06/02/2015

Água – Não era Abundante?

O artigo está bem interessante.... pois é.... e nós, os ecochatos, falamos o quê diante da realidade que começa a se apresentar dentro da casa dos incrédulos? Pior que disseram p´ra mim que o homem vai encontrar uma saída usando água do mar como Israel já faz há algum tempo.... Eu fico calada..... cansei!!!!
-----------------------------------
Todos nós aprendemos na escola que o Brasil tem água em abundância - 10% de toda a água doce disponível do mundo. Como consequência, nos acostumamos a utilizar esse recurso barato de forma livre e despreocupada e nos tornamos grandes esbanjadores. No entanto, a verdade é que paramos no tempo e não percebemos que mudanças globais (ambientais, climáticas e geopolíticas) estavam ocorrendo ao nosso redor e que elas também nos afetaria.

A escassez de água potável, que já é uma realidade para
30% da população mundial, vem sendo acentuada nos últimos 40 anos pela poluição dos rios, desmatamento das florestas, degradação do solo, má gestão dos recursos hídricos e pelo grande desperdício na agricultura, na indústria e no nosso dia a dia.

Fora isso, nos últimos 100 anos, o consumo de água aumentou oito vezes, enquanto a população mundial cresceu quatro vezes. Ou seja, o consumo médio individual dobrou. Porém, nesse mesmo período, poluímos 50% da água doce disponível para o nosso uso. Significa dizer que hoje estamos gastando o dobro de uma fonte que está com sua capacidade reduzida à metade. Não é por outra razão que em 2020, 60% da população mundial sofrerão carência de água de boa qualidade para o consumo. Quer mais uma triste estatística? Segundo a ONU, no mundo atual, 80% das internações hospitalares são motivadas pela simples falta de acesso à água potável.

Não é de hoje que se discute se o aquecimento global é motivado pelo cíclico e natural aquecimento do Planeta ou pelos séculos de emissões de gases poluentes na atmosfera. Mas enquanto não se chega a uma conclusão, se é que vai-se chegar, sofremos com as mudanças climáticas que esmurram nossas portas: a falta de água em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro já é uma dura realidade a ser enfrentada, hoje e pelos próximos anos.

Será que podemos fazer algo? Na gestão dos recursos hídricos, somente os governantes, mas no bom uso da água pode-se contribuir bastante. O consumo responsável no nosso cotidiano é capaz de proporcionar considerável redução no desperdício de água. E exemplos não faltam. Tomar banho fechando a torneira ao ensaboar o corpo e os cabelos pode representar uma economia de até 90 litros de água por banho. Da mesma forma que barbear-se fechando a torneira, quando a água não estiver sendo utilizada, pode produzir uma economia de até 10 litros. Sem falar na habitual e dispensável “vassoura hidráulica” utilizada pelos faxineiros dos prédios para varrer e lavar as calçadas, onde o uso de uma vassoura normal economizaria até 250 litros de água por dia.

Ainda assim, infelizmente, nessa questão da boa utilização da água pela sociedade, ter ou não educação e boa vontade para adotar seu consumo consciente não são por si só relevantes. Para grande parte da população, o uso responsável só virá com mecanismos de controle e punição, como uma conta salgada no final do mês. Diferente da energia e do gás, cujos consumos individuais vêm quantificados na conta mensal da concessionária, permitindo que o cidadão sinta no bolso o uso exagerado e o desperdício, a água, na maioria dos prédios residenciais, é cobrada do condomínio numa única conta coletiva. Assim, o uso correto desse recurso só será possível quando todas as residências tiverem seu consumo de água medido por hidrômetros individuais e cobrado em contas separadas.

Um grande exemplo vem da Alemanha, onde o custo da água é bem alto e a cobrança individual. Lá, só se costuma puxar a descarga do vaso no banheiro após quatro ou cinco xixis. Substâncias para eliminar o cheiro desagradável da ureia são utilizadas, sem dúvida, e é claro que está se falando de uma atitude extrema, que espero não tenhamos que copiar, mas esse comportamento nos dá a exata dimensão do quão sensível pode ser o bolso do consumidor e o quanto esse mecanismo de punição financeira é eficiente na redução do consumo e do desperdício de água.

Reflita sobre esse assunto. Seja consciente e responsável no consumo de água, na sua residência ou no seu trabalho, para que não falte no futuro.

Instituto Ecológico Aqualung 
Rua do Russel, 300 / 401, Glória, Rio de Janeiro, RJ. 22210-010 
Tels: (21) 2558-3428 ou 2558-3429 ou 2556-5030 
Fax: (21) 2556-6006 ou 2556-6021 
E-mail: instaqua@uol.com.br 

APOIO FUN DIVE e WODEN!
Junte-se a essas empresas. Seja também um apoiador.

*Marcelo Szpilman, biólogo marinho formado pela UFRJ, com Pós-graduação Executiva em Meio Ambiente (MBE) pela COPPE/UFRJ, é autor dos livros Guia Aqualung de Peixes (1991) e de sua versão ampliada em inglês Aqualung Guide to Fishes (1992), Seres Marinhos Perigosos (1998), Peixes Marinhos do Brasil (2000) e Tubarões no Brasil (2004). Por ser um dos maiores especialistas em peixes e tubarões e escritor de várias matérias e artigos sobre natureza, ecologia, evolução e fauna marinha publicados nos últimos anos em diversas revistas, jornais, blogs e sites, Marcelo Szpilman é muito requisitado para ministrar palestras, conceder entrevistas e dar consultoria técnica para diversos canais de TV. Atualmente, é diretor-presidente do Aquário Marinho do Rio de Janeiro, diretor-executivo do Instituto Ecológico Aqualung, diretor do Projeto Tubarões no Brasil, membro do Conselho da Cidade do Rio de Janeiro (área de Meio Ambiente e Sustentabilidade) e membro e diretor do Sub Comitê do Sistema Lagunar da Lagoa Rodrigo de Freitas.
Caso esta mensagem tenha sido recebida/enviada por engano ou caso deseje cancelar o recebimento de nossos e-mails informativos, favor nos avisar encaminhando uma mensagem de remover através desse link .

6 comentários:

  1. A alteração no código florestal fez disparar o desmatamento no Brasil, antecipando a seca em muito. A Dilma tem interesse nos ruralistas, pois seu partido tem inúmeros deles e deu no q deu. Pela reversão do código florestal agora!

    ResponderExcluir
  2. Quando mudei-me do interior para São Paulo, há treze anos, em meu condomínio lavava-se as calçadas, garagem e os corredores entre os prédios com mangueira de incêndio - absurdo. Assim que começou a escassez de chuvas fiquei de sobreaviso e, quando verifiquei que estavam lavando as calçadas - desta vez com wap - corri até a administração para reclamar. Qual não foi minha surpresa ante o veredito: a lavagem irá continuar "porque sempre foi assim". Recorri a administradora, a sindica, a sub-sindica e nada. Agora, ante às evidências, eles se renderam. Neste país NINGUÉM possui bom senso.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza se cada um tomar algumas pequenas atitudes no dia a dia, muito deixará de ser desperdiçado ... mas tem o outro lado ... não é esse consumo do dia a dia que está realmente acabando com a água potável do planeta.
    Eu indico este documentário, que chega no ponto que poucas pessoas estão considerando que é a Superpopulação e o impacto disso nos recursos do planeta.

    http://videos.sapo.ao/JGCOzZJ2ZpRncqp3VqNa

    "«Cowspiracy: The Sustainability Secret» é um documentário ambiental inovador que segue o intrépido cineasta Kip Andersen há medida que ele como ele revela a indústria mais destrutiva que o planeta enfrenta hoje - e investiga porque as principais organizações ambientais do mundo estão com muito medo de falar sobre isso. A agropecuária é a principal causa do desmatamento, consumo de água e poluição, é responsável por mais gases de efeito estufa do que o setor de transporte, e é o principal motor

    ResponderExcluir
  4. Água limpa, tratada e própria para o consumo jorrando de encanamentos danificados e mal consertados em catadupas, a céu aberto, caminho dos bueiros durante meses seguidos sem que o órgão competente resolva o problema apesar das reiteradas, veementes e indignadas reclamações, este o verdadeiro e incalculável desperdício que usuários responsáveis não praticam mas não podem impedir seja praticado por infratores que não pagam a nossa conta cara mas se beneficiam com ela. Em São Paulo, por exemplo, habitantes costumam voltar para casa com água até a cintura e não a encontram no chuveiro, sem que não se mobilizem recursos aproveitando águas da chuva para consumo humano, porque esta não falta de montão. Desperdício é também não aproveitar a que vem do céu grátis, limpa e transparente até virar lama.
    http://www.hypeness.com.br/2014/06/este-produto-ja-esta-a-venda-e-e-capaz-de-transformar-agua-imunda-em-totalmente-potavel/
    http://razoesparaacreditar.com/criar/homem-inventa-maquina-que-produz-agua-potavel-a-partir-do-ar/
    http://www.nospodemos.org.br/noticias_detalhe/126/dessalinizacao-de-agua-ja-e-realidade-no-brasil-gracas-a-pesquisas-em-universidade-da-paraiba
    http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2014/09/sistema-de-dessalinizacao-da-agua-ja-e-usado-em-nove-estados-no-brasil.html

    ResponderExcluir
  5. Paulo Bastos - BH06/02/2015 21:29

    Mais uma amnésia conveniente. Nada se fala sobre a carne (pasto) e os grãos plantados em sua grande maioria para alimentar animais confinados, onde antes eram florestas, que por sua vez amenizam o clima, provocam as chuvas e abastecem nascentes. É sempre assim, fechem as torneiras, mas queimem milhões de km de florestas ao dia para pôr um pedaço de cadáver no seu prato.

    ResponderExcluir
  6. Há uns dez anos atrás, pedi ao pedreiro que fazia uma pequena reforma aqui em casa, para não desperdiçar água, pois trata-se de um líquido essencial e na minha opinião até sagrado e com o aumento desenfreado da população mundial a água corria o risco de escassear e sem água, não dá para viver. O ignorante respondeu: "Que nada, a água nunca vai acabar"!
    Devia ter gravado ele dizendo tal bobagem.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪