08/01/2017

Equipes de limpeza encontram porca criada em laje em S. José do Rio Pardo

Ainda bem que a pobrezinha foi resgatada .... só não deu p´ra saber se eles levaram também os cachorros...
-------------
Animal foi resgatado com a ajuda de cordas e está disponível para adoção.
Dono da propriedade seria acumulador e deverá passar por tratamento.
Equipes que trabalham em um mutirão de limpeza em São José do Rio Pardo (SP) encontraram uma situação inesperada na visita a uma casa na entrada do município. Elas se depararam com uma porca criada na laje.


No imóvel, havia ainda outros animais, como cachorros e patos, e muita sujeira. A prefeitura suspeita que o dono da propriedade sofra de transtorno da acumulação e informou que ele passará por
acompanhamento.

Porca na laje
Imagens captadas na hora do resgate mostram o animal no forro da casa, um lugar escuro e cheio de insetos. A porca estava no cômodo há cerca de oito meses e foi retirada por funcionários do Departamento de Zoonozes com a ajuda de cordas.

"Precisou de quatro homens para tirar esse animal do telhado, um animal já de 40 kg, uma altura de 2,80 metros, foi bem difícil mesmo de fazer a retirada", contou o diretor de Meio Ambiente, Samuel Folchetti.

"[Havia] muita sujeira em cima da laje, inclusive escorrendo na cama onde essa pessoa dormia, então era uma situação muito desagradável para a pessoa e para as pessoas em volta", completou.

Segundo a avaliação de um veterinário, a porca tem cerca de um ano de idade e está bem de saúde.

Acumulação
O animal estava na casa de um catador de recicláveis visitado pelos funcionários que atuam no trabalho de revitalização de Rio Pardo. A ação começou pelas praças e escolas e deve durar pelo menos seis semanas.

"Fazendo a limpeza da calçada a gente se deparou com uma quantidade muito grande de entulho e sujeira, e aí dedicamos ali um tempo maior justamente para a retirada desse material", contou Folchetti.

Desde a última terça-feira (3), foram retirados nove caminhões de lixo e entulho do local. Há a suspeita de que o catador tenha um transtorno mental chamado de acumulação compulsiva. Ele foi avaliado por psicólogas do Departamento de Assistência Social e deve ser encaminhado para tratamento, um alívio para a família.

"É preocupante pela saúde dele também, porque mora do lado. A gente vê ele assim e não tem como fazer nada. Eu espero que internem ele, que ele passe por psicólogo, psiquiatra, que ele faça um tratamento para melhorar porque ele não pode viver nessas condições", disse a doméstica Madalena Morandi, cunhada do catador.

Além da porca, funcionários da prefeitura
encontraram cachorros (Foto: Eder Ribeiro/EPTV)

Animais
Além da porca, levada temporariamente para um sítio, a prefeitura também resgatou da casa três cães que estavam amarrados em um cercado cheio de lixo e com rato morto.

Dois cachorros já foram castrados e estão no Canil Municipal, para onde o terceiro também será levado. Eles foram examinados por uma veterinaria, estão bem de saúde e, como a porca, vão poder ser adotados. Os interessados em adotar os animais podem entrar em contato com a secretaria de Agricultura pelo telefone (19) 3682-7870.

Desde terça-feira, equipes retiraram da casa nove caminhões de lixo (Foto: Eder Ribeiro/EPTV)

Fonte: G1 - EPTV - 06/01/17

5 comentários:

  1. Dono vai passar por tratamento, devia era levar uma coça isso sim! Aurea

    ResponderExcluir
  2. Coloquem os cães juntos..

    ResponderExcluir
  3. Criar uma porca sobre uma laje? É evidente que esse homem tem problemas mentais e precisa de ajuda para que não sofra e nem faça outros animais sofrerem. É muito difícil conviver com gente com esse transtorno porque eles se negam a acreditar que estão doentes e precisam de ajuda.

    ResponderExcluir
  4. Esse problema é mais comum e corriqueiro do que muita gente pensa.

    ResponderExcluir
  5. Jorge Romano12/03/2017 14:15

    No final da reportagem informam que os cães foram recolhidos, castrados e estão para adoção. Ficaram patos e galinhas (meu Deus). A acumulação é um transtorno terrivel e atinge mais pessoas do que imaginamos.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪