Mostrando postagens com marcador Birmânia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Birmânia. Mostrar todas as postagens

01/03/2012

BEBES ELEFANTES SÃO TORTURADOS COMO PARTE DO TREINAMENTO

Esta matéria reveladora tem quase um ano, mas, acaba sendo atemporal porque a desgraça continua a mesma. Bem coisa de "serumano".... tem até tráfico para a Tailândia.... nojo!!!!!

 Legenda da foto de Brent Lewin: Uma fêmea de bebê elefante se prepara para uma surra durante uma sessão de treinamento em uma vila de Karen, na Birmânia. A sessão de treinamento é coroado com o "esmagamento", cujo objetivo é conter o espírito do elefante. Os elefantes selvagens geralmente são amarrados e espancados por 3 dias seguidos e deixados para morrer de fome. Karen, na Birmânia, perto da fronteira tailandesa, "mahouts" (cuidadores ou pilotos de elefantes) operam um comércio clandestino e ilegal em uma rede de contrabando de elefantes para a Tailândia para serem vendidos a mahouts para a indústria do turismo tailandês. Funcionários estimam que um elefante birmanê é contrabandeado para a Tailândia a cada semana.
 
John Brecher escreve: Eu vejo quase 10.000 fotos por dia, e muitos documentam,  de alguma forma,  o sofrimento. Muito desse sofrimento é incidental da forma como as pessoas tentam sobreviver, alguns acontecem em situações caóticas, e alguns são intencionais. Mas em tudo isso, eu nunca vi uma imagem de tal imposição deliberada de sofrimento. 
O que é particularmente efetivo sobre esta foto é o movimento da fêmea de bebê elefante. Ela sabe que vai doer - você pode vê-la se afastando do golpe, que é o objetivo: para causar dor o suficiente a fim de conter a vontade dela.
Para aprender como você pode afetar a situação, leia a entrevista com o foto-jornalista Brent Lewin, que ganhou o prêmio Science/Natural History Award of Excellence por esta imagem na competição Pictures of the Year.

P: O que o levou a esta história, e como você conseguiu fazer essa foto? Quais as dificuldades experimentadas?
R: Estive trabalhando em documentar a situação do elefante asiático e seus cuidadores na Tailândia desde 2007. Tudo começou quando comecei a acompanhar "mahouts" e elefantes que mendigavam nas ruas de Bangcok, mas conforme a história começou a se revelar, tornou-se claro que o negócio que envolve elefantes é responsável por uma série de problemas. Com o número de elefantes em declínio há muito tempo na Tailândia, o fornecimento de elefantes tem vindo de contrabandistas na fronteira com a Birmânia.
Fui para a Birmânia especificamente para tentar fotografar elefantes sendo treinados. Eu tinha um contato lá de uma organização na Tailândia, mas acabou por ser um embuste. Nós dirigimos por horas em uma moto por uma estrada de terra na floresta só para descobrir que o treino tinha terminado alguns dias antes. Eu comecei a perguntar pelos arredores e um nativo fez algumas pesquisas e descobriu que um jovem elefante estava sendo preparado para ser treinado. Partimos em outro caminho na selva, mostrando-nos amigáveis a fim de infiltramo-nos. A mãe do jovem elefante estava amarrada próximo ao equipamento de treino e tornou-se extremamente desconfortável assim que ela percebeu o que estava prestes a acontecer. Eu nunca ouvi um grito de elefante como esse antes, parecia que o chão tremia e ela realmente rompeu sua corrente e atacaria os "mahouts" e a mim. Os "mahouts" eventualmente amedrontaram a mãe elefante tornando-a submissa e amarraram-na novamente e então começaram a "treinar" a fêmea de bebê elefante. A elefantinha estava apavorada e começou a chorar. A maior dificuldade que experimentei foi não ser capaz de colocar um fim a isso. Em dado momento a elefantinha simplesmente se resignou com o que estava acontecendo e ficou parada, a vida em seus olhos desapareceu. Era um olhar de assombração.

P: Quão comum é essa prática?
R: É uma técnica muito tradicional e bastante comum, mas pode variar em termos de nível de violência. Nem tudo é preto e branco também, alguns campos progresistas costumam usar o reforço positivo, ao invés de surras. Houve um tempo quando os estrangeiros poderiam assistir ao treino de elefantes na Tailândia, mas algumas imagens negativas vazaram e é quase impossível como um estrangeiro veja isso agora.

P: Existem organizações da região que trabalham para impedir este tratamento de elefantes?
R: Há algumas boas organizações que trabalham para proteger os elefantes na Tailândia. Elephant Nature Park e Elephant Conservation Network estão fazendo realmente um bom trabalho.

P: Como os turistas que visitam a Tailândia podem ser parte do problema ou parte da solução?
R: Apesar de serem raros, apoiando as companhias de turismo progressistas que têm interesse no conservacionismo é uma boa maneira de começar. Tentar evitar o turismo de apoio que utiliza elefantes para fazer truques de circo. Essas companhias quase sempre acorrentam seus elefantes separados um do outro o dia todo. Se você vir um elefante sendo maltratado deve questionar o proprietário. Estou confiante que o turismo com elefantes vai mudar nos próximos anos na Tailândia e oferecerá um modelo alternativo ao que existe agora.

P: Qual tem sido a resposta a esta imagem?
R: Descrença e horror.

Tradução Cristina Calixto
Texto original

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪