03/08/2013

Liminar proíbe uso de animais saudáveis em estudos

Adorei quando li a respeito.... sensacional!!!!!! Jesus amado, as coisas acontecem quando a gente trabalha direito, né? Parabéns as meninas danadinhas do MGDA!!!!!! estamos todos muito felizes com esta conquista!!!!! trabalharam muito bem!!!!!! Se a UFSM meter recurso, contem conosco para detoná-la.
_______________

A 1ª Vara Federal de Santa Maria (RS) concedeu liminar para proibir a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) de utilizar animais saudáveis em fins didáticos e experimentais. Em despacho assinado no dia 15 de julho, a juíza federal Gianni Cassol Konzen pediu à Universidade que usasse meios pedagógicos alternativos para substituir os animais. A ação foi ajuizada pelo Movimento Gaúcho de Defesa Animal. Cabe recurso.

‘‘De início, deve-se salientar ser evidente que os animais merecem toda proteção do Estado, impedindo-se que sejam expostos a tratamento cruel e insensível, assegurando-lhes melhores condições de existência, vertente essa que deve sempre ser perseguida como sinal evolutivo da sociedade. A própria Constituição Federal proíbe práticas
de crueldade e maus tratos a qualquer animal (art. 225, §6º, inc. VII)’’, anotou.

No entanto, advertiu que a problemática dessa ação ‘‘é de difícil enfrentamento, especialmente no tocante às pesquisas acadêmicas para avanço da ciência, já que algumas pesquisas ainda não podem prescindir da utilização de animais’’. Ela reconheceu que a universidade faz inúmeros procedimentos cirúrgicos em animais doentes que, se não fosse por esse atendimento, não teriam qualquer assistência. Assim, para animais doentes, entendeu que não existe prejuízo em servir para aprendizado dos alunos.

O fator determinante para a juíza deferir parcialmente a antecipação de tutela foi a informação prestada pela UFSM da aquisição de suínos a serem utilizados em procedimentos cirúrgicos para ensinar os alunos a controlar a contaminação, evitar a dor e hemorragias.

Segundo Konzen, tal procedimento parece que “poderá expor o animal a tratamento cruel, de maneira que, ainda que amparado em lei, o método — e seu permissivo legal — parecem afrontar nossa Magna Carta”. Com informações da Assessoria de Imprensa da Justiça Federal do RS.

Clique aqui para ler a liminar.

11 comentários:

  1. Uma grande conquista, embora saibamos que a luta contra essa prática miserável está longe de terminar, mas foi um grande feito, humanos precisam acabar com essa história de usar animais para tudo.
    Valéria

    ResponderExcluir
  2. Que outras cidades usem de exemplo e parem de explorar os animais.

    ResponderExcluir
  3. Não quero ser pessimista, mas ainda vai demorar muito para que o resto do país sigam o exemplo.

    ResponderExcluir
  4. Os argumentos da juíza me parecem os mais óbvios do mundo. Não obstante, temos que aplaudi-la, pois, entre tantos togados estúpidos que vejo por aí, eis uma magistrada que despertou para a evidente necessidade proteção dos animais contra esse e outros absurdos que acontecem a eles.
    Silvan

    ResponderExcluir
  5. Julguei essa decisão exagerada! Nem todos os estudos com animais vivos são cruéis! E os estudos de nutrição como ficam??? Atitudes radicais dessa instância só atrasam o desenvolvimento tecnológico brasileiro. Enquanto países do primeiro mundo possuem recomendações nutricionais para diversas categorias animais, nós male-má temos algo publicado referente à suínos e aves.

    Só quem foi queimado sabe o que é ser carvão. Essa decisão deveria ser avaliada também com outros olhos.

    ResponderExcluir
  6. Aplausos para a decisão da Juiza de Sta Maria.As técnicas alternativas ao uso do animal para estudo existem e devem ser incrementadas. Os animais tem direitos e devem ser respeitados.

    Anne Bra

    ResponderExcluir
  7. ENTAO JULIANA VC MESMO PODE SE OFERECER PRA SER A QUEIMADA PRA SABER OQ É CARVAO...AH NO DOS OUTROS É REFRESCO NÉ? EXAGERADA PQ NAO É COM VC...SUINOS?? ISSO AQUI E UMA PAGINA DE ATIVISTA ANIMAIS,,AQUI NAO TEM SUINOCULTURA...PRA GENTE TEM PORQUINHOS Q SAO VIOLENTADOS E Q NAO DEVERIAM SER COMIDOS. SEJA VEGETARIANA ASSIM VC NAO PRECISA ESTUDAR PORQUINHOS

    UGO WERENECK

    ResponderExcluir
  8. E DETALHE É Q LA FORA AO CONTRARIO DO Q VC FALA JULIELEN, CADA VEZ MAIS NAO SE USA ANIMAIS. NAO SEI DA ONDE VC TIROU ESSA INFO...ESTA ATRASADA....

    PRA GENTE GALERA DA PROTECAO SO OQ COMEMORAR E ELOGIAR A DECISAO PRA Q SAIBAM O QTO A OPINIAO PUBLICA ESTA EVOLUINDO. NOVOS TEMPOS NOVAS DEMANDAS

    UGO WERNECK

    ResponderExcluir
  9. Fádua - POA05/08/2013 11:50

    Tb não entendi essa da Julielen Miras... nutrição dos humanos ou nutrição dos animais? E nutrição dos animais para serem nutrição dos humanos? Acredito que evolução tecnológica passa, necessariamente, pela abolição de hábitos medievais e métodos inócuos.

    ResponderExcluir
  10. Julielen, se você estivesse atualizada saberia que menos de 10% das pesquisas realizadas com animais resulta em alguma aplicabilidade e, mesmo assim, tais resultados podem ter sido obtidos através de outras formas de experimentação. Deixo aqui, para sua reflexão (e evolução), o pensamento de dois cientistas renomados sobre o assunto:

    “Vários vivisseccionistas ainda alegam que o que eles fazem ajuda a salvar vidas humanas. Eles estão mentindo. A verdade é que os experimentos em animais matam pessoas, e os pesquisadores em animais são responsáveis pelas mortes de milhares de homens, mulheres e crianças a cada ano." – DR. VERNON COLEMAN (Membro da Sociedade Real de Medicina/Inglaterra)

    “A Vivissecção é bárbara, inútil e um empecilho ao progresso científico.” – DR. WERNER HARTINGER (Médico Cirurgião/Alemanha)

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪