19/11/2013

Debate: a PETA está certa com referência aos abrigos não eutanásicos?

Com o auxílio luxuoso da nossa leitora brazinglesa Áurea Abrantes que traduziu a fala neste vídeo da Ingrid, presidente da PETA, estou trazendo ao debate algo que precisamos arrumar melhor em nossas cabeças que é eutanasiar ou não a população de animais que não encontram um lar para adoção.

A sociedade não aceita tal procedimento, mas, é justo deixá-los morrer em abrigos por brigas, doenças e depressão? O que seria mais certo? Explicar às pessoas porque é feito ou deixar tudo atrás desta cortina ilusória? Precisamos refletir seriamente sobre isto, mas, com equilíbrio e razões como se fossemos os próprios animais em sua essência e não como humanos. Reflexão, por favor, amigos!!!!!

Abaixo da tradução brilhantemente feita por nossa colaboradora, publico uma matéria da ANDA, onde há mais informações para tal debate. Vamos avançar em nosso humilde trabalho pelos animais sendo competentes nas análises evitando atrapalhar quem já alcançou sua convicção. Vejam o vídeo e leiam:



"O movimento não eutanásico é uma força destrutiva que está transformando abrigos em instalações semi-fechadas, incapazes de abrigar e cuidar dos animais que mais precisam. Transformou-se em um
jogo descompromissado, onde "colecionadores de animais" ganham passe livre  e onde as necessidades vitais de segurança e espaço para os animais abrigados, cuidados veterinários, esterilização e adequação estão sendo descartados. Com base no termo "No kill shelter" ( abrigos não eutanásicos) muitos aproveitadores inescrupulosos estão recolhendo fundos e satanizando os abrigos que recebem todo e qualquer animal que necessite, intitulando-os como "abrigos eutanásicos", mesmo quando os tais abrigos não eutanásicos enviam animais para estes.

Abrigos não eutanásicos mantém suas taxas de morte baixas porque recusam-se a receber animais ou por imposição de "proprina ou taxa" a ser paga para receber animais, taxas as quais muitos proprietários de animais não podem ou querem pagar, ou ainda por criarem uma lista de espera   impossivelmente longa e que torna impossível para alguns esperar, especialmente aqueles que estão sendo despejados, passando por dificuldades financeiras ou por pessoas que deparam-se com a guarda de um ou mais animais de um parente ou amigo falecido; 

É claro que estes animais que alguns abrigos se recusam a receber, não irão simplesmente sumir como passe de mágica e não pararão de reproduzir. Só porque alguns não tem o estômago ou decência de tomar uma decisão dura para este ou aquele animal, mais animais nascem, o que resulta em mais animais indesejados e mais eutanásias. Assim, a taxa de mortalidade para cães e gatos sobem, criando mais mortes, convenientemente em algum outro lugar.  Sem terem para onde correr, mais pessoas estão abandonando seus animais - alguns são abandonados nas rodovias, garagens ou entrada de estabelecimentos, parques e florestas, aonde um triste fim os espera.

Em San Antonio, Texas, só no ano passado, o departamento de limpeza recolheu os corpos de quase 16.000 cães e 12.000 gatos!  são 28.000 cães e gatos que morreram nas ruas de San Antonio em apenas doze meses! A estimativa é de que existam cerca de 300.000 cães e gatos perdidos nas ruas de San Antonio. Mas os abrigos de lá estão concentrando-se  em não eutanasiar a ínfima porcentagem de animais que recolhem. Não aqueles que morrem sob as rodas de um carro ou de fome... O movimento contra-eutanásia é traiçoeiro, porque os abrigos considerados eutanásicos que recebem todo tipo de animal podem dar uma morte pacífica e sem dor para animais que ninguém quer.

O movimento ou abrigos não eutanásicos causam grande sofrimento - não é "não matar" mas "morte vagarosa", morte ruim ou pode-se ainda dizer, mais mortes. Deixe-me elaborar: Devido  ao grande número de animais com necessidade de abrigo todos os dias, os tais abrigos não eutanásicos se tornam superlotados; Isto leva a situações extremamente perigosas de superpopulação, traduzidas por: disputas territoriais entre cães, intimidação de cães idosos ou pequenos e surto de doenças contagiosas. 

Documentos do governo provam que cães e gatos em abrigos não eutanásicos ou municipais morrem muitas vezes em suas jaulas, algo que jamais deveria acontecer se a palavra "cuidado" for levada em consideração. Mas evidentemente que para eles (não eutanásicos) está tudo bem porque "morrer" não é "matar"..."

_____________________
Matéria da ANDA sobre o tema:

Abrigos abandonam animais nas ruas por falta de planejamento nos EUA

No mês passado, o Portsmouth Humane Society em Virgínia, EUA, um abrigo que segue a política de não matar animais, foi pego “adotando” cerca de 300 gatos e depois de um tempo começou a abandoná-los nas ruas e florestas próximas. Um funcionário que soltou seis gatos próximo de onde mora encontrou dois deles mortos, vítimas de atropelamento. As áreas onde os gatos foram despejados são muito próximas a uma estrada movimentada. As informações são do All Pet News.

Esses gatos dependem de seres humanos para sua sobrevivência como: comida, água e assistência veterinária. Quando abandonados, eles sofrem e morrem por exposição, ossos quebrados que não são tratados, infecções por parasitas e doenças contagiosas, como a raiva. Eles são rotineiramente envenenados, baleados por pessoas cruéis que não querem os gatos em suas propriedades, são atingidos por carros, atacado por cães, e por aí vai.

O abandono desses gatos indefesos pela Portsmouth Humane Society é um exemplo assustador de como a teoria do “não matar” sem planejamento, em alguns abrigos, falha com os animais que dependem deles. A presidente da PETA, Ingrid Newkirk,  diz que este é um problema crescente e uma preocupante tendência atual. É claro que não deve-se condenar a prática de defesa da vida dos animais a qualquer custo. Matar animais está fora de cogitação em um abrigo de real defesa e preocupação, entretanto, é necessário medidas administrativas que possibilitem o bom funcionamento do local.

Muitos abrigos que adotam a filosofia “não matar” acabam por fechar suas portas quando todas as “gaiolas” já estão ocupadas, deixando os animais nas ruas ou nas mãos de pessoas que não querem os animais. O único abrigo com esta filosofia em Northampton, na Pensilvânia, está superlotado e só recebe animais que realmente precisam. As autoridades locais dizem que os policiais gastam turnos inteiros tentando localizar tutores de cães e na condução para levar os animais para abrigos, que muitas vezes ficam em outros municípios.

Em setembro, a filosofia “não matar” também entrou em vigor no SPCA de Nova Scotia, no Canadá, e tem uma lista de espera de mais de 1.000 gatos para serem admitidos. Abrigos, nos EUA, enfrentam situações semelhantes. A filosofia do “não matar” é ideal, não há erro em adotá-la e, na verdade, ela é a filosofia correta para qualquer organização que pretende realmente ajudar animais, mas é necessário estabelecer regras e avaliação periódicas sobre as condições dentro das organizações para o recebimento de novos animais.

Alguns abrigos que adotaram o “não matar”, acabam por mandar os animais para casas de “voluntários” ou organizações que se prontificam a cuidar do animal, mas não verificam se realmente existem condições para isso. Em setembro, as autoridades encontraram mais de 200 cães em condição deplorável no santuário Mission Desert Hills Dog  em Chaparral, no estado do Novo México. Muitos dos cães estavam com ferimentos graves, que indicavam violência sexual. Uma voluntária disse que os animais viviam em cima de outros animais mortos, em suas próprias fezes, sem água e sem comida. São dezenas de casos como este que vêm fazendo manchetes todos os dias.

Toda pessoa que ama e respeita os animais não quer ver os cães e gatos na rua e também é contra a dita “eutanásia” nos mesmos. Mas, simplesmente  implantar políticas de “não matar” sem conter o fluxo de animais, também passa a colocar esses animais em perigo e em destinos que podem ser ainda muito piores do que a morte. O problema precisa ser contido pela raiz, ou seja, pela esterilização e castração de todos os animais, e trabalhando para dar um fim às fábricas de filhotes, uma vez que já existem milhares de animais a procura de um lar.

31 comentários:

  1. rosa elisa villanueva19/11/2013 11:58

    Sheila, há algum tempo já tinha recebido essa matéria da PETA e acho deprimente que eles recolham animais. Estou utilizando o termo "recolham" pois não é resgate. resgate é retirar um animal de uma situação de risco e dar-lhe uma chance. Recolher animais é pegar um bicho e matá-lo somente por que ele não foi adotado. É melhor um animal ficar solto nas ruas, e até morrer depois por atropelamento ou outra causa, do que recolhe-lo e tirar-lhe qualquer mínima chance que ele tinha. Fui muito criticada na ocasião por que critiquei veementemente esta postura da PETA, mas reitero aqui a minha posição de que a PETA recolhe e mata animais que poderiam estar nas ruas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Como vários disseram abaixo, a PETA está fazendo nada mais, nada menos do que as piores CCZs que conhecemos! Morte não é solução!

      Beatriz Pacheco

      Excluir
  2. Não precisaríamos estar tendo essa discussão se os governos tivessem programas de castração em massa, de forma planejada e sistemática e se os seres humanos prestassem atenção antes de comprar um filhote porque é da raça XPTO. Infelizmente não vivemos num mundo ideal, ao contrário, cada vez mais priviliegia-se o ter em detrimento do ser e por conta dos valores distorcidos dessa humanidade que habita a terra, nem mesmo os famintos da África recebem a atenção devida. Isto é, se nem o próprio ser humano é capaz de valorizar sua espécie, imagine se vai valorizar a de um animal. Aliás, esse é o discurso preferido dos especistas que reclamam, mas não fazem nada por nada e nem por ninguém. Em pontos localizados do globo, incluindo SP e algumas outras cidades do Brasil, existem políticos realmente interessados na causa e que trabalham com afinco por ela, mas ainda é muito pouco. Se o ser humano não aprender a priorizar os valores que realmente importam, entre eles a vida, em breve a eutanásia realmente será uma opção melhor para os animais do que continuarem vivos no inferno em que a terra está se transformando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena você não ter se identificado, pois eu concordo com o seu ponto de vista...

      Excluir
    2. Concordo com vc.

      Excluir
    3. tambem concordo com o seu ponto de vista...

      Excluir
    4. ...concordo com tudo que escreveu... se não houver uma ação efetiva por parte do governo coma ajuda das ongs : CASTRAÇÃO MASSIVA + EDUCAÇÃO/GUARDARESPONSÁVEL = CONTROLE POPULACIONAL
      (Cláudia - Patos de Minas)

      Excluir
  3. Sheilinha eu concordo com a eutanásia, as pessoas que não concordam não se colocam no lugar do animal, ficar preso num instalação artificial não é solução, nem remédio, o mundo não comporta mais tantos animais. As pessoas colocam a morte como se fosse a pior coisa que existe, e ignoram que viver preso num ambiente estressante onde só se ouve latidos, não há carinho, não há bem estar. O problema é a quantidade. Nenhuma instituição que existe consegue abrigar mais cães, tudo está lotado, inclusive as ruas, lotados de cães com uma vida de terror. Eu mesma uma vez disse a você que tinha vontade de abrir uma instituição para resgate de cães e os que não fossem adotados seriam sacrificados. A morte é melhor do que a vida que eles levam. A vida que eles levam nada tem a ver com a vida que um animal levaria na natureza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tambem concordo com vc Gisele, pq temos que pensar se a vida que eles levam pode ser considerada uma "vida"...

      Excluir
    2. Gisele também concordo com vc,sou sim a favor da eutanásia,nessas condições sim, é muito sofrimento viver a vida engaiolado,ou como muitos sofrendo nas ruas,passando fome,frio,maus tratos,muitas vezes são atropelados e ficam no sofrimento esperando a morte chegar lentamente,pensem nisso.

      Excluir
    3. Vocês se colocam no lugar dos animais, mas se esquecem de um ponto fundamental para qualquer animal na face da Terra: o instinto de sobrevivência. Se vcs entrarem num desses abrigos superlotados e ameaçarem um cão, mostrando que irão matá-lo, com certeza ele lutará pela vida. Não irá para a morte alegremente! Porque é o que lhe resta! A própria vida! Quem sabe ele não terá uma chance, um amanhã feliz! Improvável, não impossível! Pensem nisso... Ninguém prefere a morte. Mesmo que a vida seja miserável. Se fosse assim, não existiria miséria e dor no mundo. Haveria, sim, suicídio em massa...

      Beatriz Pacheco

      Excluir
    4. Concordo que o ideal é castração em massa, mas também acho que é melhor eutanásia piedosa, deixando o animal partir sem sofrer do que ser mantido vivo sem amor nem dignidade, porque viver engaiolado não é vida é sofrimento. Peço aos meus amigos para no caso de eu morrer antes dos meus gatos, se não conseguirem que eles tenham verdadeiros lares, por favor por amor prefiro que eles sejam postos 'pra dormir' já que seria profundamente infelizes vivendo engaiolados. Guida - SP

      Excluir
    5. Beatriz Pacheco eu não sou a favor da eutanasia e discordo de você.. Certamente os nossos queridos animais tem instinto de sobrevivencia acima de tudo, quando estão em seu meio-ambiente natural. Mas eu já fiz trabalho voluntário em abrigos e sei e ví, cães que param de comer simplesmente.. e morrem de depressão! porque animais não conseguem se enforcar ou cortar os pulsos... Ví cadelas que tinham parido em gaiolas e comeram seus filhotes durante a noite. Aqui mesmo no blog da Sheila, você poderá ler que uma ursa matou seu filho e depois se matou, em uma fazenda de ursos, na China. Continuo dizendo que o assunto é bastante complexo e necessita de reflexão e trabalho profundo.

      Excluir
  4. Estou inteiramente de acordo com as pessoas que preferem a eutanásia do que deixar o bicho se ferrar sozinho pelas ruas, sendo atropelados, doentes sem ajuda, pegando temporal, sentindo fome, sede e frio!
    A solução não existe enquanto houverem pessoas ignorantes e más neste planeta, mas pode ser minimizada com a castração em massa, geral , irrestrita e gratuita!
    É melhor morrer sem sofrer do que ficar sofrendo horrivelmente e demorar a partir, é desumano.
    Tânia

    ResponderExcluir
  5. Não sei a verdade, não tenho dominio da verdade, alias o que é a verdade? Não estou certa ou errada, O que é certo, o que é errado?

    Mas é um caso sério, será que alguém de nós gostaria de ser deixado ao léu, ser estuprado, viver sobre nossas fezes e junto com outros corpos mortos; correr riscos de atropelamentos, de ser morto de modo violento, etc.; embora isso aconteça com pessoas também, não envolve milhões como os animais. Como se ter locais abundantes e gente suficiente para cuidar dos milhões de animais abandonados pelo mundo afora? É uma ilusão pensar que existem pessoas para cuidar e adotar. A realidade é muito diferente para os animais que foram despejados de seus lares, muitos após graves maltratos. Na relação com os animais, vive-se uma Era de chumbo, disfarçada de Era de Ouro.

    O que é vida? O que é preservar a vida acima de qualquer coisa? A vida pela vida não é nada. A vida só tem importância quando carrega algum sentido. Enquanto todos veem os animais com seus olhos e pensam os animais com seus pensamentos de ser humano, os animais continuarão sendo joquetes ou pelo excesso de zelo e luxuria ou pela desprezo, maltratos e miséria, sem nenhum sentido essencialmente importante pelo qual se deve coloca-los em segurança no mundo deles.

    ResponderExcluir
  6. Sheila, se vê nitidamente o caráter antropocêntrico na postura da PETA. Abrigos são tão horríveis como orfanatos e casas geriátricas, onde problemas análogos também pode levar à morte os animais humanos. Mas ninguém sequer ousa sugerir a eutanásia para resolver o "problema". Por isso, muito além do possível mérito e argumentos da questão, a discussão sucumbe pelo fato de que o reciocínio aplicado aos não humanos não é o aplicado aos animais humanos. O nome disso? Hipocrisia.

    Abç

    ResponderExcluir
  7. Sou totalmente contra a eutanásia de animais. Sou a favor da castração, acho fundamental; Mas não concordo com a eutanásia, pois todos tem o direito de viver, inclusive eles, tenho certeza que se pudessem escolher, prefeririam viver do que serem mortos.Cada vida é uma vida, independe se animal ou humana,

    ResponderExcluir
  8. Com certeza os abrigos estão lotados e a qualidade de VIDA para os animais acaba sendo miserável. Racionalmente falando, eu considero a eutanásia uma abordagem pragmática para lidar com o problema. Mas como escolher quem deve morrer?
    Eu mesma não teria a coragem de selecionar um animal saudável (o que pelo menos não esteja com alguma doença grave), transportá-lo em meu colo e entregá-lo a alguém que irá sacrificá-lo. Sei que é um pensamento egoísta pois ao invés de pensar na qualidade da VIDA deste animal eu estou pensando nas minhas próprias limitações como ser humano.
    Os programas de TV a cabo mostram casos nos EUA onde os animais que não foram adotados são indicados para serem sacrificados. PARADOXALMENTE, em alguns casos isto gera uma certa comoção que acaba por encontrar alguém disposto a adotá-lo, mesmo que seja do outro lado do país.
    Nos abrigos que não praticam a eutanásia parece que sempre estão "enxugando gelo", para cada adotado aparecem mais uma dúzia de abandonados ou novas crias. Alguns colocam faixas informando que estão lotados e mesmo assim animais são abandonados na porta por "donos" que acham que ali estarão melhor que nas ruas. PARADOXALMENTE (novamente !) os abrigos que não realizam eutanásia acabam sendo vistos como a desculpa perfeita para este último lampejo de consciência dos humanos.
    Mas sempre que penso na situação destes animais, não penso que eles prefeririam MORRER e sim que eles NÃO DEVERIAM TER NASCIDO por que esta é a CAUSA do problema, abrigos lotados e vidas miseráveis são a consequência. Por isso eu não sou contra ou a favor da eutanásia, eu sou 100% a favor da CASTRAÇÃO, preferencialmente por iniciativa da sociedade civil.

    ResponderExcluir
  9. Sou totalmente contra a eutanásia no caso dele não estar em sofrimento.
    Sou sim a favor da castração, da educação ao que se refere ao respeito com os animais e a natureza nas escolas, a posse responsável, a mudança e fiscalização das leis.
    Quem somos nós para tirar uma vida? Nada.
    Por mais que a intenção aos olhos de quem a divulga seja boa não creio que é o melhor.

    ResponderExcluir
  10. Eu não sou a favor da eutanásia de animais sadios, que não estão em sofrimento. Não temos o poder de criar e também não podemos tirar vidas.. mas não vivemos em um mundo ideal e o serumano criou este problema para ser resolvido, portanto acho que o assunto é mais complexo do que a palavra antropocentrismo possa definir. Acho a posição da Ingrid E. Newkirk lúcida, o problema só pode ser resolvido se for atacado na raiz - Proibir definitivamente a venda e fechar os criadouros de animais, cada prefeitura ter seu programa de esterilização gratuita e promover a adoção, educação e implementação da lei de posse responsável, punição séria para os infratores das leis. Vocês conhecem políticos dispostos a fazer isso? Meia dúzia, talvez... Se compararmos o número de crianças e idosos que morrem sem assistência em orfanatos e asilos de uma cidade, certamente não chegará ao número estratosférico citado na cidade de San Antonio-28.000 animais! é muito animal morrendo à mingua.. Acredito que muitos que leem o blog já devem ter feito estágio em hospitais... a quantidade de fetos humanos abortados que ficam dentro de vidros de formol? O modo estatístico através do qual as mortes humanas são tratadas..?
    o serumano não respeita nada, com pouquissimas excessões. Desculpe se minha fala é amarga... quem já trabalhou em um abrigo de proporções gigantescas onde animais morrem como se estivessem em um mini Serengeti sem usufruir da liberdade que os animais do Serengeti usufruem pode ter noção da qualidade de vida miserável que nós impomos a um cão/gato em um abrigo superlotado. O que pode resolver o problema é sair da zona de comforto na qual estamos e tomar decisões e cobrar atitudes a quem deve.. Estamos aqui discutindo ser a favor ou contra a eutanasia enquanto neste momento existem 4000 animais em um único abrigo no RJ com a cabeça a prêmio esperando a misericódia divina, porque a humana já falhou feio com eles... a questão não é morrer, mas quando e como morrer, e sem a chance de ver novamente a cor do céu/grama e comida decente, chão seco e limpo para pisar e um paninho para se aquecer no inverno ou água para beber no verão infernal. Se eu morrer subitamente, como minha mãe já é velhinha e sei que meus irmãos não ficariam com meus cães, peço ao criador que meus patudos enfartem junto comigo para que não sejam levados para esses abrigos, eles morreriam de forma lenta e triste, deprimidos, feridos, doentes e/ou famintos, e eu ficaria arrastando correntes na eternidade por não poder fazer nada mais por eles.

    ResponderExcluir
  11. sou contra eutanásia, afinal não lutamos para que as prefeituras parem de matar e façam programas de esterilização? cada um deve saber quantos animais pode cuidar sem gerar maus tratos e continuar lutando por políticas publicas, é muito fácil recolher e matar, isso alimenta o abandono e a inércia dos governantes por isto sou contra, sou a favor de esterilizar e soltar no local de coleta, educar e punir a população, matar animais saudáveis jamais!

    ResponderExcluir
  12. Não adianta dizer que é contra a eutanásia mas a situação que nossos bichinhos vivem num abrigo superlotado espremidos feridos com fome e vivos para que? Por acaso alguém aceita um animal de porte grande todo ferido e esta mesma pessoa sem condições de casa ou de dinheiro para resgata-lo pagar veterinário tomar conta ? E quem não tem quem fique em casa com eles? Eu por exemplo fiquei com uma gatinha paraplégica de um atropelamento e que já estava apodrecendo viva paguei tratamento em dois pets deixei lá quase um mês perdi muitas tardes sem poder para lá ir ve-la e ficar com ela. A trouxe para casa contratei o veterinário para fazer a cadeirinha pois não consegui quem ficasse com ela. E depois que fiz gradeado berço de rodinhas e chegou o dia que não pude mais ficar tive que decidir : ou ela ou meu cachorrinho que já tinha antes dela e ao qual eu não consegui entrosar uma amizade por ela já ser adulta e ter vivido a vida inteira na rua ela tentava pegar meu cachorrinho e provavelmente terminaria num desastre como cheguei a ver nos pets. Olhos vazados por conta de briga. Cheguei ao momento crucial e decidi por uma eutanásia . Paguei o triplo do preço que me pediram para que fosse um procedimento humano. A recebi no jazigo dos meus outros cachorros com os mesmos direitos dos que viveram mais que ela, mas posso lhes garantir ainda hoje tenho saudade do pouco tempo que com ela vivi. Mas também vejo pelo lado que viver naquela situação sofrendo talvez na rua novamente. A maioria das pessoas só querem animais bonitos e saudáveis a prova é que quando a levei ao pet ela já estava quase morta na rua. Tenho pelo menos o consolo que lhes dei uma passagem para o lado de Deus acredito que digna.

    ResponderExcluir
  13. Sempre fui contra canis, abrigos super lotados que mais parecem os presídios brasileiros, mas também sou contra a eutanásia, pois passei toda minha vida vendo animais serem recolhidos pela carrocinha e exterminados em menos de três dias. Décadas se passaram e o número de animais abandonados nunca termina. Eu, pessoalmente, preferiria a morte a ter que viver e morrer num presídio sem nunca ter cometido nenhum crime, como é o caso deles, mas quando se fala em eutanásia... Não sei, sinceramente é difícil pra mim.
    Não seria melhor lutar por campanhas em massa e que obrigasse a todos os donos a comparecerem? Por que se gasta tanto em propagandas eleitorais com nosso dinheiro, mas não gastam em prioridades como essa?

    ResponderExcluir
  14. Trata-se tão somente de DINHEIRO. A fabricação em massa e a venda de animais, mais os grandes investimentos nas "indústrias" de filhotes, com seus laboratórios especializados em "aprimorar a raça", ou cruzar até que o animal seja do tamanho desejado, ou da cor desejada, pra que "caiba em nossos desejos", nada vai mudar. O que se tem de atacar primeiro são as causas: 1º) essa "elitização" das raças pra bancar o status das pessoas, que acreditam em "moda" de cachorro (de tempos em tempos, a moda muda e a raça do momento muda também). Quando o animal passa a incomodar, bota-se fora; 2º) as pessoas irresponsáveis, que deixam os seus animais procriarem, uma cria em cima da outra, e dê-lhe a distribuir os filhotes entre a vizinhança, os amigos, parentes e até em pet shops pra "adoção". Os que não são doados, bota-se fora; 3º) os animais de "estimação" totalmente inadequados à vivência em casas, como os animais silvestres, que o IRRESPONSÁVEL do Ibama permite, ilegalmente (bastou fazer uma "portaria", que nunca pode ser maior do que a lei que protege os animais); 4º) a negação das prefeituras em investir realmente na redução dos animais dos seus municípios, através de esterilização em massa, principalmente dos animais de pessoas carentes, que NUNCA terão dinheiro pra mandar esterilizar os seus bichos, pois os veterinários cobram muuuuuito CARO (eu que o diga) no particular, mas que barateia muuuuito quando é feito através de programas das prefeituras, que pagam veterinários sei eu lá pra quê; 5º) a educação desde a escola na responsabilidade com o meio ambiente e os animais. É pra toda a vida. Ensino é uma coisa, educação é outra. Pais educados educarão seus filhos desde o berço. É um processo CONTÍNUO, deve fazer parte do currículo escolar, também, essa preocupação com o meio ambiente e os animais. Não deve ser motivo só de CAMPANHAS, que vem e passam. Não se pode conscientizar quem não tem consciência. Gentalha é gentalha, depois do pau torto, este não se endireita. O DINHEIRO comanda o mundo e a maioria das pessoas. O dinheiro que se move nesse ramo é na casa de bilhões no mundo todo. A discussão da eutanásia nos abrigos é o FINAL de todo o processo. Essa cadeia de acontecimentos é que não está sendo produtiva, por mais que os protetores do mundo inteiro lutem e lutem e lutem. O DINHEIRO fala mais alto. Imaginem, ao se romper essa cadeia, do que vão viver esses EXPLORADORES de animais? Por um lado, eu vejo com a minha parte RACIONAL que não há outra solução. Por outro lado, meu coração fica apertado só em pensar nisso, e bem apertado. Se as leis fossem cumpridas, se pudéssemos contar com nossos políticos e com as nossas "autoridades" pra que as leis fossem cumpridas, tudo seria melhor de fazer. Mas não se pode contar com ninguém. Eles se recusam a assumir a sua parte no problema e, como sempre, os animais é que pagam e sempre vão pagar a conta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Teresinha Winter, você está tão certa que minha vontade é de castrar todos os humanos também!

      Excluir
  15. Castraçao, castraçao, castraçao!!!!

    ResponderExcluir
  16. Sou CONTRA A EUTANÁSIA, porque todos os seres vivos tem direito a vida e nós os humanos não temos o direito de decidir quem vive e quem morre. Além disso, o que mais me assusta nos argumentos a favor da eutanásia dos animais é que me remete aos argumentos nazistas, que consiste em eliminar aqueles que INCOMODAM e não sabemos como lidar. Não foi isto o que Hitler fez com os judeus? Hitler não EUTANAZIOU os judeus apenas para eliminar uma raça, que ele acreditava não ser pura, mas para ele os judeus incomodavam por motivos econômicos e políticos e por isso tinham que ser eliminados. Além disso, penso que recolher animais na rua e depois levá-los para um “abrigo” e em seguida eutanásia-los é exatamente o trabalho que os Centros de Controle de Zoonoses faziam para eliminar o “problema”. Engraçado é que estes mesmos 'PROTETORES” sempre criticaram os CCZs. Quanta hipocrisia! Quando um ser humano não sabe o que fazer com o outro é melhor matar? Em relação aos animais, eles não incomodam politicamente, mas acredito que as pessoas que defendem a eutanásia dos animais mantidos em abrigos, não querem realmente livrar os animais do sofrimento, mas acima de tudo, elas querem SE LIVRAR DO PŔOPRIO SOFRIMENTO, por não poderem lhes dar uma vida melhor. É uma forma egoísta de eliminar o “problema”, de tirar das suas “vistas” e ainda dizer que foram boazinhas e bonzinhos com os animais, porque colocaram os anjinhos para dormir e acordar no paraíso dos animaizinhos”. Por que estas pessoas que são a favor da eutanásia dos animais que estão nos abrigos, não param de levá-los para lá? Sempre procuro me colocar no lugar dos animais para saber qual a melhor forma de tratá-los, por isso digo, que se eu fosse um cão, um gato, um cavalo... eu com certeza iria preferir morar na rua, ser livre e não correr o risco de cair nas SANTAS mãos de “PROTETORES” que me levam para um abrigo, apenas para depois me selecionar GENTILMENTE E BONDOSAMENTE para ir direto para a CÃMARA DE GÁS. Ho! Desculpe! Protetores dos animais não matam os animais com Câmara de gás, porque isto é coisa de NAZISTA. Os protetores botam os animais PARA “DORMIR” com INJEÇÃO LETAL QUE É MUITO MAIS HUMANO. Sinceramente, se eu fosse um destes animais, faria de tudo para fugir destes bondosos protetores.

    Continuando com o meu argumento, CONTRA A EUTANÁSIA DESTES ANIMAIS, gostaria de fazer uma pergunta baseada nos argumentos inteligentes e coerentes dos leitores JDG e Luciana Sério, dos quais concordo plenamente. Segundo JDG, é possível detectar “o caráter Antropocêntrico do Peta”. Concordo também com JDG quando ressalta sobre a Hipocrisia destas pessoas que acham normal matar “excesso” de animais em um abrigo, mas certamente ficam escandalizadas quando houvem a notícia de uma médica que “sacrificava” os pacientes para liberar leitos do hospital, ou aquelas enfermeiras tão bondosas de abrigos para pessoas da 3a idade, que de vez em quando dá uma injeçãozinha letal naqueles idosos que estão dando “trabalho”. Agora gostaria de fazer uma pergunta para as pessoas que são a favor da eutanásia em animais. Vocês são a favor de matar meninos e meninas em situação de rua ou crianças abrigadas em orfanatos? Não? Por que? Essas crianças também vivem na pobreza, especialmente aquelas em situação de rua, passando fome, sendo ESTUPRADAS, além de sofrerem outros maus-tratos. Por que vocês não são a favor de matar estas crianças? HA! JÁ SEI! PORQUE SER HUMANO SEMPRE TEM DIREITO A VIDA, A ESPERANÇA DE UM DIA TER UMA VIDA MELHOR E A UMA NOVA CHANCE.

    ResponderExcluir
  17. Outro dia vi uma postagem no site da Peta que dizia em tom de crítica que uma pessoa queria levar seu cão para um abrigo mas não pode deixá-lo lá porque era uma "no kill shelter" e estava lotado,o que isto ensina a população?Que se pode comprar um animal,quando não quiser mais,deixá-lo no abrigo,depois de um tempo se quiser um animal,comprar outro,vai mudar de cidade,deixe seu animal no abrigo e compre outro na outra cidade,assim é nos EUA.

    Abrigos aqui no Brasil são uma "M",mas tenho muito orgulho,morro de orgulho dos protetores daqui,salvamos vidas,não matamos;mesmo que isto signifique fazer das tripas coração,ficar encrencado financeiramente,com família,etc.Protetores daqui são verdadeiros HERÓIS , pois fazer o possível e o impossível para mostrar aqueles anjinhos que resgatamos que eles finalmente estão em boas mãos e que apesar das dificuldades podem sentir pelo menos por um vida o que é amor incondicional.

    Recolher animais para matá-los,não é algo de um abrigo,melhor não recolher do que fazer de um lugar que deveria ser de cuidados um verdadeiro campo de concentração.

    ResponderExcluir
  18. 20-11-13 AS 22:21 - O GRITO DO TORBE O GATO DOS PAMPAS GAÚCHOS ...
    ESSA VELHA TEM A CARA DE ASSASSINA!!!!. PENSO QUE NINGUÉM TEM O DIREITO DE TIRAR A VIDA DE UM SER AO QUAL NÃO CRIOU. SÓ DEUS EM SUA ONIPOTÊNCIA PODE DECIDIR QUANDO UMA CRIATURA DEVE CHEGAR AO FIM . MATAR NUNCA FOI SOLUÇÃO, PROCUREM ALGUMA SAÍDA QUE NÃO ESTA. DEVE HAVER !!! A MENTE HUMANA E CAPAZ DE ACHAR UMA SAIDA .!!!!! FICA JUNTO A ESSA POSTAGEM O PROTESTO DO MEU GATO TORBE QUE É FÃ DESSA ONG DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS. SE NÃO PODEM MAIS PROTEGE-LOS QUE SE EXTINGAM. PROTEGER E MELHORAR A VIDA DOS ANIMAIS NÃO TIRA-LAS A PRETEXTO DE NÃO DEIXAR SOFRER. QUE SE EXPLUDAM TODOS OS QUE ASSIM PENSEM DE MANEIRA TÃO PEQUENA E ASSASSINA !!!!!!!!!!!!!!!!!! POIS ENTÃO QUE SOLTEM ESSES ANIMAIS NO MEIO DA FLORESTA AMAZÔNICA PARA QUE SIGAM SEU DESTINO LONGE DESSA FARSA DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS. ABAIXO ESSES DECRÉPITOS QUE QUEREM RESOLVER AS COISAS MATANDO AQUILO QUE DEVERIAM DEFENDER !!!!!! SEUS INÚTEIS !!!!!!!! POIS QUE DEVERIAM FAZER A EUTANÁSIA PARA OS DEFENSORES DOS ANIMAIS QUE NÃO TEM SOLUÇÃO PARA PROTEGE-LOS .. MUITOS MIAUS DE PROTESTO DO TORBE O GATO DOS PAMPAS !!!!!!

    ResponderExcluir
  19. Grande discussão! Animais que as pessoas não adotam com responsabilidade, precisariam viver em um santuário, com dignidade e zelo! Porém, quem cuida? Gastos? Para informação: no Brasil já estão discutindo!! A preocupação é enorme. Exige bom senso! Castração em massa, educação para guarda responsável e legislação que funcione!!
    IV Conferencia Internacional de Medicina Veterinária do Coletivo – Metas e Indicadores.
    Veterinária do Coletivo – Metas e Indicadores.Essa Conferencia tem como objetivo informar e instruir médicos veterinários, alunos de medicina veterinária e pessoas que trabalham direta ou indiretamente com controle e manejo de populações animais em ONG`s e CCZ`s a respeito da importância da Medicina Veterinária do Coletivo na atual realidade dos municípios brasileiros. Mostrar como a Medicina Veterinária do Coletivo está sendo estudada e colocada em prática fora do país, utilizando as experiências relatadas pelos palestrantes internacionais como exemplos para utilizarmos na realidade dos municípios brasileiros.Possibilitar um espaço para interação entre as universidades de medicina veterinária, entidades de proteção animal e poder público instigando a discussão sobre temas relacionados finalizando com um documento contendo propostas de políticas publicas sobre o tema.Mostrar experiências bem sucedidas de profissionais dessa área. 29 e 30 de novembro de 2013.Curitiba-PR www.itecbr.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por esta informação, muito bom este evento. Valeu!

      Excluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪