13/04/2016

Gatos podem miar com sotaque dependendo de onde viverem

Quem tem gatos sabe que, realmente, cada um tem uma maneira diferente de vocalizar.
------------------------
Gatos miam com uma entonação específica quando estão pedindo comida e com outra quando estão tristes. Mas será que a melodia do miado varia de acordo com a região em que vivem?

A especialista em fonética Susanne Schötz, da Universidade de Lund, na Suécia, uniu sua paixão por gatos com seus estudos para liderar o projeto Meowsic, que pode ser traduzido como
"miau-sica".

O objetivo é analisar a variedade de melodias nos sons produzidos pelos gatos para elaborar um "dicionário dos miados".

Enquanto os resultados iniciais do projeto já mostraram diferenças claras entre o miado de fome (que é geralmente um som crescente) e de tristeza (que vai diminuindo de intensidade), o grupo de pesquisa vai avaliar se a localização geográfica dos gatos afeta sua entonação, como uma espécie de sotaque.

Para isso, eles vão comparar os sons produzidos por gatos que vivem no centro da Suécia, em Estocolmo, e no sul do país, em Lund. Nessas áreas, os dialetos suecos usados pelos humanos são bastante distintos.

Pode ser, então, que a variação nos sons dos felinos seja aprendida a partir dos sons produzidos pelos donos - também é assim que bebês desenvolvem uma forma de sotaque.

Dialetos regionais já foram encontrados em outras espécies.Morcegos emitem diferentes ondas sonoras de acordo com a região onde vivem. Os bodes aprendem um sotaque com a mãe e os irmãos, mas mudam o dialeto quando se tornam independentes.

E os sapos passam até dificuldades para acasalar quando têm sotaques diferentes entre si.

A pesquisa da Universidade de Lund pretende ir mais a fundo na comunicação entre humanos e gatos, tentando descobrir, por exemplo, se os animais são capazes de diferenciar o tom de voz de um adulto de uma criança ou mesmo perceber se a voz é de um conhecido ou um desconhecido.

O objetivo do estudo é promover uma comunicação mais efetiva com os felinos, em especial em casos de hospitais veterinários e abrigos. Os pesquisadores esperam, inclusive, revelar se os gatos gostam ser abordados pelos donos com a típica entonação aguda usada com crianças ou se preferem ser tratados "como adultos".

FONTE: 180graus

2 comentários:

  1. Isso me lembra uma piada em que um nordestino ( sem preconceitos) foi levar seu gato para um quintal onde o proprietário guardava vários felinos em quanto seus donos iam trabalhar. Ao entregar o gato , o dono propôs a ele colocar uma coleirinha para sua identificação para que na hora de ir buscá-lo , não houvesse confusão. O nordestino responde, não precisa não , quer ver ? E no meio da gataiada chama o seu gato .Ô bichãããno ,e o gato responde Meau...meau , está vendo ? É aquele ali.

    ResponderExcluir
  2. Gato do interior de São Paulo: miar, miar...
    Gato mineiro: miuai, miuai...
    Gato nordestino: méau, méau...
    Gato do sul: miautchê, miautchê...
    Como é o gato carioca?

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪