10/01/2014

Prefeitura de Curitiba vai processar protetora internauta

Gente, canso de falar por aqui: denúncias devem ser sempre hiper super comprovadas.... mesmo assim corremos o risco de entrar pelo cano.... Olha o exemplo. Vejam estas 3 matérias....
--------------------------------------

Internauta que denunciou problemas no zoológico de Curitiba é perseguida pela prefeitura
Leia a matéria completa no Folha Centro Sul


___________________
Prefeitura vai processar cidadã por post no Face

Segundo a diretoria do Zoo de Curitiba, R$ 70 mil são gastos
todos os meses com a alimentação dos bichos. “Não falta nada”
Denúncia publicada em rede social sobre falta de comida para os animais do zoológico teve mais de 8 mil compartilhamentos

Em decisão inédita, a Pre­feitura Municipal de Curi­tiba decidiu interpelar judicialmente uma cidadã que acusou o Zoológico de Curitiba de deixar faltar comida para os animais. A afirmação, feita através de uma postagem no Facebook no último sábado, dizia que os funcionários do parque fizeram uma “vaquinha” para comprar 180 quilos de carne para o leão e que outros animais estavam
sendo alimentados com restos provenientes do Ceasa. O post teve mais de 8,7 mil compartilhamentos até o fechamento desta reportagem.

Segundo Marcos Gio­va­nella, diretor de Mídias Sociais e Internet da prefeitura, a intenção com a medida é mostrar que existe abertura para o diálogo, mas que acusações infundadas não devem ser disseminadas de forma irrestrita nas redes sociais. “Se nós deixarmos que esse tipo de irresponsabilidade continue, vai virar um caos”, afirma Giovanella. “Mesmo que ela faça uma postagem de retratação, nunca terá o mesmo alcance”, completa.

A decisão em processar a cidadã foi tomada a partir de uma reunião entre as Secretarias de Meio Ambiente, de Comunicação Social, Departamento Jurídico e do Gabinete do prefeito Gustavo Fruet.

Alexander Biondo, diretor do departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, ressalta que a denúncia foi grave. “Uma coisa é criticar o SUS, por exemplo. Outra é dizer que os médicos do SUS mataram alguém”, diz.

A reportagem da Gazeta do Povo foi até o Zoológico ontem para verificar a possível falta de comida, mas não constatou problemas com a alimentação dos animais. Nenhum dos funcionários ouvidos pela reportagem confirmou a “vaquinha” para compra de carne para o leão.

A bióloga, Tereza Cristina Castellano Margarido, chefe de divisão do Zoológico, diz que são gastos cerca de R$ 70 mil por mês com alimentação e que 800 quilos de comida, entre grãos, frutas e carnes, saem diariamente da cozinha do local. Segundo ela, não ocorreu nenhum problema com a empresa que realiza a entrega da carne no Zoológico.

Outro lado
A cidadã que deve ser processada pela prefeitura conversou com a reportagem da Gazeta do Povo e afirmou que ainda não foi notificada oficialmente sobre o caso. Segundo ela, as acusações sobre a “vaquinha” partiram dos próprios funcionários do Zoológico e que ela apenas transmitiu a denúncia nas redes sociais.





Prefeitura vai processar internauta que denunciou falta de alimento no Zoo de Curitiba

Foto: Divulgação SMCS
A Prefeitura Municipal de Curitiba vai processar uma usuária da rede social facebook que acusou o Zoológico de Curitiba de deixar os animais sem comida. Ela realizou uma postagem no último sábado (4) em que afirmou que os funcionários do parque fizeram uma ‘vaquinha’ para comprar carne para o leão e outros animais. Mais de 9 mil pessoas compartilharam a postagem, que dizia, entre outras coisas, que alguns animais já estariam com risco de morrer de fome.

Em entrevista à Gazeta do Povo, o diretor de Mídias Sociais da Prefeitura, Marcos Giovanella, afirmou que a intenção com a medida é evitar acusações infundadas nas redes sociais. Para Giovanella, este tipo de irresponsabilidade não pode continuar, porque se não a internet viraria um caos. Segundo ele, a decisão pelo processo foi tomada em uma reunião entre a alta cúpula do órgão municipal.

Vale ressaltar que, de acordo com a prefeitura, a denúncia é infundada e não teve nenhuma base, já que não houve falta de alimento no zoológico e nenhum funcionário confirmou que passou a informação à internauta. À Gazeta do Povo, a responsável pela postagem afirmou que ainda não recebeu nenhuma notificação oficial sobre o processo.

FONTE: Banda B

7 comentários:

  1. fabiola ratton10/01/2014 12:39

    Por isso que te pedi umas ideias de como eu poderia reunir provas desse caso. Agora a prefeitura conseguiu o que queria, calar a boca de todo mundo. Vc percebe como a imprensa paranaense funciona? Todos deram ênfase no processo contra a mulher, mas nunca foram investigar as reclamações que outras pessoas já vinham fazendo há tempos, inclusive sobre a morte de 19 antílopes NO MESMO DIA. Eles tinham obrigação de dar uma explicação à população sobre essas mortes, mas nunca mais se falou nada. O 156, o número que dispomos para fazer denúncias não funciona faz tempo. A rede de proteção aos animais da prefeitura não faz nada, só dão desculpas. A mulher nada mais fez do que relatar o que tinha ouvido dos próprios funcionários, mas estes agora resolveram ficar quietos e realmente ela se ferrou , porque qual chance tem um cidadão comum contra a prefeitura? O resultado? Não vão mais investigar, a prefeitura não vai precisar dar explicação pra ninguém e nunca mais ninguém vai reclamar. Quem vai ter coragem? Pobres animais...

    ResponderExcluir
  2. Pra esse tipo de coisa tem que ser cauteloso. Gravar conversas, filmar. Existem canetas, até botões de roupas que são câmeras e podem ajudar nestes casos.
    Um bom advogado pode tentar inverter a situação também. Dizer que fazem e comprovar que fazem são coisas distintas.
    Boa sorte pra ela e que possam provar os maus tratos.

    ResponderExcluir
  3. O Ministério Público estadual deve ser comunicado desses fatos. A eles cabe a devida ação penal. Certamente requisitarão toda a documentação referente ao caso, incluindo as notas fiscais de aquisição de alimento, medicação e tudo o mais... Diversas fontes relatam insatisfação enorme, como jamais soube em gestões anteriores. Imagino que a administração pública promoverá as mudanças que tantos clamam e não é de hoje. E, por favor, a administração pública é mesmo a administração pública, ou seja, não é toda poderosa, não é Deus e nem é absoluta. Existem outros poderes no Estado e eles devem , SIM, ser acionados. Internet PODE ser útil, SE e QUANDO bem utilizada. Nesse caso, ANTES de procurar a vitrine da internet dever-se-ia ter acionado o Ministério Público. Querendo outros meios, a imprensa também poderia ter sido acionada: bons jornalistas têm como fazer as investigações necessárias. Duvido que os servidores públicos se manifestem publicamente...
    Agora, é de se imaginar, que pelo menos durante algum tempo os animais receberão tratamento mais condizente...Já é de muita violência tê-los em cativeuro e sendo mau atendidos, então, é o fim...
    Selma

    ResponderExcluir
  4. Exclui comentário ofensivo. Portanto não há necessidade de resposta.

    ResponderExcluir
  5. fabiola ratton10/01/2014 15:51

    Leiam entrevista com a moça que será processada:
    http://www.bocamaldita.com/1119794092/reacao-de-fruet-intimida-pessoas-afirma-estudante/

    ResponderExcluir
  6. Situação complicada, todos sabemos que são raros os zoos que dão um tratamento "decente" aos animais, zoo comumente serve pra superfaturamento de notas, desvio de verbas e os animais muitas vezes realmente ficam a mingua, mas e as provas? Parece uma máfia, os funcionários morrem de medo de abrir a boca, coitada desta moça, imagino que não foi por leviandade que fez esta denúncia e agora vai ser penalizada ao invés de haver uma investigação do caso. Pouca vergonha, foram pra cima da moça mas cadê uma prestação de contas decente? Pergunto: quem for visitar o zoo vai ver estes animais bem tratados no dia a dia? Eles tem saúde?

    ResponderExcluir
  7. Lembro sempre daquela velha frase: "Falar, até papagaio fala, quero ver é provar"! Se com provas a justiça não faz nada, sem provas então...

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪