22/06/2015

Estamos no começo de uma extinção em massa

Meus sais!!!!! todo mundo percebe isto instintivamente, mas, não quer encarar as providências para que isto não aconteça.... controle populacional já.... a partir de hoje não pode nascer mais ninguém por 20 anos.... mesmo assim só 10% poderão procriar.... temos que dar um tempo para o planeta se recuperar.....
---------------------------------------------------------

O que nós temíamos há muito tempo está acontecendo. Um novo estudo sugere que milhares de espécies na Terra estão sendo extintas a uma taxa que excede em muito o que é típico. Estamos nos primórdios de uma extinção em massa, argumentam os cientistas, e isso poderia levar à fome mundial para os seres humanos e muitos outros animais.

O novo estudo, publicado ontem, dia 19, na revista “Science Advances”, explica que estamos sofrendo níveis extremamente
elevados de perda de espécies. Não é uma questão de uma coruja-do-ártico aqui ou uma rã-arborícola acolá. Estamos falando de milhares e milhares de espécies se extinguindo, o que levará a uma perda de biodiversidade.

Sem essa diversidade muito necessária em um ecossistema, o risco é que as fontes de alimentos vão diminuir: um sapo em extinção pode significar que as aves que se alimentam dele também desaparecerão, o que significa que os felinos que comem essas aves se extinguirão e assim por diante. Antes que a gente perceba, a rede trófica entra em colapso e as taxas de extinção ficam muito altas.

“A perda da biodiversidade é um dos problemas ambientais atuais mais críticos, ameaçando serviços de ecossistemas valiosos e o bem-estar humano”, escrevem os pesquisadores. “Um crescente corpo de evidências indica que as taxas de extinção de espécies atuais são mais elevadas do que a taxa normal de extinção pré-humana, com centenas de extinções antropogênicas de vertebrados documentadas em tempos pré-históricos e históricos”.

Influência inegável

O avanço deste estudo é ter coletado grandes quantidades de dados que sugerem que as espécies estão sendo extintas em níveis que excedem as taxas de extinção típicas. Talvez mais importante do que isso seja a constatação de que a perda de biodiversidade está correlacionada com as atividades humanas.
“Nós avaliamos, usando premissas extremamente conservadoras, se as atividades humanas estão causando uma extinção em massa”, afirmam os pesquisadores.

Primeiro, foi usada uma estimativa recente de que a taxa normal de extinção seria de duas extinções de mamíferos por 10 mil espécies em 100 anos (unidade que eles chamaram de 2 E/MSY), que é duas vezes maior do que estimativas anteriores amplamente utilizadas.

Em seguida, essa taxa foi comparada com a taxa atual de extinções de mamíferos e vertebrados – esta é conservadoramente baixa porque listar uma espécie como extinta exige o cumprimento de critérios rigorosos. “Mesmo sob nossas suposições, que tenderiam a minimizar evidências de uma extinção em massa incipiente, a taxa média de perda de espécies de vertebrados no último século é até 114 vezes maior do que a taxa normal”.

Considerando a taxa normal de 2 E/MSY, o número de espécies que foram extintas no século passado teria levado, dependendo da classificação dos vertebrados, entre 800 e 10 mil anos a desaparecer. Essas estimativas revelam uma perda excepcionalmente rápida da biodiversidade ao longo dos últimos séculos, indicando que uma sexta extinção em massa já está em andamento. “Evitar uma deterioração dramática da biodiversidade ainda é possível através de esforços de conservação intensificados, mas esta janela de oportunidade está se fechando rapidamente”, advertem os pesquisadores.

A extinção em massa é tecnicamente um evento no qual 75% das espécies do planeta se extinguem em um milhão de anos ou menos. Houve cinco nos 4,5 bilhões anos de história do nosso planeta, sendo a mais recente quando a maioria dos dinossauros foram mortos pelas duas explosões consecutivas de mega-vulcões na Índia e pela colisão de um enorme asteroide com o Golfo do México. Isso aconteceu 65 milhões de anos atrás. [Gizmodo]

Fonte: HypeScience
Leiam também:



6 comentários:

  1. Pois é,mas quando falamos tem gente que acha que estamos loucos.

    ResponderExcluir
  2. Para alguém como eu que crê na Bíblia - e antes que digam que sou carola devo esclarecer que sou apenas uma pessoa de mente aberta - e é muito bem informada, estamos vivendo o estertor da humanidade, seus momentos finais. Apenas quem não quer ver - por conveniência, desdém ou covardia, tenta negar o óbvio: nosso mundo está se desintegrando a velocidade da luz. Os espíritas - kardecistas - dizem que estamos diante de uma Nova Era - eu não creio. Acredito nas Escrituras e digo que não haverá amanhã.

    ResponderExcluir
  3. Eu e meu marido já estamos fazendo a nossa parte: Sem filhos!
    Só bichos adotados!

    ResponderExcluir
  4. Mas isso não é divulgado abertamente e o povo ignorante continua procriando indiscriminadamente. Mais filhos ignorantes que não servirão para nada à não ser consumir o planeta.

    ResponderExcluir
  5. tb já fiz a minha parte, nenhum filho!

    ResponderExcluir
  6. Jorge Romano23/06/2015 21:58

    O amanhã sempre existirá, talvez não como foi no passado ou agora, mais degradado no presente, mas ele vai existir. O que as religiões falam, e já estamos vendo, é uma transformação da vida como a conhecemos. Sempre houve e sempre vai haver extinção de espécies, lamentavelmente, assim como o nascimento de novas. Mesmo assim não importa, para quem tem consciência e assiste a destruição absurda e bestial promovida pelo homem, é desesperador.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪