13/09/2016

Postagem no Blog do Alvorada feito pela assessoria da Dilma sobre os cães dela

Olha, eu ontem falei com administrador do Alvorada e soube que: 

1 - Dilma doou o Nego e seu filho de 2 anos para a mesma pessoa que o levou embora cerca de 2 semanas antes dela sair do governo;  2 -Nego era pai de muitas crias e que, às vezes ela ficava com um filhote; 3 - destes que ela ficou e já adultos, um veio doado para alguém aqui do Rio, outro ela deu para o ex-marido, e os dois restantes (Nego e o filho) como falei foram doados lá em Brasília para a mesma pessoa que ele não sabia quem era (não quis dizer, claro); 4 - a cadela Fafá foi levada para Porto Alegre no mesmo dia que a Dilma foi embora. 

Agora, ele me falou que quem poderia dizer tudo com certeza seria o motorista dela que, inclusive, já havia se mudado com ela para Porto Alegre. Estou correndo atrás dele, pois, quero
só fazer uma pergunta: Se ela tivesse continuado na presidência teria  autorizado sacrificar o Nego (se for verdade)?

Quero avisar que tenho a gravação desta conversa e que não vou publicar comentário nenhum de leitores por conta da agressão que sofri na postagem anterior sobre o assunto. Os simpatizantes de cada lado devem opinar de forma respeitosa posto que nosso assunto aqui é a forma de analisar como nossos dirigentes tratam seus animais. Não é porque o Nego possa ter sido eutanasiado, mas, porque isto não foi feito claramente deixando tanta controvérsia na mídia. 

Foi preciso anteontem eu ter provocado a assessoria do Alvorada para um pronunciamento que, aliás, não foi fiel a realidade, pelo que pude comprovar. Na verdade, ninguém sabe informar corretamente porque não se dava muita bola para isto. Agora, o que ficou conclusivo durante a conversa é que Nego era, tão somente, um bom reprodutor. Mas, isto vou poder falar quando tiver as devidas provas.
--------------------------
12 DE SETEMBRO DE 2016

A presidenta eleita Dilma Rousseff, ao partir do Palácio da Alvorada e seguir para Porto Alegre, não deixou de cuidar do destino de seus animais de estimação: Nego, Boni, Galego, Princesa e Fafá. Em nota à imprensa, a assessoria informa que, sob cuidado e orientação médico-veterinária, o labrador Nego, aos 14 anos e portador de mielopatia degenerativa canina, teve seu sofrimento abreviado.
“Há dois meses, o médico recomendou que fosse abreviado o sofrimento do cão, um dos prediletos de Dilma. Relutante, ela adiou a decisão até pouco antes de deixar o Palácio da Alvorada, na semana passada, e mudar-se para Porto Alegre”, diz a nota.

Confira a íntegra:
NOTA À IMPRENSA

A respeito das notas publicadas pela imprensa sobre a morte do cachorro Nego, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff esclarece:

1. Não procede a informação de que Dilma Rousseff tenha “abandonado” o labrador Nego, que ganhou de José Dirceu em 2005. Ao lado dos outros cães de estimação da ex-presidenta – todos adotados: os labradores Boni, Galego e Princesa, além da cadelinha Fafá –, Nego foi amado por Dilma e sua família desde que passou a viver com ela em Brasília, nos tempos em que era ministra-chefe da Casa Civil.

2. Animal de grande porte, com quase 1,70m, Nego tinha três anos de idade quando passou a viver com Dilma. Aos 14 anos, desde dezembro de 2015, vinha sofrendo. Além da idade avançada, foi diagnosticado pelo veterinário como portador de mielopatia degenerativa canina.

3. Sob cuidados e orientação do médico-veterinário, Dilma prolongou ao máximo que pode o conforto e as necessidades de Nego. Há dois meses, o médico recomendou que fosse abreviado o sofrimento do cão, um dos prediletos de Dilma. Relutante, ela adiou a decisão até pouco antes de deixar o Palácio da Alvorada, na semana passada, e mudar-se para Porto Alegre.

4. Dilma sempre teve amor por animais de estimação. Adotou Fafá quando percorria as ruas de Brasília em uma caminhada e encontrou a cadelinha abandonada no Lago Sul. A acolheu e passou a cuidar dela com amor, atenção e carinho. Fafá permanece com uma das tias da ex-presidenta, que a levou para Belo Horizonte, onde vai ficar até que Dilma a transfira para Porto Alegre, em novembro.

5. Já a labradora Princesa está com o ex-marido de Dilma, o advogado Carlos Araújo, em Porto Alegre. Quanto aos outros cães – os labradores Boni e Galego – Dilma optou por deixá-los com amigos que vivem em Brasília, porque não havia como levar os dois para morar no apartamento que tem em Porto Alegre.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
DILMA ROUSSEFF

7 comentários:

  1. Eu só espero que, antes de postar bobagem, as pessoas leiam o texto, pesquisem e se indaguem primeiro, pois a cada dia que passa, aumenta o número de analfabetos funcionais. E para quem não sabe o que é isso, aproveita que tem acesso a informática e pesquisa no Google.

    ResponderExcluir
  2. Jorge Romano13/09/2016 17:16

    Não cheguei a ler os comentários agressivos da outra postagem. Aí são duas coisas que fico sem entender: o mistério do paradeiro do Nego e agora as agressões. O blog reproduz noticias aos interessados no tema, não há motivo para agredir ninguém. A Sheila não merece isso.

    ResponderExcluir
  3. Politicamente, embora tenha votado na Dilma no segundo mandato, não compartilho com as politicas por ela e pelo seu partido na condução do país. Como protetor e ativista da causa animal a mais de 50 anos, me preocupo pela situação de abandono de animais, quando os tutores mudam-se de cidade, residência e jogam literalmente no lixo os seus animais de estimação. Não morro de amores pela Dilma nem por seus asseclas, no entanto, se comprovado futuramente que ela deu o melhor para seus animais, sendo ela neste campo uma pessoa boníssima, só tenho a admira-lá. No entanto, no afã de muitos militantes políticos de um lado e de outro, trocarem farpas, ofensas, agressões de todo tipo, inclusive quando não sabem diferenciar uma noticia (como aconteceu com a responsável por este canal de informações), ao postar noticia, ser apedrejada infamemente por partidários políticos que não admitem nenhuma informação que possa macular suas vidas dignas e honradas no exercício de cargos públicos neste país. Cabe repudiar também os que tentam difamar a pessoa da ex-presidenta com a distorção de informação, por absoluta ignorância ou má fé. Portanto que se aguarde as informações finais, e tira-se as conclusões apenas por especialistas da causa animal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelo seu comentário equilibrado, colega, imparcial, justo, apolítico e acima de tudo coerente com o Protecionismo Animal que precisa e deve separar o joio do trigo em qualquer circunstância e com qualquer pessoa ou estaremos crucificando seres humanos sob o pretexto de defender os animais, o que não é racional nem legal.

      Excluir
    2. Luiz, é isto aí, a divisão do povo brasileiro entre ideologias prejudicar a proteção aos animais é de última. Por outro lado, Dilma agiu bem com seus cães de estimação e tem gente do povo que trata animais como objetos. Atiram pedras tendo seus telhados de vidro.

      Excluir
  4. prefiro não opinar, mas se deve separar política do caso que se estão falando de animais. Cada um sabe o que está fazendo. Se a ex presidenta preferiu assim ela soube o que estava fazendo. No meu caso não faria nada. prefiro sofrer junto com meus animais, pois tenho quatro. Não sou ninguém para julgar, espero que cada pessoa que adota um animal tenha plena consciência que eles tem sentimento, dor, são amigos fiel. Caso veja alguém maltratando denuncie. Faça sua parte com consciência em defesa dos animais.

    ResponderExcluir
  5. Quem gosta castra seus cães para evitar mais cães pois já há muitos abandonados por aí.ao adotar deve ter consciencia que deve ser para toda a sua vida.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪