05/02/2014

Descarte de animais usados em rituais gera reclamação

Agora, pelo mau cheio e incomodo causado as pessoas reclamam, mas, pela crueldade contra os animais..... ninguém fala nada... E, cá p´ra nós, que quantidade de macumba que fazem por lá, heim?
_____________________

Moradores do Conjunto Renato Souza Pinto
protestaram contra o mau cheiro.
O psicólogo e pai de santo Alberto Jorge Silva nega acusações e justifica que a briga começou por conta de invasões na área verde do bairro.

Manaus - Moradores da Rua Grandes Rios, no Conjunto Renato Souza Pinto 1, bairro Cidade Nova, zona norte, denunciaram o psicólogo e pai de santo Alberto Jorge Silva, também morador da rua, por descartar animais usados em rituais religiosos em uma área verde da via. Alberto, no entanto, nega que faça isso e alega que a briga começou por conta de invasões na área verde do
bairro.

A autônoma Maria Rita Góes, 38, contou que a principal reclamação dos moradores é por conta do forte odor gerado pela putrefação dos bichos. Segundo ela, os moradores já denunciaram o vizinho para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e no 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

“O odor é insuportável. A última vez que ele fez isso foi no dia 14 e, até hoje, estamos sofrendo com o mau cheiro. No dia 15 de janeiro foram mais de 15 moradores da rua à delegacia denunciá-lo”, disse.

Rita contou que a gravação de uma câmera de segurança de um morador da rua flagrou quando dois homens, que sairam do terreiro, levaram um saco, contendo animais, para a área verde. Segundo ela, trata-se de Alberto. “Eram 23h e eles saíram só de cueca. Iam deixar os bichos na frente da minha casa, mas quando viram que tinha câmera, eles voltaram e jogaram em outra parte da área verde. Nós vimos que era ele e imediatamente fomos ver o que era, quando encontramos um cachorro e um bode com as patas amputadas”.

Francisco Fernandes de Souza, 46, que também mora na rua, afirmou que já flagrou o pai de santo descartando oferendas no local. “Temos fotos que provam isso. Ele implica com todos da rua e não aguentamos mais essa situação”, disse.

Alberto Jorge Silva, que é coordenador da Associação de Desenvolvimento Sociocultural Toy Badé e faz parte do Conselho Estadual de Desenvolvimento Sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT), justificou as acusações. “Isso tudo é especulação imobiliária. A maioria desses moradores são invasores e brigam pela área verde para lotearem e venderem. Somos nós, da associação, quem cuidamos dessa área”, disse.

O psicólogo contou que os “ebós” (despachos), descartados no mato, não são do terreiro dele. “Eu já flagrei uma mãe de santo jogando lixo nesta área e denunciei. Nós não fazemos isso. Recolhemos nosso lixo. Trabalhamos dentro dessas perspectiva e temos sido vítimas dessa gente”, disse.

Segundo Alberto, em 2003, ele foi agredido pelos moradores da área. “Quebraram meu nariz e precisei fazer plástica. Sou agredido e ameaçado há anos. Isso chama-se intolerância religiosa”.

Para ele, os vizinhos querem desmoralizar o trabalho da associação. “Não usamos cachorros nos rituais. Usamos apenas bodes, galinhas, patos e porcos”, afirmou.

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) informou, por meio de nota, que uma equipe de fiscalização irá até o local para fazer a vistoria e avaliação da denúncia de porte de animais silvestres.

A Semmas informou, também por meio de nota, que a denúncia dos moradores foi recebida e que fiscais da secretaria estiveram no local, 'contudo, não se pode relacionar a prática com o denunciado, pois não houve flagrante'.

A delegada titular da Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente (Dema), Izolda de Castro, informou que a liberdade religiosa não permite que se transgrida a lei em relação ao meio ambiente.

“O Art. 32 da Lei 9.605/98 trata do crime de maus-tratos, aplicando a pena de detenção de três meses a um ano para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, a quem fere ou mutila animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”, informou.

FONTE: D24AM

16 comentários:

  1. VERGONHA DE SER BRASILEIRO.

    ResponderExcluir
  2. Fádua - POA05/02/2014 12:45

    ai que nojo..........

    ResponderExcluir
  3. Absurdo é fazerem isso em "nome de Deus". Deus jamais mataria um filho, sendo animal ou ser humano. Jesus nunca pregou a morte e sim a caridade. Infelizmente, utilizam de falta de conhecimento para fazerem tais práticas absurdas e desrespeitosas contra nossos animais. Deviam instalar câmeras em todas as ruas e punirem severamente quem faz isso. Independente de religiosidade, matar é crime e essa matança tem que ser tratada como crime.

    ResponderExcluir
  4. Pai e mãe de "santo"? E quem disse que santo, orixá ou mesmo exus reivindicam rituais de sangue? Isso é coisa de gente ruim e ignorante que faz rituais ao demônio! Iguais a eles, são estes moradores que estão pouco preocupados com os animais sacrificados, pois a única coisa que os incomoda é o mau cheiro.
    Em nome de pai Xango, eu imploro por justiça aos indefesos animais. Assim seja!

    ResponderExcluir
  5. Quem reclama do mau cheiro, é conivente com essa imbecilidade de rituais macabros do satã

    ResponderExcluir
  6. Cadê a proteção desse estado?????????????????????????????????????????

    ResponderExcluir
  7. Esses "pais de santo" que ficam aí matando animais, já eram pra estar todos trilionários, morando em mansões de luxo, e não em conjuntos habitacionais e cobrando 10, 20 reais em uma macumba. Isso é prova de que nada disso funciona e muito mais, é um terrível maus tratos aos pobres animais.

    ResponderExcluir
  8. Religião? ASSASSINOS. Essa gentalha vive em desgraça. Se macumba desse resultado faria pra esses assassinos, com muito prazer.
    Maria Vitória Magri

    ResponderExcluir
  9. É um descalabro este país. E pensar que o senhor Zeca Pagodinho também faz dessas e nada acontece.

    ResponderExcluir
  10. Mas que gentinha atrasada, hein?

    ResponderExcluir
  11. Filhos do diabo, assassinos e ignorantes. Pragas humanas, coisa nojenta. Odeio esse povo maldito, cambada de vagabundo que fica explorando o desespero de muita gente boa e fazendo maldades para outras pessoas boas também. Lixo. São lixos ambulantes. PEÇO A DEUS QUE OS DESTRUA!!

    ResponderExcluir
  12. Esse é o Brasil.... que tem os pés e sei lá o que mais na África... e não é SÓ ignorância não...até o ex-presidente Collor usava destes métodos atrás de poder e riqueza ... isto foi denunciado em rede nacional (fantástico) pela ex-mulher. Na época agravou minha gastrite...
    Imaginem o retrocesso do trabalho da proteção animal... Essa corja de cínicos e sádicos que ainda vivem na idade da pedra pensam que tem o direito de abusar e assassinar seres indefesos e inocentes em "nome de religião".... !!!! Que ódio ! que ódio ! que ódio !!!!! Evelina.

    ResponderExcluir
  13. Psicólogo ou psicopata? Desde quando é menos cruel matar um bode em vez de um cachorro? Tomara que quebrem a nareba dele novamente e que nenhuma plástica dê jeito!

    ResponderExcluir
  14. Uma vergonha homem que se diz PISSICOLOGO Albert Jorge Silva, usa animais e RITUAIS SATANICOS. Persegue pessoas de bem como a psicóloga cristã Marisa Lobo. e varias outras pessoas do BEM.

    ResponderExcluir
  15. Bom já ouvir falar dessa pessoa, que se diz PISCICOLOGO, estive lendo o jornal dia 26/01 aonde uns moradores estavam denunciando o mesmo por (DESCARTE DE ANIMAIS EM RITUAIS SATANICOS). O mesmo usa a área para tais rituais.

    ResponderExcluir
  16. Ele tem a petulância de dizer que os moradores querem vender a área verde, que estão destruindo, quando na verdade é ele que tenta se apropriar da área, que é de todos. Esse mesmo senhor já conseguiu se apropriar de quatro lotes, num mesmo quarteirão no conjunto, alegando que foi doação de políticos.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪