20/03/2015

Se não forem adotados, o Abrigo de Dublin deverá sacrificar 200 animais

Vejam a dificuldade em lidar com o excesso de população de cães.... Por isso que sempre provoco a proteção animal brasileira a refletir mais sobre isto, conhecer melhor o tema para, aí sim, criar saídas efetivas garantindo a vida destes seres que tanto amamos.  O amadorismo de protetoras que, volta e meia, fazem um besteirol dos grandes, não deveria prevalecer diante dos verdadeiros objetivos da defesa animal. Analisem a realidade de outros países.


O Departamento de Agricultura diz que o Shelter Dublin animal deve arranjar dono para 200 animais até segunda-feira, ou terá que sacrificá-los.

De acordo com o diretor executivo Shelter Dublin Animal, Joy Papa, o abrigo tem que atender a certos regulamentos que lhes são dadas pelo Departamento de Agricultura da Georgia, incluindo uma redução do número de animais alojados no abrigo.

O abrigo tem reduzido o custo para as pessoas a adotarem animais, e também lançou uma página no Facebook, intitulado "Save The 200", para espalhar fotos e informações sobre alguns dos 200 animais do abrigo na tentativa de salvá-los.  Papa diz que  a estratégia está sendo de enviar o maior número de animais possível para outros abrigos de resgate de animais locais, e tentar adoção para os restante. 

Para mais informações sobre adoção de animais do abrigo Dublin Animal, você pode chamá-los em 478-272-5341 Visite o site: http://dublinlaurenshumanesociety.org, ou  o facebook com a campanha "Save the 200"

Fonte: 13WMAZ

9 comentários:

  1. Heloisa Arruda20/03/2015 09:26

    Vejo muitos animais resgatados com sequelas terríveis e sem a mínima condição de ter uma vida digna e livre de sofrimento... Vejo animais amontoados em abrigos de onde nunca sairão...
    Acho que nos falta coragem para enfrentar essa questão... A eutanásia também pode ser um gesto de amor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Heloísa, concordo com vc, mas fico me perguntando - ou tentando compreender - porq essa mesma metodologia não é aplicada a espécie humana... Afinal, o mesmo gesto de amor (eutanásia) não deveria fazer distinção de espécies.
      Rita de Cássia - Curitiba/PR

      Excluir
  2. Sempre disse aqui e sempre direi: existem coisas, infinitamente, piores do que a morte. Não querer eutanasiar animais é desdenhar a realidade. É a principal causa de mortes de animais nos EUA, pois não há outra solução. O que fazer? Deixá-los perecer nas ruas? O Brasil é um país pródigo em leis, mas, inversamente, o é em desrespeitá-las. A lei que proíbe o sacrifício de animais é a coisa mais estúpida que a pseuda proteção animal poderia ter criado, não se pode eutanasiar, mas pode-se abandonar, maltratar, etc,etc, etc. Este país é uma piada - e de péssimo gosto, devo dizer.

    ResponderExcluir
  3. Claro que o ideal é todo animal ter uma família humana que lhe cuide. Claro que deve haver maior campanha de castração para evitar a superpopulação. Mas na minha opinião melhor viver a vida inteira em um abrigo do que morrer. Afinal a esperança de encontrar um lar deve ser a última que morre.
    A única superpopulação que é realmente prejudicial é a humana.

    ResponderExcluir
  4. Estive em Outubro/2014, em Santiago do Chile, e la eu vi uma quantidade enorme de cachorros pelas ruas e todos bem tratados e com segurança feita pelo CARABINEIROS,(Policia). Experimente maltratar lá um cachorro na rua para ver o que te sobra,

    ResponderExcluir
  5. Se não fosse o ser humano, todos os animais viveriam livremente na natureza, sem o problema de excesso de população.

    ResponderExcluir
  6. O coração das pessoas está muito endurecido. Não é só os que estão no abrigo que sofrem. Muitos tem seus donos mas sofrem o pão que o demônio amassou, violência, estupros, maus tratos, fome, sede, acorrentados, locais insalubres, sol, chuva, morte... A humanidade não dá valor a vida do próximo, imagina a de outras espécies. Lamento por essa decisão judicial. Tomara que encontrem um lar e junto deste uma família.

    ResponderExcluir
  7. Que situação! Eu entendo, não condeno, mas não aceito. Ainda bem que estão fazendo uma campanha para adoção.

    ResponderExcluir
  8. Esta questão é polêmica e difícil como "quem nasceu primeiro- o ovo ou a galinha?" Os animais no seu meio natural não precisam do ser humano, pois caçam e se viram muito bem. Entretanto, padecem de males que às vezes os levam a uma morte lenta e dolorosa como doenças e predadores naturais. Animais domesticados acostumaram-se ao (maldito) ser humano e estes, melhor estão dentro de um lar, pois na rua há sempre ha possibilidade de caes e gatos serem espancados, envenenados, estuprados, arrastados por carros, incendiados e terem seu focinho estourado por bombinhas e outros atos de crueldade e abuso do tal serumano. Enfim, a única soluçao definitiva para por fim a isto seria acabar com o comércio de animais de estimação. Mas e aí, cadê políticos com C* e vontade para isso? E os serumanos nojentos, que só querem um cachorro se for " de raça?"

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪