16/08/2013

Justiça manda devolver papagaio e macaco: um está morto e outro terá que viver sem corrente

Sinceramente, gente, eu tenho todas as dúvidas do mundo quando se trata de casos desta natureza.... De um lado uma pessoa que convive com um animal durante anos e do outro órgãos que, obrigatoriamente, defendem a vida animal. 

Os dois lados tem suas razões, mas, pelo olho do animal: o que ele escolheria? o que seria o melhor para ele? Eu tenho dúvidas..... por mais que me sinta dentro daquele ser, não consigo captar o que ele desejaria.... Não consigo opinar já que falta conhecimento deste mundo superior da vida animal. Acho que jamais saberemos, por isso a avaliação deveria ser feita caso a caso... é a única certeza que tenho...

Agora, é indiscutível a má qualidade de vida oferecida aos animais que são apreendidos nos Centros de Triagem da vida pertencentes ao IBAMA... a ultima vez que soube daquele que fica aqui no Rio (CETAS), os funcionários é que estavam comprando alimento para os bichos.... o que fazer, gente? 

E mesmo sendo atribuição federal o cuidado deste CETAS, porque a SEPDA até agora não interferiu na situação? Pô, tem muitos animais silvestres oriundos da nossa cidade.... ah, tá, esqueci.... é só cão e gato, quando muito cavalos... então, tá!!!! fico revoltada, sabiam? Vejam as duas matérias a respeito:
_____________________________



Animal foi apreendido em março e dona acionou Justiça para reavê-lo.
Vendedora do Recife soube da morte ao procurar Ibama nesta quinta (15).

Vendedora ambulante Gedália Valentim ficou abalada
ao saber da morte do bicho de estimação
(Foto: Priscila Miranda / G1)
Após a Justiça Federal em Pernambuco conceder a guarda de um papagaio da espécie Amazona aestiva para a vendedora ambulante Gedália Valentim Ferreira, que criava o animal há oito anos, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) informou à mulher, na manhã desta quinta-feira (15), que o bicho morreu no cativeiro da sede regional do órgão, na Zona Norte do Recife.

Em março deste ano, a vendedora havia entrado com um pedido na Justiça para reaver a guarda do papagaio. Ele foi apreendido no mesmo mês por agentes da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma) após denúncias anônimas de maus-tratos. Desde então, o bicho estava na sede regional do Ibama, no bairro de Casa Forte, para receber tratamento em cativeiro.

Depois da apreensão do animal, a vendedora ambulante procurou auxílio da Defensoria Pública, que acionou o Poder Judiciário. Na última sexta (9), o magistrado da 2ª Vara Federal, Francisco Alves dos Santos Júnior, concedeu a guarda do papagaio à Gedalia Valentim Ferreira. Ao procurar o Ibama na manhã de hoje para pegar a ave, ela foi informada da morte do animal, que ocorreu há mais de um mês.

De acordo com a veterinária do Ibama Cristina Farias, a necrópsia realizada no corpo do bicho apontou para uma infecção bacteriana agravada por quadro de desnutrição crônica. O animal morreu no dia 10 de julho. "Só realizei a necrópsia no dia 24 [de julho], depois que retornei das férias. Ainda haverá um laudo laboratorial realizado na Universidade de São Paulo", afirmou.

Cativeiro da sede do Ibama, onde o papagaio estava,
serve como centro de reabilitação dos animais apreendidos
(Foto: Priscila Miranda / G1)
A vendedora ficou decepcionada com a notícia da morte. "Ele era perfeito. Disseram que eu maltratava ele, mas é mentira. Ele tinha um defeito que era de nascença na pata, não prendia ele", disse. Depois da apreensão, a mulher foi ao Ibama diversas vezes com o objetivo de visitar o papagaio, que ela batizou de "Meu Lourinho". No entanto, depois de algumas visitas, Gedália foi impedida de ver o pássaro. "Eu implorava para ver, mas eles não deixavam. Só consegui vê-lo duas vezes", lembrou.

Segundo o Ibama, o papagaio apresentava uma atrofia do músculo peitoral. "Ele tinha uma mutilação pélvica, provavelmente já desde o cativeiro doméstico", acrescentou a veterinária. O Ibama afirma que prestou todos os cuidados necessários para que o animal fosse reabilitado.

"A gente sabe que o animal vinha numa dieta [alimentar] mais humana do que uma adequada à espécie dele. No cativeiro, nós adequadamos a dieta dele ao que nós oferecemos aos psitacídeos [ordem de aves que inclui o papagaio]. Aqui ele estava se alimentando bem, porém tem toda uma fase de adaptação desse animal do cativeiro doméstico para o processo de reabilitação", explicou Cristina Farias.

Defensora pública Marina Lago analisa solicitar à Justiça
medida de reparação para a dona do papagaio
(Foto: Priscila Miranda / G1)
Criando o papagaio desde filhote, Gedália conta que nunca tirou uma foto do bicho porque, segundo ela, "daria azar". "Eu tinha um gatinho que eu tirava fotos e ele acabou morrendo", relatou a vendedora.

Confusão de informações
A decisão da devolução do papagaio foi dada pelo juiz Francisco Alves na última sexta (9). De acordo com ele, o Ibama foi notificado da decisão esta semana. "Antes de ontem [terça-feira], o Ibama foi notificado oficialmente. Talvez o setor ainda não saiba, mas a instituição foi avisada sim", afirmou o magistrado. No entanto, a Superintendência do Ibama informou hoje que ainda não recebeu a notificação.

A defensora pública Marina Lago, que acionou a Justiça para reaver o papagaio de Gedália, afirmou que vai procurar o Poder Judiciário novamente para analisar medidas de reparação. "A informação que o Ibama nos passou é que eles estavam aguardando uma perícia vinda de São Paulo para só depois informar do falecimento. Essa comunicação que aconteceu hoje, para eles, teria sido prematura, o que ao meu ver não foi, já que o papagaio faleceu no dia 10 de julho", afirmou.

Procurado pelo G1, o juiz Franciso Alves disse que vai aguardar a notificação oficial sobre o falecimento do papagaio para tomar providências. "Vou comunicar ao Ministério Público Federal e se houve algum crime, vamos tomar medidas cabíveis. Vamos apurar essa morte", explicou o magistrado. Sobre o processo de guarda do papagaio, o juiz afirmou que será extinto por falta de objeto.

FONTE: http://g1.globo.com/pernambuco/noticia/2013/08/mulher-consegue-guarda-de-papagaio-na-justica-mas-ave-morre-no-ibama.html
_______________________________

Macaco Chico volta para casa em São Carlos, SP

EPTV - 15/08/13

32 comentários:

  1. Triste demais isso... a macaquinha já estava vivendo feliz com outros de sua mesma espécie pelo que li numa reportagem... agora vai novamente ficar sozinha... digo, sem outros macacos iguais a ela... triste demais... é muito covardia isso....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste é ter sido retirada de onde vivia por 37 anos onde recebia muito amor e carinho.olha o exemplo do papagaio que foi retirado da dona, morreu,se querem mostrar serviço,garanto que tem muita coisa a fazer nesse pais onde os animais são cruelmente abandonados.É claro que a macaquinha tem apego a pessoa que a criou e cuidou esses anos todos,se o IBAMA devolveu é porque sentiu que o mesmo poderia acontecer com ela.

      Excluir
    2. Isadora,pensei o mesmo que você. Quando vi a reportagem e percebi a alegria do animal com uma companhia da mesma espécie. Bem alimentado,a aparência era de felicidade.
      Não discuto se a proprietária gostava do animal. Na minha opinião,nas condições que o pobrezinho vivia,não me parece justo o retorno dele.
      Tudo parecia tão sujo e o pobrezinho numa corrente. Oh céus....tudo errado nessa droga de país em que vivemos.
      Este o meu pensamento,mas como diz a Sheila,o que será que pensa o animal,não é?Abração.

      Excluir
    3. Concordo com a Isadora e Norma.... não acho certo a macaca viver acorrentada.... isso é escravidão.

      Excluir
    4. Também concordo, com a Isadora, Norma e Desi.

      Excluir
  2. Leiam (e divulguem) esse excelente artigo , que fala tudo o que eu também penso. Assino embaixo!

    ResponderExcluir
  3. VERA LUCIA RICARDO16/08/2013 12:53

    Tb acho que cada caso deve ser julgado e resolvido de acordo com a situação. E acho que no caso do macaquinho, pelo que me pareceu na reportagem que vi na tv, ele estava mais feliz entre os da sua espécie, recebendo alimentação adequada e sem corrente no pescoço.

    ResponderExcluir
  4. Sheila, acho que um trecho do seu texto resume bem o que deve ser feito: "a avaliação deveria ser feita caso a caso". O bom senso, que muitas vezes não está presente, deveria prevalecer.
    Silvan

    ResponderExcluir
  5. Quando os Órgãos responsáveis fazem todo o aporte educativo na questão e as mídias publicam e obrigam a sociedade refletir, vem uma Juíza, a Lei-mór, e determina que se desconstrua todo o aprendizado realizado. O joguete nessa história foi o animal que, indefeso e imobilizado, nada pode fazer. Essa senhora estava errada em ter um animal silvestre em seu poder (é Lei, é proibido e tem que se fazer cumprir) e quando a situação foi reparada, todo um serviço social vai para o ralo. Segundo a mesma continuará a ser tratado como macho e ainda usará roupinha masculina e alimentação inadequada em todos os sentidos. Pena dessa macaca que nasceu para serviço escravo de apoio e conforto psicoemocional à essa senhora, que só pensa exclusivamente nela.

    ResponderExcluir
  6. Tudo depende do trato que o animal recebe de seus donos e para onde vai após ser retirado.. No caso do Chico, que na realidade era a Carla, pois é fêmea, mesmo tendo carinho da proprietária, apesar de acorrentado, ele estava se adaptando bem com os outros animais de sua espécie e só dependeria de sua antiga dona perceber esta situação para deixa-lo onde está. Já no caso do papagaio, com certeza morreu de "Banzo", que nada mais é do que saudades da antiga dona. Aves são muito mais sensíveis do que mamíferos. Já tive um caso destes na família.

    ResponderExcluir
  7. Jorge Romano16/08/2013 15:54

    Não vi as reportagens acima mencionadas, mas no caso do papagaio ficou claro a total incapacidade do Ibama de cuidar do animal aprrendido. A foto da sede do Ibama mostrando o local de reabilitação é uma piada.
    Muitos animais silvestres estão em poder de humanos sendo cuidados indevidamente, mas retirar um papagaio de dentro de uma casa para ele morrer no Ibama é o correto? É muita incompetência. A ave morreu dia 10/7 e só foi feita a necrópsia em 24/7 porque a responsável estava de férias? Em qual empresa a pessoa sai de férias e o serviço fica parado? Só em órgão público incompetente. Por que impedir a senhora de VER o papagaio? Não seria melhor a ave e o macaco terem ficado acautelados com seus responsáveis até uma decisão melhor e final? Salvo, é claro, na ocorrência comprovada de maus tratos. Caçar na natureza intencionalmente para aprisionar é crime, mas a venda desses animais em ruas e praças também é e muitos compram sem saber que estão cometendo um crime. Aí, depois de 8 ou 37 anos o fiscal bate na porta e recolhe o animal para morrer em cativeiro. É uma zona total esse País.

    ResponderExcluir
  8. nem me fale na reportagem do macaco!!pois a cara do rapaz que é responsavel tinha um Q de sarcasmo...sobre a necessidade da senhora em ter um bicho de estimação..era a alegria da vizinhança humilde.To cheia destas noticias...sobre bichos e maltratos.nota zero pro agente do Ibama..sabemos que os bichos não são maltratados por lá mas ele em casa da dona...era muito feliz com, caminha e tudo mais.
    Não tenho resposta para tudo ...mas esta denuncia foi demais quiça pra ela

    ResponderExcluir
  9. Este papagaio não é o primeiro a morrer pela incompetência do Ibama. Há alguns anos, um casal teve seu papagaio de trinta anos apreendido e este veio morrer por ter sido colocado dentro da mesma gaiola com um furão.Imaginem o que o furão fez com o papagaio?
    Já no caso da macaquinha, ela estava se adaptando bem junto aos seus. Devia ter ficado lá, pois se a senhora deseja um animal de estimação, então adote um animal de estimação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Vitória. Este caso do furão com o papagaio eu me lembro perfeitamente. Na época, comentei com uma amiga que trabalha do IBAMA e ela ainda me criticou, porque achei um absurdo o que ocorreu. O IBAMA não possui estrutura para acolher os animais. O melhor seria que fossem enviados para santuários, que possuem estrutura para acolhimento dos animais, até que estejam hábeis para o retorno à natureza. Em alguns casos, o animal nunca terá condições de viver em liberdade. Então, penso que o Juiz deverá analisar cada caso com cautela e de forma individualizada, para evitar criar um mal ainda maior para o animal. Além disso, penso que o homem ainda precisa evoluir muito, para saber conviver em harmonia com os animais, pois, cada dia que passa, temos notícias de animais que se aproximam de zonas urbanas, e correm risco de morte, pois, nem todos sabem lidar com situações assim. Isto sem contar com a quantidade de animais mortos em rodovias. A questão é muito delicada e merece uma atenção maior. Regina Luzzi

      Excluir
  10. Acho que tem que tirar esses animais silvestres da casa das pessoas mesmo,tascar multa para que no futuro isto acabe.Um morreu,mas morrem muitos mais nas mãos de traficantes e na casa de pessoas despreparadas e despreocupadas de como cuidar destes animais,fora tantos outros que vivem engaiolados Brasil afora.Que confisquem todos.

    ResponderExcluir
  11. Não tem que defender quem rouba animal da natureza.

    ResponderExcluir
  12. Por isso que o Brasil sempre vai ser um país de Terceiro Mundo.
    Quem deveria aplicar as leis simplesmente não aplica. Tergiversamos com a legalidade a todo momento.
    No mínimo patética a expressão "dona" do macaco citada por alguns.
    Essa senhora tinha posse desse animal ilegalmente. Vou repetir, ilegalmente.
    Essa senhora não tinha autorização para a criação do animal, teve a posse do mesmo esses anos todos de forma criminosa. Sim, criminosa. Isso é fato. Fato comprovado.
    Não há o que se pleitear nesse caso. Essa senhora deveria ser processada e o animal ser transferido para um lugar adequado, o que já tinha sido providenciado pelos relatos na mídia impressa e televisiva.
    Deixar a posse do animal com o criminoso é a desmoralização da justiça nesse país.
    Infelizmente a Magistrada contribui de forma decisiva para que a impunidade prevaleça no país, pois simplesmente "esquece" de aplicar o que está na lei. Estão dando recado claro para a sociedade que o crime compensa.
    Espero que essa liminar possa ser derrubada e se restaure a moralidade.

    Jorge Dias

    ResponderExcluir
  13. SE VC NAO FOR UM FILHO DE UM #$%ˆ$ DE UM PECUARISTA OU CRIADOR GIGOLO OU CAFETINA DE ANIMAIS, VC NAO É DONO DE P**** NEHUMA VAMOS COMBINAR BELZA...ESSA CULTURINHA DE PETSHOP AQUI NAO PENDEJO ! SE SOMOS PROTETORES DEFENSORES E VEGANOS COMO TENHO CERTEZA TODOS AQUI SOMOS OU SEREMOS, VAMOS FALAR TUTOR, PAI, MAE, ETC BLZA?? SENAO FAREMOS PARTE DA MASSA INIMIGA...

    A EQUACAO É SIMPLES: O IBAMA É PAGO PRA COIBIR ISSO, INCLUSIVE VELHAS MAUCAS SEMI ANALFABETAS Q COMPRAM ANIMAIS DE BANDIDOS E SE AFEIÇOAM AO ANIMAL E VICE VERSA POR MOTIVOS OBVIOS. PONTO. SE ELE PRENDE O MAIOR TRAFICANTE DE BICHOS (HJ O TRAFICO DE ANIMAIS É O TERCEIRO NEGOCIO ILICITO MAIS LUCRATIVO, SO PERDE PRA DROGAS E ARMAS E AS PUNICOES NAO PRECISAMOS NEM FALAR DA DISCREPANCIA) REINCIDENTE PQ ESTAMOS AQUI NESSE LIXO DE PAIS, ELE SEMPRE SERÁ SOLTO, QUER QUEIRAMOS OU NAO, NA MINHA OPINIAO SE EU FOSSE DO IBAMA MATAVA ALI NO MATO MESMO CASO NAO HOUVESSE UM CAGUETE. ESSA É A UNICA SOLUCAO. MATAR PRONTO. PQ UM ANIMAL EM EXTINCAO É MAIS IMPORTANTE Q UM BANDIDO VAMOS COMBINAR. E POBRE?? BLZA ENTAO VAI DAR A B**** LAVAR A LOUCA, MAS NAO PARTIR PRO CRIME SENAO ESTAMOS DIZENDO Q AQUI É A REPUBLICA DO COITADISMO, É POBRE PODE MATAR ESTUPRAR, ESFOLAR E PILHAR. ISSO JA EH ASSIM E ESTAMOS VENDO RESULTADO.

    AGORA DO PONTO DE VISTA PRATICO É LEVOU PRO IBAMA O IBAMA PEGOU E VE Q NAO NAO TEM NEM COMPETENCIA TECNICA NEM ESTRUTURAL NEM FINANCEIRA, Q O BICHO TA DEFINHANDO VIVO, NAO TEM Q VIR UM OU UMA MAGISTRADO IMBECIL COM SINDROME DE DEUS, CAGAR GOMA DE Q SABE DE TUDO COM HUMILDADE ZERO E SIMPLESMENTE TOMAR ESSA ATITUDE. O IBAMA TEM Q TER A PROPRIA CAPACIDADE DE JULGAR OQ É MELHOR SEMPRE BASEADO NO BEM ESTAR DO ANIMAL E SOBRE TUDO NA SUA ABOLICAO, E PRA ISSO DEVOLVER O BICHO DEVE SER SEMPRE A ULTIMA OPCAO DO CONTRARIO ESSE TRAFICO DESGRACADO NAO ACABA NUNCA, E O BANDIDO SEMPRE ESTIMULADO JUNTO COM SEU CONSUMIDOR VENDO Q TUDO COMPENSA. AGORA INDENIZACAO....PARA ESSA VELHA CRETINA?? ELA É UMA CRIMINOSA O PREMIO DELA DEVERIA SER CANA E UMAS CHIBATADAS DE UM RELHO DE UM CIPO BEM TRANCADO PRA NUNCA MAIS FAZER ISSO. SO EXISTE UM DESCULPA PRA TER ANIMAL SILVESTRE. RESGATE. É A UNICA. FIM DE PAPO. UGO WERNECK

    ResponderExcluir
  14. conceição17/08/2013 03:25

    Parabéns a todos os que se dizem ""protetores" e que fizeram petição para que o !a) macaquinha fosse devolvida a """dona""".
    A coitadinha estava tão feliz junto com outro de sua espécie, alimentação adequada e agora?
    vai voltar para o inferno, que sempre foi a sua vida, vivera o restante dos seus dias tomando leite com não sei o que e acorrentada, porque ninguém fiscaliza nada nessa merda de pais.

    PARABÉNS ""protetores""

    ResponderExcluir
  15. Pois é...

    Já soube de inúmeros casos de órgãos 'competentes' que retiraram animais silvestres que estavam sob guarda doméstica e que vieram a morrer de 'causas desconhecidas' ou atribuídas à sua domesticação.
    O que eu acho interessante é a 'coincidência'... morreu depois! Morei por muitos anos no Mato Grosso do Sul, e essas ocorrências eram comuns por lá. Inclusive tenho histórico de cuidados de duas corujinhas que perderam a mãe, ficaram comigo durante um tempo (tempo diferente uma da outra, foram dois casos) até estarem aptas para a vida silvestre - e aos apedrejadores de plantão de mente medieval e corrosiva (cuidado, isso dá câncer!), que fiquem sabendo que foram devidamente cuidadas e treinadas para que não perdessem o instinto da caça e de sobrevivência - . Mas o que eu quero dizer, é que é INEVITÁVEL não estabelecer laços afetividade com o animal, e no meu caso mais ainda que sabia tê-las sob minha proteção por um curto período de tempo.

    A forma como a macaquinha foi retirada do seu convívio doméstico foi cruel, isso gerou revolta e indignação dos vizinhos que conviviam com a senhora que a criou e das pessoas daqui, tanto é que a bichinha voltou e sua tutora terá sua legitimação.

    Portanto inquisidores crônicos, remanescentes do obscurantismo, antes de inocularem suas pestilências, vão ao local do ocorrido e verifiquem o que REALMENTE aconteceu!

    É óbvio que cada caso é um caso, e no da macaquinha eu pergunto por que não houve a princípio nenhuma orientação e exigências da parte desses órgãos (IBAMA, CONAMA - SISNAMA) para uma adequação no ambiente doméstico mais confortável à macaquinha ? Por que só agora depois de gerar sofrimento no animal e comoção nas pessoas de boa índole? Mas eu mesma respondo: - porque não há o mínimo interesse desses órgãos em considerar os laços de afetividade criados entre o animal e seus tutores e o que a sua supressão pode causar. Pelo visto, não há também da parte dos que deveriam ter um pouco mais de compreensão, sensibilidade e percepção. DURA LEX SED LEX!


    ResponderExcluir
  16. Conceição17/08/2013 15:51

    Pois é.
    você fez a coisa certa com as corujas, parabéns.
    Mas, no caso do macaquinho que viveu por 35 anos sendo considerado "macho" isso significa que ele nunca foi levado ao veterinário, caso contrário seu sexo teria sido descoberto.
    A coitada passou todos os anos sendo vitimas de maus-tratos e não por maldade, acredito eu, mas por ignorância.
    No local para onde foi levada (vídeo mostra a alegria dela) estava recebendo alimentação adequada, se curando das cicatrizes, convivendo com outro de sua espécie e parecia estar muito feliz.
    Infelizmente foi devolvida e terá mais alguns Malditos anos pela frente, INFELIZMENTE.

    ResponderExcluir
  17. Ana Lucia Nunes17/08/2013 21:26

    Animal silvestre não pode ser criado como animal de estimação por mais que as pessoas os trate bem.
    De fato, cada caso deve ser analisado de forma distinta.
    No caso do Chico/Carla, da maneira que ela destruiu a coleira e como ficou feliz junto com os outros de sua espécie, deveriam deixá-la onde estava.

    ResponderExcluir

  18. Pois é...

    ''Parecia'' estar muito feliz... com papagaio deve ter acontecido a mesma coisa quando estava sob a guarda da entidade que o ''cuidava''.

    ''A descoberta da verdade é impedida de forma mais eficiente não pela aparência falsa das coisas que iludem e induzem ao erro, nem diretamente pela fraqueza dos poderes de raciocínio, mas pela opinião preconcebida e pelo preconceito.'' Arthur Schopenhauer

    ResponderExcluir
  19. "Portanto inquisidores crônicos, remanescentes do obscurantismo, antes de inocularem suas pestilências, vão ao local do ocorrido e verifiquem o que REALMENTE aconteceu!..."

    Inacreditável que alguns simplesmente "esqueçam" o principal nessa história.
    O animal estava com essa senhora ILEGALMENTE! Preciso repetir? Alguma dúvida?
    Não entro no mérito do bem estar do mesmo. Isso seria uma etapa a ser discutida após a resposta a questão principal nesse caso. Uma resposta já publicamente dada. Uma resposta sem contestação.
    Alguns incautos e ignorantes falam que animais silvestres podem morrer quando retirados dos "donos"...
    Claro que é possível e é um risco que devemos correr simplesmente para se buscar uma reparação com as leis e com o próprio animal.
    Quem utiliza esse argumento também se "esquece" de falar dos milhares de animais silvestres traficados que morrem e são mutilados na tentativa de sua captura e comercialização
    Fora o número absurdo de animais, principalmente pássaros, que morrem dentro de gaiolas e viveiros em "casas de família".
    É fácil falar dos "órgão competentes", mas esquecem de falar das pessoas "cuidadosas" que matam infinitamente mais com esse hábito ilegal e imoral.
    Enfim, qualquer argumento a favor dessa "senhora" é pura falácia, pura ignorância, puro desconhecimento das leis e conduta moral permissiva.
    Somente no Brasil o objeto do roubo, do crime, fica com o criminoso.
    Vamos colocar a mão na consciência.

    Jorge Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certo, muito certo, certíssimo!

      Excluir
  20. Complementando, se fossemos seguir a linha de raciocínio de alguns, uma raptora de bebês poderia alegar que tem direito a guarda da criança pois a trata melhor que a mãe verdadeira. Mesmo se fosse verdade, não teria embasamento jurídico algum.
    A mesma linha se aplica a posse ilegal de animais silvestres. Mesmo que muitos pudessem tratar de forma melhor os animais que foram apreendidos em sua posse, é dever do Estado, é obrigação por Lei, que o destino do animal seja em "entidades" oficiais.
    Se as mesmas não dão o tratamento adequado é nosso dever cobrar e exigir das autoridades providências. Esse é o caminho.
    Do contrário, estamos alimentando o círculo vicioso do tráfico, que infelizmente é ajudado em boa parte por cidadãos que se deixam levar pela aparência e idade dàqueles que cometem esse tipo de crime, sem observar o que diz a lei e as consequências dessa atitude para o tráfico de animais.

    Sem mais,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. certo, muito certo, certíssimo!

      Excluir
    2. Concordo !

      Excluir
    3. Falou alguém que sabe o que diz...
      A lei precisa ser cumprida e cabe a nós cidadãos cobrar.
      Lugar de animal silvestre é no seu ecossistema! Aceitá-los como "domésticos" só estimula o tráfico!
      Precisamos que a população saiba que é ilegal tirar animais do seu ambiente!

      Excluir
  21. Justiça podre.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪