26/04/2014

História do cão que esperou pelo dono na porta do hospital

Gente, a história do Seco precisa ser usada para mostrar, cada vez mais, o quanto os animais são seres superiores a nós....

Jornal do Almoço - Rede Globo - 25/04/14


A angústia de um cão à espera do dono em Passo Fundo, Norte do Rio Grande do Rio Grande do Sul, terminou. Depois de permanecer 28 dias ininterruptos em frente ao hospital do município e comover funcionários e médicos da instituição, o animal voltou ao convívio do dono, um morador de rua, que estava internado no local desde o mês passado, e teve alta nesta quinta-feira (24).



Durante o período, o cão, apelidado de "Seco", foi alimentado e tratado por servidores do hospital. Ao
deixar a internação nesta quinta, o dono, Lauri da Costa, de 55 anos, 10 deles afastado da família devido a problemas com drogas, foi levado em uma ambulância até o albergue municipal de Passo Fundo. Duas horas depois, ele foi, a pé, buscar o fiel amigo.

"Desde a manhã, ele estava ansiado esperando a minha saída. Foi uma felicidade. Quando saí ele sofreu um pouco. Não dava para carregar ele dentro da ambulância", contou Lauri ao G1. Segundo ele, Seco é um estímulo para mantê-lo vivo em meio a uma vida de percalços e sofrimento, marcada pelo vício no consumo de crack e álcool. "Ele endireitou o meu caminho. Passei a fumar menos. Esse tempo me deu muita saudade. Estava acostumado com ele dormindo sempre nos meus pés", detalhou

A repercussão do caso, acompanhado pelo G1 no início do mês, também reaproximou Lauri dos parentes, depois de uma década de solidão. Conforme ele, o início da rotina morando ao relento em ruas de Passo Fundo começou depois da separação da mulher e o afastamento de dois filhos. "Com ajuda de jornalistas, voltei a falar com eles. Estão bem contentes. Acho que vai melhorar mais a minha vida. Já havia pedido a morte. Não queria me matar, pedi a Deus que me levasse", confidenciou.



Conforme o coordenador do albergue onde Lauri voltou a se instalar, Eduardo Camargo, antes de o morador de rua ser hospitalizado, o cão já vivia no local, com a permissão da casa. Com o retorno de Lauri, Seco voltará a ganhar abrigo e alimentação. "Temos inclusive outra cachorrinha que vive aqui. Eles podem ficar em um pátio interno sem problemas. Só precisamos evitar que eles entrem nos quartos, por questões sanitárias", afirmou.

Desde 2007, o morador de rua é monitorado por assistentes sociais de Passo Fundo. Porém, recaídas de Lauri o levaram a deixar o albergue e retomar a rotina de consumo de drogas. "E a partir de 2012 ele encontrou o cachorrinho. Isso melhorou muito o estado emocional dele", diz Camargo.

13 comentários:

  1. Eu não compreendo como os humanos se julgam superiores aos animais. Isso não cabe em minha cabeça. É tão óbvio o contrário! A superioridade deles é tão óbvia! Só mesmo a soberba humana para não enxergar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que o ser humano insistem em não quebre aprender com os animais!!! Eles são infinitamente superiores e nos!!!

      Excluir
    2. Concordo!!!!, os animais sao infinitamente superiores aos "serumanus" sem sombra de duvidas

      Excluir
  2. É POR ISTO QUE ELES SÃO OS MEUS AMIGOS FIEIS É SÓ EMOÇÃO.

    ResponderExcluir
  3. como os animais são melhores que os humanos olha esse exemplo de amor e dedicação até da vontade de chorar depois dizem que os animais não tem sentimento ai esta a prova

    ResponderExcluir
  4. Muito comovente. Espero que consigam um local para viver protegidos do frio e da chuva, no inverno rigoroso do Rio Grande do Sul, e que sejam felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não havia lido direito que o abrigo deixou seco ficar no pátio do abrigo.. Que bom! Que sejam muito felizes

      Excluir
  5. Que lindo!!!!!
    Por isso, independente das críticas que recebo por ajudar esses peludos, vou fazer o quê puder por eles, até o final de minha vida.
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tatiana quem critica são justamente essas pessoas soberbas que Marlene comenta. olhe o comentário dela e reflita. Um abraço e não desista nunca do que acredita.
      Juarez Filho

      Excluir
    2. Fádua Andrade28/04/2014 11:52

      Pois é, Tatiana... já ouvi muito "ao invés de pegar uma criança de rua, fica pegando cachorro" ... pessoas que julgam e não fazem nada nem pelos humanos nem pelos animais. Não desista, esse povo que se exploda.

      Excluir
  6. Elizabeth Ribas26/04/2014 23:44

    Obrigada pela notícia , Sheila...
    Vou dormir com os anjos de tanta alegria e emoção , por saber que encontraram pessoas
    sensíveis no caminho que acolheram e acolherão os dois com carinho..
    Valeu...

    ResponderExcluir
  7. Concordo com a Marlene em todos os sentidos. E quando o ser humano acordar para este fato o mundo será mais passivo. se é que isso vai acontecer.
    Juarez Filho

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪