18/03/2014

A insistência em criar uma próxima vítima... pobre pit bull

Fazer o quê?  estou documentando algumas situações cuja vítima é pobre cão da raça pit bull... sobre um casal que vai morar num carro por conta do seu cachorro e a matéria de ontem da Amapá TV que diz: "Criadores defendem que a forma de criar o pitbull faz toda a diferença". Engraçado é que na própria matéria um dos entrevistados reconhece que estes cães não é para qualquer um. 

Continuo insistindo que protetor defende animais e não raça.... estes animais são, na sua quase totalidade, vítimas de tragédias porque seus "proprietários defensores" os abandonam ou os matam porque a genética do animal funcionou em alguma ocasião. Ah, saco!!!! pelo amor de Deus, dispenso blá blá blá sobre estes pobres cães!!!!! não é criação e sim genética.... por isso defendo que não deveriam existir animais de combate (pits, dogo, american, etc).

Aliás, está rolando no facebook uma campanha para salvar da morte um pit que atacou uma criança lá nos EUA... é claro que qualquer cão reage à situações, mas, o problema é o tamanho da mordedura.... Leiam sobre isto: Campanha no Facebook pede por vida de cão que atacou criança
__________________

Família vive num carro para não ficar sem o cão

Casal nos EUA, que tomou uma decisão drástica para não se separar do pitbull da família, já encontrou ajuda

A família norte-americana, que em fevereiro preferiu ficar a viver num carro a separar-se do animal de estimação, um cão de raça pitbull, já tem uma casa para viver.

Carol e Peter Devia tiveram de deixar o apartamento em que viviam em Walnut Creek, na Califórnia, depois de ambos terem perdido o emprego. O casal esforçou-se por encontrar outra
casa onde fosse possível ter o cão da família, Rocco, mas sem sucesso. Carol e Peter Devia viram-se num beco sem saída e tomaram uma decisão drástica: o casal ficou a viver no próprio carro, enquanto os dois filhos ficaram em casa de amigos.

De acordo com a ABC News, a família recebeu agora uma boa notícia. Um proprietário local, que tomou conhecimento da situação, ofereceu ao casal um sítio para viver em conjunto com os dois filhos e os animais de estimação, Rocco e uma cadela de nome Camilla. 

As famílias proprietárias de cães pitbull enfrentam por vezes dificuldades devido ao estigma de que se trata de uma raça perigosa, um estigma que na maioria dos casos afeta também os próprios donos.

«Os proprietários de cães pitbull são boas pessoas», afirmou Carol Devia à ABC News, depois de encontrar um novo lar. «A comunidade está aí. E é uma comunidade real, porque todos se ajudam mutuamente. Graças à comunidade pitbull, que se uniu, agora temos um lugar para viver», acrescentou.

FONTE: Tvi24
_____________________




Amapá TV - Rede Globo - 17/03/14

7 comentários:

  1. A criação de qq cão, de raça ou não, faz toda a diferença! O ponto é: nem todas as pessoas têm condições de criar um pit, mas fazem questão de tê-lo. Cachorro tem que andar todo dia, conviver com outros animais e com pessoas diferentes. Ele deve fazer exercícios e ser socializado. Um cão do porte do pit tem que ter tudo isso em dobro! Quem é que vai fiscalizar se o "dono" é apto ou não?

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Rita. Aqui no blog vi um casal de pits que ficava em um salão de cabeleireiros. Foram na TV e os donos mostraram a docilidade dos cães. O tratamento faz a diferença sim. Quem não tem estrutura para educar um animal como o pit não deveria ter. É como filho, se não tem capacidade de educar, não tenha, pois serão mais um mal desnecessário implantado no mundo.

    ResponderExcluir
  3. Bárbara (cão carente)18/03/2014 16:29

    Concordo com a Yara e a Rita totalmente! Só lembrando que os Pits são classificados como cão de companhia, infelizmente alguns se aproveitam da capacidade física desses cães para dar-lhes outro fim. Não defendo raças, defendo os cães, e sendo o Pit Bull um cão, então eu o defendo.

    ResponderExcluir
  4. Bárbara, vc. não está bem informada.... pits, dogos e outros são CLASSIFICADOS COMO CÃO DE COMBATE, dentro da cinofilia mundial. Por este motivo os Kenel´s Clubes e as Confederações de cinofilia não o reconhecem. Repare que no vídeo que publiquei, eles (criadores) estão pleiteando que estes segmentos reconheça o pit como raça, fato que considero impossível eles conseguirem.

    Quando falo que protetor tem que defender cães e não raça é porque temos que olhar individualmente os casos. Quando vc. reconhece um cão pit como raça, vc. está fazendo, exatamente, o que os criadores querem: endosssando as falsas argumentações que eles espalham e que funcionam na cabeça de pessoas com pouco conhecimento. Eles querem vender tão somente. Compactuando com isto, protetores passam a ser cúmplices de todo sofrimento pelo qual estes animais passam na vida.

    Por isso as ONG´s do mundo inteiro e pessoas que estudam o caso, defendem a extinção da raça através da castração e proibição da venda. Mas, a consciência é sua.... Não podemos julgar quando as pessoas falam olhando apenas seu umbigo ignorando toda tragédia que envolve o destino destes pobres animais.

    ResponderExcluir
  5. Sheila, respeito vc, e sua luta pelos animais. Agradeço seu esclarecimento a respeito dos Pits sobre a classificação. Gostaria de esclarecer o seguinte já que vc não me conhece. Não sou e nunca fui protetora, sou apenas uma pessoa que ama os animais e trabalha comportamento de cães há 40 anos. Se vc me conhecesse saberia que não olho para meu próprio umbigo e não ignoro os fatos que envolvem os Pits e acho sinceramente que se esses cães não existissem, pouparíamos o sofrimento deles, mas como já disse aqui anteriormente, acho ingenuidade pensar que se esses cães não existissem o problema estaria resolvido. Qualquer cão sem raça é capaz suprir a maldade do "serumano". Eu posso até estar errada quanto a classificação oficial, mas não estou errada quanto a personalidade deste cão, pois são extremamente carinhosos, amigos, são a sombra de seus donos, trabalho com diversas raças, e sem raças e afirmo a vc que os cães são da forma como se cria e não E da personalidade dos cães serem agressivos, quando isso acontece há sempre um mau ser humano por trás. Acho que meus 40 anos trabalhando com eles me conferem alguma credibilidade, e sinceramente gostaria de dizer que apesar da sua luta pelos reconhecida pelos animais, vc não é detentora da verdade absoluta e isso não lhe dá o direito de julgar agressivamente as pessoas, mesmo o blog sendo seu. Garanto que amo os animais tanto quanto vc.

    ResponderExcluir
  6. Oi Barbara, eu respeito todas as opiniões, e agradeço a consideração de comentaar em nosso espaço. Mas, não posso deixar de chamar a atenção para o macro problema. Quando nos limitamos ao nosso "umbigo" (micro problema), perdemos o foco do nosso compromisso perante a luta de defesa animal. Só peço desculpas para destacar duas afirmativas em sua colocação:
    - vc. trabalha com comportamento animal, mas, ignora a classificação "combate"?
    - vc. desmente a ciência que comprova a genética?

    O cão pit-bull, como todas as raças caninas, foi criação humana da mesma maneira que o isopor. Daí, até podemos ter dúvidas sobre a criação dos seres neste planeta, mas, dos cães temos bastante conhecimento e responsabilidade pelo estrago feito em certas "raças".

    Inventamos os cães de trabalho (pastoreiros), de guarda (dominadores de área), de caça, de companhia e outras mais, sempre buscando a utilidade dos mesmos. Tem gente que acha que cães são criaturas feitos por Deus como todo o resto da Criação... daí dá para conversar? não né?

    Sugiro um link da wikipédia http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A3o onde existem muita informação sobre o que lhe estou falando. E só para finalizar, em nenhum momento eu e todas as ONG´s que trabalham legitimamente (com conhecimento de causa) pelos animais, afirmam que o pit é um "malvado". Hoje em dia é difícil fazer as pessoas LEREM O QUE ESTÁ ESCRITO. Qualquer cão de porte grande, em especial os de combate, tem uma mordedura que faz um bom estrago diferentemente de um outro de porte médio ou pequeno.

    As pessoas gostam de confundir falando que o poodle e o cocker são cães muito mais agressivos e mordem muito mais. É verdade que outros cães mordem muito mais, mas, nada que alguns pontos rápidos não resolvam. Uma mordedura de um pit, um dogo, um dogue se resolve desta maneira?

    Outra coisa, NUNCA AFIRMAMOS que pits não convivem bem com humanos.... o grande problema dele é
    PORQUE ELE FOI MANIPULADO GENETICAMENTE PARA SER FEROZ COM QUALQUER OUTRO ANIMAL. Isto é o REAL. Não adianta ficar citando casinhos de pessoas e de pits que convivem bem. Em algum momento, sua genética funciona... não tem como fugir....

    Se fosse questão da forma que ele é criado, porque, recentemente e publicado aqui no blog, um pit matou sua dona que o tratava com todo carinho, inclusive, dormindo em sua cama, local onde o fato aconteceu? Não adianta tapar o sol com a peneira, é genética .... ele foi feito para, se acionado em seu mecanismo interno, atacar e matar....

    AS pessoas amantes da vida animal (os profissionais do tema) preferem a extinção de qualquer raça que, invariavelmente, tenha um final trágico. Isto é pensar pelo animal e não pelo seu próprio desconhecimento. Qualquer pessoa que pense diferentemente do que expus aqui, é leigo e discute o tema com seus "achismos". Não devemos apoiar criadores de nenhuma raça.

    Eu prefiro lembrar a dor de todos os cães e gatos que, um dia, foram estraçalhados pelos cães de combate, entre eles, os pobres pits e deixar sempre declarada a forma trágica com que pits são mortos no dia a dia. Consertar o ser humano vc. não consegue, mas, tirar os animais das mãos dele não conseguimos ainda por causa desta ignorância (no sentido correto da palavra) de pessoas que emitem opiniões superficiais e que, na verdade, sequer viram um pit estraçalhado por outro durante uma rinha....

    ResponderExcluir
  7. Oi Sheila, talvez eu desconheça essa classificação, por conhecer tão bem a natureza do cão, esse é apenas um "termo", que não denigre o meu trabalho, a minha pessoa e menos ainda a minha idoneidade. Não sei o que fez o cão agredir sua dona que supostamente o tratava com carinho, os cães muitas vezes dão indícios que as pessoas não conseguem entender e de repente acontece um fato desses, mas na verdade o cão já vinha apresentando sinais. Sua opinião para mim é valiosa, visito seu blog tds os dias, respeito sua opinião, concordo com muito do que diz, mas não com tudo e não é verdade que vão atacar em algum momento, pensar assim acho que é muito radical, pq não necessariamente vai acontecer. Gostaria de saber de vc pq a mídia em geral não divulga as tantas histórias felizes e bem sucedidas que envolvem esses cães? Eu conheço várias. Sabe Sheila, eu acho que o problema não são os cães, as pessoas é que são. Se o ser humano fosse consciente, se tivesse compaixão, amor, temor amoroso para com Deus essas coisas não aconteceriam. Você veja só uma coisa, as rinhas de galos, qual a diferença para a rinha de pits, e outros? A violência é a nesma! Eu te entendo e concordo contigo quanto a potência do cão, realmente o estrago é grande. Desejo que um dia vc possa conhecer alguns cães desses e que vc possa entender o que quero te dizer. Me considero privilegiada por conhecer o lado bom desses cães, que são vítimas. Te admiro ainda mais e agradeço o tempo gasto aqui comigo, encerro minha participação, com a certeza da honestidade do meu trabalho. Obrigada Sheila, nosso papo para mim foi esclarecedor e bastante proveitoso. Meu carinho para você, bjo

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪