07/02/2017

Câmara dos Deputados decide acabar com enquetes no site devido a fraudes

ATUALIZAÇÃO:
---------------------
Ontem, o Vista-se publicou uma excelente matéria sobre nossa denuncia da fraude dos caçadores no site da Câmara Federal. 

Confiram: Caçadores de animais ensinam em vídeo como fraudar as enquetes da Câmara dos Deputados

No final da tarde, o site G1 publicou a notícia de que vão acabar com as enquetes por causa das fraudes e da pouca importância que elas têm. No que concordamos lembrando o caso das vaquejadas, certo?

Detalhe é que denunciei desde o dia 31/01 e até agora continua no ar. A piada mesmo foi o tal caçador autor do vídeo dizer que nós é que estávamos fraudando e que ele apenas ensinou aos
seus pares como fazê-lo. Agora pensa: se nós estivéssemos ganhando iríamos denunciar? outra coisa; se eles souberam que nós é que estávamos fraudando a enquete, porque não denunciaram imediatamente como eu fiz? Será que ele não sabem que isto é crime federal? Aliás, por falar nisto, cadê a Polícia Federal? vai deixar barato assim?

Pessoas, olha o que um dos caçadores está falando da gente no Face de um caçador:
Joelson Cipriani  A forma que essa retardada da Sheila recebeu o arquivo por "e-mail" e gravou a "conversa" com a "CAMARA" está muito estranha, e falo isso porque já participei de "ciber"conversas com pessoas que CRIAM PROVAS FALSAS PARA JUSTIFICAR AS SUAS ATITUDES = PRINCIPALMENTE ESSA CAMBADA DA DEFESA ANIMAL, que na verdade não defende nada, apenas se reúne para fumar maconha.

kakakakaka.... estes caçadores não sabem de nada. Eu disse que tinha recebido este vídeo por e-mail. Na verdade, como todos sabem o quanto eu pesquiso na internet, estas imagens caíram na minhas mãos de forma inesperada. Tanto que eu tentei rever o vídeo no face de um dos caçadores que eu estava colhendo informações e não consegui. Tive a impressão que ele publicou e se arrependeu tirando do ar. Só que eu já havia copiado..... Foi algo muito rápido e de pura sorte..... Como não posso provar isto porque não deu nem tempo de printar, não vou nem falar o nome do dito cujo. Mas, ele deve saber que foi sua bobiada que me deu esta chance..... Então, faz de conta que recebi por e-mail, tá? kakakaka
===============

Falha no site permite que um mesmo usuário vote mais de uma vez nas consultas sobre projetos apresentados pelos parlamentares. Vídeo que circula na internet ensina como fraudar.

A Câmara decidiu acabar com as enquetes no site da instituição sobre projetos apresentados pelos deputados devido a uma brecha que permite aos usuários votar mais de uma vez.
A falha no site abriu um embate entre defensores e opositores de uma proposta para legalizar a caça de animais no Brasil.

Circula na internet um vídeo de autoria do presidente da Associação Goiana de Caça e Conservação, Daniel Terra, com instruções sobre como liberar o sistema para que cada pessoa vote inúmeras vezes. Normalmente, o site permite apenas um voto por usuário.


Página do site da Câmara com texto sobre projeto que regulamenta a caça e enquete ao lado 
(Foto: Reprodução / site Câmara dos Deputados)

As enquetes disponibilizadas na página da Câmara não têm peso de decisão na tramitação dos textos. A consulta serve somente de termômetro sobre a percepção da sociedade com relação a uma proposta, podendo ser usada como referência pelos deputados.

“O pessoal que está com dúvida em como votar mais de uma vez, vou fazer um tutorial rapidinho”, afirma Daniel Terra no vídeo, antes de explicar como driblar a restrição do sistema. O G1 seguiu os passos indicados e constatou que é possível votar mais de uma vez.

Procurado pela reportagem, Terra argumentou que, na verdade, representantes de associações de defesa dos animais foram os primeiros a fraudar o sistema. Justificou que, diante do fato, foi questionado por muitas pessoas sobre como isso era possível e resolveu explicar a falha por meio de um vídeo.

A presidente da Sociedade Educacional Fala Bicho, Sheila Moura, recebeu o vídeo e resolveu procurar a Câmara para fazer uma denúncia. Ela contestou a acusação de Terra e negou ter burlado ou incentivado alguém a burlar o sistema. “Eu não iria denunciar se estivesse fraudando a enquete”, disse.

Até a publicação desta reportagem, a consulta sobre o projeto que legaliza a caça no país mostrava 58,39% de votos favoráveis, 41,48% contrários e 0,13% que não souberam opinar. A página não mostra o total de votos registrados.

A Câmara informou que já vem avaliando o funcionamento das enquetes há algum tempo. Segundo a assessoria da Casa, há dois anos não são feitas enquetes “sobre grandes temas nacionais”, restando somente “pequenas enquetes”.

“A Câmara pretendia estimular o debate sobre propostas em tramitação na Casa. A partir deste ano, essas enquetes também deixarão de existir nas matérias da Agência Câmara sobre projetos apresentados pelos deputados. Para isso, as últimas providências estão sendo finalizadas”, informou a assessoria, por meio de nota.

“Ao longo dos anos, por mais eficiente que fosse a ferramenta, constatou-se a dificuldade de se evitar manipulações, uma vez que as barreiras tecnológicas disponíveis são muitas vezes superadas por fraudadores”, ressaltou.

Com a decisão, as enquetes no site da Câmara deixarão de existir ainda neste mês. A Casa informou que também pesaram na decisão as reclamações de usuários que acreditavam que o resultado da consulta teria efeito prático na decisão dos deputados.

Legislação
Atualmente, caçar animais silvestres é proibido no Brasil. A punição aos caçadores é de multa e pena de seis meses a um ano de prisão, podendo ser triplicada se for constatada caça profissional.

Uma lei de 1967, sancionada pelo general Castello Branco, durante a ditadura militar, definiu a permissão ao exercício da caça levando em conta “peculiaridades regionais”, desde que a prática fosse regulamentada pelo governo federal. Nunca houve, porém, essa regulamentação.

Em 2013, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) abriu uma exceção e autorizou a caça de javalis para controle populacional da espécie, considerada agressiva e uma ameaça às lavouras, além de o animal não ter um predador natural no país. Nesse caso, a pessoa precisa de autorização para caçar.

O projeto em tramitação na Câmara, de autoria do deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), regulamenta a caça, com autorização para que sejam criadas reservas voltadas a essa finalidade.

Pela proposta, 30% do lucro líquido anual das reservas deverá ser destinado para recuperação e proteção de espécies. O texto está na Comissão de Meio Ambiente da Câmara e aguarda apresentação de parecer do relator.

Fonte: G1

3 comentários:

  1. Não entendo. Fraude não é crime???? Não sofrerão nenhuma pena? Q absurdo!
    E o desrespeito com a Sheila???

    ResponderExcluir
  2. A Camara de deputados também é uma fraude ao interesse publico. estão lá so pra defender seus interesses e são colocados por pessoas sem noção que votam em pessoas erradas.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪