21/05/2014

Amor excessivo por animais de estimação pode ser sintoma de carência do dono

Olha, eu acho muito fácil opinar, mas, tem casos e casos... Tem pessoas que nascem escolhidas para lutar pelos animais e, provavelmente, elas devam ter algo emocional em comum. A matéria abaixo tem coisas interessantes a serem analisadas.
__________________

Para psicóloga, os animais domésticos precisam de carinho, cuidado e atenção, mas deve haver bom senso e equilíbrio

Certamente você já ouviu alguém se referir ao animal de estimação como "filho" e pode até não ter estranhado o fato. "Hoje em dia, muitos animais são como membros da família. Antigamente, lugar de cachorro era no quintal, mas com a criação de raças menores, essa realidade mudou", detecta a psicóloga Maria Aparecida das Neves. Mas, além de terem "entrado em casa", muitos animais domésticos acabam, por vezes, substituindo
o contato do dono com outras pessoas. Alguns casais, por exemplo, optam por ter um animal de estimação antes de ter filhos, para testar se saberão cuidar de um ser que depende deles. Para Aparecida, esta é uma escolha saudável e benéfica desde que, depois da chegada do bebê, não se abandone o animal – que pode viver mais de uma década de alguns casos. 

Quando as pessoas acabam por se isolar por causa de seus animais de estimação, é preciso ficar atento. Muitas afirmam que não podem sair para se divertir, frequentar festas ou ir à casa de amigos pois seus animais de estimação não podem ficar sozinhos. Nesses casos, alerta a psicóloga, é preciso rever a relação com o animal e o que ela significa para o dono. 

"Os bichos são domesticados, tornam-se companheiros, criam um vínculo afetivo e suprem uma carência dos donos. Um animal de estimação não fica magoado, não tem rancor. Por isso, eles voltam, abanando o rabo depois de levarem bronca. O problema é quando o dono toma esse retorno integral, essa relação de zero risco afetivo, como padrão", diz a Maria Aparecida. 

Se o dono confia mais em animais que em pessoas, corre o risco de generalizar relações humanas e fazer com que elas sejam fadadas ao fracasso. "É um sintoma de carência", define Aparecida. Ela diz que os animais podem, sim, ficar sozinhos, se forem condicionados a isso. "Os animais são domesticados, são os donos que educam e definem como eles devem se comportar, como se alimentar e onde fazer suas necessidades. Quando diz que o bicho não pode ficar sozinho, é o dono que está criando uma ilha de ilusão", acredita. 

Outro sintoma de que essa relação entre um ser humano e um bicho está passando dos limites é quando o dono já não entende que não pode levar um animal a um ambiente social. A psicóloga diz que é preciso entender e aceitar onde o bicho pode ou não ser levado. "É claro que a pessoa pode escolher frequentar cafés, hotéis e locais onde os bichos são permitidos – isso é uma relação saudável", afirma. 

A psicóloga acredita que, sempre que o trato de um animal de estimação estiver causando incômodo para outras pessoas, é preciso refletir a respeito da situação. Ela dá como exemplo uma situação na qual uma pessoa visita a casa da outra e o animal que ali mora traz incômodo – latindo em demasia, mordendo, lambendo ou pulando. "Se o dono não fizer nada, o que pensar... O dono não é obrigado a prender o animal, mas a visita também não é obrigada a passar por uma situação que a incomoda", sugere. 

Ela lembra que a chave para evitar problemas é o bom senso. "Não se pode privilegiar o bem-estar do animal – e vice-versa. É preciso avaliar o que é melhor para os dois. Excessos sempre trazem prejuízo, até mesmo excessos cometidos em nome do amor", considera.

FONTE: Bonde

19 comentários:

  1. EU SEMPRE ADOREI ANIMAIS E NÃO ME CONSIDERO CARENTE. TENHO FILHOS NETOS E MARIDO,IRMÃOS, SOBRINHOS E ETC.E NÃO EXISTE EXCESSO DE CARINHOS PARA OS ANIMAIS.

    ResponderExcluir
  2. Quanta bobagem! Quando vou à casa alheia não faço exigências. E, se as coisas me incomodam muito, simplesmente evito o lugar. Mas, em hipótese nenhuma exijo que as pessoas façam a coisa do meu jeito.
    Sonia

    ResponderExcluir
  3. Psicólogos!!!!?? Não aguento tanto discurso que generaliza as situações apesar de parecer diferenciá-las. Adoro animais e sempre vivi a minha vida. Bem,como moro sozinha fica realmente difícil viajar.Preciso ter alguém de plena confiança. Quando tenho,saio ...preocupada,mas saio.Na verdade,muitas vezes uso a desculpa de não sair por causa deles. Assim não preciso ir aonde não quero......rsrsrsrs E eles são um excelente motivo!!!!!rsrs

    ResponderExcluir
  4. Desamor por animais de estimação é que é doença, às vezes maldade pura mas muito amor não faz mal, só bem. Incomodados que se mudem ou não apareçam.

    ResponderExcluir
  5. Em que momento da história do ser humano não houve carência? Quer maior carência de quem fica praticamente o dia todo ligado em rede social e colado em celulares? Carência é não saber conviver consigo mesmo. Os animais são vivazes e nos ajudam a ter uma vida saudável, alegre e de bem com a vida. Entendo que o equívoco está em querer transformá-los em gente, se comportando como gente, esse não é o papel deles na criação, senão teriam nascido gente! Assistam ao Câmera Record do dia 14 de maio/14 - http://www.g1novelas.org/assistir-camera-record-14-05-2014/ - Uma jovem com uma filhinha e dois cães, esse comportamento parece-me uma distorção da realidade. Animais não ganham em nada por receberem tal tratamento, eles precisa de alimento, cuidado com a saúde e respeito. Quando as relações humanos não são um fracasso? O dia a dia, o cotidiano, as guerras entre sexos, as guerras dos valentes guerreiros, a fofoca diária entre colegas de trabalho, entre profissionais em suas áreas de trabalho. Esses Psicólogos precisam rever suas posições, sair de justificativas para pensamentos coerentes. ANIMAIS, TODOS, AMO-OS!!!

    ResponderExcluir
  6. Isso dá muito pano para manga .... conheço gente que leva o cãozinho quando vai visitar parentes mas não pergunta se as pessoas que vão estar lá concordam, eu acho que ninguém deve impor aos outros a convivência com seus animais fora da sua própria casa. Quanto a receber visitas também acho que o tutor deve ter bom senso, educando o seu animalzinho para recebê-las e se o visitante não gosta de animais que passe a encontrar a pessoa em outro local. A minha mãe por exemplo começou a ter rinite alérgica e sempre que visitava a sogra voltava com crise pois ela tem 3 gatos bem peludos. Minha mãe agora visita a sogra com menos frequência mas não fez nenhuma exigência pois ela entende que a sogra gosta muitos dos seus gatos.
    Por outro lado, vejo os animais serem motivo de sociabilização entre muitas pessoas. Quando vou trabalhar vejo muitos vizinhos que estão passeando com os seus cães e as pessoas se cumprimentam e interagem em volta do seus cães. Não sei se estes vizinhos se cumprimentariam usualmente.
    Quando viajo, só confio em deixar os meus pequenos com a minha mãe e o marido dela pois sei que eles tem muito cuidado com eles. Se eles não podem cuidar deles abrimos mão de viajar sem problemas pois entendemos que são nossa responsabilidade e eu acho isso saudável.
    Existe uma frase que diz: "Quanto mais eu conheço gente mais eu gosto de bicho." e este pensamento não é gerado pelos animais e sim pela decepção que os humanos sofrem uns com os outros.

    ResponderExcluir
  7. Pois é. Situação complicada. Não tenho filhos, mas tenho um cãozinho, não para suprir a ausência de filhos, mas porque amo animais e gosto da presença deles. Sempre tive cachorro. Não existe um motivo específico para amar os animais. Simplesmente amo e sentimento não se explica. O problema é que as pessoas não entendem que gosto de levar meu cachorro aos locais que frequento e ele nem sempre é bem vindo. Fico triste com isso, mas, fazer o que? Simplesmente vou embora ou não levo mais. Outro problema que tenho. Quando recebo visitas. Nem tudo mundo gosta de cachorro e meu totó não é muito fácil. Ele costuma avançar nas pessoas, principalmente quando demonstram medo. Já chamei um treinador e não resolveu. Da mesma forma que o ser humano, cada animal tem a sua personalidade.Tendo fazer com que as pessoas acostumem com ele. Na maioria das vezes dá certo. Mas nem sempre. Então deixo meu fofinho no quarto dele. A gente faz o que pode para que todos vivam em harmonia. Mas todos tem que ceder um pouquinho, o que nem sempre acontece. Para mim, não existe uma regra, os animais são diferentes, os humanos também. Cada um é de um jeito. Tudo depende de bom senso.

    ResponderExcluir
  8. E psicólogo é bicho que se dê confiança? Moro sozinha e tenho meus gatos. Costumo dizer que a casa é deles e eu moro de favor, portanto, quem não gosta de gatos que não vá a minha casa. Não abro mão dos meus animais e não mudo a rotina da minha casa por causa de ninguém. Nunca fiz questão de companhia humana, prefiro os animais: não mentem, não traem, não enganam, não bebem, não fumam, não usam drogas, não fazem fofocas, enfim, não se intrometem na vida de ninguém. Eles são sinceros, nas lambidas e nas mordidas, se for o caso.
    Prefiro dividir o tempo com quem quer minha companhia do que fazê-lo com alguém que tenha interesse em alguma coisa e que precisa me agradar para consegui-la. Cá pra nós, tem dia que você só quer um amigo por perto e não alguém falando na sua cabeça.

    ResponderExcluir
  9. sempre gostei de animais, e desde q comecei a morar só adotei um cachorro, qdo eu ia trabalho notava q ficava triste, então, resolvi adotar uma amiguinha AMORA p meu ROQUE, rsrsrsr problema resolvido acabou a tristeza dele qdo eu saia, mas tbm perdei amigos q iam p minha casa, pq não gostam de animal....NÃO ME ARREPENDO DOS MEUS AMIGOS TEREM SE AFASTADOS DE MIM P CAUSA DOS MEUS PETS.....MEUS CACHORROS SÃO MEUS VERDADEIROS AMIGOS. QUEM GOSTA DE MIM TEM Q GOSTAREM DOS MEUS PETS TAMBÉM!!!

    ResponderExcluir
  10. No meu caso é de nascença mesmo, desde pequena já sofria muito por eles.

    ResponderExcluir
  11. Onde eu assino, Verônica e Yara?

    ResponderExcluir
  12. Pra mim isso é uma meia lorota.
    Primeiro que carência não devia ser vista com maus olhos, até porque todo ser humano precisa de sentimentos e depositar isso.
    Outra coisa, eu não amo os animais porque como alguns, mas gosto e principalmente dos meus pets.
    Meus animais são bem cuidados, costumo gostar dos que estão no meu convívio e trocaria muita gente babaca do meu convívio por mais dezenas de animais sim! Não reclamam, são dóceis, te recompensam com lambidas ou alguma forma de afeto, são muito bacanas e fáceis de cuidar.
    É muito mais fácil cuidar de um animal do que de um ser humano, mas eu não desprezo a companhia de pessoas importantes pra mim, porém trocaria algumas pessoas por animais e vejo a vida deles mais importante sim.
    Fico triste quando meu bicho morre, mas passa, porém aos meus 10 tive choro por 3 meses por um bichinho que morreu mas ao crescer lidei com isso.
    Eu devo muito aos meus pets, me tiraram de uma deprê sim, me confortaram, sou grata pela vida deles.

    ResponderExcluir
  13. a humanidade esta ficando cada vez mais doente,gostar mais de animais que seres humano,preferir a companhia de animais,trocar humanos por animais,o fim dessa linha é:sexo com animais,casar se com animais,registrar animais como filhos estamos vivendo um periodo de verdadeira zoolatria,e o pior é que é uma doença que cega pois nao conseguem enxergar,acham perfeitamente normal.

    ResponderExcluir
  14. finalmente uma pessoa coerente

    ResponderExcluir
  15. Finalmente coerência apoio, apoio. As pessoas adotam cães e lhe dão todo luxo, mas não adota se quer uma cartinha no correio direcionada ao papai noel pedindo uma cesta básica pra familia

    ResponderExcluir
  16. Animal, animais, bichinhos de estimação, como mudaram o meu coração. Sem eles não vejo mais razão. Que falta de atencão. Que nada!!! Na verdade é pura solidão que nao aceita a mais profunda reflexão. Melhor ficar nessa confusão. Ninguem liva não.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪