29/05/2014

Conselho aprova resolução sobre reconhecimento de métodos substitutivos

As coisas estão andando na direção ao sucesso de nosso pleito que é a libertação dos animais presos em laboratórios para pesquisas. Continuemos com a pressão, mas, enquanto isto, leiam que as autoridades estão reconhecendo os métodos substitutivos.... muito bom.... Foi no dia 22, mas, temos que registrar tal avanço.
------------------
Decisão permite que o País adote novos métodos para testes de agrotóxicos, cosméticos e medicamentos, destaca gestor

O Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea) aprovou a resolução normativa que define o processo de reconhecimento de métodos alternativos validados para substituição progressiva e segura de ensaios
toxicológicos. A aprovação aconteceu durante a 24ª Reunião Ordinária,  realizada nesta quarta (21) e quinta-feira (22).

Segundo o coordenador do Concea, José Mauro Granjeiro, a resolução permite, de forma efetiva, que o País adote métodos alternativos, independentemente do tipo de produto ou composto – ou seja, a mudança abrange agrotóxicos, cosméticos e medicamentos, por exemplo. A intenção é reduzir, substituir e refinar o uso de animais em atividades de pesquisa.

Em março, a instância acatou recomendação de câmara temporária interna para o reconhecimento de práticas validadas por entidades como o Centro Brasileiro de Validação de Métodos Alternativos (Bracvam) ou por estudos colaborativos internacionais publicados em compêndios oficiais.

Já nesta semana, o Concea recebeu, do Bracvam, a primeira recomendação de métodos alternativos validados e internacionalmente aceitos. Nesta quarta (21), o conselho deliberou que a câmara permanente temática analise a proposta e convide para discussão representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Meio Ambiente (MMA). 

Segundo informações do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a carta da Bracvam sugere o reconhecimento de 17 técnicas, que envolvem sensibilização cutânea, potencial de irritação e corrosão ocular, fototoxicidade e genotoxicidade, dentre outros testes.

A expectativa do Concea é aprovar, em curto prazo, um conjunto de práticas validadas e aceitas internacionalmente. Na visão de Granjeiro, é fundamental ao País destinar recursos para o desenvolvimento de novos métodos que aumentem a capacidade preditiva dos ensaios toxicológicos, a fim de proteger o meio ambiente e diminuir o risco para a saúde de seres humanos e animais.

Com a decisão de março, a partir do reconhecimento pelo Concea do método alternativo validado, as instituições têm prazo de cinco anos para substituição obrigatória da técnica original. Para calcular o período, a instância projetou o tempo necessário para a adequação de infraestrutura laboratorial e a capacitação de recursos humanos demandadas pelos ensaios substitutivos.

FONTE: Portal Brasil

6 comentários:

  1. Que o Universo conspire a favor dos nossos (todos) amados animais.

    ResponderExcluir
  2. Jorge Romano29/05/2014 13:45

    Legal, mas esse CONCEA é lento ou é impressão?

    ResponderExcluir
  3. Nem acredito que to lendo issoooooooooooooooooooooooooo
    Ufaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Foi necessário que o Instituto Royal fosse invadido, para que ao menos, a discussão também tomasse rumo aqui no Brasil, né não?!

    ResponderExcluir
  5. A luzinha do final do túnel começa adar sinal...

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪