02/07/2013

Justiça ouve testemunhas no caso de maus tratos contra animais em pet shop

RIO DE JANEIRO (O REPÓRTER) - O juiz da 31ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ouviu nesta terça-feira (25), quatro testemunhas no processo de maus tratos contra animais no pet shop Quatro Patas, no Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Os réus da ação penal são Solange Barroso Ferreira, dona do estabelecimento, e seu filho, Daniel Henriques. As quatro testemunhas são donas de cães que teriam sido agredidos no pet shop.

Na época do caso, imagens foram divulgadas na imprensa onde Daniel agride cães com socos, tapas e jogando água no focinho dos animais. Segundo uma das testemunhas, sua cadela foi o primeiro animal a aparecer no vídeo.

A dona de um outro cão disse que o animal começou a ter problemas de saúde após algum tempo frequentando o estabelecimento.

“O veterinário perguntou se ele tinha caído ou batido a cabeça. Todynho (nome do cão) parecia outro cachorro, estava agressivo, arredio e passava muito mal. Meus dois cachorros eram clientes assíduos do pet shop”, disse a testemunha.

Em um dos depoimentos, a dona do cachorro Rick afirmou que recebeu uma ligação de Solange Barroso avisando que o cão não estava bem. Ela deixava o animal a cada dois meses no local.

“Encontrei Rick praticamente desfalecido. O tosador disse que ele tinha sofrido uma parada cardiorrespiratória. Esse fato aconteceu poucos dias antes da divulgação das imagens na televisão. Depois que ficamos sabendo, o veterinário me disse que provavelmente, pelos sintomas que apresentou, ele levou um soco no pulmão”, afirmou a dona e completou: “Rick não consegue mais caminhar. Qualquer esforço que faz, fica ofegante. Além disso, ele precisa ser dopado na hora da tosa, pois fica muito agitado e nervoso”, afirmou.

Os dois réus respondem por catorze acusações de maus tratos em animais domésticos. Não houve tempo para que as testemunhas de defesa fossem ouvidas. A próxima audiência está marcada para o dia 1º de agosto.

Fonte: O REPORTER.com

9 comentários:

  1. Cadeia para os dois, seria o correto!
    bicho não pode falar, não pode se defender!
    Marlene

    ResponderExcluir
  2. Cadeia neles ! Isso se o Brasil fosse um país sério, se houvesse justiça por aqui...

    ResponderExcluir
  3. Sou tosadora, apóio completamente a fiscalização nos pet shops. Maus profissionais tem que ser banidos e responsabilizados por seus atos criminosos. Nada justifica maltratar um animal. Todas as vezes que eu termino uma tosa, agradeço ao animalzinho pois é por causa deles que eu ganho meu dinheiro. Muitas vezes não é fácil, muitas vezes é desgastante tanto fisicamente como emocionalmente mas é preciso ter na consciência que eles precisam de nossa compreensão e amor. FORA quem não tem capacidade e amor para trabalhar com os animais!

    ResponderExcluir
  4. Jorge Romano02/07/2013 21:24

    Parabéns Bárbara por colocar o sentimento no seu trabalho como tosadora. Mas infelizmente muitos estão no ramo apenas por ser uma profissão que remunera, e acaba acontecendo o que vimos na pet Quatro Patas, mãe e filho criminosos. Como eu já registrei em diversas oportunidades, nenhuma das agressões teria ocorrido se o responsável pelo animal estivesse presente. Esse negócio de "deixar" e "mandar levar" para PET tem que acabar. Ainda não vivemos num País sério onde os serviços são fiscalizados permanentemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jorge. Concordo plenamente com vc, mas saiba que que são os próprios donos que não querem estar presente. Apenas 1 dona fica comigo durante a tosa e, em nada muda o comportamento da cachorrinha, lamentável.

      Excluir
  5. BANDIDOS DA PIOR ESPÉCIE, POIS AGRIDEM QUEM NÃO PODE TESTEMUNHAR CONTRA ELES.

    ResponderExcluir
  6. Cristina Calixto03/07/2013 00:11

    Lamentavelmente não acontecerá praticamente nada com essa gente dos infernos. Lamentavelmente, por serem réus primários, pouco a justiça fará. Até porque, mesmo com a divulgação de vídeos, etc., o geral é as pessoas dizerem que eram apenas animais.

    Com meus animais, tosador e banhista fazem o serviço na minha casa, com as toalhas dos meus animais, o xampu que eu compro, etc. Não me incomodo de ter que lavar chão, toalhas, etc. Mas o serviço tem que ser feito debaixo das minhas vistas.

    Deus me livre de algo acontecer com algum dos meus filhos! Eu mato um...

    Deixo de comprar coisas pra mim, mas nada falta pra eles. Até por ter animais bastante idosos, não quero que nada os estresse. E são 11 cães e 18 gatos! As únicas pessoas para quem dei o mesmo tipo de paparicos foi com meus pais, além dos meus animais. Não sei se faria por outras pessoas, porque normalmente são ingratos e vivem nos julgando. Acho que não gosto muito (ou nada) de gente...

    ResponderExcluir
  7. Cecilia borba03/07/2013 21:01

    É de chorar em pensar o que sofreram esses pobrezinhos nas mâos desses carrasco, e nâo poder reclamar. cadeia neles e pagar os damos morais.

    ResponderExcluir
  8. Ana Lucia Nunes03/07/2013 21:26

    É muito difícil manter um pensamento Cristão ao ler coisas assim.
    O que leva uma criatura a agir assim ??? Só pode ser enviado do coisa ruim, discípulos do Claudio Cavalcante e toda sua corja.

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário, porém, não publicaremos palavrões ou ofensas.
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

EM DESTAQUE


RECEBA NOSSOS BOLETINS DIÁRIOS

Licença Creative Commons

"O GRITO DO BICHO"

é licenciado sob uma Licença

Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas

 

SAIBA MAIS


Copyright 2007 © Fala Bicho

▪ All rights reserved ▪