20/12/2013

Cego e cão-guia são atropelados por metrô em NY

Detalhe da reportagem é que diz que o cão vai se aposentar.....e aí? com quem ficará?
_______________________________
Dono perdeu a consciência, desmaiou na plataforma e caiu nos trilhos. 
Cachorro ficou latindo, tentou resgatar o dono, mas também caiu no local.


Um homem cego e seu cão-guia foram atingidos por um trem do metrô na terça-feira (17) em Manhattan, em Nova York (EUA). O acidente ocorreu depois que o homem perdeu a consciência e caiu sobre os trilhos, mas ambos escaparam sem ferimentos graves.

Cecil Williams, de 61 anos, disse à Associated Press que ele estava em seu caminho para o dentista durante a hora do rush da manhã quando se sentiu fraco na plataforma 125th Street. Seu cão-guia, um labrador preto chamado Orlando, que é treinado para protegê-lo, tentou segurá-lo, mas não conseguiu.

"Ele tentou me segurar", disse Williams.


Testemunhas disseram que o cão estava latindo freneticamente e tentou puxar Williams, mas ambos caíram quando Williams desmaiou.

O maquinista do trem diminuiu a velocidade dos vagões do metrô, mas mesmo assim atingiu os dois e testemunhas pediram ajuda. Williams e Orlando chegaram a ser atingidos, mas não ficaram gravemente feridos.

"O cão salvou a minha vida", disse Williams. Ele também foi surpreendido com a ajuda de equipes de emergência e de outras pessoas presentes na plataforma.

Williams foi levado a um hospital, onde está em recuperação e continua com Orlando a seu lado. O labrador completa 11 anos em janeiro e deve se aposentar da função em breve.

Fonte: G1

9 comentários:

  1. Sheila querida, esta história me impressionou do mesmo jeito que todas as histórias envolvendo animais me impressionam- Uma linda criaturinha que não sabe falar nossa lingua tenta avisar a todos na plataforma do metrô que o dono não estava bem e ninguém sabe o que fazer.. Pombas, o cão é guia treinado! então o mínimo que tinham que fazer é olhar para a o seu dono para entender o que estava acontecendo... Humanos à parte, achei este texto Jornal Inglês "The Guardian" que copio aqui e traduzo para dar paz à sua mente preocupada com o destino do labrador Orlando :" The lab will be 11 on 5 January, and will be retiring soon, Williams said. Williams had planned to look for a good home for Orlando as his health insurance would not cover the cost of a non-working dog, but on Wednesday he learned that Guiding Eyes for the Blind, a New York organisation that trained Orlando, had received enough donations for the two to stay together after Orlando retires. TRADUÇÃO: O Labrador completará 11 anos em 05 de Janeiro e se aposentará em breve; William tinha planos de encontrar um bom lar para Orlando assim que ele se aposentasse pois seu seguro de saúde não cobre os custos de um cão de companhia que não esteja trabalhando, mas na quarta-feira após o acidente, ele soube que a "Guarding Eyes For the Blind", organização responsável pelo treinamento de Orlando, arrecadou doações suficientes para que os dois permaneçam juntos depois que Orlando se aposentar.. Bem, este não é o primeiro cão guia que o deficiente visual teve, daí fica a pergunta: O que aconteceu com o cão guia anterior? Que tipo de ser humano usa um cão que proteje sua vida dia e noite, e não se esforça para manter este cão consigo só porque "seu seguro não paga os custos de um cão que não está trabalhando para guiá-lo?".... Sou contra cães guias de cego, exatamente pela frieza com que esses pobres animais são tratados.. Eles são vidas e passam estas vidas desde os 4 meses de idade sendo treinados numa rotina severa para servir de guias a estes donos de M* que sequer podem lhes garantir um final de vida junto à eles... sou contra e ponto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Amiga, obrigado pela informação... eu estava mesmo pensando nisto que escreveu.... como uma pessoa fica 11 anos com um animal e troca ele como se fosse um equipamento mais "moderno".... Bem, espero que Orlando consiga ser feliz ... mas, o que será que aconteceu com o antecessor de Orlando, né mesmo? E quantos "orlandos" foram descartados?.... sou contra também!!!!!

      Excluir
    3. Pois então, também fiquei me perguntando a mesma coisa- O que será que acontece com todos estes cães-guia quando já não conseguem mais servir de olhos para essas pessoas de coração frio. Sei que nem todos são assim, mas o fato de ser deficiente visual não faz uma pessoa automaticamente amante de cães. Tenho um sobrinho-neto que é deficiente visual, está com sete anos. A mãe dele disse que quando ele tiver idade para andar sózinho vai inscrevê-lo no programa para ganhar um cão guia, mas detalhe, ele tem medo de cães. Será que ele vai tratar bem uma doçura desta igual ao Orlando? Acho isso um abuso. Aproveito aqui para corrigir o nome da organização que treinou o Orlando na minha tradução acima : Guiding Eyes For the Blind. E o link com o artigo do The Guardian de onde retirei o texto segue aqui: http://www.theguardian.com/world/2013/dec/17/new-york-blind-man-guide-dog-subway

      Excluir
  2. Conceição20/12/2013 11:42

    Sou totalmente contra animais de ""serviço"".
    Passam as suas tristes vidas com um dono e quando ""não servem"" mais são doados a outras pessoas ou abandonados em alguma ong. E o coraçãozinho deles? ninguém se importa né.
    Familiares dos deficientes é que deveriam guia-los.

    ResponderExcluir
  3. O mesmo acontece com os os cães da polícia e dos bombeiros!!!!Há raras exceções,mas a maioria é simplesmente "descartada".

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que a regra ao menos deve ser mudada, precisou de um cão guia? Tudo bem, mas ele deverá ser de sua responsabilidade até o fim da vida, não podendo descartá-lo, e assumindo todas as suas despesas. Eu não sou contra a cães guia, muitos tem donos amorosos, aqui no RJ, tem uma deficiente visual bem conhecida, que entrou em depressão quando o cão guia dela morreu. Só pessoas conscientes e amorosas deveriam poder ter esses cães.

    ResponderExcluir
  5. Aquele povo é movido a $$$. Cego ou não, a frieza capitalista é acentuada naquele país. Realmente é um absurdo o descarte do animal após o vencimento de sua utilidade. Antes de ser um cão guia, o labrador é um ser vivente, que precisa de cuidados, carinho e, principalmente, consideração pelos serviços que prestou. Gente fria!

    ResponderExcluir
  6. Sheila, você tem alguma correspondente conhecida em Nova York para ficarmos sabendo com quem ficará Orlando?

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪