17/07/2013

Proibição de abate “kosher” inflama relações entre Polónia e Israel

Galera, uma vitória memorável da proteção animal da Polônia!!!! Será que vamos conseguir isto aqui no Brasil? eu acho que não vou estar viva na ocasião.... Quem estiver, por favor, tome um bom gole de champanhe por mim!!!!!
______

Euronews - 16/07/13

A Polónia encontra-se à beira de uma crise diplomática com Israel depois do parlamento de Varsóvia ter apoiado, na sexta-feira, a proibição do ritual de abate de animais praticado por judeus e muçulmanos.

A decisão da maioria dos deputados, apoiada pelas organizações de defesa dos direitos dos animais, reabre feridas do passado, num país que foi palco do
holocausto nazi durante a segunda-guerra mundial. As organizações judaicas internacionais falam de uma medida discriminatória.

Para o porta-voz da diplomacia israelita, Yigal Palmor, “esta decisão do parlamento polaco chocou-nos profundamente, pois sempre pensámos que as tradições judaicas faziam parte da história da Polónia e agora vemos os judeus a serem proibidos de levar a cabo um dos mais importantes e antigos rituais da sua religião”.

A proibição é igualmente criticada pelos criadores de gado, quando o setor da carne “kosher” e “halal” emprega mais de seis mil pessoas, representando mais de 500 milhões de euros anuais em exportações.

“É um golpe duro para a economia e agricultura polacas. Claro que o efeito não será imediato, mas as consequências vão ser sentidas dentro de seis meses a um ano”, afirma Slawomir Izdebski, líder do sindicato dos agricultores polaco.

A proibição do abate ritual de animiais, ratificada pelo parlamento encontra-se em vigor desde janeiro, depois da anterior exceção à lei ter sido considerada inconstitucional pelos tribunais polacos.

Algumas associações judaicas não hesitam em fazer um paralelo entre a atual proibição e as leis anti-semitas aprovadas pelo parlamento polaco, em 1936, antes do país ser ocupado pelas forças nazis.
Fonte: Euronews
________________
 Outra matéria muito boa

Ao longo dos últimos anos, houve vários casos em que os costumes judaicos têm estado em conflito com leis nacionais, sobretudo, nos casos de abate de animais e no da circuncisão.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel criticou a Polónia depois de, na passada sexta-feira, o parlamento, em Varsóvia, ter chumbado uma lei que permitiria às comunidades judaica e muçulmana abater animais para consumo, de acordo com as regras particulares das suas religiões. 

Israel aludiu ao passado de perseguição dos judeus na Polónia para criticar a medida: “A história da Polónia está intimamente ligada à história do povo judeu. Esta decisão prejudica seriamente o processo de restauração da vida judaica na Polónia”, afirmou o Ministério israelita, em comunicado. 

Ao longo dos séculos houve vários casos de perseguição dos judeus na Polónia, mas foi o holocausto, durante a ocupação Nazi, que praticamente aniquilou a presença ancestral dos judeus naquela região, daí a referência do Governo israelita à “restauração” da presença judaica polaca. 

Israel pede que o Governo polaco encontre alguma forma de permitir aos judeus residentes naquele país a manutenção das suas tradições. 

A lei que tinha sido proposta pelo Governo polaco visava abrir uma excepção para judeus e muçulmanos à ordem de que todos os animais mortos para consumo devem ser atordoados para estarem inconscientes na altura do abate. 

As leis que regulam a alimentação para judeus e muçulmanos ordenam, contudo, que o animal deve estar consciente na altura em que é morto. Até ao ano passado aceitavam-se excepções para judeus e muçulmanos poderem abater os animais segundo os seus costumes, mas o supremo tribunal polaco anulou essa excepção, declarando-a inconstitucional. 

Solução passa pela importação
Com o chumbo da lei proposta pelo Executivo a situação mantém-se inalterada e os judeus e muçulmanos observantes vêem-se impedidos de comer carne produzida na Polónia, tendo de importar, aumentando o preço. 

Donald Tusk, primeiro-ministro da Polónia, que era a favor da passagem da lei, lamentou apenas o tom do comunicado israelita, dizendo que "sobretudo o contexto histórico não é comparável e não se aplica à actual situação”. 

Ao longo dos últimos anos houve vários casos em que os costumes judaicos têm estado em conflito com leis nacionais. Na Holanda a câmara baixa chegou a proibir a matança ritual de animais, mas judeus e muçulmanos, apoiados pela Igreja Católica, contestaram a lei e esta acabou por ser chumbada na câmara alta. 

Entretanto, também em 2012, um tribunal estadual na Alemanha proibiu a circuncisão, uma decisão que foi adoptada temporariamente em países vizinhos, até ser resolvida pelo Governo, que criou uma lei especificamente para garantir a legalidade de uma prática central para o Judaísmo e o Islão. 

Na Europa, actualmente, a Suécia, Noruega, Suíça, Islândia e a Polónia proíbem a matança ritual de animais para consumo, insistindo na necessidade de atordoar o animal antes do abate.

Fonte: http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=29&did=114774

5 comentários:

  1. Israel está insatisfeito?! Só digo isto: o resto do mundo está aplaudindo a atitude do parlamento polonês.
    Aliás, digo mais: toda religião que se preze tem que ser pautada por uma regra básica muito simples: não fazer aos outros o que não gostaria que fizessem a si próprio. Exceção: matar para comer, ou em algum dos casos de excludente de ilicitude, como legítima defesa.
    Silvan

    ResponderExcluir
  2. Isso deveria se estender ao mundo todo. Começando pela china, espanha e vietna.

    ResponderExcluir
  3. Ana Lucia Nunes18/07/2013 11:08

    Serei repetitiva: não precisamos matar para continuarmos vivos.
    A Mãe Natureza é por demais sábia e criou a fauna e a flora para nos alimentar, vestir e medicar, sem que os animais precisem morrer para isso.
    Quem ama os animais, ama a todos ! É hipocrisia amar uns e comer outros !
    Lutarei sempre para que todos os seres humanos enxerguem isso algum dia.
    E plagiando a Sheila, celebrem por mim se eu não estiver mais aqui mas, com champagne de vinícola ecologicamente correta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Num intindi, Ana Lucia... como se alimentar sem matar? Pode explicar para eu entender?
      Silvan

      Excluir
  4. QUANTA IGNORANCIA SOBRE O QUE É UM ABATE CACHER, KASHER ou KOSHER. Todos que se alimentam que queiram se alimentar de animais ovino, bovino e equino deve ter um abate de acordo com as leis minimas de higiene, o abate KOSHER ou KASHER esta nestes requisitos. A Polônia TEM ABATES DE ANIMAIS DE FORMAS não padrão que o problema central é ser e estar contra os JUDEUS...para mim que a POLÔNIA SEJA ESQUECIDA !

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪