Páginas

05/09/2017

Mais um ano que se realiza o ritual muçulmano Eid al-Adha

Ontem terminou o Eid al-Adha, um festival religioso muçulmano que promove aquela matança tradicional dos animais pelo mundo afora. Infelizmente, os caras ao invés de acabar com esta desgraceira, modernizam a compra do animal para ser sacrificado. Agora, as pessoas podem encomendar um animal por aplicativo e aí entregam em casa. Vejam na segunda matéria. Minha Santa do Rococó, cria uma modo de vida novo para estas pessoas!!!!! Juro que tento, mas, não consigo respeitar nenhuma religião que use animais para seus rituais!!!!!
----------------

KARACHI, Paquistão, 2 de setembro (Reuters) - Os muçulmanos no Paquistão lotaram mesquitas e terras de oração em todo o país para oferecer orações e sacrifício de cabras e vacas para o feriado de Eid al-Adha no sábado, marcando o segundo maior festival religioso do Islã.

A segurança foi rigorosa, com as autoridades em guarda de qualquer possível ataque de extremistas religiosos que realizaram atentados em todo o país nos últimos anos. "Hoje, estamos aqui para oferecer orações do Eid", disse o adorador Saleem Ahmed em uma cerimônia em Karachi, a maior cidade do Paquistão. "Os arranjos de segurança foram muito bons. Que Allah possa aprovar nossas orações".

Eid al-Adha comemora o conto corânico da disposição do Profeta Abraão de sacrificar seu filho como um ato de obediência a Deus, antes que Allah substituísse o filho por um carneiro para ser sacrificado. Uma história semelhante envolvendo Abraão é relatada nos livros sagrados do judaísmo e do cristianismo.

É uma tradição para aqueles que podem pagar para sacrificar animais domésticos como um símbolo da vontade de Abraão de sacrificar seu único filho. O resultado é um crescente comércio pré-feriado em cabras, vacas e ovelhas. Somente no Paquistão, cerca de 10 milhões de animais, no valor de mais de US $ 3 bilhões, são abatidos durante os dois dias de Eid al-Adha, de acordo com a Associação dos Trabalhadores do Paquistão. "Estamos apresentando sacrifícios para seguir o caminho do profeta Abraão. Não devemos esquecer os nossos pobres e necessitados irmãos muçulmanos nessa ocasião", disse Mohammad Muzammil, residente de Karachi, no local de oração onde as vacas e as cabras foram abatidas.
anuncio de comerciante que vende animais para este ritual
Eid al-Adha marca o fim de um Hajj anual, ou peregrinação para a Meca, que é um dos cinco pilares do Islã, e deve ser realizado por todos os muçulmanos que podem dar ao luxo de fazê-lo. Com uma população de cerca de 208 milhões de pessoas, o Paquistão é o sexto país mais populoso do mundo e tem a segunda maior população muçulmana após a Indonésia. Cerca de 97 por cento dos paquistaneses são muçulmanos. (Escrevendo por Kay Johnson; Edição por Nick Macfie).

Fonte: Daily Mail
===========
O Paquistão de classe média abraça Uber-like app que vai entregar um animal  para ser sacrificado em sua porta  
Enquanto o Paquistão se prepara para o festival de sacrifício de Eid al-Adha neste fim de semana, uma empresa de tecnologia fez a tarefa de comprar um animal para sacrifício - cabra, ovelha, vaca - muito mais conveniente. 

Ao invés de juntar as filas e negociar com os agricultores ao longo do preço, os residentes de Islamabad e Karachi estão abraçando a tecnologia e recebendo animais direto na sua porta da frente através de um aplicativo móvel. Os muçulmanos matam um animal no festival anual em um ritual que decorre da história do profeta Abraão, comandado por Deus para matar seu amado filho Isma. A carne é então distribuída em partes iguais para os pobres, para parentes e consumidos pela própria família. 

O festival centenário está cheio de tradição, mas este ano alguns paquistaneses de classe média estão se voltando para a tecnologia para ignorar os mercados lotados e encomendar seus animais através do aplicativo  Careem. O aplicativo, que está crescendo em popularidade no Paquistão, introduziu uma iniciativa Bakra (cabra) sobre rodas no período anterior ao Eid, com caminhões especialmente pintados que transportam os animais para os clientes.

A resposta foi "substancial", disse o executivo de marketing da Careem, Abuzar Khan, à AFP, acrescentando que venderam cerca de 30 cabras até agora. Mas havia poucas chances de ameaçar a demanda por animais nos movimentados mercados de gado do país. Em um mercado estabelecido temporariamente em Islamabad nesta semana, fazendeiros de todo o país, usam sabonetes e shampoo nas cabras e camelos para torná-los mais atraentes aos olhos de clientes sensíveis.

A mídia social foi inundada com vídeos que mostravam camelos sendo transportados por rickshaw e ovelhas se agarrando às costas de motocicletas enquanto os paquistaneses seguiam com suas compras para casa.

Os especialistas dizem que o mercado de pecuária no Paquistão está crescendo em até quatro por cento ao ano, à medida que mais empresários jovens estão interessados, e o volume é alto durante a Eid, explicou o trader Syed Hayat Raza Naqvi.  "O preço mínimo de um touro, que leva dois anos e meio para ficar adulto, é de 65 mil rúpias ($ 650), afirmou.


(vídeo) Comerciantes embelezam os animais para vende-los neste período
Fonte: Daily Mail
Tradução livre do Google para "O Grito do Bicho"
========
Nossas publicações a respeito inclusive com a ameaça de morte que recebi porque falei a respeito:



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.