04/11/2016

RE sobre sacrifício de animais por motivos religiosos segue para a pauta do STF

Desculpem, mas, acho que esta a gente vai perder feio.... Tomara que eu volte aqui para morder minha lingua em público.......
------------------------
O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, liberou para julgamento o Recurso Extraordinário que discute se o sacrifício de animais por motivos religiosos ofende a Constituição Federal. Agora o caso fica cadastrado na pauta do Plenário, aguardando que a presidente da corte, ministra Cármen Lúcia, escolha um dia para que ele seja julgado pelo Plenário.

De autoria do Ministério Público do Rio Grande do Sul, o recurso
pretende cassar uma decisão do Tribunal de Justiça do estado que considerou constitucional uma reforma no Código Estadual de Proteção dos Animais. A lei gaúcha, de 2004, autoriza que animais sejam sacrificados e mal tratados por motivos religiosos. O texto exclui das proibições do Código Estadual de Proteção dos Animais gaúcho o “livre exercício dos cultos e das liturgias de matriz africana”.

O TJ do Rio Grande do Sul considerou que a lei, mesmo autorizando o sacrifício de animais, não desrespeita o artigo 225 da Constituição Federal, que descreve o direito do “meio ambiente ecologicamente equilibrado” e estabelece a obrigação de preservá-lo. Isso porque o artigo 5º da Constituição, que define os direitos fundamentais, diz que “é inviolável a liberdade de consciência e de crença” e que “ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa”.

No recurso ao Supremo, o MP do Rio Grande do Sul alega que a lei gaúcha dá privilégios inconstitucionais às religiões de matriz africana ao permitir que quem as professa sacrifique animais. Para o MP gaúcho, a lei estadual viola o princípio da laicidade do Estado, que obriga o respeito igualitário a todas as religiões, mas proíbe privilégios a qualquer uma delas.

“Inúmeras outras expressões religiosas valem-se de sacrifícios animais, como a dos judeus e dos muçulmanos, razão pela qual a discriminação em favor apenas dos afro-brasileiros atinge frontalmente o princípio da igualdade, com assento constitucional”, diz o recurso. O MP também afirma que a lei usurpou competência da União para legislar sobre o meio ambiente.

A liberação do caso pelo relator significa que seu voto está pronto e o recurso só depende de agendamento para começar a ser julgado. E quem define as datas de julgamento é o presidente do Supremo. Como a ministra Cármen já definiu as pautas de todas as sessões de novembro e dezembro só terá quatro sessões de julgamento antes do recesso, é pouco provável que o recurso do sacrifício de animais, que tramita há dez anos, seja pautado.

FONTE: conjur

4 comentários:

  1. Sabe? Eu já tô farta de tanta maldade, de tanto pisotearem e sapatearem em cima da Constituição Federal. Pra que afinal fizeram essa Constituição? Só falam nela quando lhes interessa, geralmente pra coisa ruim. Quando é pro BEM, ninguém se lembra dela. E ninguém nos escuta. O que precisa é ter um organismo internacional onde a gente possa fazer uma denúncia formal contra esse tal "poder Judiciário" brasileiro, que é uma vergonha !!! Eu tô doente de tanta raiva.

    ResponderExcluir
  2. Não deveria haver mais nenhuma dúvida sobre se torturar animais às vezes pode, às vezes não pode; onde se pode barbarizar com eles e onde isso é considerado crime; se esfolá-los sobre um altar é sagrado e matá-los a pau no quintal de casa dá cadeia. Vou morrer sem entender porque esta venda nos olhos da imagem da Justiça a impede de fazer justiça e porque a espada destinada a proteger os mais fracos nem sempre golpeie quem merece ser ferido; vou morrer sem entender qual o critério usado para nivelar os pratos da balança quando se trata de matar animais legalmente ou ser punido pelo mesmo motivo.

    ResponderExcluir
  3. ...“ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa” - Direito de sangrar e tirar uma vida? A religião dessa gente primitiva não evolui? Que deus ou entidade é essa que bebe sangue de inocentes? E se essa mesma crença decidir que o melhor é o sacrifício humano?
    Se a crença deles fosse tão boa, nenhum deles viveria no atraso e na miséria, essa é a grande verdade!

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪