTE - PETIÇÃO - STF publica decisão final sobre a vaquejada

Gente, assinem a Petição abaixo porque o pessoal vai entregar  durante a próxima semana. Assinatura só até amanhã.
------------------
O STF publicou hoje (27), no Diário da Justiça Eletrônico, a decisão final sobre a vaquejada (ADI 4983/2013). O acórdão oficializa de maneira permanente a incompatibilidade da vaquejada com a Constituição Federal.

No documento, o julgamento encontra-se em inteiro teor, incluindo os votos de todos os ministros participantes. Por 6 votos a 5, se considerou procedente a ADI 4983, a ação direta de inconstitucionalidade contra uma lei do Ceará que tentava regulamentar a vaquejada.

A decisão se justifica pela impossibilidade de “regulamentar essa prática de modo a evitar que os animais envolvidos, especialmente bois, sejam submetidos à crueldade” (pág. 55).


Abaixo-assinado
Apesar da publicação, tramita neste momento a PEC 50/2016, que tenta acrescentar ao artigo 225 da Constituição Federal a permissão para vaquejadas, rodeios e afins.

Um abaixo-assinado contra a PEC está sendo realizado pela página Revolução Animalista. Ele será entregue pessoalmente ao STF na semana que vem, portanto o prazo para assiná-lo é até domingo (30).



Fonte: Holocausto Animal
=========
Informando: 
* A PEC 50/2016 aprovada no Senado, seguiu para a Câmara dos Deputados e lá passou a ser a PEC 304/2017

* Lembrando que a pesquisa feita pelo Senado não adiantou nada. Votamos contra, mas, não deram a mínima:


11/04/2017

Relatório sobre regulamentação da vaquejada deve ser apresentado hoje

Só queria saber quem da proteção animal está participando desta "Comissão".... Que vergonha, hein? avalizando a patifaria em nome de tanta luta pelo fim da vaquejada.... se avexa!!!!! 

Se bem que tudo isto está rolando graças a arrogância de protetores que se sentiram "capazes" de avaliar a situação metendo uma Ação de Inconstitucionalidade de uma lei cearense ao invés de fazer uma ação civil, como já explicamos aqui. 

Estamos vendo que mexer em vespeiro tem que ser profissional. A causa animal não merece tanta gente amadora e totalmente indiferente ao aprendizado. Neste metier é um tal de "achismo" que chega embrulhar o estomago..... Agora? os animais TOMAM por causa destas caquinhas ..... 
-----------------------
A Comissão Especial sobre Rodeios e Vaquejadas reúne-se nesta terça-feira (11) para apresentação e discussão do parecer do relator, deputado Paulo Azi (DEM-BA).

O colegiado analisa duas propostas que alteram a Constituição a fim de reconhecer essas práticas como patrimônio cultural imaterial do Brasil (PEC 270/16) e tirar delas o rótulo de "cruéis" (PEC 304/17).

Em outubro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucional uma lei do Ceará que regulamentava a vaquejada como prática desportiva e cultural. Para o STF, havia "crueldade intrínseca" imposta aos animais.

Paulo Azi admite a polêmica, mas argumenta que a futura regulamentação nacional vai garantir tanto a valorização cultural quanto a proteção dos animais.

Instalada em meados de fevereiro, a comissão realizou audiências públicas e seminários para discutir o tema com realizadores de vaquejadas, criadores, veterinários, protetores de animais e representantes das áreas de turismo e economia dos estados. A reunião está marcada para o plenário 8, às 14h30. 

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:
PEC-270/2016
PEC-304/2017
Da Redação/RN

===============
Projeto regulamenta vaquejada e corrida de jegue

A vaquejada e a corrida de jegue poderão ser consideradas como atividades culturais, caso o Projeto de Lei 6298/16, do deputado João Daniel (PT-SE), seja aprovado pelo Congresso.

A proposta, em análise na Câmara, fixa mecanismos para garantir o bem-estar e a saúde dos animais utilizados na vaquejada.

Pelo texto, os animais só poderão participar dos eventos mediante laudo elaborado por veterinários credenciados por órgãos estaduais e federais ligados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ou ao Ministério do Meio Ambiente, ou às secretarias de agricultura estaduais e/ou municipais.

Ainda conforme a proposta, será garantido o acompanhamento e a fiscalização por parte das entidades da sociedade civil de defesa dos animais. Além disso, será obrigatório assegurar que o local para a realização dos eventos tenha instalações que garantam o bem-estar dos animais, de forma a garantir o mínimo de estresse causado durante os eventos.

“A vaquejada é uma manifestação cultural brasileira que acontece há mais de 100 anos e, apesar dessa tradição, a prática se modernizou e se fez necessário criar mecanismos de regulação, fiscalização e preservação da saúde de vaqueiros e dos animais”, argumenta João Daniel.

A proposta diz ainda que será aplicada à vaquejada e à corrida de jegue, no que couber, a legislação cultural vigente.

Tramitação
O Projeto de Lei 6298/16, será analisado por uma comissão especial criada exclusivamente para analisar o assunto.

Outras propostas
A Câmara também analisa duas propostas de emenda à Constituição sobre o assunto: a PEC 270/16 classifica rodeios e vaquejadas como patrimônio imaterial brasileiro; e a PEC 304/17 determina que práticas desportivas que utilizem animais não são consideradas cruéis, nas condições que especifica.

Essas duas propostas também estão sendo analisadas por comissão especial.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:
PL-6298/2016

16/03/2017

Senadores ignoram opinião do cidadão em enquetes virtuais


Pois é, no dia 01 de fevereiro publiquei a denuncia de que na Câmara Federal havia fraude:  ESCÂNDALO: Caçadores ensinam fraudar a Enquete da Câmara. Agora o Jornal O Globo reconhece que no Senado também rola uma "propaganda enganosa". Eita povinho que elege gente deste gênero.... A culpa não é deles, é nossa.....
------------------------
Recurso mantido na página do Senado não baliza votações e mostra crise de representatividade

SÃO PAULO — Milhões de eleitores já dedicaram alguns minutos de seus dias para opinar sobre proposições de lei em tramitação no Senado Federal. A participação é feita por meio de enquetes virtuais mantidas na página da casa, mediante cadastro dos votantes.

Os senadores, no entanto, têm ignorado sistematicamente esse esforço de manifestação popular. É o que mostra um levantamento feito por O GLOBO. Das 50 proposições mais votadas pelos cidadãos — todas com mais de oito mil votos — apenas oito foram levadas a apreciação em plenário. Dentre as matérias votadas, em 75% dos casos os senadores se opuseram ao desejo popular manifesto nas votações eletrônicas.

Os brasileiros foram contrariados, por exemplo, no caso da PEC do Teto, que limita por 20 anos os gastos do governo federal. Até a decisão, 345,7 mil eleitores se posicionaram contra e só 23,7 mil foram a favor, mas a medida acabou aprovada pelos senadores por 53 votos a 16. Ou na reforma do ensino médio, na enquete com 73, 6 mil posicionamentos contrários, 4,5 mil favoráveis, e apoiada por 43 senadores.

Mesmo quando concordaram com o público, a motivação dos representantes do povo não foi exprimir o desejo dos representados. Os senadores aprovaram, por exemplo, o reajuste a servidores do Judiciário, que havia recebido maciço apoio pela enquete. Naquele momento, a medida representava um duro golpe ao já combalido governo Dilma Rousseff. Meses mais tarde, já no governo Michel Temer, o presidente vetou o aumento. O Senado, em que Temer conta com maioria, ignorou a opinião da enquete, seu posicionamento anterior e chancelou a decisão presidencial.

— O levantamento escancara a pequena relevância da expressão pública para os legisladores frente ao jogo de forças políticas internas, às negociações particulares por cargos e verbas. É uma expressão da crise de representatividade — afirma o cientista político Marco Antônio Carvalho Teixeira, da Fundação Getúlio Vargas.


Ironicamente, o instrumento das enquetes virtuais foi criado pela mesa diretora do Senado, então comandado por Renan Calheiros (PMDB-AL), em julho de 2013. Menos de um mês depois de os poderes terem sido sacudidos por massivas manifestações populares pelo país, que reclamavam participação na definição de políticas.

Na época em que as enquetes entraram no ar, Renan festejou em uma declaração ao Jornal do Senado: “É um mecanismo simples que valoriza e permite a inclusão política do cidadão”. Informado por sua assessoria do teor da reportagem do GLOBO, o senador alagoano não se manifestou. Alegou não ser mais presidente do Senado.

— Foi um lance meramente teatral. Diante da forte mobilização, Renan criou um instrumento formal para conter a rebelião. Conforme a tensão diminuiu, os políticos voltaram a se retirar da agenda da população — afirma José Geraldo de Sousa Júnior, especialista em democracia participativa da UnB.

Os dados revelam ainda que, além de não levarem em conta as opiniões do público na hora de definir seus votos, o grande interesse popular em uma determinada matéria tampouco serve como estímulo para que os senadores acelerem o trânsito legislativo desses temas. Entre os assuntos mais populares, estão temas com impacto social, como a regulamentação do aborto ou a criminalização da homofobia.

Uma das matérias estacionadas no limbo de comissões do Senado é a mais popular entre os internautas. Mais de um milhão de pessoas já se manifestaram a favor do projeto que reduz em um terço o número de senadores e corta de 513 para 386 o número de deputados.

— Apesar da ampla participação, essa matéria está estacionada. Será que isso não deveria nos forçar a acelerar a tramitação? A opinião pública precisa ser respeitada. Mas, para nós, senadores, parece que essa ficha ainda não caiu — diz o senador Jorge Viana (PT-AC), autor da proposta.

RECURSO TEMIDO E IGNORADO

A ficha tampouco parece ter caído para os deputados. Há um mês, a Câmara extinguiu a possibilidade de expressão dos eleitores por meio de enquetes. Em nota, a assessoria de comunicação da casa afirmou que as enquetes “podem apresentar distorções significativas decorrentes do uso de robôs”. Existem meios de tornar mais seguros e representativos os resultados, como faz o próprio Senado. No site, a participação de internautas depende do cadastro com nome completo, endereço de e-mail válido e senha.

Alguns senadores ouvidos pelo GLOBO admitiram, na condição de anonimato, que sequer sabiam que as enquetes existiam na página do Senado. Justificaram-se dizendo que são ainda de uma geração analógica. Para o cientista político do Insper Carlos Melo, o Brasil está longe do fim da crise de representação:

— O certo seria o senador saber o que querem seus representados. Na democracia, é para isso que eles são eleitos. A existência da enquete já revela o tamanho da desconexão entre representante e representado. Mas nossa situação é ainda pior porque o órgão chama esse tipo de participação mas a ignora. É uma coisa para inglês ver.

FONTE: oglobo

09/02/2017

Finalmente a Câmara Federal tirou do ar enquete fraudada sobre PL que libera caça amadora

Pelos animais do nosso País!!! não contra a caça de qualquer animal!!!!

Bem, agora podemos comemorar, pois, a enquete, efetivamente, foi retirada na página do PL 6268/16. Leiam a NOTA distribuída pela Secretaria de Comunicação Social da Câmara Federal. Na verdade, só tenho a dizer: demorô.... 8 dias para tomar a atitude contra este crime descarado? Continuo perguntando: a Câmara não vai entregar o material para a Polícia Federal? vai tirar o corpo fora com esta notinha cheia de boas intenções e deixar os criminosos a solta? ah, paíszinho fuleira!!!!!! nós é que vamos ter que acionar a polícia? Fala sério!!!!!
Leia tudo sobre o caso CLICANDO AQUI
-----------------------

Ciente de sua missão constitucional de ser a Casa de representação do povo, a Câmara dos Deputados vem criando, ao longo dos últimos anos, diversas ferramentas de interação que permitem a participação da sociedade no processo legislativo. Exemplo disso são os fóruns virtuais e videochats

07/02/2017

Câmara dos Deputados decide acabar com enquetes no site devido a fraudes

ATUALIZAÇÃO:
---------------------
Ontem, o Vista-se publicou uma excelente matéria sobre nossa denuncia da fraude dos caçadores no site da Câmara Federal. 

Confiram: Caçadores de animais ensinam em vídeo como fraudar as enquetes da Câmara dos Deputados

No final da tarde, o site G1 publicou a notícia de que vão acabar com as enquetes por causa das fraudes e da pouca importância que elas têm. No que concordamos lembrando o caso das vaquejadas, certo?

Detalhe é que denunciei desde o dia 31/01 e até agora continua no ar. A piada mesmo foi o tal caçador autor do vídeo dizer que nós é que estávamos fraudando e que ele apenas ensinou aos

06/02/2017

Caçadores estão furiosos com nossa denúncia de que estavam fraudando pesquisa da Câmara Federal


NOSSA DENÚNCIA teve tanta repercussão que até Facebook de caçadores publicaram e confessaram o crime. Confiram o que copiei de um deles. O que falta,  Polícia Federal?

---------------------
Parabéns Daniel Terra, gosta de aparecer, conseguiu...estávamos com 78% até você inventar de aparecer e até postar vídeo totalmente desnecessário incitando a burlar o sistema de votação...logo você que gosta tanto de usar a palavra "ética" em seus discursos...agora querem anular a enquete e ganharam mais um argumento contra os caçadores, se o seu objetivo era esse meus cumprimentos!!! #IRONIA

Revista Eletrônica "O Grito do Bicho" - Fazendo a notícia na luta pelo direito dos animais do céu, da terra e do mar.
OGRITODOBICHO.COM
CurtirMostrar mais reações
Comentar
16 comentários
Comentários
Cláudio Tulio No momento do "tutorial" percebe-se que as manifestações em favor do PL já são MUITO maiores que os votos contrário.

Logo está provado que este "tutorial" não prejudicou a votação em si. Agora com certeza a Sheila e seus

01/02/2017

ESCÂNDALO: Caçadores ensinam fraudar a Enquete da Câmara

DIVULGUEM MUITO A PATIFARIA DOS CAÇADORES


Não adianta ficar votando contra o PL 6268/16 que regulamenta a caça silvestre porque os caçadores criaram uma forma de fraudar a enquete da Câmara Federal. É mole? me mandaram o vídeo mostrando como fazê-lo e aí podemos votar o quanto quiser a favor ou contra. Denunciei ao Diretor de Informática da Câmara, Sr. Sebastião Neiva enviando o "tutorial de como burlar o site da Câmara". Surpreso, aceitou me dar esta pequena entrevista somente para liberar minha responsabilidade.



O vídeo com o tutorial que ensina (ou ensinava porque eles podem ter consertado a falha) é este:


Minha denuncia na Câmara Federal. Faça o mesmo. Mostre sua indignação por estarmos fazendo papel de idiotas. Fale com a Câmara.


Aproveito para listar alguns destes caçadores que estão tentando a liberação da caça:

21/10/2016

Câmara Federal aprova audiência pública para debater vaquejada

Não bastasse esta meleca de audiência pública aprovada na Câmara, um Senador mequetrefe deu entrada em novo PL para regulamentar a vaquejada. Confere aqui: O líder do PMDB, senador Eunício Oliveira (CE) apresentou nesta terça-feira (18), Projeto de Lei do Senado que regulamenta em todo território nacional a atividade como prática esportiva. 
O numero do PL é 378/2016
------------------------
Foi aprovado hoje,na Comissão de Meio Ambiente da Câmara Federal, a realização de audiência pública para discutir a regulamentação da vaquejada como prática esportiva.No requerimento aprovado,de autoria do deputado federal Arthur Maia, a solicitação baseia-se no fato do Supremo Tribunal Federal julgar inconstitucional uma lei estadual do Ceará que regulamenta a prática.Mesmo referindo-se à uma

11/10/2016

Comissão aprova rodeio como atividade da cultura popular

Que patifaria!!!!! uma bancada com ruralistas esperar o quê? se isto rolou na Comissão do Meio Ambiente, imagina nas outras. Por favor gente, vamos votar CONTRA na CONSULTA PÚBLICA do Senado sobre o assunto rodeio?
------------------------
Na prática, o PL quer preservar a realização de eventos que envolvem animais em atividades de montaria, provas de laço, entre outras 

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados aprovou, em reunião nesta quarta-feira, dia 5, o Projeto de Lei 213/2015, do deputado Giovani Cherini (PR-RS), que regulamenta o rodeio como atividade da cultura popular brasileira. A proposta, que ainda segue para análise de outras comissões, foi combatida por membros da bancada ambientalista. O

04/02/2016

CPI dos Maus-Tratos a Animais retira proibição de rodeios e conclui trabalhos

E agora? o que vai acontecer? relatório terminado, com o fortalecimento do rodeio e vaquejadas, vai p´ra onde?  Juro que eu adoraria entender o sentido desta CPI embora concorde que o assunto foi noticiado em todo país, coisa que considero muito boa.....
-----------------
Com mais de 500 páginas, o relatório final faz três indicações principais: a aprovação de projetos de proteção a animais em tramitação no Congresso; recomendações a várias entidades, como zoológicos e governos; e a solicitação ao Ministério Público do indiciamento de 13 pessoas que comprovadamente praticaram maus-tratos.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos a Animais concluiu nesta terça-feira (2)

06/11/2015

CPI de maus tratos aos animais debate situação de rodeios

Eu gosto dos irmãos Trípoli porque estiveram sempre envolvidos com a causa animal e só por isso estou dando toda atenção a tal CPI. Mas, repito, não sei no que vai resultar disto.... Como minha capacidade mental não me deixa entender as razões, vou ficar torcendo para dar tudo certo.
------------------------



Fonte: Anexo 6
Publicado em 5 de nov de 2015
Hoje, o questionamento no quadro Vapt Zap, do Anexo6, foi feito pela bancária Letícia. Ela quer saber se a questão dos rodeios no Brasil será discutida pela CPI. Disse que conhece a força da bancada ruralista e que o agronegócio financia muitos deles. Ela inclusive questionou a criação de um projeto de lei que quer instituir o rodeio como Patrimônio Cultural do Brasil. Veja a resposta proferida pelo deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), relator da comissão.

07/08/2015

Câmara Federal instala CPI para apurar maus tratos a animais

.
Todos que nos acompanham sabem que sou a maior entusiasta de ações promovidas pela causa animal, mas,  vou confessar minha total incompetência de entender algumas delas.... 

Às vezes consigo captar alguma coisa, mas, depois vem um balde de água oxigenada que desmancha todo meu raciocínio. 

Por favor, a título de elucidação, poderiam informar qual o objetivo final da CPI? 

É bom sim tocar no tema proteção animal, vai trazer notoriedade para os problemas da causa e a imprensa vai dar total cobertura.... isto é ótimo... Mas, qual será o objetivo final? Agora, os temas RODEIOS E VAQUEJADAS serão abordados? espero que sim..... Ah, e as caçadas de javalis que estão abrindo as portas para a caça esportiva? isto não pode ser esquecido, né mesmo? Veja a matéria de hoje do JB:  CPI dos Maus-Tratos a Animais define presidente e relator 
-------------------------------------------

DF Record - 06/08/15
Ativistas dos direitos dos animais vão levar vão levar aos parlamentares os casos mais graves ocorridos na rua, em residências e em zoológicos. Eles ainda pedem políticas de controle de natalidade de cães e gatos.

11/06/2015

Comissão da Câmara aprova projeto de lei que proíbe animais em filmes pornô

Estou  postando a matéria lembrando que a aprovação é, apenas, em uma das comissões que o PL está sendo avaliado. O que quero dizer, na verdade, é que: muita água (anos) vai rolar debaixo desta ponte. Tanto é que este em questão foi dado entrada em 09/2013.

Não se iludam com a política brasileira. Todo desenrolar de um PL dentro das casas

30/04/2015

Câmara aprova prisão para quem matar cães e gatos

Olha, todos nós ficamos perguntando sobre os outros animais do tipo cavalos e outros. Ou seja, para cães e gatos as penalidades chegam a 3 anos e para cavalos e outros animais a pena continua de 3 meses a 1 ano. 

É meio incoerente, mas, o Deputado Trípoli responde nesta matéria de 2013: Em videochat, deputado afirma que punir maus-tratos a cães e gatos é passo inicial. P´ra mim, tudo que vem é bom desde que acrescente.

O que não aceitei foi a papagaiada de incluir no PL que modifica o Código Penal a Lei de Crimes Ambientais toda distorcida. Corremos o risco de perder tudo que for conquistado até a assinatura deste Novo Código Penal.

Agora, reparem na matéria abaixo o comportamento deste deputado Onix Lorenzoni lá do RS que tenta liberar a caça de tudo que é jeito. Leiam nossa publicação a respeito quando o Deputado Trípoli, em maio de 2011, conseguiu dar uma derrubada no PL  apresentado por este asqueroso:  DEP. TRÍPOLI DETONA TENTATIVA DE LIBERAÇÃO DA CAÇA

Encerrando, para gargalhar, chamo a atenção, também, para o trecho final da matéria: Já o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) considerou uma “loucura” a Câmara votar a proposta, porque, em sua avaliação, ela pode causar superlotação de presídios. “Seria preciso usar o Maracanã para colocar as pessoas que agem contra cães e gatos.
Estes são os nossos deputados.....
 ------------------------------------------------------------------

Pena, segundo o texto que ainda será votado no Senado, será de 1 a 3 anos de detenção. Texto também criminaliza o abandono dos animais e a realização de rinha de cães.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (29), o Projeto de Lei 2833/11, do deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), que criminaliza condutas contra a vida, a saúde ou a

25/07/2013

Nova enquete discute participação de animais em apresentações de circos

Precisamos participar da ENQUETE e, se puderem, com comentários. 
___________________________________
Polêmica contrapõe argumentos como a tradição dos espetáculos e os maus-tratos aos animais.

Evandro Milhomen:
o uso de animais em atividades circenses
não pode ser criminalizado.
Foto: Gustavo Lima
A Câmara promove, a partir desta segunda-feira (22), uma ENQUETE sobre a participação de animais nos espetáculos circenses. O tema é polêmico porque coloca de um lado os defensores do uso dos animais nas exibições do picadeiro, em nome da tradição, e, do outro, os críticos à prática que, segundo argumentam, implica maus-tratos aos animais.

Atualmente, nove estados brasileiros (Alagoas, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo) proíbem a participação de animais nos espetáculos.

Porém, está pronto para votação em Plenário um projeto (PL 7291/06) que

28/03/2012

Estamos perdendo de novo na enquete contra as vaquejadas

.
Aí, galera, voltamos a perder... se bem que acho que esta pesquisa não vai ter fim... os dois lados vão ficar votando até quando? vou tentar falar com a Assessoria de Imprensa do site da Câmara, de novo. Informaram, na ocasião, que só tiram a pesquisa quando durante 15 dias ninguém vota. E aí?

Projeto reconhece vaquejada como atividade esportiva

http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/409415-PROJETO-RECONHECE-VAQUEJADA-COMO-ATIVIDADE-ESPORTIVA.html

.

24/08/2011

RODEIO: ARQUIBANCADAS VAZIAS E PL QUE ATINGIRÁ, TAMBÉM, AS VAQUEJADAS

Gente, o twitaço fui um espetáculo!! saíram várias matérias. Aguardamos notícias dos organizadores para mostrar a todos. Agora, reparem as arquibancadas vazias.... rodeio é um sucesso? onde? a galera vai ver os shows, claro!!!!


Bom dia São Paulo - Rede Globo - 23/08/11
_______________

A nossa amiga Dra. Vanice Orlandi, presidente da UIPA/SP, nos enviou o PL do Dep. Trípoli para que algumas modalidades deixem de existir, como esta que matou e vem matando bezerros por este país afora. Mas, o importante deste PL é que as vaquejadas serão atingidas. Lembro que vaquejadas são coisas que só acontecem no Brasil... alias, a farra do boi e vaquejadas são nossas maiores vergonhas nacionais. CLIQUEM AQUI PARA LER
.

RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪